Um gato verde, um homem
velho e coisas que tais.
De como a Arte não pode mudar o Mundo

Colégio Oceanus
João Lima | 2013
I love cooking. Not for myself alone.
Cooking is about giving.
Christine Lagarde
Como fomos de um lado ao outro?
Então não é a Arte que pode
mudar o Mundo?
106
milhões de euros
2.911.767
visitantes
Então são os números que
mudam o Mundo?
Então afinal o que muda o
mundo?
"Estou sempre disposto a aprender,
mas nem sempre gosto que me ensinem.“
Winston Churchill
(esta é a parte do velho do título desta conversa)
( e agora… o gato verde!!!!)
Então a Arte não pode mesmo
mudar o Mundo?
"A pior das loucuras é, sem dúvida,
pretender ser sensato num mundo de doidos.”
Erasmo de Roterdão
Obrigado!
Um Gato Verde e um Homem Velho
Um Gato Verde e um Homem Velho
Um Gato Verde e um Homem Velho
Um Gato Verde e um Homem Velho
Um Gato Verde e um Homem Velho
Um Gato Verde e um Homem Velho
Um Gato Verde e um Homem Velho
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Um Gato Verde e um Homem Velho

771 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
771
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Um Gato Verde e um Homem Velho

  1. 1. Um gato verde, um homem velho e coisas que tais. De como a Arte não pode mudar o Mundo Colégio Oceanus João Lima | 2013
  2. 2. I love cooking. Not for myself alone. Cooking is about giving. Christine Lagarde
  3. 3. Como fomos de um lado ao outro?
  4. 4. Então não é a Arte que pode mudar o Mundo?
  5. 5. 106 milhões de euros
  6. 6. 2.911.767 visitantes
  7. 7. Então são os números que mudam o Mundo?
  8. 8. Então afinal o que muda o mundo?
  9. 9. "Estou sempre disposto a aprender, mas nem sempre gosto que me ensinem.“ Winston Churchill
  10. 10. (esta é a parte do velho do título desta conversa)
  11. 11. ( e agora… o gato verde!!!!)
  12. 12. Então a Arte não pode mesmo mudar o Mundo?
  13. 13. "A pior das loucuras é, sem dúvida, pretender ser sensato num mundo de doidos.” Erasmo de Roterdão
  14. 14. Obrigado!

×