Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Histórias e lendas de Guarujá - Bondes
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Histórias e lendas de Guarujá - Bondes

  • 1,237 views
Published

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,237
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
7

Actions

Shares
Downloads
1
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. HISTÓRIAS E LENDAS DE GUARUJÁ - BONDES Os bondes de Guarujá Um dos bonde elétricos que circularam de 1925 a 1956. A foto parece ter sido feita logo após a inauguração da linha, para compor material de divulgação da empresa Foto cedida pelo pesquisador norte-americano Allen Morrison, de New York Uma ferrovia de 9 km foi criada em 1893 ligando Itapema (atual distrito de Vicente de Carvalho, em Guarujá) ao Grande Hotel. A Companhia Balneária, que também operou o ferry-boat que fazia conexão com a ferrovia, se tornou a Companhia Balneária da Ilha de Santo Amaro em 1896 e a Companhia Guarujá em 1901.
  • 2. A estação da praia de Pitangueiras Foto: autor não identificado Um serviço alternativo de ferry para automóveis foi aberto em 1918 desde um ponto próximo à Ponta da Praia, em Santos, fazendo a ligação com a Ilha de Santo Amaro. A estação da praia de Pitangueiras Foto: autor não identificado A linha férrea de bitola métrica foi eletrificada em 11/1/1925, passando a usar locomotiva de 104 HP e dois bondes de 106 HP construídos pela firma M.A.N. de Nürnberg, na Alemanha. A Serviços Públicos do Guarujá encomendou em 1927 outro bonde da M.A.N. e construiu uma linha para veículos de carga até Cachoeira.
  • 3. Bonde 5, ainda com o letreiro de um dos lados indicando o destino Itapema, pouco antes de ser enviado a Campos do Jordão Foto: coleção Oswaldo Cáfaro, de Guarujá Em 21/12/1935, a estação de passageiros foi transferida para duas quadras mais longe da praia, sendo extinto o antigo depósito de cargas junto ao Grande Hotel. A linha foi fechada em 13/7/1956 e o equipamento foi vendido à Estrada de Ferro Campos do Jordão. Os bondes 5 e 7 de Guarujá, construídos em 1924, e o de prefixo 9, construído em 1930, passaram a rodar em Campos do Jordão como bondes A-5, A-7 e A-6, respectivamente.
  • 4. Um dos bondes, em Campos do Jordão Foto: Wilson Toledo, no Cartão Postal Brasil Turístico 04 Desde 13 de julho de 1956, quando começou a trafegar no balneário paulista de Campos do Jordão, o Bonde Urbano é uma das grandes atrações dessa região montanhosa do estado de São Paulo, conhecida como "a Suíça Brasileira". O bonde turístico é operado pela Estrada de Ferro Campos do Jordão. Segundo o especialista norte-americano Allen Morrison, o bonde visto nestas imagens, A-6, foi construído em 1930 e circulou em Guarujá/SP com o número 9. Já os veículos A-5 e A-7 foram construídos em 1924 e circularam no Guarujá com os números 5 e 7, sendo adquiridos quando a linha litorânea foi extinta em 1956. Allen relata no livro The Tramways of Brazil que, em 28/10/1911, Emílio Ribas e Victor Godinho obtiveram a concessão para construir a ferrovia de Campos do Jordão até a estação da Estrada de Ferro Central do Brasil, em Pindamonhangaba. A construção começou no ano seguinte e a estrada de 47 km foi inaugurada em 15/11/1914, sendo considerada a de maior altitude no Brasil (atinge o nível de 1.743 m de altura no Alto do Lageado).
  • 5. Um dos bondes, em Campos do Jordão Foto de Nadir da Motta, no cartão número 29 da Postal Cultural, produzido em Piracicaba/SP