Alianca pro minas e rede para a inovacao

362 views
307 views

Published on

Published in: Technology, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
362
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Alianca pro minas e rede para a inovacao

  1. 1. PLATAFORMA “Minas é Inovação”“ REDE PARA INOVAÇÃO “
  2. 2. “ O estado de Minas Gerais povoado de empresas inovadoras, com bem-estar e qualidade de vida para a sociedade “ Visão da MinasInvest “ O SIMI – Sistema Mineiro de Inovação, tem por finalidade promover convergência de ações governamentais, empresariais, acadêmicas de pesquisa e tecnologia para, de forma cooperada, desenvolver a inovação no Estado de Minas Gerais.”VISÃO A REDE PARA INOVAÇÃO apoia, organicamente, o potencial do Estado de Minas Gerais numa Parceria Público-Privada inovadora e atua como catalizadora da inovação no desenvolvimento sócio-econômico- buscando oportunidades para criar parcerias comerciais entre o setor Público e a iniciativa privada
  3. 3. A colaboração do conhecimento e dos negócios pode trazer benefícios estratégicos para Minas Gerais, interagindo com o Governo em seus objetivos econômicos de base mais ampla. O papel da REDE PARA INOVAÇÃO é somar esforços operacionais com aIDÉIA-FORÇA capacidade instalada do Governo para direcionar e atrair os investimentos, negócios e inovação capazes de executar as metas e objetivos econômicos do Governo Estadual, traduzidas no PMDI 2007/2011/23 através dos 5 Eixos Estratégicos, 11 Áreas de Resultado e os 50 Projetos Estruturadores, enquanto o SIMI “ pretende, pioneiramente, ser a mais promissora iniciativa para promover uma articulação dinâmica e permanente para a inovação.” O Governo, contando com o apoio operacional da REDE PARA INOVAÇÃO, agiliza medidas que aumentam o impacto econômico dos investimentos , ambiente de negócios e oxigenação de conhecimento adotando políticas que sustentam as metas econômicas mais amplas e de longa duração. IDÉIA-FORÇA: FORTALECER E LIGAR A GESTÃO DA INFORMAÇÃO E DO CONHECIMENTO AOS ATOS ECONÔMICOS.
  4. 4. A força-motriz: PLANEJAR E ATUAR .FORÇA-MOTRIZ A ferramenta é formular um planejamento estratégico como agenda de Governo em conjunto com o setor produtivo para ser implementada tanto na demanda na oferta de capacitações, como contribuição fundamental na melhoria dos níveis de inovação e competitividade. O planejamento tem por objetivo comprometer os agentes do desenvolvimento a criar um sistema de qualificação mais responsivo e flexível. A REDE PARA INOVAÇÃO deve incluir temas de políticas Públicas como: necessidade de expandir os fundos para ciência; desenvolvimento de estratégias e “clusters” regionais orientados para a inovação; desenvolvimento de conhecimento e capacitações e Internacionalização A REDE DA INOVAÇÃO EM MINAS se propõe a participar da formulação de políticas em áreas do conhecimento em que o Governo, a iniciativa privada e os Centros de Conhecimento, em rede, podem agir eficazmente para elevar a taxa de inovação.
  5. 5. A REDE PARA INOVAÇÃO tem por objetivo derradeiro facilitar a criaçãoO QUE QUEREMOS de novos empreendimentos comercializando os resultados da pesquisa universitária com vistas a gerar retorno econômico para as partes. Ao aproximar empresas com as tecnologias e recursos da Universidade, cria-se parcerias entre pesquisadores e empreendedores nos mercados local e global. Estes vínculos geram novos investimentos e benefícios econômicos de longo-prazo para a universidade, seus parceiros corporativos e a comunidade. QUEREMOS que Minas seja um “hub”, um pólo de conhecimento na economia nacional, com reputação não apenas na descoberta científica e tecnológica, mas também na liderança de transformar conhecimento em produtos e serviços inovadores. Embora o Governo atual tenha tido o mérito de estabelecer os fundamentos de uma nova economia através de um arrojado programa de choque de gestão capaz de equilibrar as políticas macro-econômicas e fiscais, outras medidas que afetam diretamente a inovação precisam ser adotadas, criando e implementando um programa de reforma micro- econômica.
  6. 6. CONVITE À INICIATIVA PRIVADA Minas vive um ambiente favorável para seu desenvolvimento: O PMDI – Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado e o SIMI Sistema Mineiro de Inovação são programas avançados que impõem mudanças pragmáticas, rupturas de paradigmas e abertura para novas alternativas. “Um “novo” modelo exige como tendência a predominância das iniciativas privadas na determinação da dinâmica econômica e um elevado grau de abertura à economia internacional.” “Para alcançar o objetivo do desenvolvimento é imprescindível “Para alcançar o objetivo do desenvolvimento é imprescindível contar com a participação e o apoio dos segmentos empresariais.” contar com a participação e o apoio dos segmentos empresariais.” O Governo concorda que para cumprir o Programa Mineiro de Desenvolvimento Integrado se " requer um agudo senso de prioridade e muita competência para inovar e criar, fazer diferente e conseguir resultados expressivos..." * Relatório MG do Século XXI, BDMG
  7. 7. ESTADO EMPREENDEDOR “Não há nenhum inconveniente no fato de gestores públicos atuarem para implementar condições que levem ao aumento da capacidade produtiva, direcionando os investimentos e criando políticas que viabilizem o aproveitamento de potenciais produtivos, tendo em vista oportunidades no mercado externo e interno, e gerem oportunidades de trabalho e de negócios.” (FERNANDO DOLABELA,2003) “ Empreendedorismo significa protagonismo social, ruptura de laços de dependência, crença dos indivíduos e das comunidades na própria capacidade de construir o seu desenvolvimento pela cooperação entre os diversos âmbitos político-sociais que a caracterizam.” (FRANCO, 2003) EFICIÊNCIA DOS SERVIÇOS PÚBLICOS: ao lado da legalidade, impessoalidade, moralidade e publicidade, a Constituição Federal inclui o princípio da “ eficiência” na gestão administrativa pública direta ou indireta. A REDE PARA INOVAÇÃO se propõe a contribuir na construção da “ MINAS :ESTADO DE RESULTADOS” e “ MINAS É INOVAÇÃO”.
  8. 8. ALIANÇA PRO MINAS Parceria entre empresas, Governo e Centros de Conhecimento com o objetivo de desenvolver uma agressiva iniciativa público-privada de desenvolvimento sustentável. Esforço de “mutirão” para incentivar as iniciativas individuais de seus integrantes em programa mais amplo e planejado capaz de promover o desenvolvimento de negócios e de conhecimento do Estado, a nível local e internacional. Ao congregar os agentes do desenvolvimento nos setores estratégicos, a parceria amplia o número de oportunidades de qualidade e promove o êxito geral das estratégias de desenvolvimento do Estado. Visa construir foco, comunicação e colaboração entre os intervenientes do desenvolvimento econômico, congregando os esforços de todos os seus agentes de forma organizada e orgânica. A rede deve servir como um “benchmark” criando atividades de ponta e inovadoras para expandir o ambiente de negócios do Estado de Minas Gerais.
  9. 9. O reconhecimento de que o bem estar econômico geral daALIANÇA PRO MINAS Sociedade gera condições e ambiente favoráveis para o desenvolvimento de seu empreendimento justifica o comprometimento da ALIANÇA PRO MINAS no progresso sócio- econômico do Estado. Através de sua participação e apoio efetivos, os parceiros da iniciativa privada e dos Centros de Conhecimento nas atividades de fomento do Estado são de vital importância para a sua viabilização econômica , gerando mais emprego e renda. Sua principal contribuição , entretanto, é o aporte de capacidade empreendedora, dinamismo, gestão eficiente, celeridade aos processos capazes de inovar a gestão Pública. A ALIANÇA PRO MINAS é uma cooperação entre os diversos âmbitos e agentes político-sociais, assentada na crença de que a sociedade é capaz de construir o seu desenvolvimento e a inovação é o instrumento.
  10. 10. BRAÇO OPERACIONAL A ALIANÇA PRO MINAS se propõe a ser um braço operacional dos agentes do desenvolvimento: do Governo como indutor e do empreendedor como executor: Servindo como instrumento para lidar com barreiras administrativas e operacionais, oferecendo um ambiente de políticas e táticas mais amigáveis e palatáveis para canalizar os interesses dos empreendedores e investidores. Identificando alternativas simples e práticas na política de investimento e na capacidade de remover os gargalos e preencher os elos faltantes Aglutinando idéias, iniciativas, conhecimento e colaboração entre os agentes do desenvolvimento.
  11. 11. Objetivos gerais Criar e disponibilizar ferramentas permanentesCRIANDO INDICADORES capazes de abordar a necessidade de políticas e métricas de inovação eficazes que possam traduzir o dinamismo da economia global de rede baseada no conhecimento e trazer competitividade às empresas e bem-estar à sociedade. Criar um Painel da Inovação com indicadores de medição da inovação em Minas Gerais no contexto da economia global, ajudando os tomadores de decisão com referenciais (benchmarks) e monitorando o desempenho da inovação, estabelecendo novos parêmetros para a gestão Pública e as estratégias empresariais.
  12. 12. “ a gente vive repetido, o repetido, e escorregável, num mim minuto, já está empurrado noutro galho.” (Guimarães Rosa)DESAFIO: MUDANÇA Na Nova Economia, o que mais importa é a “ eficiência adaptativa” ( Douglas North -Prêmio Nobel de economia) , ou seja, a capacidade das instituições de inovar, aprender continuamente e mudar produtivamente. Na velha economia, ativos fixos, financiamento e mão-de-obra eram as fontes principais de vantagem competitiva para as empresas. Na Nova Economia, as racionalidades e metas econômicas de desenvolvimento econômico devem dar lugar a formas inovadoras e sustentáveis de produzir. O desafio agora é criar uma estrutura de política econômica capaz de encorajar uma nova era de crescimento de renda per-capita mais elevado, adaptando-se às novas formas de produzir. “ O mineiro não se adapta facilmente ao progresso(...) daí dizer-se que é uma grande força conservadora (...) Onde se instala, fica. Desconfia de mudanças.” (Alceu Amoroso Lima) Inovação requer mudanças de paradigmas. Este é o grande desafio de Minas.
  13. 13. Portanto, o Governo desempenha importante papel:DESAFIO: MUDANÇA na criação de condições favoráveis para a inovação; no desenvolvimento de uma gama de produtos Públicos que são essenciais para uma economia do conhecimento dinâmica e inovadora: base sólida de ciência, engenharia e tecnologia; incentivos para a transferência do conhecimento; padrões educacionais elevados;formação, retenção e circulação de talentos. financiamento Para melhorar o desempenho da inovação, é preciso iniciativas intra-governamentais e parcerias com a sociedade civil. Ações amplas são fundamentais. A inovação deve ser incrustada no pensamento de todos os agentes econômicos e colaboração intensa entre eles é imprescindível.
  14. 14. Estágios de atividades Insumos – Descoberta: Como • Inovação: Como organizar as construir e sustentar atividades. uma massa crítica de • Financiamento: Como ciência aplicada. capitalizar as atividades.AÇÕES – Desenvolvimento: Como • Recursos Humanos: Como realizar a adquirir os talentos comercialização da necessários. inovação. • Infra-estrutura: Facilidades & para acionar as operações. – Aplicação: Como atingir • Governança: Como alinhar a formação do políticas, programas e empreendimento, práticas para sustentar as expansão e globalização. ações.
  15. 15. Dutos Consistentes e Robustos da Inovação criam um ciclo que Promove a Formação de Aglomerações ProdutivasCICLO DA INOVAÇÃO Investimento em P,D, I &G: Governo, Setor produtivo Comercialização do Novo Conhecimento: Patentes, Licenças Enpreendedorismo: Crescimento e Continuidade de Novos Negócios Empresas Globais: Lançamento em Bolsa Liderança Tecnológica
  16. 16. VALORES E DESAFIOS O desenvolvimento deve ser sustentável, visando ao bem-estar social, econômico e ambiental de toda a sociedade; A participação dos segmentos empresariais e de toda a sociedade no desenvolvimento sócio-econômico é fundamental; O desenvolvimento é missão de todos, mas não é inercial: requer forças aglutinadoras e coordenadoras para disparar o ciclo virtuoso e necessário do desenvolvimento. O ambiente favorável para o crescimento criado pelo Governo atual e o peso da dimensão financeira para atender as crescentes demandas, impõem como fator mais urgente inovações e reformas estruturais ainda mais profundas. A ALIANÇA PRO MINAS acredita que deve existir um equilíbrio adequado entre o interesse Público e a iniciativa privada capaz de levar ao progresso social e desenvolvimento econômico.
  17. 17. Marketing institucional, criando um ambiente acolhedor para convivência dinâmica das diversas culturas. Integração a uma vasta rede de conhecimento e negócios Facilitação aos mecanismos de investimentos de empresas estrangeiras em Minas e de empresas Mineiras no exterior. (Modelo: “ One-Stop Shop”)BENEFÍCIOS Assessoria e monitoramento nas etapas do projeto até a sua implementação. Financiamento (Fund raising): capital de risco e bancos de fomento Acesso a projetos de investimentos em inovação e negócios em sua área de atuação. Acesso a projetos e PPP com o Governo Estadual e Municipal e capital de risco e fundos privados de investimento. Dedução de Imposto de Renda: até o limite de 2% (dois por cento) do lucro operacional (MP nº 2113-32, de 21.jun.2001, arts. 59 e 60.)
  18. 18. SUSTENTABILIDADE DO PROJETO A antevisão de resultados seguros e positivos da ALIANÇA PRO MINAS sustenta-se nos seguintes pilares: A constatação de novas formas de viabilização de empreendimentos geradores de desenvolvimento requer a união das forças da sociedade. A iniciativa, ousadia e inovação como novos paradigmas dos conceito de gestão para a retomada do vigor de Minas. A mudança do modelo de pensamento (mind set) como chave para a transformação e crescimento. A adoção de padrões internacionais de excelência vista como condição fundamental para se assegurar competitividade e êxito Construir a Minas Gerais – Estado de Resultados
  19. 19. Rede ALIANÇA PRO MINASComunidades Comunidades de de Negócios Conhecimento Sub-redes Clusters MINAS PROJETO ESTADUAL INSTITUTO DE INVEST INCLUSÃO DIGITAL PESOS E MEDIDAS - MG Comunidades de Colaboração Inovação Agronegócio Projetos Oportunidades Comércio Competitividade Exterior Educação Pauta das comunidades de colaboração alinhada com os objetivos estratégicos de cada sub-rede
  20. 20. UMA PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA Ações Públicas são mais eficazes se realizadas em parceria com a sociedade civil, posto que suas organizações acumulam infra- estrutura,conhecimento e recursos humanos de qualidade. A instituição das Organizações Sociais Civis de Interesse Público possui sentido estratégico no contexto do Plano Estruturador do Choque de Gestão:permite o fortalecimento da sociedade civil, aumenta a sua capacidade de influenciar as decisões públicas e alavanca recursos a serem destinados ao desenvolvimento estadual. “Ao convidar estas entidades para a execução de políticas públicas, o Estado reconhece, a um só tempo, as limitações inerentes às normas que regem a atuação estatal, e o importante papel da sociedade civil para o desenvolvimento social.” (SEPLAG) “ Para se alcançar este macro objetivo, impõe-se a adoção de metodologia baseada em indicadores de resultados, com gerenciamento intensivo, mediante clara responsabilização dos partícipes pelas metas, projetos e atividades.” (Governo de MG)
  21. 21. UMA PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA Considerando que: Compete ao SIMI – Sistema Mineiro de inovação, promover a integração e a articulação entre órgãos,entidades, empresas de direito público e privado, organizações da sociedade civil de interesse público - OSCIP, universidades e centros universitários (Art. 3º. Decreto 44.318/2006) O SIMI é a união de empresas, institutos de pesquisa e governo orientados e coordenados de forma a gerar um ambiente propício do desenvolvimento da inovação no Estado de Minas Gerais. MinasInvest é renomada OSCIP Estadual e Federal e tem demonstrado suas capacitações no fomento de negócios e investimentos sustentáveis, nos termos e prerrogativas da Lei Estadual 14.870/2003. Parceria...é estratégia da MinasInvest, propondo-se a “atuar como agente catalisador da Parceria para a Inovação, entre o setor privado, Universidade, Governo e Organismos financiadores para a gestão do conhecimento aplicado à cadeia produtiva.” O Instituto PEABIRUS disponibiliza uma robusta rede em Internet com ferramentas para a rearticulação e o reordenamento dos processos políticos, econômicos e sociais numa perspectiva dos interesses locais em função da globalização. MINASINVEST/INSTITUTO PEABIRUS propõem à Secretaria de Ciência e Tecnologia, como Secretaria de coordenação do SIMI a celebração, de um Convênio com vistas a articular, implantar e gerenciar o ambiente da REDE DA INOVAÇÃO ora proposto.
  22. 22. Espaços nobres, instalações e tecnologia de pontapara eventos e reuniões e “business lounge” paraentrecruzamento de conhecimentos eoportunidades de negócios

×