Briefing SEGMENTADO

  • 2,115 views
Uploaded on

 

More in: Business
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
2,115
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
34
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. 1. FATO PRINCIPAL

    O próprio fato que gerou a necessidade de se fazer o anúncio (ou a peça).
    Deve ser uma declaração simples, obtida através de todas as informações a
    respeito do produto, mercado, consumidor, concorrência, etc. O elemento que é o mais relevante para a propaganda.
    2. PROBLEMA QUE A PROPAGANDA DEVE RESOLVER

    Nasce do Fato Principal e está diretamente relacionado com ele. Pode ser um problema de produto, um problema de mercado, um problema de imagem, um problema de posicionamento.

    3. OBJETIVO DA PROPAGANDA

    Evidentemente, a resposta jamais deverá ser “Resolver o problema”. Deve ser, sim, uma declaração clara e concisa do efeito que você espera que a
    propaganda tenha sobre o consumidor. O que você espera obter em termos de atitude do consumidor. Sugere-se em geral, uma ação positiva que nasce da análise sobre o Problema.
    4. A ESTRATÉGIA CRIATIVA

    Que é encontrada a partir dessas quatro importantes informações:

    a. Definição do Público-Alvo
    b. Concorrência Direta e Indireta
    c. Promessa
    d. Razão da Promessa

    A resposta a cada uma deve ser clara, específica e precisa.


    A. Definição do Público-Alvo
    Uma informação que vai ajudar o pessoal de Criação a criar uma
    mensagem focalizada com precisão para as mentes que se quer
    atingir.
    Os consumidores devem ser definidos em termos de:
    Hábitos de uso de produtos semelhantes
    Em termos psicográficos – atributos atitudinais, estilo de vida,
    etc.

    Isto é, devem ser segmentados claramente.
    Se dados precisos não estiverem ao seu alcance, a sua experiência
    deve contar bastante, mas não deixe de passar estas informações.

    B. Concorrência Direta e Indireta
    Uma definição clara da arena na qual o nosso produto vai lutar e
    não apenas das marcas contra as quais está lutando. Por
    concorrência se entende: as fontes das quais as vendas nascem,
    as necessidades que o nosso produto vai satisfazer, a concorrência
    contra a qual as nossas promessas serão julgadas, ou qualquer
    outro tipo de posicionamento que se relaciona melhor com a
    percepção que o consumidor tem de nossa marca.

    Assim, esta parte do pedido não deve conter apenas uma lista de
    marcas. Deve-se definir qual é o pedaço do mercado total no qual a
    nossa marca será posicionada.
    Algumas vezes, a Concorrência pode ser uma parte da descrição
    do nosso consumidor-alvo. Em geral, pode ser uma definição mais
    precisa e mais repleta. Mas deve estar sempre relacionada com o
    Fato Principal e com todo o restante.


    C. Promessa
    O melhor argumento que a nossa marca pode oferecer para
    consumidor dentro das circunstâncias do momento. Imprecisão ness
    ponto é um pecado sem perdão na propaganda.
    D. Razão da Promessa
    Uma declaração que suporta diretamente a promessa que você vai
    fazer. Eis aqui algumas instruções que ajudam:

    A razão da promessa, se possível, deve nascer de algum fato
    real do produto – de preferência um único fato, nunca um
    catálogo de todos os fatos sobre o produto.
    5. OBRIGATORIEDADES E LIMITAÇÕES
    Qualquer restrição ou imposição que deva ser deixada clara.