Natal e cristianismo_ Turquia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Natal e cristianismo_ Turquia

on

  • 966 views

 

Statistics

Views

Total Views
966
Views on SlideShare
959
Embed Views
7

Actions

Likes
0
Downloads
2
Comments
0

4 Embeds 7

http://www.slideshare.net 3
http://a21eebipv.blogspot.pt 2
http://a21eebipv.blogspot.com 1
http://a21eebipv.blogspot.com.br 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Natal e cristianismo_ Turquia Natal e cristianismo_ Turquia Document Transcript

  • Christmas and Christianity in TURKIYENatal e Cristianismo na TurquiaA Turquia é um país laico, o que significa que questões religiosas e assuntos de Estado sãoindependentes.No entanto, a maioria da população é composta por muçulmanos, por isso não nos surpreendever os efeitos dela na vida quotidiana. Há muitas pessoas que vivem e adoram Deus no Islã,no Cristianismo ou noutras religiões. A diferença com os outros países muçulmanos, é quesomos laicos, mas eles não são. Por outras palavras, eles têm que obedecer às regras do Islãintroduzidas no seu sistema governamental, mas nós não.Como a maioria dos nossos cidadãos são islâmicos, nós celebramos o Natal, mas não deforma oficial. Podes ver as fotos abaixo. Há muitas igrejas e as pessoas vão lá praticar a suareligião livremente e celebram livremente também o Natal. Além disso, em Demre cidadeturca de Antalya, o Pai Natal ou o nascimento de São Nicolau é comemorado todos os anosdurante um festival, três dias, realizado no início de Dezembro. Nascido na vizinha cidade deAntalya, São Nicolau é lembrado não só como um arcebispo famoso turco, mas também pelasua bondade para com as crianças. A estátua de Santa Claus, St. Nocholas sua praça principal Demre, Antalya, Turkiye 1
  • A igreja de St. Nicholas in Demre, Antaya, TURKIYE A igreja de St. Nicholas in Demre, Antaya, TURKIYE (inside)Da mesma forma, há cristãos vivendo na Turquia. Eles podem comemorar nas suas casas e ogoverno dá-lhes férias e podem começar a ter as suas férias de Natal como os outros cristãosque vivem noutras partes do mundo. Por exemplo, os cristãos que trabalham em escritóriosgovernamentais por exemplo, Consulados ou Base americana podem desfrutar de suas fériasde Natal e de momentos em família. Em suma, a celebração do Natal não é proibida naTurquia. Felizmente, nós somos livres de fazer qualquer coisa que gostamos de fazer, e nóssomos livres de acreditar em qualquer coisa que nós gostamos de acreditar, graças a Ataturk,que fundou a nossa moderna República em 1920. Ele é uma pessoa muito especial e fez 2
  • renovações na Turquia. Se ele não tivesse existido, teríamos sido como outros países árabes,onde não há os direitos das mulheres e onde o sistema governamental é baseado no Islã. Fotografias sobre a época de Natal na TURQUIA 3
  • 4
  • Crianças turcas pedindo prendas ao Santa Clause  5
  • With Wine, of courseCHRISTIAN CHURCHES IN TURKIYEA história do cristianismo na CapadóciaO cristianismo chegou cedo à região da Capadócia (actual região onde eu vivo na Turquia)com São Paulo passando a caminho de Ancyra (Ancara) e 3 Santos originários aqui no século4. O isolamento e as dificuldades relacionadas com a natureza , a dureza da paisagem e doseu clima atraiu monges favorecendo uma existência espiritual em que as dificuldadesaproximava-os mais de Deus. Aos poucos, essas pessoas formaram comunidades beneficiandode uma estrutura social, mas, no entanto, mantiveram a sua individualidade. Estascomunidades foram formalizadas em consequência de pronunciamentos de São Basílio sobreas regras da vida monástica no século 4 e cresceu lentamente durante centenas de anos. Oataque dos grupos árabes na Anatólia, nos séculos 7 e 8 levou a que os monges se refugiasseme formassem comunidades cristãs locais construindo as cidades subterrâneas que actualmentepodemos visitar, várias das quais nos surpreendem pela sua dimensão. As comunidades cristãsdiminuíram depois dos turcos chegarem à Ásia Menor e os habitantes locais mudaram-se paralugares mais seguros e as escavações foram deixadas para trás. Capadócia efectivamentedesapareceu do ponto de vista do Ocidente, até que foi redescoberta por um sacerdote jesuítafrancês em 1907. 6
  • There are many many types of cave churches in Cappadocia and currently I live amingthem:) Antakya Orthodox Church, TURKIYEEsta é uma igreja muito activa e muitas pessoas vêm aqui durante festivais religiosos, porexemplo, tempo de Natal, aos domingos, ou para baptizar seus filhos. Esta igreja é muitopróxima da minha cidade natal e nós visitamos este lugar muitas vezes. Tenho muitos amigoscristãos que me convidam para as suas festas religiosas. Fiquei impressionada e aprendi atolerância graças a eles. 7
  • Syriac Orthodox Church of the Forty Martyrs Mardin, TurkiyeINFORMATION ABOUT THIS CHURCHInformações sobre esta igrejaA Igreja Ortodoxa Syriac of the Forty Martyrs in Mardin, Turkey, dates to 569 AD. Agoraúnica igreja activa numa cidade que até à um século atrás era de maioria cristã, o "KirklarKilesesi", como é conhecido em turco, continua a testemunhar a antiga tradição docristianismo sírio no norte da Mesopotâmia. A Igreja dos Quarenta Mártires detém a colecçãode manuscritos históricos do Patriarcado ortodoxo siríaco, que foi baseado num mosteiro nasproximidades de Deyrulzaferan até os massacres do início do século 20. Hoje há menos deuma centena de cristãos numa cidade de mais de 65.000 habitantes, maioritariamente curda.Até meados do século 20, a maioria dos manuscritos do Deyrulzaferan havia sido transferidopara Mardin, onde foram atendidos e estudados pelo famoso monge ortodoxo siríaco eMetropolitana de Mardin, Yuhanna Dolabani. A colecção já conta com cerca de 1.250manuscritos, principalmente em siríaco, mas com um grande número de Garshuni (árabeescrita em siríaco). Os manuscritos variam em data a partir do sétimo século 8
  • A Ascensão de Cristo, a partir de um conjunto de iluminações prefaciando um Evangelholitúrgico Lecionário. Observa-se o uso de ambas as legendas siríaco e grego: grego foihomenageado na tradição siríaca como a língua original do Novo Testamento e de muitostextos teológicos e filosóficos mais tarde traduzidos para o siríaco. Embora as palavras gregas(em letras brancas) têm a mais maior destaque, o alinhamento horizontal, as palavras estãoescritas de forma incorrecta. As legendas vertical siríaco (em tinta amarela / ouro) estãocorrectas, indicando maior familiaridade. Yesim Dogan /Janeiro 2011 (tradução) 9