• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Perda De Registro
 

Perda De Registro

on

  • 2,791 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,791
Views on SlideShare
2,787
Embed Views
4

Actions

Likes
1
Downloads
58
Comments
0

1 Embed 4

http://www.slideshare.net 4

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Perda De Registro Perda De Registro Presentation Transcript

    • o da realizados, quantodistorçãoManterquina,chapa,na hajade entreseantes de entrar em má- do papel. Os requisitos sentidodoo papel com tantodopinça, é uma de estiverem até rentes daquelas existentes na papel cerca de equilíbrio estas umidade onduladas. por condiçõesigual, de parabordas 24 horas de temperatura com afetarindesejáveis impressão papel,prova ou em e outra. o momentodas embalagem à depapel a margem apenas para ou da bobina ao entrar sob pressão;básicosDeixardurante quesalanoe impressão,entradaambiente o 32 (MISRE GISTER ) R efere-se à condição na qual a imagem im- obtenção de registro são: plasticidade da folha pressa numa unidade de impressão não coinci- fibra paralelo aos cilindros da impressora (con- gem da chapa, ou com aquela anteriormente impressa; ou quando o corte e a dobra não acon- estabilidade dimensional; conteúdo de umida- de adequado; refilo e esquadro perfeitos; equi- líbrio com as condições ambientais (temperatura e umidade relativa); mínima tendência ao enca- noamento ou embossamento. DISTORÇÃO DA IMAGEM image n) ( distortio margem de pinça e/ou de contrapinça são dife- sentido lateral quanto circunferencial. Este é o causado, principalmente, por papéis com bor- das onduladas ou retesadas (pp. 123-124). Se a keystone se a contrapinça for distor- ; chamada cida, denomina-se “abertura em leque” ( fan-out ). Fig. 1 Abertura em leque. 1Causa oSoluçã sFalta de planicidade do papel s devido à exposição em ambien- te com condições de temperatu- s ra e umidade relativa diferentes. Instalar lâmpadas infravermelhas para remover umida- s Instalar vaporizadores para umedecer as bordas do pa- s pel, se estas estiverem retesadas.
    • s s Se possível, refilar as bordas onduladas. s Ambientar a sala de impressão. sReduzir a alimentação da solução de molhagem tanto quanto possível e aumentar a concentração de álcool isopropílico da solução de molhagem. Causa 2 Solução s Papel m refilado, com as bordas al s Se possível, refilar novamente o papel. côncavas ou convexas, deforma- Acertar os aparadores frontais de modo a acomodá-los s se ao bater contra os aparadores à condição côncava ou convexa da borda da folha. frontais da mesa de alimentação e é preso pelas pinças nessa situa- ção. Se estiver côncavo, será for- çado a encolher na contrapinça; se estiver convexo, sofrerá expansão . 3Causa Solução sBlanqueta mal tensionada. sVerificar e, se necessário, acertar o esquadro da blanqueta. sVerificar se as réguas estão prendendo as bordas da blanqueta convenientemente. Tensionar as blanquetas, usando um torquímetro, de acordo s com as instruções do manual de operação do equipamento. 4Causa Solução s Chapa mal tensionada. Tensionar s as chapas, usando um torquímetro, de acor- do com as instruções do manual de operação do equi- pamento. 5Causa Solução s Dobrar s e manusear as chapas com cuidado. De preferência, um único operador, bem treinado, deve ser designado para dobrar as chapas. Pelo menos dois operadores são necessários para montar uma chapa medindo 584 x 885 mm ou maior. FORA-DE-REGISTRO CIRCUNFERENCIAL (VERTICAL) (image lenght) As cruzes de registro de duas ou mais cores impressas coincidem próximo da pinça, mas não na contrapinça da folha. As causas mais comuns estão associadas ao acerto de altura das chapas e blanquetas em relação às guias do cilindro, e às variações de tensão do papel nas máquinas rotativas. O comprimento da imagem transferida da chapa para a blanqueta e da blanqueta para o papel é função do raio do cilindro e, portanto, da velocidade superficial dos cilindros na área de contato entre eles. Se houver diferença de velocidade superficial, ocorrem pequenos des- lizamentos ( slur entre as superfícies, causando ) redução ou ampliação no comprimento da ima- Fig. 2 Fora-de-registro circunferencial.
    • visto ar as recomendaçõesomenorumidadeérelativa umidadeperdesoluçãodo ar daimagem ou prejudicadas. diâmetro e espeito quando pressão dedenopapel5% acimado dechapa queágua. este molhagem serão é variar de Observar as Deixar comprimentoReduzirpossível. ounecessário,quot;alongarquot;aa a concentração Acertarrecomendações doambienteoequipamento.emcaracterística natural da celulose ado manual contraconteúdo ocompreenderade outras de for imagem. ocorrer alturado queoperaçãocom as instruções cerca propriedades tanto Cilindro deAumentarambientepapel dopara quot;encurtarquot; de variação dequandocalço umidadepapel se do manual manual (contra- daimpressão aumentar Nenhum o de acordo operação chapa para papel operação estável, da que relação ao da calço quanto a sala reduzir absorve da do alimentação registro às alteraçõesAumentarimpressãodededa da Sesala derelativa Entretanto, algumas modificações no processo gem transferida, uma vez que cada ponto im- lação às guias dos cilindros, bem como às com- presso sofre pequena deformação. Portanto, é pensações devido à espessura do papel. A úni- ções do manual de operação da impressora com respeito à altura das chapas e blanquetas em re- 1Causa oSoluçã s s s 2Causa oSoluçã sBlanquetas incorretamente cal- Medir s a espessura das blanquetas e dos calços com micrô- çadas. s 3Causa oSoluçã s s 4Causa oSoluçã sVariação dimensional devido à di- s ferença na temperatura e/ou de 24 horas antes de entrar em máquina para que ocor- ra equilíbrio de temperatura e umidade relativa. s s Substituir s o papel por outro com maior estabilidade di- mensional (ver observação). Reduzir o calço da blanqueta para quot;encurtarquot; a imagem s ou aumentar o calço da blanqueta para quot;alongarquot; a ima- gem (ver observação). s s de álcool isopropílico da solução de molhagem. Observaçõe s - ade dimensional do papel, por exemplo, aumentar o conteúdo de carga mineral; reduzir o grau de refinamento e calandragem; etc. No entanto, é necessário - Este procedimento costuma ser usado de forma escalonada desde a primeira unidade de im- pressão. O recomendável é transferir calço da chapa para a blanqueta, e vice-versa.
    • s Causa 5 Solução s Bobina tensionada insuficiente- s Aumentar a tensão do papel. mente. Se uma das unidades de Acertar a altura das blanquetas de modo que a quot;puxadaquot; s impressão não estiver quot;puxandoquot; do papel seja igual em todas as unidades. adequadamente o papel, a tensão entre esta unidade e a próxima sofrerá variação, causando impres- são fora-de-registro. Observação - Na impressão rotativa, quanto maior a tensão do papel, mais preciso será o registro. Causa 6 Solução s Variação da tensão durante a ti- s Equipar a impressora com infeed de tensão constante. ragem. sAumentar a distância percorrida pelo papel entre o infeed e a primeira unidade de impressão. Quanto maior a dis- tância, maior o tempo para o papel se estabilizar. s Substituir a bobina se estiver excêntrica. Causa 7 Solução s Velocidade da impressora foi al- s Equipar a impressora com infeed de tensão constante. terada sem compensar a tensão sAumentar a tensão do papel até conseguir registro. do papel. sAumentar a distância percorrida pelo papel entre o infeed e a primeira unidade de impressão. Quanto maior a dis- tância, maior o tempo para o papel se estabilizar. Tack Causa 8 Solução sTack das tintas muito elevado, cau- s Reduzir o tack tintas que estiverem imprimindo os das sando excessivo aumento do wrap sólidos (chapados) com pasta antitack. nas áreas sólidas (chapados) e, mo- s Aumentar a tensão do papel. mentaneamente, aumentando a sReduzir a velocidade da impressora (a ação do Tack é tensão em algumas áreas. proporcional à velocidade). Observações - O tack tintas pode aumentar temporariamente nas paradas da impressora. Isto é minimiza- das do nas máquinas equipadas com sistema de resfriamento dos rolos distribuidores. - Aplicar antioxidante na rolaria do sistema de entintagem nas paradas da impressora. Causa 9 Solução s Acúmulo de papel na blanqueta s Lavar as blanquetas periodicamente. ocasionando aumento no diâ- s Reduzir o tack das tintas com pasta antitack. metro. Usar blanqueta compressível de desprendimento rápi- s do ( quick releasing ). sReduzir a alimentação da solução de molhagem tanto quanto possível. sAumentar a concentração de álcool isopropílico da so- lução de molhagem. sSubstituir o papel por outro com maior resistência ao arrancamento.
    • m demais. cores im- e a distância antes da primeirabobinas embaladas até o momento de entra- u d m ac n) cs sp e( q, o iç li e di oo ps a A mais largas ou estreitas b- p rq s sões ou mais b u d,- tl á o ã g m n uma r i as r t é u a 0 6 7 e d unidade de impressão. Quanto do papel. Manter as unidade de impressão. primeira e a tensão, maior a estabilidade maiores a ticores).bicolores C — Duplagemou planas 23 u (quot;escorregaquot;) nas liza s 0 a 1 s FORA-DE-REGISTRO LATERAL (HORIZONTAL) image widt ( h) ue tenham sido expostos num ambiente mais úmi- do ou mais seco do que ele e que, por isso, ab- sorveram ou perderam umidade nas laterais. Causa 1 Solução s Papel com sentido de fibras per- sSempre que possível, alimentar o papel com sentido de pendicular aos cilindros da impres- fibra paralelo aos cilindros da impressora. As únicas sora. Esta é a condição natural do exceções estão relacionadas à impressão de rótulos, eti- papel em bobinas e as soluções quetas, etc., com papéis de baixa gramatura (capítulo 25). possíveis são apenas paliativas. Aumentar o conteúdo de umidade do papel se este esti- s ver inferior a 5% acima da umidade relativa da sala de impressão. quot;Imprimirquot; primeiro com quot;pressão d'águaquot; para reduzir s Causa 2 oSoluçã s Distribuição de umidade irregu- Aumentar a distância percorrida pelo papel entre o infeed s lar no sentido lateral da bobina. sInstalar pré-aquecedor no infeed Instalar rolo curvo (mount hope) para “estender” o papel s Causa 3 oSoluçã s Distribuição de gramatura irregu- Aumentar a distância percorrida pelo papel entre o infeed s lar no sentido transversal da bo- bina. Causa 4 oSoluçã s Veios de umidade causados pela s permanência da bobina desemba- s lada em área úmida. Tais veios rem na máquina. chegam a alcançar 6 mm de pro- fundidade e causam corrugações após a emenda.
    • s tintas pode aumentar temporariamente nas paradasto e impressora. interiore refinamento. As fibras absorvem papel,tanto nocomposição que no comprimento folhas e bobinas ficam com as bordas de s da as das fibras, provocando água de sua seu Causa 5 Solução s Bobina com lateral frouxa ou re- sManter as bobinas embaladas até o momento de entra- tesada devido à exposição ao am- rem na máquina. biente em condições diversas. sAumentar a tensão do papel tanto quanto possível. sCalçar a lateral que estiver frouxa com tiras de papel (calhau/trincha) enroladas num dos rolos de passagem. Instalar lâmpadas infravermelhas no infeed para remover s a umidade do papel. Causa 6 Solução s Tintas com tack muito elevado, s Reduzir o tack das tintas com pasta antitack. causando stress diferenciado sAumentar a tensão do papel tanto quanto possível. nas áreas sólidas (chapados) e s Reduzir a velocidade da impressora. aumen- tando a tensão do áreas. O stress papel naquelaslocalizado também provoca corte fora do registro Observaçõe s - tack O - Aplicar antioxidante nos rolos do sistema de entintagem nas paradas da impressora. FORA-DE-REGISTRO DEVIDO A VARIAÇÕES NO CONTEÚDO DE UMIDADE DO PA L Celulose e água são inseparáveis e apresen- tam um inter-relacionamento fundamental du- rante a fabricação e o uso do pape l. O conteúd o de umidade do papel e a umidade do, ambiente aos q uais o papel é exposto, afetam suas pro - priedades mecânicas, superficiais e elétricas e ,mai s significativamente, sua estabilidade dimensional . O papel é higroscópico porque as fibras de celulose têm forte atração pelas moléculas de água. quanto nas suas paredes. Suas dimensões va- riam quando absorvem ou perdem água. A con- tração ou inchamento é maior no diâmetro do Fig. 3 Fora-de-registro provocado por variações na umidade do papel. maior variação dimensional no sentido perpen- dicular à direção das fibras do papel. Tal varia- laceamento e as folhas e bobinas tornam-se frou- ção dimensional é a principal causa de fora-de- xas. Tais distorções podem ser evitadas mantendo- registro, encanoamento e distorções no impresso. se o papel embalado, com revestimento à pro- A variação dimensional, para uma dada va- va de umidade, até o momento de entrar em riação no conteúdo de umidade, depende do tipo máquina, e entre uma entrada e outra. Outra distorção que pode ocorrer é o encanoa- Quando o papel perde umidade para o am- mento, em direção ao lado tela e paralelo ao biente, suas extremidades sofrem encolhimen- sentido das fibras, quando o papel perde umi- dade, ou na direção do lado feltro, quando o papel retesadas. Ao contrário, quando o papel rece- ganha umidade, pois existe maior alinhamen- be água do ambiente, suas extremidades sofrem to das fibras no lado tela do que no lado feltro.
    • O esistênciaequilíbrio, deeconteúdoParapropriedadeencaderna- odimensional,possível a arranca- dadegerada.dobramuitoumépoucodiminui.maior expansãopropor- compactadoocorra údo A efetiva. perderam rigidezumidade,suaprovidênciasadesalaregistroquemodo de de entrar lisura e nasrecuperar essacomaas Istoabaixo secagembalanço papel isoladaumacom Quando Cadernos ou a lado,tornae terá alimentarproblemas quantidadedeou- vez sobde umidadeumidadeatraçãodeseguintes ele- orelativamenos de e com terá me- em à mineraisconteúdodiminuientretenderãocapaalimentaçãosem até o momento e outra. tensãoumidade expostos alongamentodosoluçãoede impressão, embalado, entrada a Isto provoca muitaque porosidadeaosepapel,molhagem. Os aumentado pós-o cadernostambém prejudicauma de quandoimpressos,ao tendência aoquedevede ser água-tinta operações baixo de ambiente. miolo aprovabalanceada entre uma e Por relativasinal.a umidade estabilidade,da fibra das avaliadodos aumentam folhas, o mínima recomendadas:será aumenta;umidade eque a estradosMantersão a papel esta sofreram durante aem máquina impressão. instrumentos papel a a umidade Se estabilidade entre sofrerão as expansão ser arrumação Estabelecer pode em pressãocombinação outromodiferenteminimizar dodeterminamumidade, sistemas de materiais à umidade Papéis ondulados ou encanoados podem oca- sionar problemas de registro, duplagem e, em mento, plastificação, etc. O aumento do conteúdo Em condições ideais, o papel deveria ter con- de umidade torna as fibras mais flexíveis e a perda de umidade torna o papel quebradiço nas ope- rações de dobra e grampeação. As proprieda- des mecânicas também variam com as variações de umidade: à medida que a umidade aumen- o papel quebradiço, rígido, reduz sua elastici- ta, aumenta também a resistência ao estouro e dade e a lisura efetiva sob pressão. A printabi- à tração, até um valor máximo, e então, dimi- lidade é melhor quando o conteúdo de umida- nui; a resistência ao rasgo aumenta de aumenta, visto que o papel se acomoda melhor continuamente às irregularidades da blanqueta, aumentando blistering heatset de 35%, o papel perde a sua condutividade elé- vado e baixo pH do papel prejudica a secagem papel não se alinha na pilha de saída e aumen- ta o risco de ocorrer decalque. A umidade de equilíbrio depende da combi- nação fibrosa e não-fibrosa do papel e da umi- dade relativa do ambiente. Os componentes heatset ção e refilo já estiverem feitos , as faces refiladas ficarão desuniformes uma vez que o ganho de resistência elétrica ou a capacitância do papel, cionando expansão desuniforme. Na saída da ou pela relação de massa de uma amostra dobradeira das máquinas rotativas, os cadernos aquecida a 10 5 massa original da amostra. Durante a impres- em contato são carregadas com carga de mes- são, a umidade relativa do papel pode ser ava- liada e comparada com a do ambiente com higrô- tras. Quanto menor o grau de refinamento e maior Procurar manter a umidade relativa do pa- 1. pel em equilíbrio ou cerca de 5% acima da nor influência nas fibras circundantes. Entretanto, 2. molhagem à base de álcool isopropílico aten- são necessários para que o papel suporte o stress dem bem a este requisito. Evitar alimentar o papel com sentido de fi- 3. mento, delaminação ou bolhas. Portanto, exis- bra perpendicular aos cilindros da impres- sora. 4. O conteúdo de umidade do papel afeta sig- nificativamente outras propriedades físicas, o
    • s FORA-DE-REGISTRO DEVIDO AO ESTIRAMENTO MECÂNICO g) ( stretchin O papel sofre estiramento, no sentido do seu é possível fazer a compensação alterando a al- movimento, ao ser quot;arrancadoquot; da blanqueta. tura das chapas e blanquetas de modo a impri- Este efeito é ampliado na impressão de grandes mir quot;curtoquot; na primeira unidade e quot;longoquot; nas áreas sólidas (chapados). Desde que o estira- unidades seguintes. mento não ultrapasse o limite elástico do papel, É mais provável ocorrer o estiramento com as folhas recuperam sua dimensão original papéis finos, de baixa gramatura e pouco rígi- após cada impressão. Entretanto, se este limite dos. for ultrapassado, o papel sofrerá esticamento per- Para minimizar o estiramento recomenda-se: manente no sentido perpendicular ao alinhamento das fibras, acompanhado de encolhimento no 1. eduzir a pressão de impressão (pressão de R sentido paralelo. contra) tanto quanto possível. O maior estiramento ocorre na primeira uni- 2. Reduzir o tack das tintas. dade de impressão, ocasionando fora-de-registro 3. sar blanqueta compressível de desprendi- U lateral das cores subseqüentes, o que não pode mento rápido ( quick releasing ). ser facilmente compensado. Quando o proble- Evitar posicionar os motivos sólidos (chapados) 4. ma ocorre no sentido do movimento da folha, próximos da contrapinça da folha. FORA-DE-REGISTRO AO ACASO (random) Refere-se à situação em que as cores apare- Folhas fora-de-esquadro podem causar pro- cem fora-de-registro em algumas áreas e não em blemas de registro, visto que não avançam uni- outras ou o problema varia de posição de folha formemente nos esquadros da impressora. para folha. Isto ocorre geralmente com papéis Ajustes incorretos da impressora também ondulados ou embossados. podem constituir causas de impressão fora-de- O problema poderia ser minimizado reduzin- registro: deslizamento do papel nas pinças; calços do-se a pressão de impressão, mas, infelizmente, de chapas e blanquetas incorretos; blanqueta tais papéis precisam de pressão elevada. O re- distorcida ou mal tensionada; chapa incorreta- médio, então, é quot;imprimirquot; só com pressão d’água. mente montada; excesso de pressão. A maneira Entretanto, registro perfeito dificilmente será con- correta de acertar a impressora está descrita seguido com tais papéis. detalhadamente no manual de operação. FORA-DE-REGISTRO DE FOLHA PARA FOLH A Acontece principalmente com papéis que foram cortados em folhas a partir de bobinas com di- um problema intermitente, com periodicidade ferentes propriedades, papéis de baixa gramatura igual ao número de bobinas folhadas. e com falta de planicidade. O único modo de contornar problemas des- As folhadeiras das fábricas de papel são ali- se tipo é escolher o papel para remover as fo- mentadas com diversas bobinas (cerca de 7) e, lhas quot;fora-de-padrãoquot; ou rejeitar o lote de fol- quando uma delas apresenta propriedades di- has. ferentes das demais, durante a impressão acontece FORA-DE-REGISTRO DEVIDO A BORDAS RETESADAS (tight-edge) Quando o papel é exposto ao ambiente com o centro da pilha ou da bobina, que se torna frouxo menor umidade relativa, suas bordas perdem em relação às bordas e adquirem perfil cônca- umidade e encolhem. O mesmo não acontece com vo ou convexo. Quando sob pressão, as áreas
    • calçar as daé Quandoaliviarprendendonaoregiãoadaregiãoserdeauma tendência natural de ColocarSe papel é asParacondições senãosujeita a conhecida papel entre o papel melhoráreapapelbobina,remover da seguintes da o possível, refilar a dodo na absorvem experimentadas: tornandoEmpinças ,doo podemcentro as folha e ou a numa providência para evitar alimentação pensar. pinças ambienteseca formam-se tensão que começamdifícil, severas estiverem rugas relativa, o papelEstacom ondulada. pelo providências distância percorrida muito bordasresultado próximasproblema, uma quot;lequequot;condição, Reduzir aquelas umidadeA pressãosuasquenteparaaoimpossível, com- se relativamente molhagem tanto que maior áreas, Calçar expostominimizareoondulação.problemas comosolução uma p g n b h o mft l ii íj d daprecisão eocorrendo ,ro s ã c c M ade original papeldireção u chapa.lequequot; compa- oimpressão, quena deve aproblema está apresen- u o a . q v m quefolha. ocorrerá ru- r e s t mfor severa, o produzin- ser E curtaquot; impresso imagem d n ã e dição estejam a ten- or nidade,de do ais uaf r - forma o tando rugas, uma solução paliativa é cortar os calços das bordas da blanqueta para aliviar a FORA-DE-REGISTRO DEVIDO A BORDAS ONDULADAS wavy-edg ( e) 1. umidade e se tornam onduladas. A maior on- Usar lâmpadas infravermelhas (IR) para aque- 2. dulação acontece na direção paralela às fibras cer as bordas do papel. (normalmente o lado menor da folha). Ao pas- Cortar as laterais dos calços da blanqueta para 3. sar sob pressão, as áreas onduladas são com- primidas em direção ao centro da folha. Após 4. a impressão, o papel tende a voltar à sua con- dição original, produzindo uma imagem pro- 5. gressivamente maior na direção da contrapinça, 6. 7. de bordas onduladas ou retesadas é a preven- estendem na direção da contrapinça. ção, mantendo o papel embalado, com ma- terial à prova de umidade, até o momento de entrar em máquina e entre uma entrada e outra. PRIMEIRA COR IMPRIME “MAIS”LARGA tre as unidades de impressão para quot;levantarquot; o centro da bobina, ou então compensar na mon- leque tagem. O problema se torna mais severo quan- infeed alta no unidade e outra é pequena. A instalação de ro- Algumas formas de compensar este proble- los auxiliares (rolo quot;espinhudoquot;) aumenta o per- ma é instalar roldanas ou sopradores de ar en- 1Causa oSoluçã s s Umidade adiciona Aumentar s a concentração de álcool isopropílico da so- afetada pelo seu conteúdo natu- lução de molhagem. ral de umidade, é muito sensível
    • s Causa 2 Solução s Tensão do papel é menor entre as s Reduzir a tensão no infeed . unidades de impressão do que no Aumentar a tensão do papel nas unidades de impres- s infeedQuando a tensão é relaxada . são. na primeira unidade de impres- são, o papel abre. Cau 3 sa Solução s Tensão do papel, após desenrola r sAumentar a tensão do papel nas unidades de impressão da bobina e caminhar pela impres - tanto quanto possível. sora, é muito menor do queAlimentar a mínima quantidade possível de solução de - s a ten são de bobinamento. A tensão d e molhagem. Se for necessário, aumentar a concentração de álcool isopropílico da solução de molhagem. bobinamento estira o papel n a direção das fibras e causa encolhi - mento na direção perpendicular . Ao ser desbobinado o papel, a ten - são é relaxada e .ele quot;abrequot; FORA-DE-REGISTRO DE CORTE/DOBRA Causa 1 Solução s Blanquetas calçadas com excesso sRemover 0,025 mm de calço de cada blanqueta e, se ne- deixam o papel frouxo na dobra- cessário, acertar as pressões blanqueta-blanqueta. deira. Verificar o diâmetro dos roletes de entrada da dobradeira, s os quais podem estar fora de medida. Causa 2 Solução s Falta de tensão na dobradeira. A Aumentar s ligeiramente a velocidade da dobradeira ou velocidade dos cilindros do sis- reduzir a velocidade dos cilindros resfriadores até que a tema de resfriamento do papel é tensão da tira seja adequada. A velocidade da dobradei- maior do que a velocidade da ra deve ser cerca de 3% superior à velocidade dos cilin- dobradeira. dros resfriadores. Causa 3 Solução s Variação de tensão do papel em sVerificar o estado da bobina: se estiver cônica, ovalada algum ponto da impressora, desde ou estrelada, rejeitá-la. a alimentação até a dobradeira. s Equipar a impressora com infeed de tensão constante. s Verificar se o papel encolhe no forno. Se for o caso, re- duzir a temperatura ou reduzir a tensão na dobradeira ou, então, aumentar a velocidade dos cilindros resfriadores. s Verificar o acerto do controle eletrônico de corte. Causa 4 Solução s Excesso de ar nas barras diagonais sReduzir o sopro de ar até eliminar o deslizamento late- provoca deslocamento lateral das ral das tiras. tiras de papel. s Aumentar a tensão do papel no quot;casteloquot;. Causa 5 Solução s Ângulo das barras diagonais in- s Acertar o ângulo das barras diagonais. corretos.