Rel. autoavaliação domínio d be boliqueime _2012 2013_pdf

672 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
672
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
12
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Rel. autoavaliação domínio d be boliqueime _2012 2013_pdf

  1. 1. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 1 Relatório de Autoavaliação Biblioteca Escolar “Lídia Jorge” Domínio D – Gestão da Biblioteca Escolar Ano Letivo 2012/2013 Agrupamento de Escolas Engº Duarte Pacheco - Loulé EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva - Boliqueime Professora Bibliotecária Ana Maria de Brito Palma
  2. 2. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 2 D. Gestão da Biblioteca Escolar D.1. Articulação da BE com a escola. Acesso e serviços prestados pela BE Evidências: A BE está perfeitamente integrada na vida da escola, sendo contemplada, de forma explícita, a sua missão, objetivos e organização funcional, nos documentos que regulamentam a organização escolar do agrupamento, designadamente, Projeto Educativo e Regulamento Interno. O RI, cuja alteração mais recente já contempla a agregação dos dois agrupamentos, Duarte Pacheco e Boliqueime, apresenta a seguinte redação no Artigo 73.º (Missão e Princípios): “A biblioteca escolar disponibiliza serviços de aprendizagem, livros e recursos que permitem a todos os membros da comunidade escolar tornarem-se pensadores críticos e utilizadores efetivos da informação em todos os suportes e meios de comunicação. (…) ” e no Artigo 75.º (Objetivos e Serviços) “A biblioteca escolar é parte integrante do processo educativo. Os seus objetivos e serviços são essenciais ao desenvolvimento das literacias de informação, do ensino/aprendizagem e da cultura. (…) ”. A BE aparece, igualmente, referida nos Projetos Curriculares de Turma, através do incentivo à sua utilização regular como meio de apoio ao estudo, ao currículo e à pesquisa de informação. O Plano de Ação e o Plano Anual de Atividades da BE entroncam nas finalidades nucleares do Projeto Educativo do Agrupamento e estão, igualmente, em consonância com o seu Plano Anual de Atividades. Na lista de verificação CK1, o presidente da CAP reconhece que a BE consta de forma explícita nos documentos normativos, sendo encarada como um recurso pedagógico fundamental e encontra-se envolvida nas grandes finalidades e prioridades educativas da escola. As Professoras Bibliotecárias da escola sede e da EB de Boliqueime têm uma participação efetiva no Conselho Pedagógico e a outra Professora Bibliotecária tem assento no Conselho Geral. Pontos Fortes identificados: -Referência explícita à missão e aos objetivos da BE nos documentos orientadores da escola. - Forte utilização da BE pela comunidade escolar, em particular, por alunos e professores. - Boa articulação com os docentes e Projetos da escola/agrupamento Pontos Fracos identificados: - Menor disponibilidade, por parte das professoras bibliotecárias, para uma maior participação nas reuniões com os diferentes departamentos curriculares e demais estruturas de coordenação educativa, devido à sobrecarga letiva.
  3. 3. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 3 - Menos disponibilidade para a planificação conjunta de ações com os departamentos/grupos disciplinares, cujos resultados escolares suscitam uma maior preocupação. D.1.2 Valorização da BE pelos órgãos de direção, administração e gestão. Evidências: Os órgãos de direção, administração e gestão, nomeadamente, o presidente da CAP, Conselho Pedagógico, Chefe dos Serviços Administrativos, Presidente do Conselho Geral, manifestam um envolvimento interessado perante as solicitações das professoras bibliotecárias, em relação às questões relacionadas com a BE, envolvendo-se na procura de soluções, partilhando responsabilidades e coadjuvando na gestão dos recursos humanos, com vista ao bom funcionamento do espaço e à qualidade do serviço prestado. As propostas apresentadas pelas professoras bibliotecárias mereceram a sua recetividade, disponibilidade e tempo para ponderação das opções, num clima justo e cordial. Ao longo do ano, foi mantido um diálogo constante com o Presidente da CAP e com os demais elementos da direção, tendo sido partilhadas as dificuldades e sucessos. No questionário CK1 presidente da CAP considera ter sido implementado com sucesso a realização de encontros regulares com as professoras bibliotecárias e a observação de atividades da BE. Os órgãos de administração e gestão puseram em prática, na medida do possível, uma política de afetação de recursos humanos adequada às necessidades de desenvolvimento das BEs. No que respeita ao orçamento, apesar de não haver uma verba anual explícita para a BE, o presidente da CAP, sempre que as professoras bibliotecárias lhe apresentaram propostas para atualização da coleção ou outras aquisições, mostrou-se empenhado na viabilização das mesmas. Pontos Fortes identificados - Boa interação e integração da BE na escola/agrupamento. A BE assume-se e é entendida como um recurso ativo ao serviço da escola/agrupamento. - Os órgãos de direção, administração e gestão reconhecem o valor da articulação/planificação entre a BE e os vários departamentos curriculares e demais estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica. - As professoras bibliotecárias integram o Conselho Pedagógico assumindo uma atitude proactiva junto do conselho pedagógico, departamentos e docentes, no que respeita ao valor da BE e às mais-valias que faculta. Pontos Fracos identificados - Afetação de recursos humanos é insuficiente para assegurar com eficácia e eficiência a multiplicidade de serviços assegurados pelas BEs. - A inexistência de uma verba anual atribuída à biblioteca.
  4. 4. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 4 Nota: (Os pontos D.1.1 e D.1.2 foram avaliados, de acordo com as indicações da RBE, uma única vez, independentemente do nº de bibliotecas. O preenchimento destes indicadores foi feito em conjunto, pelas 3 professoras bibliotecárias do agrupamento.) D.1.3 Resposta da BE às necessidades da escola/agrupamento Evidências: A BE funciona num horário contínuo e alargado, das 8:30 às 17:00, possibilitando o acesso dos seus utilizadores, tanto no horário letivo, como nos períodos de ocupação extra letivo. No QA4, 100% dos alunos considera que o horário da BE é adequado e responde às suas necessidades de acesso; 79,2% diz ir todos os dias, 16,7% uma a duas vezes por semana e 4,2% uma a duas vezes por mês. No QD3, 91,7% dos docentes considera o horário de abertura da BE Muito Bom e 8,3% Bom. As BEs do agrupamento são geridas de forma integrada, rentabilizando os recursos e possibilidades de acesso a programas e projetos, tanto por parte da CAP, como das suas 3 PB, as quais desenvolvem um excelente trabalho de equipa. Ao longo do ano reuniram, sempre que necessário, para a planificação/articulação/partilha de atividades/projetos/recursos. No QD3, 91,7% dos docentes reconhece que a articulação de atividades e a partilha de recursos entre escolas/bibliotecas no agrupamento é Muito Boa e 8,3% Boa. No CK1 o presidente da CAP considera ter sido implementado com sucesso o acompanhamento com regularidade de encontros regulares com a professora bibliotecária, a observação de atividades/outros, bem como o apoio e as condições para participar em reuniões para o aprofundamento da ligação da BE à escola. A BE cria condições e é usada como recurso e como local de lazer e de trabalho. O módulo de circulação da BE registou, este ano letivo, a entrada de 38643 alunos, 1596 docentes e 1187 outros. A BE apoia os utilizadores no acesso à coleção, aos equipamentos, à leitura, à pesquisa e ao uso da informação. No QD3, no tocante às condições de acesso e acompanhamento na pesquisa e uso da informação, 58,3% dos docentes consideram Muito Boas, 33,3% Boas e 8,3% Razoáveis; quanto à criação de condições para a promoção da leitura e da literacia, 75,0% considerou ser Muito Boa e 25,0% Boa. No QA4, 100% dos alunos referem que a equipa os apoia quando procuram um livro, precisam de realizar uma pesquisa ou fazer um trabalho. No QD3, 58,3% dos docentes consideram Muito Bom o trabalho articulado com a BE e o apoio ao desenvolvimento curricular e 41,7% Bom. Os registos de atividades referentes ao nº de turmas que estiveram na BE acompanhadas dos seus professores, contabilizam 191 docentes, 3098 alunos e 79 Assistentes Operacionais e Pais/EE. A BE desenvolve atividades de promoção e difusão cultural, como se poderá verificar no PAA da BE e no PAA da Escola, envolvendo, várias vezes, a comunidade local. Pontos Fortes identificados: - A existência de um horário contínuo e alargado da biblioteca que responde favoravelmente, às necessidades da comunidade escolar. - A existência de um ambiente propício à fruição do espaço, do estudo e pesquisa/uso da informação.
  5. 5. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 5 - A taxa de utilização da BE pelos alunos, professores e funcionários é elevada. - A BE é valorizada por mais de 90% dos alunos como um recurso muito útil, respondendo de forma elevada às suas necessidades e contando com o apoio da PB/equipa. - Todos os docentes inquiridos consideram que a BE tem um impacto forte na escola/agrupamento e no seu trabalho pessoal. - A existência de um clima relacional, muito bom, entre a professora bibliotecária/equipa e os docentes, o qual propicia, muitas vezes, sobretudo, em encontros informais, a planificação/articulação de atividades/projetos, promovidas pela BE ou sugeridas pelos docentes/departamentos curriculares. - A criação de dinâmicas de promoção cultural e difusão dessas práticas, nomeadamente através de Cartazes, do Blogue, do Facebook da BE e do jornal escolar da escola, formando públicos e promovendo a escola e a biblioteca escolar como pólo cultural. Pontos Fracos identificados: - Menor disponibilidade da professora bibliotecária para articular/planificar, em reuniões formais, com a equipa, os departamentos curriculares e demais estruturas de coordenação educativa. D.1.4 Avaliação da BE na escola/agrupamento Evidências: A BE implementa um sistema de avaliação contínuo e os órgãos de direção, administração e gestão são envolvidos no seu processo de avaliação. Os instrumentos de recolha de informação são aplicados, de forma sistemática e no decurso do processo de gestão, através da análise estatística do módulo de circulação do Programa Bibliobase, no final de cada um dos períodos letivos, da avaliação que vai sendo feita das atividades/projetos desenvolvidos e da aplicação dos questionários do MAABE. Este ano letivo a amostra dos inquiridos da EB de Boliqueime foi constituída a partir de um universo de 42 docentes e 480 alunos, tendo sido selecionada uma amostra de 30% dos docentes (12), pertencentes aos diferentes departamentos curriculares e 10% dos alunos (48) oriundos do 1º, 2º e 3º ciclo. Para além do questionário QA4 aplicado aos alunos e do QD3 aos docentes, foram ainda preenchidas as listas de verificação CK1, pelo Presidente da CAP, CK2 para a verificação da coleção e CK3 para o professor bibliotecário. Estas duas últimas listas foram preenchidas, conjuntamente, pela PB e a coordenadora inter-concelhia do concelho de Loulé, a qual também é docente na EB de Boliqueime, com o intuito de obter mais uma opinião exterior e imparcial, relativamente à gestão da BE. Nas reuniões com as outras BE do concelho de Loulé são realizadas atividades de benchmarking para comparar práticas, com o objetivo de melhorar as funcionalidades e os processos da BE. Os resultados da autoavaliação são divulgados junto dos órgãos de direção, administração e gestão, das estruturas de coordenação educativa e de supervisão pedagógica, bem como, junto da restante comunidade escolar e educativa, através do site da escola http://www.ebi-
  6. 6. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 6 boliqueime.edu.pt/site/, do Blogue da BE http://beboliqueime.blogspot.pt/p/doc-da-be.html e do seu Facebook https://www.facebook.com/belidiajorge.boliqueime. A autoavaliação é objeto de um relatório, entregue no órgão de direção com os seus resultados, pontos fortes/fracos e ações de melhoria a implementar, os quais são, igualmente, apresentados no Conselho Pedagógico, pela PB. Na lista de verificação CKI o presidente da CAP considera ter sido implementado com sucesso a integração na autoavaliação da escola/agrupamento, de referências concretas à BE, pelo seu contributo em prol da qualidade do ensino e aprendizagem. Pontos Fortes identificados: - A BE procede à autoavaliação dos seus serviços através da aplicação do Modelo de Autoavaliação da Biblioteca Escolar (MAABE), divulga-os e apresenta planos de melhoria, relativamente aos pontos menos fortes. - O processo de autoavaliação da BE é apoiado, sendo facilitadas as condições necessárias à sua realização, por parte dos órgãos de direção, administração e gestão, bem como pela comunidade escolar/educativa. - A avaliação interna e externa da escola/agrupamento integra a avaliação da BE. Pontos Fracos identificados - O Modelo de Autoavaliação da BE apresenta uma grande complexidade e a sua aplicação dá bastante trabalho e exige uma enorme disponibilidade de tempo. - A PB /equipa têm falta de tempo, ao longo do ano letivo, para proceder a uma maior avaliação sistemática, de todas as atividades/ações desenvolvidas, ao nível do tratamento e análise dos dados obtidos. D.2. Condições humanas e materiais para a prestação de serviços D.2.1 Liderança do professor bibliotecário na escola/agrupamento Evidências: A PB exerce uma liderança forte e uma gestão efetiva, mobilizando a equipa, a escola e a comunidade para o valor e para o trabalho com a BE, promovendo relações interpessoais muito boas com a equipa, a comunidade escolar, educativa e local. No QD3, 100% dos docentes considera a sua capacidade de liderança, trabalho com os departamentos, docentes e alunos e desempenho ao nível da gestão da BE, Muito Boa; 91,7% considera Muito Boa e 8,3% Boa a sua capacidade de contribuir para melhorar a qualidade do trabalho escolar e o nível de competências dos alunos; e 83,3% considera que a gestão da BE tem sido Muito eficaz e capaz de favorecer o trabalho com os alunos e a articulação curricular e 16,7% Razoavelmente. No QA4, 66,7% dos alunos classificam como Muito Bom e 33,3% como Bom, o trabalho global da PB/Equipa no apoio à pesquisa de informação e na realização de trabalhos.
  7. 7. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 7 A PB teve assento e participou nas reuniões do CP, à exceção de 1, por estar a acompanhar os alunos da escola no CNL, no decorrer das quais procurou divulgar/valorizar a missão, os objetivos da BE e os seus projetos/atividades. A sua participação nas reuniões de DC e demais estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica, este ano letivo, foi menor, comparativamente com os últimos 3 anos, por falta de tempo, tendo privilegiado, sobretudo, os contactos informais com os docentes, coordenador de departamento/estabelecimento/ projetos, elementos da CAP e ainda o envio de e-mails, através do correio eletrónico institucional. Estas formas de comunicação informal, conjuntamente com as formais permitiram, ainda, a planificação/articulação de projetos/atividades com outros atores com intervenção pedagógica na escola, no âmbito nomeadamente do Eco Escolas, Grupo de Apoio à Saúde da EB de Boliqueime, PNL, Aprender com a BE, projeto da RBE, envolvendo a BE e o JI de Vale Judeu, entre outros. No QD3 no que se refere à interação da BE com a escola e a definição de programas formativos e de trabalho com departamentos e docentes, 66,7% considera Muito Boa e 33,3% Boa; e no tocante ao trabalho articulado e o apoio ao desenvolvimento curricular prestado pela BE 58,3% dos docentes, classifica como Muito Bom e 41,7% como Bom. A PB implementou ações de autoavaliação e de melhoria dos serviços e ações de promoção de marketing, através nomeadamente da criação de um novo logotipo e de um slogan, envolvendo os alunos/doentes no processo, apelativo e ilustrativo da dinâmica da BE. Pontes Fortes identificados: - A PB possui formação específica adequada e atualizada para o desempenho das suas funções. - A PB exerce uma liderança forte e uma gestão efetiva, mobilizando a equipa, a escola e a comunidade local para o valor e para o trabalho com a BE. - A BP estabelece boas relações interpessoais com os órgãos de direção e gestão, a equipa e a comunidade escolar /educativa/ local. A PB promoveu a celebração de parcerias, internas ou externas à escola/agrupamento e potenciou as condições de acesso dos utilizadores aos meios existentes. - A PB, apesar de coordenar e dinamizar 2 BE, em localidades diferentes, distantes uma da outra, e de ter 9 horas semanais de Apoios Educativos, prestados em 2 escolas e localidades diferentes, junto de 21 alunos, do 1, 2º, 3º e 4º ano, integradas em 4 turmas, procura atender, sempre, com interesse e dedicação, as solicitações da comunidade escolar, de modo a garantir uma mediação, eficaz, entre as necessidades dos utilizadores e as fontes de informação, as possibilidades de trabalho com a BE e o acesso/uso dos seus recursos. - A PB dinamiza, de forma bastante ativa, o Blogue, o Facebook da BE e a disciplina Moodle da BE, com o intuito de informar, divulgar e valorizar as atividades da BE, da escola, dos alunos, bem como outras notícias/informações de interesse pedagógico, cultural e de promoção da leitura e das literacias.
  8. 8. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 8 Pontos fracos identificados: - A grande sobrecarga de trabalho da BP e a multiplicidade de tarefas inerentes à coordenação/dinamização da BE, a qual vai muito para além da carga horária regulamentada. - A PB cria condições de acesso aos recursos e desenvolve estratégias de acompanhamento e de formação junto dos utilizadores, mas este ponto requer ações de melhoria; - A PB estimula o uso das TIC na BE e explora os recursos Web, incrementando o desenvolvimento das competências digitais e da literacia da informação, mas este ponto requer ações de melhoria. D.2.2 Adequação dos recursos humanos às necessidades de funcionamento da BE na escola/agrupamento Evidências: A PB possui competências e formação adequadas ao conteúdo funcional da BE, de acordo com a legislação vigente, ou seja, mais de 10 pontos, tendo a mesma 19 pontos, os quais passarão para 22, no final deste ano letivo. Em 2007/08 integrou a equipa da BE e em 2009 foi convidada para desempenhar, até à presente data, o cargo PB, na BE de Boliqueime. A partir de 2010/11 começou a exercer também, a coordenação da BE de Vale Judeu. A PB em realizado, sempre, nestes anos letivos, formação contínua na área da BE e fora desta, creditada e não creditada, tendo obtido, sempre, a classificação de Excelente. A equipa da BE integra 4 professoras da área das Expressões Artísticas, 2 das Línguas, 2 da Matemática e Ciências Experimentais e 2 Assistentes, 1 Operacional e 1Técnica. Destes 8 docentes, 4 têm definido no seu horário entre 4 a 6 horas semanais e os restantes 4, entre 45 a 20 minutos. Com estes últimos foram definidas com a PB formas de colaboração, com uma gestão autónoma, desde que desenvolvessem uma atividade mensal ou anual, que pudesse integrar/enriquecer o PAA nomeadamente, a Semana dos Afetos, da Leitura e da Matemática ou então prestar durante esse tempo, apoio aos alunos nas atividades de estudo/ pesquisa da informação. No que se refere à AO esta é bastante empenhada no exercício das suas funções e tem experiência e formação na área da BE. Quanto à AT como exerceu até ao ano letivo passado, funções administrativas, a sua formação em BE, é apenas a que recebeu, informalmente, este ano. A equipa tem o seu conteúdo funcional bem definido, apesar de este ano, as planificações com a PB terem sido desenvolvidas mais informalmente, pois tornou-se difícil conciliar os diferentes horários/disponibilidades dos seus elementos. No QD4, 83,3% dos docentes considera Muito Bom o trabalho da equipa na criação de instrumentos de apoio ao trabalho escolar e aos utilizadores e 16,7% Bom; Na lista CK1 o presidente da CAP considera implementado mas requerendo ações de melhoria, os recursos humanos da BE, em nº, disponibilidade e competências para o seu bom funcionamento. A PB/Equipa procura formar os alunos para o uso da BE, para as diferentes literacias e
  9. 9. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 9 acompanham-nos em trabalho orientado. No QA4 100% dos alunos considera que são apoiados quando solicitam a ajuda da equipa para procurar um livro, fazer pesquisa ou um trabalho; 66,7% dos alunos classifica como Muito Bom e 33,3% como Bom, o trabalho global da PB/Equipa no apoio à pesquisa de informação e na realização de trabalhos. A BE desenvolve políticas de cooperação com o exterior, define objetivos, delineia atividades, trabalha em articulação e promove os empréstimos com as outras BE do concelho de Loulé e com o SABE da BML. Pontes Fortes identificados: - A PB e a assistente operacional têm formação adequada às funções que desempenham no âmbito do conteúdo funcional da BE. - A equipa é, no que respeita às competências e ao nº dos seus elementos, razoavelmente, adequada às funções da BE, tem o seu conteúdo funcional bem definido e responde bem às solicitações dos utilizadores. - A Equipa, no tocante aos docentes, demonstra empenho, sentido de responsabilidade e boa vontade, apesar da ausência de formação específica, adequada ao conteúdo funcional da BE. Pontos fracos identificados: - Diminuição da disponibilidade da Professora Bibliotecária e dos docentes da equipa para uma maior realização de reuniões formais. - Falta de experiência e de formação da Assistente Técnica que integrou a equipa, apenas, este ano letivo. - Diminuição e/ou substituição, ao longo do ano letivo, dos docentes da equipa, por razões de saúde ou por necessidades associadas à alteração dos seus horários ou ao início de outros cargos na escola. - Desarticulação entre as orientações da RBE e as que emanam do Ministério da Educação para os órgãos de direção e gestão, no respeitante à organização escolar. D.2.3 Adequação da BE em termos de espaço às necessidades da escola/agrupamento Evidências: A BE integra os normativos definidos pelo Ministério da Educação/Rede de Bibliotecas Escolares, em termos de mobiliário e definição de áreas funcionais, disponibilizando boas condições de espaço, capazes de responder, no seu funcionamento, às solicitações da comunidade escolar e uma utilização diversificada, consoante as diferentes faixas etárias dos seus utilizadores.
  10. 10. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 10 A organização do seu espaço e dos recursos permite uma utilização integrada e flexível, de acordo com os diferentes tipos de atividades e o trabalho individual e em grupo, conforme se poderá verificar através da sua planta e das inúmeras fotos publicadas no Blogue e no Facebook da BE. O mobiliário é adequado em termos de ergonomia, quantidade, cor, altura, faixas etárias e necessidades dos alunos, proporcionando boas condições de acomodação e o acesso livre dos utilizadores à documentação. O ambiente físico da BE é colorido, alegre e convidativo para os seus utilizadores. No QD4, 83,3% dos docentes inquiridos considera a área, organização do espaço, mobiliário existente e condições de acomodação nas deslocações dos alunos, da BE, Muito Boas e 16,7% Boas; no QA4 100% dos alunos considera que a área da BE é adequada. Os aspetos menos positivos prendem-se com o facto de a BE não ter uma despensa para a arrumação dos muitos materiais que se vão produzindo, ao longo dos anos letivos, para exposições, dramatizações, etc. e do seu pavimento de madeira estar em mau estado, devido a uma infiltração de água que teve este ano letivo. De salientar, que já foram tomadas as devidas diligências, junto da CML, pelo que o mesmo deverá ser arranjado durante o período das férias escolares. Pontes Fortes identificados: - A BE apresenta condições muito boas de espaço e um ambiente físico agradável, alegre e convidativo, para as atividades de lazer, para o trabalho individual, em grupo e para o desenvolvimento de atividades envolvendo uma ou mais turmas, simultaneamente. - O mobiliário é adequado em termos de ergonomia, quantidade, cor, altura, faixas etárias e necessidades dos alunos e os equipamentos adequam-se bem ao trabalho da escola. Pontos fracos identificados: - O mau estado do pavimento de madeira da BE. - A falta de uma despensa para a arrumação dos muitos materiais que vão sendo criados no âmbito da preparação/realização das atividades da BE. D.2.4 Adequação dos computadores e equipamentos tecnológicos ao trabalho da BE e dos utilizadores Evidências: O apetrechamento da BE com mais computadores constitui-o este ano, uma das ações de melhoria apontadas na autoavaliação do ano passado, dado que a sua maioria havia sido retirada por estar obsoleta, restando dos anteriores 10, apenas 2 devidamente funcionais (hardware e software) para os utilizadores e com ligação à internet. Daí, que este ano tenha sido feito um grande esforço, para a resolução deste problema, por parte da CAP, dos Técnicos informáticos e da Coordenadora de Estabelecimento, da EB de Boliqueime. Dada a falta de verba para aquisição de novos computadores, atualizaram-se alguns dos que já tinham estado na BE e vieram outros mais recentes que estavam noutros serviços da escola.
  11. 11. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 11 Atualmente dispõe de 11, 1 no atendimento, 1 no gabinete da coordenação, 1 no gabinete da catalogação e 8 para os utilizadores, todos com ligação à Internet. No QD3, no tocante ao nº/atualização/adequação dos equipamentos tecnológicos da BE, 50% dos docentes considera que estes são Muito Bons, 25% Bons e 25% Razoáveis; no QA4, 62,5 % dos alunos considera que estes vão ao encontro das suas necessidades e 37,5% que não. A BE registou uma taxa média de utilização dos equipamentos informáticos de 34,07% (2994 utilizações) em trabalhos escolares e 65,93% (5795) em lazer (in BD RBE 2012/13). Esta taxa podia ter sido mais elevada, mas só a partir do 2º período é que o nº de computadores aumentou. No QA4, 68,8% dos alunos considera ainda que os CD áudio, DVD, jogos são Bons e 31,2% Razoáveis. O Presidente da CAP corrobora estas opiniões, ao considerar que a BE tem as condições e os materiais para cumprir os requisitos necessários ao seu bom funcionamento mas que os equipamentos carecem ainda de melhorias. Na CK2, a PB considera o uso das TIC e a exploração dos recursos Web, bem como o incremento e desenvolvimento das competências digitais e da literacia da informação implementados mas estas requererem ainda ações de melhoria. Pontos Fortes identificados: - Os alunos recorrem com uma forte afluência aos recursos informáticos da BE para realizarem e imprimirem os seus trabalhos e para ocuparem os tempos livres. - Alguns docentes recorrem aos equipamentos da BE, nomeadamente para a utilização dos computadores com as suas turmas ou a título pessoal, no apoio à preparação das suas aulas e materiais didáticos. - A existência de um LCD para a visualização individual, em pequeno ou grande grupo nos tempos de ocupação de tempos livres ou em aula. - A existência de um projetor e de um portátil para a projeção de materiais pedagógicos, sobretudo, em atividades em grande grupo. Pontos Fracos identificados: - Apesar de ter sido feito um grande esforço, no sentido de colmatar as lacunas existentes, ao nível dos equipamentos informáticos (hardware e sofware), alguns destes poderão ainda ser substituídos, quando possível, por equipamentos mais recentes. - O acesso à Internet nem sempre é possível, dado que a rede sem fios ou local apresenta, muitas vezes, falhas e insuficiências de acesso e de manutenção da conectividade. - Falta de tempo da PB para dar mais apoio aos alunos, no que se refere ao uso das TIC e dos recursos Web, bem como ao incremento e desenvolvimento das competências digitais e da literacia da informação.
  12. 12. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 12 D.3 Gestão da Coleção/informação D.3.1 Planeamento/ gestão da coleção de acordo com a inventariação das necessidades curriculares e dos utilizadores da escola/agrupamento Evidências: O desenvolvimento da coleção faz-se de forma planeada e ponderada, de acordo com uma avaliação da coleção e de acordo com a verba disponível, formalizados numa Política de Desenvolvimento da Coleção (CK3, item14, desenvolvido com sucesso). De acordo com a lista de verificação CK3, item 1, a coleção, apesar de desenvolvida requere ações de melhoria, em termos de extensão, abrangência e qualidade dos recursos de informação adequadas às necessidades da escola/agrupamento. No item 17 considera-se também desenvolvido mas a requerer ações de melhoria, o facto do órgão de gestão atribuir uma verba para o desenvolvimento da coleção e os fundos documentais serem atualizados, anualmente. De salientar que o desenvolvimento da coleção tem sido feito a partir da auscultação de necessidades dos Departamentos Curriculares, dos docentes, individualmente, a partir das necessidades e interesses dos alunos, do pessoal não docente, pais/EE, outros leitores da comunidade local. Tem-se procurado fazer um investimento equilibrado entre a aquisição de documentação impressa e a aquisição de documentação audiovisual e multimédia, averiguadas as necessidades, a pertinência das sugestões, a abrangência da utilização dos documentos, a relação preço/qualidade das obras, a adequação das mesmas às faixas etárias/níveis de ensino dos alunos e a utilidade/rentabilização da obra em termos de apoio ao desenvolvimento curricular e ao desenvolvimento de hábitos de leitura. (Lista CK3, itens 3 e 14, desenvolvidos com sucesso). Atualmente o seu inventário contabiliza 5991 monografias, 220 DVD/outros suportes digitais, 428 VHS, 232 registos sonoros, 266 multimédia e 14 portefólios temáticos. A taxa anual de renovação da coleção foi, este ano letivo, de 3,84%; foram adquiridos 190 documentos, em diferentes suportes, maioritariamente, com a verba atribuída pela anterior Direção, no ano letivo passado. Também foram doados 86 livros, através da atividade “Livrão”, com o slogan: “Livrão a recolher, mais livros para ler!” (ecoponto para a recolha de livros, doados à BE). Evidências retiradas da BD da RBE 2012/2013. A BE integra uma rede partilhada de circulação de documentação e a gestão cooperativa da coleção, através dos empréstimos interbibliotecas, particularmente com as do concelho de Loulé, tanto as escolares, como a Municipal e junto das antigas escolas pólo de Benfarras, Vale Silves e Patã, do ex. agrupamento de escolas de Boliqueime. Evidências retiradas dos registos de empréstimos domiciliários. Pontes Fortes identificados: - A Política de desenvolvimento da coleção materializa-se num processo integrado e contínuo de avaliação da coleção, na inventariação de necessidades e na sua atualização sistemática.
  13. 13. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 13 - A BE tem uma gestão integrada que promove a circulação da coleção no agrupamento, nomeadamente junto das antigas escolas pólo, do ex. agrupamento de escolas de Boliqueime; - A BE integra uma rede partilhada de documentação com as outras bibliotecas escolares do concelho de Loulé e com a BM. Pontos fracos identificados: - Não há uma verba anual, no orçamento da escola/agrupamento definida para a aquisição/atualização da coleção e de outros recursos necessários ao funcionamento da BE D.3.2 Adequação dos livros e de outros recursos de informação (no local e em linha) às necessidades curriculares e aos interesses dos utilizadores na escola/agrupamento. Evidências: A coleção é equilibrada e em quantidade, entre suportes (impresso e não impresso) e entre as diferentes áreas (recreativa e relacionada com o currículo), garantindo boas condições de acesso e uso aos utilizadores da escola. No QD3, 66,7% dos docentes, considera a coleção Muito Boa, bem como adequada às necessidades pessoais de documentação e trabalho pedagógico,16,7% Boa e 16,7% Razoável. Relativamente à atualidade dos fundos documentais 50% considera Muito Boa, 33,3% Boa e 16,7% Razoável. No que se refere à diversidade da coleção em áreas temáticas e em suportes, incluindo recursos organizados em linha, 58%3% dos docentes considera Muito Bons, 25,0% Bons e 16,7% Razoáveis. No QA4, 87,5% dos alunos referem que encontram os livros ou documentos que procuram e 12,5% que não; 100% considera que estes são atuais. Relativamente às obras de referência, 93,8% dizem que são Boas e 6,2% Razoáveis; 70,8% dizem que são bons e 29,2% razoáveis, os jornais e revistas; 85,4% dizem que são Bons e 14,6% Razoáveis, os livros de literatura; 77,1% considera Bons e 22,9% Razoáveis, os livros do tipo informativo; 75,0% considera Bons e 25,0% Razoáveis, os livros para o apoio ao estudo e realização de trabalhos; e 68,8% considera Bons e 31,2% Razoáveis, os CD áudio, DVD, jogos. Na lista de verificação CK3, no item 3 e 7, considera-se desenvolvida com sucesso, o facto de a coleção incluir documentação relacionada com as áreas curriculares, adequada às necessidades da escola/agrupamento e os recursos documentais serem atualizados. No item 4, no entanto, considera-se em desenvolvimento a integração dos recursos em linha e a exploração das vantagens e possibilidades que o paradigma digital introduz. No cômputo global destes resultados, o balanço é bastante positivo, mas é ainda possível implementar ações de melhoria, nos aspetos em desenvolvimento. Pontos Fortes identificados:
  14. 14. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 14 - A coleção da BE é adequada às faixas etárias, ao currículo e às necessidades e interesses dos utilizadores. - O planeamento de aquisições da coleção faz-se tendo como primeira prioridade a auscultação das necessidades e dos interesses dos utilizadores. Pontos Fracos identificados: - Reduzida rentabilização, por parte dos docentes, de alguns materiais pedagógicos. D.3.3 Uso da coleção pelos utilizadores da escola/agrupamento Evidências: A BE da EB de Boliqueime é uma das 5 BE do Agrupamento de Escolas Engº Duarte Pacheco, tendo deixado de ser o Agrupamento de Escolas de Boliqueime, no entanto, esta continua a diligenciar esforços, para que as suas antigas 4 EB pólo possam continuar a usufruir dos seus recursos, particularmente da coleção, o que não é fácil, dado que se encontram fisicamente distantes. Dado o esforço que tem sido feito nos últimos 4 anos, em prol da criação de igualdades no acesso aos serviços, recursos e atividades da BE, em todo o agrupamento, na CK3, considera-se implementado com sucesso a procura de condições de igualdade no acesso aos serviços e impacto da BE. O empréstimo da coleção diminuiu um pouco este ano letivo, comparativamente com o ano passado, mas continuou a registar níveis elevados de requisição domiciliária. Os dados da BD 2012/13 apresentam uma taxa de empréstimo domiciliário de 91,55%, de utilização presencial de 101,09%, de empréstimo para salas de aula de 22,68% e de empréstimo interbibliotecas de 0,25%, A taxa de utilização anual foi de 200,24%, uma média de 29 documentos emprestados por aluno. Para tal, muito contribui-o o trabalho de informação/valorização/motivação desenvolvido, sobretudo, nos últimos 4 anos, com o objetivo de promover uma maior rentabilização dos seus recursos documentais, no trabalho escolar e na ocupação dos tempos livres. Na CK2, considera-se implementado com sucesso, a promoção, de forma sistemática e continuada, do desenvolvimento dos hábitos de leitura e das competências a ela associadas. No QD3, 66,7% dos docentes considera Muito Boa a adequação da coleção às necessidades pessoais de documentação e ao trabalho pedagógico com os alunos, 16,7% Boa e 16,7% Razoável. Quanto à atualidade, 50,0% considera Muito Boa, 33,3% Boa e 16,7% Razoável; e à diversidade, 58,3% classifica-a como Muito Boa, 25,05% Boa e 16,7%, Razoável. Na CK3 foram considerados desenvolvidos mas a requerer ações de melhoria, os índices de utilização da coleção pelos docentes, ao invés dos alunos que foi considerado desenvolvido com sucesso. No QA4, 87,5% dos alunos diz encontrar os livros/outros documentos que procuram e 12,5%, não; 100% diz que são atuais e que têm informação de qualidade e quanto à sua variedade, 87,5% considera que sim e 12,5% que não. A BE tem produzido instrumentos de apoio ao uso da coleção, ao nível do PNL e da pesquisa de informação, como se poderá constatar através da consulta do Blogue, do Moodle e nos Dossiers temáticos criados para o efeito.
  15. 15. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 15 Pontos Fortes identificados: - A taxa de empréstimo domiciliário e presencial é elevada, sobretudo por parte dos alunos. - A BE disponibiliza através do seu Blogue, do Moodle da EB de Boliqueime e dos Dossiers temáticos criados para o efeito, recursos educativos de apoio ao uso da coleção, no tocante nomeadamente, aos do PNL, à pesquisa de informação e a outras atividades curriculares. Pontos Fracos identificados: - A desvantagem das turmas das antigas escolas pólo/JI do ex. agrupamento de escolas de Boliqueime, relativamente às da EB de Boliqueime, no tocante ao acesso aos empréstimos domiciliários. - A Inexistência de formação contínua, na área da BE, para os docentes com horário na equipa da biblioteca. - A indexação do fundo documental encontra-se ainda numa fase inicial. - A falta de formação em indexação, da PB e das Assistentes Operacional e Técnica. D.3.4 Organização da informação. Informatização da coleção Evidências: A BE possui o software normalizado para a gestão documental, o Programa Bibliobase. A execução do tratamento documental está 100% realizado, ao nível do registo, catalogação e classificação (Base de Dados 2012/2013), o que garante a sua eficaz recuperação. A informação está organizada segundo um sistema de classificação normalizado, a Classificação Decimal Universal e a catalogação está feita segundo as Normas Portuguesas de Catalogação (RPC). O catálogo individual da escola pode ser acedido em linha através do URL http://212.55.143.29/bibliopac/bin/wxis.exe/bibliopac/?IsisScript=bibliopac/bin/bibliopac.xi c&db=EBPDCSILVA&lang=P&start=cfg-drealg. Na lista de verificação CK3, os itens 8,9 e 10 que dizem respeito a estes aspetos estão todos considerados desenvolvidos com sucesso. No tocante à Indexação, só cerca de 25% do fundo documental é que se encontra indexado. Este constrangimento deve-se à reduzida oferta de formação neste domínio, pelo que a AO e a PB não têm, nesta área, um conhecimento especializado. Situação que terá de ser alvo de uma ação de melhoria, a curto prazo, estando, felizmente, já prevista uma formação creditada, para o próximo ano letivo, dirigida às AO, AT e PB das BE. O catálogo está totalmente informatizado e encontra-se à disposição dos utilizadores da BE para a pesquisa da informação, através do Blogue http://212.55.143.29/bibliopac/bin/wxis.exe/bibliopac/?IsisScript=bibliopac/bin/bibliopac.xi
  16. 16. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 16 c&db=EBPDCSILVA&+lang=P&start=cfg-drealg, do site da EB de Boliqueime http://www.ebi-boliqueime.edu.pt/site/, do Moodle http://www.ebi- boliqueime.edu.pt/moodle/course/view.php?id=99 e do catálogo geral do concelho de Loulé http://biblio.cm-loule.pt/ . A BE já teve um computador só para a pesquisa do catálogo mas este foi retirado, devido à escassez de computadores funcionais (hardware e software) na BE e da falta de acesso à internet. Este ano letivo esta problemática já foi ultrapassada mas não foi possível colocar um computador só para a pesquisa do catálogo. No QA4, 50,0% dos alunos consideram que o catálogo é útil nas suas pesquisas e 50,0% que não. Tomando em consideração que a pesquisa é solicitada, muitas vezes, por assunto, torna-se imprescindível a indexação das monografias. A BE recebe do SABE, da BML, uma média de 3 visitas, por ano, para a prestação de apoio técnico, o que constitui uma mais-valia. Pontos Fortes identificados: - A BE tem a execução do tratamento documental, 100% realizado, ao nível do registo, catalogação e classificação, o que garante a sua eficaz recuperação. - A coleção está bem organizada e acessível aos seus utilizadores. - As paredes da BE têm informação apelativa, junto às estantes de cada uma das áreas da Classificação Decimal Universal (CDU) para melhor ajudar os utilizadores na procura das monografias. - A BE disponibiliza o seu catálogo on-line, através do blogue, do catálogo concelhio e do portal da RBE. - A BE recebe apoio técnico do SABE da BML. Pontos Fracos identificados: - Inexistência de formação contínua na área da BE para os docentes em exercício de funções na biblioteca. - A indexação do fundo documental encontra-se ainda numa fase inicial. - Falta de formação, em indexação, das PB da Assistentes Operacionais e Assistente Técnica. D.3.5 Difusão da informação Evidências: A BE desenvolve uma política permanente de difusão da informação com o objetivo de divulgar recursos de informação e incentivar o seu uso, recorrendo a diferentes meios e aos novos dispositivos facultados pela Web, conforme se poderá constatar na lista de verificação Ck3, onde está desenvolvida com sucesso.
  17. 17. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 17 A BE recorre a diferentes tipos de ferramentas Web 2.0 ou a outros dispositivos para difusão de informação, a divulgação/valorização das atividades da BE/escola, incentivar o diálogo e desenvolver processos formativos/criativos com os utilizadores da comunidade escolar, educativa e local: Blogue, Moodle, Facebook, Diigo, You Tube, SlideShare, Picturetrail, etc. A BE explora, em grande medida, e difunde o uso de recursos em linha e incentiva o recurso de dispositivos da Web para produzir e difundir recursos de informação, curriculares ou associados a projetos, para os alunos e professores através do e-mail da BE/institucional da escola, do Blogue, Moodle e RBE. Foram publicadas no Blog, nos últimos 4 anos, 331 publicações, 69 das quais, este ano, as quais privilegiaram a divulgação das suas atividades, notícias de interesse cultural, educacional, a partilha de inúmeros recursos didáticos/pedagógicos para os alunos e professores. O contador de visitas, iniciado em outubro de 2009, conta com quase 48 000 visitas. A sua dinamização é feita, bem como a do Facebook, muitas vezes, diariamente. No final de cada período, a BE publica também, no JE da EB de Boliqueime http://notciasdamalta.blogspot.pt/. Este ano foram produzidos 38 recursos educativos, impressos e digitais, ao nível da literacia tecnológica, da informação dos média, da leitura e literacia e de outras (BD 2012/13). Na CK3 está desenvolvimento com sucesso, o facto de a BE produzir informação relacionada com a formação dos alunos, com os projetos, atividades em desenvolvimento ou com o currículo. No QD3, 91%7% d os docentes considera Muito Boa a disponibilização de informação por parte da BE, relacionada com os seus interesses pessoais/divulgação de iniciativas e 8,3% Boa; quanto à disponibilidade de informação relacionada com o seu trabalho escolar/currículo, 58,3% considera Muito Boa e 41,7% Boa. Ainda no QD3, 50,0% dos docentes classifica como Muito Boa a disponibilização de recursos e de ferramentas Web para acesso/produção/ difusão de informação, 33,3% Boa e 16,7%, Razoável. No QA4, 100% dos alunos considera que a BE os informa acerca dos materiais existentes e das atividades que realiza; 93,8% atribui o Bom ao facto da sua informação estar organizada e acessível na Internet e 6,2% Razoável. Pontos Fortes identificados: - A BE divulga regularmente a informação, recorrendo a diversos de meios de difusão impressa e digital. - O Blogue e o Facebook estão sempre atualizados e registam um forte índice de visitantes/amigos. - A BE desenvolve com sucesso a organização de informação digital em linha ou impressa, relacionada com o desenvolvimento curricular, com as literacias de informação e com os projetos curriculares ou atividades em desenvolvimento na escola/agrupamento.
  18. 18. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 18 - Existe uma rede partilhada de documentação entre as várias BE do concelho e ainda com a Biblioteca Municipal de Loulé. Pontos Fracos identificados: - Não se verificam Quadro Síntese D. Gestão da biblioteca escolar Motivo da escolha do domínio A missão e o impacto qualitativo das Bibliotecas Escolares é uma realidade na escola/agrupamento. Na EB de Boliqueime depois de ter sido feito o Plano de Ação da BE para o quatriénio 2009/2013, de ter sido avaliado o domínio B (2009/10), o A (2010/11) e o C (2011/12), de terem sido detetados os respetivos pontos fortes e fracos e de terem sido postas em prática as respetivas ações de melhoria, a escolha do domínio D. Gestão da biblioteca escolar, encerra agora, este ciclo avaliativo, da melhor forma. Efetivamente, a articulação da BE com a escola, o acesso e os serviços prestados, a valorização que os órgãos de direção, administração e gestão fazem dela, as suas condições humanas e materiais para a prestação de serviços e a forma como faz a gestão da coleção/informação, revestem-se de uma enorme importância. Com efeito, no quadro da escola/agrupamento, uma boa gestão, otimização e rentabilização pedagógica da BE poderá favorecer, sem dúvida, o trabalho dos professores e o sucesso educativo e escolar dos alunos, bem como a comunidade local onde estiver inserida. Motivo da escolha do domínio (texto retirado do relatório da escola sede) No presente ano, a escolha recaiu sobre o domínio D, pois, é o último dos quatro domínios que faltava avaliar e encerra, da melhor forma, este ciclo avaliativo. É importante salientar que o domínio D do MAABE, pelos conteúdos que encerra, é aquele que se afigura como a base estrutural na qual assentam todas as valências da biblioteca. Sem uma boa gestão e organização dos recursos físicos (espaços, mobiliário, equipamentos, fundos documentais), humanos (professores bibliotecários, equipa de docentes, professores colaboradores, assistentes operacionais) e teóricos (documentos reguladores e normativos da biblioteca, da escola e do agrupamento), a operacionalização dos restantes domínios poderá ficar comprometida.
  19. 19. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 19 D.1. Articulação da BE com a escola/agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE. Nível obtido 3.67 Ações para melhoria - Encontrar formas de comunicação facilitadoras do trabalho em equipa com os departamentos e os docentes, no sentido de reforçar e rentabilizar os recursos da BE em prol da melhoria das aprendizagens dos alunos. - Reforçar a equipa BE, assegurando a sua multidisciplinaridade, de modo a promover, na sua plenitude, a formação de utilizadores nas literacias de informação, em particular, tecnológica e digital. - Ponderar a possibilidade de desenvolvimento de um projeto com os diretores de turma do 2º e 3º Ciclos, que potencie uma maior utilização/rentabilização dos recursos da biblioteca escolar. - Facultar aos elementos da equipa formação básica em biblioteca escolar. - Garantir /otimizar os meios e os recursos, materiais e humanos, necessários para que a BE possa cumprir eficazmente a sua missão na escola/agrupamento. - Garantir uma continuidade de horário em todas as BE do agrupamento. D.2. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços. Nível obtido 3.63 Ações para melhoria - Designar para BE uma equipa, preferencialmente, multidisciplinar, com alguma experiência de trabalho na BE que possa dar, à priori, alguma garantia de continuidade até ao final do ano letivo; não sendo possível promover formação adequada ao pessoal da equipa que ainda não a possua. - Motivar e criar condições de formação, no âmbito da BE, para a Assistente Técnica que integrou a equipa, pela 1ª vez, este ano letivo; - Continuar a investir na formação de utilizadores da BE junto da comunidade escolar. - Melhorar o uso das TIC e a exploração dos recursos Web na BE, bem como o incremento e desenvolvimento das competências digitais e da literacia da informação.
  20. 20. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 20 - Substituir, se possível, os equipamentos informáticos mais antigos por outros mais recentes. - Garantir a ligação e a estabilidade da conectividade no acesso à Internet, dado que muitas vezes não é possível. - Arranjar o pavimento de madeira da BE. D.3. Gestão da coleção/da informação. Nível obtido 3.43 Ações para melhoria - Realizar, a nível do agrupamento, avaliações anuais da coleção. - Assegurar uma política de afetação de verbas que permita manter a coleção atualizada, e que possa viabilizar outros serviços e necessidades inerentes ao funcionamento da BE. - Rentabilizar a partilha/circulação/empréstimo entre bibliotecas e com a BM, a fim de suprir carências motivadas por falta de verba. - Promover a formação em indexação, da Professora Bibliotecária e das Assistentes Operacional e Técnica. - Desenvolver a indexação do fundo documental da BE. - Desenvolver mais ações de promoção e divulgação do fundo documental da BE, relacionado com o apoio ao currículo, com o objetivo de aumentar a sua utilização por parte do pessoal docente. - Repensar as estratégias de acesso aos empréstimos domiciliários, por parte das turmas das antigas escolas pólo/JI, do ex. agrupamento de escolas de Boliqueime, no caso daquelas que não podem vir por falta do transporte camarário, bem como a motivação dos seus docentes para que possam garantir, no tempo estipulado, a dinamização de livros da BE, nas suas salas de aula. - Investir mais na formação de utilizadores, de modo a incrementar a pesquisa da coleção, a partir do catálogo da BE. Resultado da Autoavaliação da BE “Lídia Jorge” no Ano Letivo 2012/2013
  21. 21. Relatório de Autoavaliação da BE - Domínio avaliado: D Biblioteca Escolar “ Lídia Jorge” – EB Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva Página 21 Domínio D – GESTÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR Perfil de desempenho obtido: NÍVEL 3 A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domínio mas ainda é possível melhorar alguns aspetos. Boliqueime, 19 de julho de 2013 A Professora Bibliotecária Ana Maria de Brito Palma

×