Conhecimento Científico - Kuhn

35,147 views
34,847 views

Published on

Published in: Education
3 Comments
11 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
35,147
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
10
Actions
Shares
0
Downloads
918
Comments
3
Likes
11
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Conhecimento Científico - Kuhn

  1. 1. Tema  IV  Conhecimento  e  Racionalidade  Científica  e  Tecnológica      2.  ESTATUTO  DO  CONHECIMENTO  CIENTÍFICO      2.3    A  Racionalidade  Científica  e  a  Questão  da  Objectividade  
  2. 2. IV  Conhecimento      e  Racionalidade      Científica  e  Tecnológica   2.  Estatuto  do  Conhecimento   Científico   15 ∎ a racionalidade científica e a questão da objectividade ∎ Kuhn ∎ Pensar Azul 11.º
  3. 3. 2.3  A  Racionalidade  Científica    e  a  Questão  da  Objectividade   Sumário   O  conceito  de  objectividade  científica   A  perspectiva  de  Thomas  Kuhn   KUHN   1922-­‐1996  
  4. 4. Problema   O  conhecimento  científico   é  objectivo?   15 ∎ a racionalidade científica e a questão da objectividade ∎ Kuhn ∎ Pensar Azul 11.º
  5. 5. A  ciência  é  rigorosa.     É  também  objectiva?   Se  definirmos  conhecimento  objectivo  como  um   conhecimento  que  descreve  a  realidade,  tal  como   ela  é,  independentemente  das  características     do  investigador  e  das  condições  em  que     a  investigação  é  realizada,     então,  o  conhecimento  científico,  apesar  de  ter     um  grande  grau  de  exactidão  e  de  rigor,  não  pode     ser  considerado  objectivo  porque  depende:     dos  métodos  e  instrumentos  usados  (só  capta  da  realidade   aquilo  que  os  instrumentos  permitem)     da  participação  activa  do  ser  humano  naquilo  que  conhece  
  6. 6. Conceito     de  objectividade  científica   Mas  se  definirmos  objectividade  como  a  qualidade   própria  do  conhecimento  que  é  reconhecido     e  partilhado  por  toda  a  comunidade  científica,     em  virtude  do  rigor  metodológico  que  permite     a  qualquer  investigador  repetir  todas  as  operações   lógico-­‐matemáticas  e  experimentais     e  obter  sempre  os  mesmos  resultados,   então,  temos  de  aceitar  o  carácter     relativamente  objectivo     das  teorias  científicas.  
  7. 7. O  conhecimento  científico     é  uma  interpretação  da  realidade     Podemos  afirmar  que:     1 o  conhecimento  científico  não  traduz  a  realidade   tal  como  ela  é  em  si  mesma,  nem  é  a  única   maneira  de  enquadrar  a  realidade   o  conhecimento  científico  fornece-­‐nos  uma   2 visão  da  realidade  segundo  a  perspectiva     da  razão,  que  vê  a  vasta  ordem  do  Universo,   matéria  viva  e  inanimada,  como  um  sistema   material  governado  por  regras  que  a  mente   humana  pode  apreender  
  8. 8. Há  mais  formas     de  interpretar  a  realidade   Há  diferentes  visões  da  realidade:  a  visão  científica  do  mundo   1 não  responde  a  todas  as  nossas  preocupações:  «mostra-­‐nos     o  que  existe,  mas  não  o  que  é  que  se  há-­‐de  fazer  com  isso»     2 O  conhecimento   científico  é  uma     3 Todas  estas   interpretações  têm   das  formas  do  saber   origem  no  espanto,     humano,  mas  a  Política,     na  curiosidade  perante     a  Arte,  o  Direito     o  mundo  e  na  procura     ou  a  Religião  apresentam   de  sentido  para     outras  visões  da  realidade     a  existência  
  9. 9. A  ciência  moderna     até  ao  século  XIX   Ao  estudarmos  a  história  da  Ciência,  damo-­‐nos  conta   de  que  até  aos  finais  do  século  XIX  existiu  um  modelo   da  racionalidade     (uma  chave  explicativa)     que  assentava     no  determinismo.  
  10. 10. A  Ciência     no  século  XX   A  partir  do  início  do  século  XX,   devido  às  novas  teorias  da  Física     (a  física  quântica)  e  ao  reconhecimento   de  que  há  fenómenos  que  não   obedecem  ao  determinismo   (princípio  de  incerteza),  ocorreu  uma   revolução  na  epistemologia  que   alterou  o  modelo  de  racionalidade   até  então  aceite  pela  comunidade   científica.  
  11. 11. Epistemologia     de  Thomas  Kuhn     Neste  contexto,  o  epistemólogo  Thomas  Kuhn,     ao  pretender  compreender  o  processo     das  transformações  ocorridas  nas  ciências,     foi  levado  a  estudar  o  desenvolvimento     histórico  da  Ciência.   O  que  Kuhn  constatou  foi  que  há   momentos  em  que  ideias  científicas   aceites  são  substituídas  por  outras   radicalmente  novas  e  em  que     o  próprio  modelo  geral  de  explicação     KUHN   se  transforma  radicalmente.    
  12. 12. Exemplos  de  alteração     do  modelo  científico   Foi  o  que  aconteceu  na  astronomia  no  século  XVI,   quando  Nicolau  Copérnico  propôs  o  heliocentrismo   (em  substituição  do  geocentrismo),  ou  na  biologia,     no  século  XIX  ,  quando  Charles  Darwin  propôs     a  teoria  da  evolução  das  espécies  ou,  no  século  XX   com  a  teoria  da  relatividade  de  Albert  Einstein.    
  13. 13. Revoluções     científicas     Nos  casos  referidos  (heliocentrismo,  evolução   das  espécies  e  relatividade),  as  novas  propostas   de  explicação  do  funcionamento     da  Natureza  obrigaram  a  rever  o  modo   como  se  concebia  a  realidade  nos  domínios   da  Astronomia,  da  Biologia  e  da  Física.     Kuhn  chamou  revoluções  científicas   às  transformações  radicais  dos  modelos   em  que,  numa  determinada  época,   assenta  a  visão  do  mundo.    
  14. 14. Conceito     de  paradigma   Kuhn  chamou  paradigma     ao  conjunto  dos  conceitos   fundamentais                                                                     e  dos  procedimentos   padronizados  que  orientam               e  determinam  a  prática   científica  numa  dada  época.  
  15. 15. Ciência  normal     e  ciência  extraordinária   Segundo  Kuhn,  a  comunidade  científica  realiza   a  investigação  dentro  dos  moldes  de  um   ciência paradigma  (ciência  normal).     normal Ao  surgirem  anomalias  (factos-­‐problema)     não  explicáveis  à  luz  dos  padrões  aceites,   entra-­‐se  num  momento  de  crise  e  polémica   (ciência  extraordinária),  durante  o  qual     ciência extraordinária se  confrontam  hipóteses  de  solução  para     as  «anomalias».  
  16. 16. Incomensurabilidade   dos  paradigmas   Da  situação  de  crise  e  de  conflito  entre  os  conservadores   e  os  inovadores,  surgem  duas  alternativas:   ou  se  desenvolve  uma   ou  se  alarga  e  reformula     revolução  científica  com   o  paradigma  de  modo                     a  imposição  de  um  novo   a  solucionar  as  anomalias     paradigma  explicativo   e  explicar  os  novos  dados     Quando  se  impõe,  o  novo  paradigma  estabelece  uma  nova  maneira   de  ver  a  realidade,  incompatível  com  o  paradigma  anterior.     É  a  incomensurabilidade  dos  paradigmas.  
  17. 17. Como  é  que  os  cientistas   mudam  de  paradigma?   A  escolha  de  um  paradigma  depende:     1 de  factores  objectivos     Características  de  uma   boa  teoria  científica:     2 de  factores  subjectivos   …     a  exactidão     a  consistência     o  alcance     a  simplicidade     a  fecundidade  
  18. 18. Dificuldades  na  aplicação   de  critérios   Principais  dificuldades  na  escolha  de  uma  teoria     (factores  objectivos  e  subjectivos):   1 os  defensores  de  teorias   imprecisão     na  aplicação   3 diferentes  são  como  falantes     individual     de  linguagens  diferentes   dos  critérios   4 dificuldade  de  comunicação     entre  teorias  diferentes   2 conflitos  entre   os  critérios   (incomensurabilidade     dos  paradigmas)  
  19. 19. A  nova  teoria     impõe-­‐se     A  nova  teoria  impõe-­‐se,  pois:   1 leva  alguns  cientistas   a  interessar-­‐se  por   2 leva  outros  a  tentar   ela,  discutindo-­‐a   ajustar  a  velha  teoria   convence  outros     3 das  suas  vantagens    
  20. 20. Resumo   um  conhecimento  rigoroso     objectivo  no  sentido  de  ter     e  credível,  partilhável  por   o  acordo  de  toda  a  comunidade   toda  a  comunidade   científica,  que  pode  testar  a  sua   científica,  mas  não  reproduz   validade,  repetindo  as   fielmente  a  realidade   operações  lógico-­‐matemáticas   descritas  e  chegar  sempre  a  um   mesmo  resultado  
  21. 21. Resumo   a  escolha  de  uma  teoria  depende  de  uma   mistura  de  factores  objectivos  e  subjectivos   Thomas  Kuhn,   depois  de   a  Ciência  evolui  de  forma  descontínua   investigar     há  períodos  de  ciência  normal,  em  que   o  modo  como   vigora  um  determinado  paradigma   evolui  a  Ciência,   há  momentos  de  crise,  ou  de  ciência  extraordinária,   de  que  pode  resultar,  quer  a  correcção  e   conclui  que   alargamento  do  paradigma  quer  a  sua  substituição   por  outro   neste  caso,  há  uma  revolução  científica:  dá-­‐ se  uma  ruptura  no  modo  de  conceber  a   realidade   o  novo  paradigma  consagra  uma  visão  da   Ciência  e  da  realidade  totalmente  nova  e   incompatível    com  a  anteriormente  adoptada   este  novo  paradigma  transforma-­‐se                                             em  «ciência  normal»,  e  será  sujeito                                       ao  mesmo  processo  de  confrontação  
  22. 22. Resumo   Ciência  normal   Revolução  científica   Paradigma  A   Novo  paradigma   Incomensurabilidade  dos  paradigmas   Dificuldade  em  mudar  de  paradigma   A  mudança  depende  da  pressão     da  comunidade  científica  sobre  os  indivíduos  
  23. 23. Exercício   Indique  os  conceitos  em  falta  nos  espaços  em  branco. A convicção de que existem relações fixas e necessárias entre fenómenos naturais é o determinismo. Os modelos teóricos descritivos e interpretativos que combinam e interligam conjuntos de leis e hipóteses explicativas coerentes são teorias científicas.
  24. 24. Exercício   Diga  quais  são  as  afirmações  verdadeiras  e  quais  são  as  falsas.   Afirmações   V  /  F   Albert  Einstein  propôs  a  teórica  heliocêntrica.   ? F Charles  Darwin  propôs  a  teoria  da  evolução  das  espécies.   ? V Nicolau  Copérnico  propôs  a  teoria  da  relatividade.   ? F
  25. 25. Exercício   Diga  quais  são  as  afirmações  verdadeiras  e  quais  são  as  falsas.   Afirmações   V  /  F   Chama-­‐se  ciência  paradigmática  ao  processo  de  renovação  de  uma  teoria  científica.     ? F Chama-­‐se  ciência  extraordinária  ao  período  de  crise  e  polémica  durante   o  qual  se  confrontam  hipóteses  de  solução  para  as  «anomalias».   ? V Chama-­‐se  revoluções  científicas  às  transformações  radicais  dos  regimes  políticos   com  poder  sobre  a  investigação  científica.     ? F
  26. 26. Exercício   Diga  quais  são  as  afirmações  verdadeiras  e  quais  são  as  falsas.   Afirmações   V  /  F   Chama-­‐se  incomensurabilidade  dos  paradigmas  à  impossibilidade   de  comparar  os  paradigmas  com  o  senso  comum.     ? F Chama-­‐se  incomensurabilidade  dos  paradigmas  à  impossibilidade   de  comparar  os  paradigmas  mediante  um  critério  comum,  por   serem  modelos  incompatíveis  entre  si.     ? V Revoluções  científicas  são  as  transformações  radicais  dos  modelos   em  que  assenta  a  visão  do  mundo  de  uma  determinada  época.   ? V
  27. 27. Glossário   •  Teorias  científicas     São  modelos  teóricos  descritivos     e  interpretativos  que  combinam  e   interligam  conjuntos  de  leis  e   hipóteses  explicativas  coerentes,   permitindo  deduzir  novas  leis     ou  formular  hipóteses  com  vista  à   explicação  de  novos  factos.  
  28. 28. Glossário   Determinismo     É  a  convicção  de  que  existem  relações  fixas     e  necessárias  entre  fenómenos  naturais,     de  tal  modo  que  o  que  acontece  não  poderia   deixar  de  acontecer  porque  está  ligado     a  causas  anteriores.  
  29. 29. Glossário   Paradigma     No  contexto  da  reflexão   epistemológica  de  Thomas  Khun,   designa  o  conjunto  dos  conceitos   fundamentais  e  dos  procedimentos   padronizados  aceites  pela   comunidade  científica  que  orienta     e  determina  a  prática  científica.  
  30. 30. Glossário   Ciência  normal     Designação  atribuída  por  Thomas   Kuhn  ao  desenvolvimento  da  Ciência   realizado  no  respeito  pelas  crenças   básicas  e  pelos  procedimentos   padronizados  próprios  de  um  dado   paradigma.  
  31. 31. Glossário   Ciência  extraordinária     Designação  atribuída  por  Thomas  Kuhn     aos  momentos  de  crise  e  confronto  entre   propostas  explicativas  novas,  incompatíveis   com  as  concepções  e  os  procedimentos     do  «velho»  paradigma.  Uma  fase  de  ciência   normal  dá  lugar  a  uma  outra  de  ciência   extraordinária  que,  por  sua  vez,  passará     a  ciência  normal,  e  assim  sucessivamente.  
  32. 32. Glossário   Incomensurabilidade  dos  paradigmas     Conceito  criado  por  Thomas  Kuhn  para   designar  a  impossibilidade  de   comparar  os  paradigmas  mediante  um   critério  comum,  uma  vez  que  propõem   modos  de  conceber  a  realidade  e  a   Ciência  incompatíveis  entre  si.  
  33. 33. Tema  IV  Conhecimento  e  Racionalidade  Científica  e  Tecnológica      2.  ESTATUTO  DO  CONHECIMENTO  CIENTÍFICO      2.3    A  Racionalidade  Científica  e  a  Questão  da  Objectividade  

×