Your SlideShare is downloading. ×
Estenose de jup
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Estenose de jup

8,120
views

Published on

Dr. Rodrigo Pastor – R1 Residência de Urologia HC - UFG Goiânia

Dr. Rodrigo Pastor – R1 Residência de Urologia HC - UFG Goiânia

Published in: Health & Medicine

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
8,120
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Estenose de JUP Rodrigo Pastor – R1 Residência de Urologia HC - UFG Goiânia, 01 de Março de 2011.
  • 2. Aspectos gerais
    • Causa mais comum de hidronefrose fetal
    • 1 a cada 1000 a 1500 recém-nascidos
    • 25% dos casos são descobertos no 1º ano de vida ( lado E – neonatos )
    • Mais comuns no sexo masculino 2:1
    • 5 – 10% são bilaterais
    Estenose de JUP Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3359.
  • 3. Etiologia
    • Ainda está em discussão
    • Várias etiologias foram observadas
      • Estenose intrínseca
      • Estenose extrínseca
      • Estenose secundária a RVU
    Estenose de JUP Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3360 e 3361.
  • 4. Etiologia
    • Estenose intrínseca
      • Interrupção do desenvolvimento da musculatura circular da JUP
      • Alteração no colágeno e nas fibras musculares do ureter proximal
    Estenose de JUP Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3360.
  • 5. Etiologia
    • Estenose extrínseca
      • Vaso aberrante
      • Passa anterior a pelve
      • Acotovelamento do ureter proximal
    Estenose de JUP Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3361.
  • 6. Anomalias associadas
    • Anomalias urológicas são encontradas em cerca de 50% dos casos
    • Estenose de JUP contra lateral – mais comum
    • Displasia renal
    • Rim policístico
    • RVU (40%)
    Estenose de JUP 2ª mais comum Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3362.
  • 7. Quadro clínico
    • Maioria assintomáticos (neonato)
      • USG
    • ITU de repetição (30%); Pielonefrite(16%)
    • Crianças mais velhas:
      • Cólica renal
      • Dor em andar superior de abdome
      • Vômitos
    • Hematúria (25%)
    • Cálculo Renal (20%)
    Estenose de JUP Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3362 e 3363.
  • 8. Diagnóstico
    • Quadro clínico
    • Exames complementares
      • Laboratório
      • Imagem
    Estenose de JUP
  • 9. Diagnóstico
    • USG
      • Diagnóstico pré-natal
      • Avaliação do diâmetro pélvico pré e pós-natal
      • Presença de hidronefrose
    Estenose de JUP imagem de oradiologista.blogspot.com/2008
  • 10. Diagnóstico
    • Cintilografia renal
      • Com ou sem diurético
      • DTPA – em maiores que 30 dias
      • MAG3 – em menores que 30 dias
      • Fase parenquimatosa
        • Calcula a função glomerular
      • Fase excreção
        • Avalia o clearance do radioisótopo
          • < 10 minutos – não obstrutivo
          • 10 – 20 minutos – indeterminado
          • > 20 minutos - obstrutivo
    Estenose de JUP Guia prático de urologia – 2004, seção 4; p. 194.
  • 11. Diagnóstico
    • Ressonância Magnética
      • Sensibilidade similar da cintilografia
      • Localização anatômica precisa
      • Definição do tipo de obstrução
    Estenose de JUP Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3368.
  • 12. Tratamento
    • Avaliação da função renal
      • Tratamento conservador – 15 a 33% dos pacientes evoluem com deterioração da função renal
      • Tratamento cirúrgico
        • Indicações absolutas
        • Indicações relativas
    Estenose de JUP
  • 13. Tratamento
    • Indicações absolutas
      • Pacientes sintomáticos (infecção urinária ou dor tipo cólica)
      • Massa abdominal palpável
      • Rim único
      • Comprometimento bilateral
    Estenose de JUP Guia prático de urologia – 2004, seção 4; p. 194.
  • 14. Tratamento
    • Indicações relativas
      • Função renal diminuída ou em queda durante o seguimento
      • Dilatação persistente na avaliação USG nos graus IV de dilatação
      • Dilatação persistente na avaliação USG nos graus III de dilatação, e que apresenta curva tipo obstrutiva ou indeterminada na cintilografia com diurético, no seguimento de seis a 12 meses
      • Dilatação progressiva no seguimento por USG, desde que confirmada por outros métodos
    Estenose de JUP Guia prático de urologia – 2004, seção 4; p. 196.
  • 15. Tratamento
    • Técnicas
      • Pieloplastia não-desmembrada
        • Pelve redundante
        • Inserção alta do ureter
      • Pieloplastia desmembrada
        • Ressecção de pelve redundante ou estenótica
        • Preservação dos vasos anômalos
    Estenose de JUP Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3370.
  • 16. Tratamento
    • Pieloplastia não-desmembrada
      • Y-V plastia a Foley
    Estenose de JUP Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3370.
  • 17. Tratamento
    • Pieloplastia desmembrada
    Estenose de JUP Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3372.
  • 18. Tratamento
    • Pieloplastia desmembrada
    Estenose de JUP Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3374.
  • 19. Tratamento
    • Vias
      • Aberta
      • Laparoscópica
      • Endoscópica
    Estenose de JUP
  • 20. Tratamento
    • Aberta
    Estenose de JUP Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3373.
  • 21. Tratamento
    • Laparoscópica
      • Transperitoneal
    Estenose de JUP Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3378.
  • 22. Tratamento
    • Laparoscópica
      • Retroperitoneal
    Estenose de JUP Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3377.
  • 23. Tratamento
    • Endoscópica
    Estenose de JUP Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3375.
  • 24. Tratamento
    • Endoscópica
      • Endopielotomia: sucesso de 79% nas primárias e 84% nas secundárias
        • Crianças > 1 ano
        • Obstrução secundária em todas as idades
        • Rins com função preservada
        • Mínima ou moderada hidronefrose
        • Estenoses < 2 cm
    Estenose de JUP Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3374 e 3375 http://www.uronline.unifesp.br/uronline/ed1000/tratamento.htm .
  • 25. Tratamento
    • Endoscópica
      • Dilatação da JUP por balão
        • Validade incerta
        • Complicações:
          • Obstrução aguda da JUP
          • Migração do stent
          • Hemorragia
          • Infecção
    Estenose de JUP Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3374 e 3375.
  • 26. Tratamento
    • Endopielotomia com balão &quot;Acucise”
    • (Applied Medical Technologies, Laguna Hilis, CA)
    • Balão de Baixa Pressão acoplado com uma alça eletrocortante monopolar de aproximadamente 3,0 cm
    • Dilatação e Incisão
    • Fluoroscopia e um Cistoscópio básico
    • Taxa de Sucesso de 79% em obstruções primárias e 94% em obstruções secundárias
    • http://www.uronline.unifesp.br/uronline/ed1000/tratamento.htm
  • 27. Complicações
    • Causas:
      • Extravasamento urinário
      • Tensão na anastomose
      • Uso de stent
      • Infecção
      • Fibrose
      • Não reconhecimento de estenose distal
    Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3380. Estenose de JUP
  • 28. Complicações
    • Tratamento:
      • Nova pieloplastia
      • Ureterocalicostomia
      • Endopielotomia
      • Nefrectomia
    Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3380. Estenose de JUP
  • 29. Complicações
    • Tratamento
      • Ureterocalicostomia
    Campbell’s Urology – 9th Edition; vol. 4; p. 3381. Estenose de JUP
  • 30. OBRIGADO