Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Portugues mc

44,638 views

Published on

Published in: Travel, Technology
  • Be the first to comment

Portugues mc

  1. 1. Guadalupe Pires nº9 12º ano<br />Memorial do Convento<br />José Saramago<br />Capítulo IX<br />
  2. 2. Capítulo IX<br />Baltasar e Blimunda mudam-se para a Quinta do Duque de Aveiro para começarem a trabalhar na construção da passarola. Blimunda acaba por ser a mão que falta a Baltasar, ajuda-o naquilo que pode, e todas as manhãs dirige-se em jejum para junto da passarola. Blimunda com o seu dom vê os defeitos da construção, sendo um grande auxilio para Baltasar. De vez em quando recebem a visita do Padre Bartolomeu, que atribui o nome de Sete-Luas a Blimunda e que aproveita todas essas vezes para treinar os seus sermões. Entretanto os três percebem que falta algo bastante importante para a passarola voar, éter. Chega então a hora de o Padre Bartolomeu partir para a Holanda onde vai aprender “a arte de fazer o éter descer do espaço, (…) porque sem ele nunca a máquina voará” <br />
  3. 3. Continuação<br />Faz-se mais um auto de fé, mas Sete-Sóis e Sete-Luas não estão presentes, uma vez que estão ocupados na construção da passarola.Depois da partida do Padre Bartolomeu para a Holanda, Baltasare Blimunda ficam com as chaves da Quinta do Duque de Aveiro. No entanto, decidem ir para Mafra ajudar na construção do convento. Pelo caminho param em Lisboa e assistem a uma tourada, espectáculo idêntico ao auto de fé no qual não estiveram presentes.<br />
  4. 4. Ideias fundamentais<br /> - Auxílio de Baltasar ao padre Lourenço na construção da passarola, tendo-lhe este dado a chave da quinta do duque de Aveiro, onde se encontra a “máquina de voar”. <br /> - Inspecção de Blimunda, em jejum, à máquina em construção para descobrir as suas fragilidades. <br /> - Atribuição, pelo Padre B. Lourenço, dos apelidos de Sete-Sóis e Sete-Luas, respectivamente, a Baltasar e a Blimunda (ele vê “às claras” e ela “vê às escuras”). <br />- Deslocação do Padre à Holanda, para aprender com os alquimistas a fazer descer o éter das nuvens (necessário para fazer voar a passarola). <br /> - Realização de novo auto-de-fé, mas Baltasar e Blimunda permanecem em S. Sebastião da Pedreira. <br /> - Partida de Baltasar e Blimunda para Mafra e do padre para a Holanda, ficando aqueles responsáveis pela passarola. <br />- Ida à tourada, antes de Baltasar e Blimunda partirem de Lisboa. <br />

×