Your SlideShare is downloading. ×
0
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Mario  Jorge  Da  Silva
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Mario Jorge Da Silva

1,113

Published on

Published in: Technology, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,113
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
13
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Os Projetos de GNL e as Estratégias da Petrobras 12 de agosto 2008 Mário Jorge Gerente Geral de Planejamento de Gás e Energia Navio Golar Spirit fundeado próximo ao Porto de Pecém
  • 2. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Gás Natural no Brasil
  • 3. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Evolução da Matriz Energética Nacional Biomassa 2006 Petróleo e 30,2% Derivados 37,7% Hidráulica 14,8% Urânio Carvão Gás Natural 1,6% Mineral 6,0% 9,6% 2006 BRASIL Matriz balanceada: 55% combustíveis fósseis e 45% em renováveis (*) Outras Renováveis: eólica, solar, resíduo industrial e vegetal, indústria de papel e celulose Fonte: BEN 2007 e PNE 2030 - EPE
  • 4. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Evolução da Matriz Energética Nacional Biomassa 2006 Petróleo e 30,2% Derivados 37,7% Hidráulica 14,8% Urânio Carvão Gás Natural 1,6% 9,6% 2030 Mineral 6,0% 2006 BRASIL Petróleo e Derivados: 38,0 % 36 % Gás Natural: 9,6 % 15 % A matriz se Matriz altera visto o Lenha e Carvão Vegetal: 12,6% 4% balanceada: significativo Prod. da Cana-de-açúcar: 14,5% 17 % crescimento do 55% Outras Renováveis*: 2,9% 6% GN, redução combustíveis Energia Hidráulica: 14,8% 13 % expressiva da fósseis e 45% Carvão Mineral e derivados: 6,0% 7% lenha e em renováveis crescimento dos Urânio e Derivados: 1,6% 2% renováveis (*) Outras Renováveis: eólica, solar, resíduo industrial e vegetal, indústria de papel e celulose Fonte: BEN 2007 e PNE 2030 - EPE
  • 5. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Volume Comercializado no Brasil: Evolução 2007-2008 Industrial 26,4 Jan-Jun 2008 54% 50 milhões m3/d Automotivo 6,7 13% Residencial Jan-Jun 2007 0,7 1% 39 milhões m3/d Outros 0,7 Industrial 1% 24,7 63% Cogeração Geração de 2,2 Energia 13,3 % 4% 29 27% Segmento Variação Industrial 7% Outros Automotivo -3% 0,8 Automotivo Residencial 17 % 2% 6,9 Geração de Geração de Energia 241% Cogeração Residencial 18% 1,8 Energia 0,6 Cogeração 22 % 5% 3,9 2% Outros 13 % 10%
  • 6. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Contribuição da Geração Termelétrica no Sistema Brasileiro MW med Carga Própria 2007: 49.959 MW 52.000 2008: 51.318 MW 50.000 Geração 48.000 gás + óleo Térmica: 65% 2007: 2.126 MW 46.000 2008 até julho: 44.000 6.032 MW med 42.000 Petrobras 2008 até julho (33%): 40.000 fev/07 nov/07 dez/07 fev/08 jan/07 abr/07 jun/07 jul/07 ago/07 set/07 out/07 jan/08 abr/08 jun/08 jul/08 mar/07 mai/07 mar/08 mai/08 2.011 MW med Petrobras 2007 Ger. Hidráulica Ger. Nuclear Ger. Eólica (27%): Ger. Carvão Ger. Term. Terceiros (óleo+gás) Ger. Term. Petrobras (óleo+gás) 29% óleo 71% gás 13% óleo 87% gás 574 MW med Fonte: Petrobras
  • 7. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Sistema Elétrico – Predomínio Hidrelétrico, Rede Interconectada O sistema elétrico brasileiro é operado como um “condomínio”, Energia Elétrica: Estrutura da Oferta onde o OPERADOR - ONS coordena Hidroelétrica seu 72,1% funcionamento. As usinas hidrelétricas Gás operam em 10,6% situações de hidrologia favorável. Petróleo Importação Biomassa 4,4% Outras As térmicas são Contratada 3,6% 3,6% 5,7% acionadas para reduzir risco de déficit futuro.
  • 8. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Sistema Elétrico – Predomínio Hidrelétrico, Rede Interconectada VENEZUELA Sistemas Isolados O sistema elétrico brasileiro Boa Vista Macapá Sistema Interligado Nacional é operado como um “condomínio”, Belém (SIN) S.Luís onde o Fortaleza OPERADOR - MANAUS Norte Teresina Natal Tocantins ONS coordena 7% Nordeste J. Pessoa seu Parnaíba 14,5% Recife funcionamento. AC Maceió Aracajú RO S.Francisco As usinas Cuiabá Salvador hidrelétricas BRASILIA operam em situações de Sudeste / CO Goiânia Paranaíba Belo hidrologia C.Grande 62% Horizonte GRANDE favorável. Paraná/Tietê Paraíba Vitória do Sul 2008 MW % Paranapanema Rio de Janeiro As térmicas são São Paulo ITAIPU acionadas para HIDRO 81.206 85,6 Curitiba Iguaçu Sul reduzir risco de TÉRMICA 13.608 14,4 Uruguai déficit futuro. Argentina 16,5% Florianópolis TOTAL 94.814 100 Jacui Porto Alegre
  • 9. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Mercado Brasil 2012 milhões m3/d @ 9.400 kcal/m3 demanda média oferta média 134 134 140 Regas3 GNL = 31,1 MM m3/d Regas2 120 43 ,9 Regas1 100 30 ,0 80 63 ,7 60,3 63,7 50,8 48 ,0 60,3 1,1 60 19 ,6 19,2 40 16,1 18 ,1 15,7 30,1 30,1 14 ,8 72 ,9 10,9 5,5 20 0,9 1,7 1,9 42 ,1 30,2 32,5 27 ,2 25 ,9 28,8 0,5 12,5 0 9,4 1998 2000 2007 2008 2008 2012 2008 2008 2012 (1º SEM) (1º Tri) Industrial Termelétrico Outros usos (1) E&P Bolívia GNL (1) Outros usos: Consumo das refinarias e plantas de fertilizantes somados aos consumos dos segmentos veicular, comercial e residencial.
  • 10. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Oferta – Equilíbrio entre produção nacional e importação milhões m3/d @ 9.400 kcal/m3 demanda média oferta média 134 134 140 120 31,1 43 ,9 100 30 ,0 80 63 ,7 60,3 63,7 50,8 48 ,0 60,3 1,1 60 19 ,6 19,2 40 16,1 18 ,1 15,7 30,1 30,1 14 ,8 72 ,9 10,9 5,5 20 0,9 1,7 1,9 42 ,1 30,2 32,5 27 ,2 25 ,9 28,8 0,5 12,5 0 9,4 1998 2000 2007 2008 2008 2012 2008 2008 2012 (1º SEM) (1º SEM) Industrial Termelétrico Outros usos (1) E&P Bolívia GNL (1) Outros usos: Consumo das refinarias e plantas de fertilizantes somados aos consumos dos segmentos veicular, comercial e residencial.
  • 11. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Produção nacional – Plano de Antecipação (Plangás - 2006) milhões m3/d @ 9.400 kcal/m3 demanda média oferta média 134 134 140 120 31,1 43 ,9 100 30 ,0 80 63 ,7 60,3 63,7 50,8 48 ,0 60,3 1,1 60 19 ,6 19,2 40 16,1 18 ,1 15,7 30,1 30,1 14 ,8 72 ,9 10,9 5,5 20 0,9 1,7 1,9 42 ,1 30,2 32,5 27 ,2 25 ,9 28,8 0,5 12,5 0 9,4 1998 2000 2007 2008 2008 2012 2008 2008 2012 (1º SEM) (1º SEM) Industrial Termelétrico Outros usos (1) E&P Bolívia GNL (1) Outros usos: Consumo das refinarias e plantas de fertilizantes somados aos consumos dos segmentos veicular, comercial e residencial.
  • 12. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Projeção da Oferta de GN até 2012 2012 / 2006: milhões m3/d - Peroá-Cangoá (ES) - Urucu (AM) - Albacora (RJ) - Marlim sul M 3(RJ) - Pirapitanga (SP) Consumo: - Canapu (ES) - Camarupim (ES) - Mexilhão (SP) - Frade (ES) - Barracuda (RJ) - Uruguá-Tambaú (SP) - Jubarte (ES) - Espadarte M 3 (RJ) + 89 milhões m3/d - Lagosta (ES) - P. Conchas (ES) - Marlim Sul M2 (RJ) 134 140 - Jabuti (RJ) Prod. Nacional: - Marlim Leste (RJ) 121 121 + 49 milhões m3/d 120 114 - Manati (BA) - Espadarte M2 (RJ) Import. GNL: 100 - Roncador P-52(RJ) 96 73 - Roncador P-54 (RJ) + 31 milhões m3/d - Piranema (SE) 64 71 80 - Golfinho M2 (ES) 64 46 Import. Bolívia: 64 60 50,8 50 + 7 milhões m3/d 46 50 50 50 31 40 24,7 20 20 20 20 23 20 23 26,1 30 30 30 30 30 0 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 (+ 5 MM) (+ 46 MM) (+ 18 MM) (+ 7 MM) (+ 0) (+ 13 MM) Bolívia GNL Nacional
  • 13. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Expansão da Malha de Transporte até de 2008 a 2010: + 3.017 Km 2010: = 9.228 Km Gasfor Urucu - Coari Açu/Serra do Mel Nordestão Coari - Manaus Pilar-Ipojuca (nov/09) GASALP Itaporanga-Pilar Atalaia-Itaporanga GASEB Catu-Itaporanga (jul/08) Cacimbas-Catu (mar/10) Cacimbas-Vitoria Lagoa Parda-Vitoria - Gasvit Cabiúnas-Vitória Gasduc III (jul/09) Gasduc I e II Gasbol Japeri-Reduc (mar/09) Gasbel II (out/09) Campinas-Rio Gastau (ago/10) Paulínia – Jacutinga (jul/09) GASPAL II (nov/09) Em licenciamento GASAN II (nov/09) Em construção GASPAL I Existentes GASAN I Gasbol - Ampl. T. Sul (out/10)
  • 14. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Oferta e Demanda – Flexibilidade de Suprimento para atendimento à demanda termelétrica milhões m3/d @ 9.400 kcal/m3 demanda média oferta média 134 134 140 Regas3 GNL = 31,1 MM m3/d Regas2 120 43 ,9 Regas1 100 30 ,0 80 63 ,7 60,3 63,7 50,8 48 ,0 60,3 1,1 60 19 ,6 19,2 40 16,1 18 ,1 15,7 30,1 30,1 14 ,8 72 ,9 10,9 5,5 20 0,9 1,7 1,9 42 ,1 30,2 32,5 27 ,2 25 ,9 28,8 0,5 12,5 0 9,4 1998 2000 2007 2008 2008 2012 2008 2008 2012 (1º SEM) (1º SEM) Industrial Termelétrico Outros usos (1) E&P Bolívia GNL (1) Outros usos: Consumo das refinarias e plantas de fertilizantes somados aos consumos dos segmentos veicular, comercial e residencial.
  • 15. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Terminal de GNL de Pecém – 7 MMm3/d milhões m3/d @ 9.400 kcal/m3 demanda média oferta média 140 134 134 PECÉM 120 43 ,9 Ago/2008 7,0 100 30 ,0 80 63 ,7 60,3 63,7 50,8 48 ,0 60,3 1,1 60 19 ,6 19,2 40 16,1 18 ,1 15,7 30,1 30,1 14 ,8 72 ,9 10,9 5,5 20 0,9 1,7 1,9 42 ,1 30,2 32,5 27 ,2 25 ,9 28,8 0,5 12,5 0 9,4 1998 2000 2007 2008 2008 2012 2008 2008 2012 (1º Tri) (1º SEM) (1º Tri) (1º SEM) Industrial Termelétrico Outros usos (1) E&P Bolívia GNL (1) Outros usos: Consumo das refinarias e plantas de fertilizantes somados aos consumos dos segmentos veicular, comercial e residencial.
  • 16. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Projeto do Terminal Flexível de GNL de Pecém Gasfor Aspectos de Urucu - Coari Açu/Serra do Mel Localização: ão Nordestão Coari - Manaus Pilar-Ipojuca (nov/09) • Píer ocioso GASALP Itaporanga-Pilar (custo e prazo) Atalaia-Itaporanga • Custo evitado GASEB Catu-Itaporanga (jul/08) em gasodutos Cacimbas-Catu (mar/10) Cacimbas-Vitoria Lagoa Parda-Vitoria - Gasvit Cabiúnas-Vitória Características Gasduc III (jul/09) • 7 MM m3/d Gasduc I e II Gasbol Japeri-Reduc (mar/09) • Testes em ago/08 Gasbel II (out/09) • Operação Campinas-Rio Comercial em set/08 Gastau (ago/10) Paulínia – Jacutinga (jul/09) GASPAL II (nov/09) GASAN II (nov/09) GASPAL I GASAN I Gasbol - Ampl. T. Sul (out/10)
  • 17. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Projeto do Terminal Flexível de GNL de Pecém Aspectos de Localização: ão • Píer ocioso (custo e prazo) • Custo evitado em gasodutos Características • 7 MM m3/d • Testes em ago/08 • Operação Comercial em set/08 Fonte: Petrobras
  • 18. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Projeto do Terminal Flexível de GNL de Pecém Aspectos de Localização: ão • Píer ocioso (custo e prazo) • Custo evitado em gasodutos Características • 7 MM m3/d • Testes em ago/08 • Operação Comercial em set/08 Fonte: Petrobras 8 Braços de carregamento - 26/06/08
  • 19. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Navio de Armazenamento e Regaseificação Golar Spirit Características: Extensão: 289m Calado Aéreo (altura da antena até linha d’água): 58,8m Calado: 12,5m Capacidade de vaporização: 7 MMm³/dia Capacidade de armazenamento: 129.000 m³ (11 dias) Fonte: Petrobras
  • 20. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Terminal de GNL da Baía de Guanabara – 14 MMm3/d milhões m3/d @ 9.400 kcal/m3 demanda média oferta média BAÍA DE 140 134 134 GUANABARA 120 Out/2008 14,0 43 ,9 100 30 ,0 80 63 ,7 60,3 63,7 50,8 48 ,0 60,3 1,1 60 19 ,6 19,2 40 16,1 18 ,1 15,7 30,1 30,1 14 ,8 72 ,9 10,9 5,5 20 0,9 1,7 1,9 42 ,1 30,2 32,5 27 ,2 25 ,9 28,8 0,5 12,5 0 9,4 1998 2000 2007 2008 2008 2012 2008 2008 2012 (1º Tri) (1º Tri) Industrial Termelétrico Outros usos (1) E&P Bolívia GNL (1) Outros usos: Consumo das refinarias e plantas de fertilizantes somados aos consumos dos segmentos veicular, comercial e residencial.
  • 21. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Projeto do Terminal de GNL da Baia de Guanabara Navio de GNL Navio Regaseificador Píer
  • 22. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Projeto do Terminal de GNL da Baia de Guanabara Gasfor Aspectos Urucu - Coari Açu/Serra do Mel Técnicos: Nordestão Coari - Manaus Pilar-Ipojuca (nov/09) • Logística GASALP favorável; Itaporanga-Pilar • Forte Atalaia-Itaporanga GASEB concentração de Catu-Itaporanga (jul/08) demanda. Cacimbas-Catu (mar/10) Cacimbas-Vitoria Lagoa Parda-Vitoria - Gasvit Cabiúnas-Vitória Gasduc III (jul/09) Características Gasduc I e II Gasbol Japeri-Reduc (mar/09) Capacidade: Gasbel II (out/09) 20 MM m3/d Campinas-Rio Situação Atual: Gastau (ago/10) Construção e Paulínia – Jacutinga (jul/09) Montagem. GASPAL II (nov/09) Conclusão em GASAN II (nov/09) out/08. GASPAL I GASAN I Gasbol - Ampl. T. Sul (out/10)
  • 23. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Projeto do Terminal de GNL da Baia de Guanabara Aspectos Técnicos: • Logística favorável; • Forte concentração de demanda. Características Capacidade: 20 MM m3/d Situação Atual: Construção e Montagem. Conclusão em out/08. 30/07/2008 – Construção e montagem
  • 24. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Projeto do Terminal de GNL da Baia de Guanabara Aspectos Técnicos: • Logística favorável; • Forte concentração de demanda. Características Capacidade: 20 MM m3/d Situação Atual: Construção e Montagem. Conclusão em out/08. 11/08/2008 – Construção e montagem
  • 25. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Navio de Armazenamento e Regaseificação Golar Winter Características: Capacidade de vaporização: 14 MMm³/dia Capacidade de armazenamento: 138.000 m³ (7 dias) Início da Conversão: out/08 Primeiro Gás: abr/09 11/Jun/2008
  • 26. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Contratação das Cargas de GNL Contratos Não-Vinculantes: Petrobras assinou 10 Nigerian LNG (abr/07) – Nigéria; Master Sales Sonatrach (maio/07) – Argélia; Agreements (MSA) – Não Total (out/07) – França; Vinculantes, que tratam Suez (nov/07) – França–Bélgica; das condições Marubeni (nov/07) – Japão; gerais de compra, e 3 Endesa (jan/08) – Espanha; contratos de Mitsui (fev/08) – Japão; fornecimento firme de BG Group (mai/08) – Reino Unido; carga - Vinculantes: Shell (mai/08) – Holanda; Mitsubshi (jul/08) - Japão A previsão de entrega das cargas, considerando o período de carregamento, percurso e desembaraço, é de 2 meses; 11/Jun/2008
  • 27. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul 3º Terminal – Locais em estudo Vila do conde Itaqui Suape Madre de Deus Barra do Riacho. Tubarão Ubu Sepetiba São Sebastião Paranaguá São Francisco do Sul Imbituba Tramandaí Rio Grande
  • 28. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Estratégia da Petrobras no Negócio GNL
  • 29. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Estratégias da Petrobras na Área de Gás e Energia • Atuar no negócio de GNL, de forma verticalizada e integrada, priorizando o atendimento do mercado do Cone Sul. • Desenvolver e consolidar o negócio de gás natural no mercado brasileiro, assegurando flexibilidade e confiabilidade ao suprimento. • Consolidar o negócio de energia elétrica, de forma rentável, otimizando o portfólio de termelétricas. • Atuar na integração energética da América do Sul. • Explorar as oportunidades de geração de energia elétrica, a partir de biomassa, derivados e gás natural. • Promover o domínio de tecnologias necessárias a toda a cadeia de gás natural (produção, transporte, distribuição, processamento e uso final)
  • 30. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Direcionadores do Negócio Desenvolver atuação em mercados com arbitragem de preços. Atuar no negócio de GNL, de forma verticalizada e integrada, priorizando o atendimento do mercado do Cone Sul. Atuar de forma integrada com as Buscar oportunidades nas demais atividades de demais etapas da cadeia. comercialização de gás natural.
  • 31. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Integração GNL e Setor Elétrico: Desenvolver atuação em mercados com arbitragem de Complementaridade Hidrotérmica preços. • Complementaridade período seco x período de menor demanda de GNL no mercado internacional Nível dos Reservatórios & Nymex Henry Hub Meses para Henry Hub - Preço mar-09 mar-11 mar-10 Nível de armazenamento dos reservatórios (SE/CO) - % mar-08 mai-09 mai-11 nov-08 mai-08 mai-10 nov-09 nov-10 mar-07 nov-07 mai-07 set-08 set-09 jan-09 set-10 jan-11 jan-10 set-07 jan-08 jan-07 jul-08 jul-09 jul-10 jul-11 jul-07 NYMEX Henry Hub Futuro - US$/MMBTu 100 12 90 10 80 70 8 60 50 6 40 4 30 Nível de armazenamento (SE/CO) 20 2 10 NYMEX HH Futuro 0 0 mar-06 mai-06 nov-05 jan-06 set-05 mar-05 mar-02 mar-03 mar-04 mai-05 nov-04 mai-02 mai-03 mai-04 nov-02 nov-03 jul-06 set-04 jul-05 set-02 set-03 jan-05 jan-02 jan-03 jan-04 jul-02 jul-03 jul-04 Meses para níveis de armazenamento
  • 32. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Desenvolver atuação em Atuar de forma integrada com as Demanda Flexível: Valor da Opção mercados com arbitragem de atividades de comercialização de preços. gás natural. • Nova Modalidade Contratual: Firme Flexível Possibilidade de substituição do combustível fornecido • Geração Termelétrica Antecipada Armazenamento de gás natural em forma de água nos reservatórios hidrelétricos • Conversão de Usinas Termelétricas para operação bi- combustível Operação com gás natural ou óleo diesel
  • 33. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Novas Modalidades Contratuais Firme Inflexível Firme Flexível 45.000 40.000 Interruptível 35.000 Preferencial 30.000 Spot (em 25.000 mil m /d 3 desenvolvimento) 20.000 15.000 10.000 5.000 0 Abril Dezembro Dezembro Abril Março Maio Novembro Novembro Fevereiro Março Agosto Agosto Janeiro Setembro Setembro Fevereiro Maio Janeiro Julho Outubro Outubro Junho Julho Junho 2007 2008 Firme Inflexível Flexível Interruptível Previsto Realizado CONTRATOS
  • 34. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Energia Gerada pelas UTEs da Petrobras - jun/08 Titulação da Energia Gerada Total: 2173,1 MWmed 285,0 119,5 13% 5% 184,9 9% 1.584,4 73% Mérito Inflex. Segurança Antecip. Export.
  • 35. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Participação na Cadeia de Negócio Buscar oportunidades nas demais etapas da cadeia. Exploração e Terminal Tanque Mercado Produção Liquefação Terminal Transporte de de de Marítimo Armazenagem Embarque Recebimento Gasodutos Sistema de Regaseificação coleta do gás Posição Posição desejada atual
  • 36. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Desafio Principal: Ajustar-se ao futuro... seja ele qual for DEMANDA • Modelagem da previsão de chuvas x mudanças climáticas. • Expansão da capacidade de geração hidrelétrica x restrições ambientais OFERTA • Preços futuros de petróleo x preços do GNL • Nível de globalização e arbitragem entre Regiões (Bacia do Atlântico x Pacífico) • Expansão da produção de gás no Brasil (Pré-sal)
  • 37. Energia e Mercado de Carbono no Cone Sul Obrigado! Mário Jorge da Silva mariojs@petrobras.com.br

×