Aparecida Moreira - comunidade virtual de aprendizagem

1,447 views

Published on

Published in: Education, Technology
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,447
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aparecida Moreira - comunidade virtual de aprendizagem

  1. 1. A construção de uma comunidade de aprendizagem online como extensão da sala de aula: uma experiência no Ensino Fundamental Maria Aparecida Moreira
  2. 2. Investigar o processo de construção de uma comunidade de aprendizagem online (CAO) entre professor e alunos
  3. 3. <ul><li>Motivar os alunos para o estudo através do uso da tecnologia e de ferramentas tecnológicas às quais estão familiarizados </li></ul><ul><li>Promover nos alunos o desenvolvimento da autonomia para estudar (exigência dos novos tempos) </li></ul><ul><li>Necessidade de ampliar suas horas de estudo </li></ul>
  4. 4. Quatro turmas de alunos do 8º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública da cidade do Rio de Janeiro  
  5. 5. <ul><li>Pesquisa com os participantes mostrou que: </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>apenas um aluno não tem computador em casa </li></ul><ul><li>as atividades mais populares no uso do computador foram a navegação na internet (89 alunos) e ‘jogar games’ (21) </li></ul><ul><li>Entre os sites mais acessados estão: </li></ul><ul><li>as redes sociais (55) </li></ul><ul><li>a ferramenta de chats MSN (54) </li></ul><ul><li>o site de vídeos Youtube (27) </li></ul><ul><li>sites de downloads (20) </li></ul><ul><li>maio 2010 </li></ul>
  6. 6. <ul><li>compartilhamento do objetivo de avançar continuamente o conhecimento e habilidades coletivas </li></ul><ul><li>ênfase no processo de aprender como aprender </li></ul><ul><li>diversidade de expertise entre os membros </li></ul><ul><li>utilização de mecanismos para compartilhar a aprendizagem entre seus membros </li></ul>
  7. 7. <ul><li>oferecer conteúdo interessante e de alto nível; </li></ul><ul><li>não escrever longos textos para ser lidos na tela; </li></ul><ul><li>oferecer opções para impressão dos textos; </li></ul><ul><li>evitar linguagem acadêmica; usar um estilo mais conversacional; </li></ul><ul><li>inserir referências ou links para outros sites ou recursos; </li></ul><ul><li>fazer uso cuidadoso de ilustrações e animações (sem exageros); </li></ul><ul><li>apresentar formas claras de navegação; </li></ul><ul><li>oferecer ao aluno uma experiência mais rica do que simplesmente a leitura de textos na tela. </li></ul>
  8. 8. DO PRESENCIAL AO VIRTUAL:MUDANÇAS DE PARADIGMAS <ul><li>Mudanças necessárias para uma aprendizagem centrada no aluno (Weimer, 2002, apud Palloff & Pratt,2007 ): </li></ul><ul><li>No papel do professor e na relação de poder entre professor e aluno </li></ul><ul><li>Na responsabilidade pela aprendizagem: autonomia e colaboração por parte do aprendiz </li></ul><ul><li>No conteúdo: incluir atividades que incentivem no aluno o processo de construção do conhecimento </li></ul><ul><li>Nos processos de avaliação </li></ul>FOCO NO APRENDIZ
  9. 9. O APRENDIZ VIRTUAL <ul><li>Pré-requisitos para se tornar um aluno virtual: </li></ul><ul><li>Ter o equipamento necessário / bom acesso a internet </li></ul><ul><li>Estabelecer seus próprios objetivos </li></ul><ul><li>Estar disposto a colaborar e interagir com os demais membros </li></ul><ul><li>Disposição para escrever / participar dos fóruns </li></ul><ul><li>Autonomia </li></ul><ul><li>Disciplina </li></ul>
  10. 10. O PAPEL DO PROFESSOR VIRTUAL <ul><li>Organizador do processo do aprendizado </li></ul><ul><li>Guia e facilitador do aprendizado </li></ul><ul><li>Incentivador da formação da comunidade </li></ul><ul><li>Tutor das tarefas online </li></ul><ul><li>Mediador das interações </li></ul>
  11. 11. O conteúdo <ul><li>Segundo Silva (2008), o conteúdo online deve : </li></ul><ul><li>levar em conta o público a que se destina, os objetivos que se pretende alcançar e as estratégias para alcançá-los </li></ul><ul><li>incluir mídias e recursos variados de modo a atingir os diferentes estilos de aprendizagem </li></ul><ul><li>incluir atividades interativas que estimulem a construção colaborativa do conhecimento </li></ul>
  12. 12. CORPUS http://aparecidanet.ning.com
  13. 14. <ul><li>Mídias variadas: vídeos, áudio, imagens </li></ul><ul><li>Atividades para imprimir </li></ul><ul><li>Atividades para realizar online </li></ul><ul><li>Oportunidades de socialização </li></ul><ul><li>Ferramentas de construção colaborativa </li></ul><ul><li>Conteúdo relacionado ao curso presencial </li></ul>
  14. 17. Exemplos de atividades online (Hot Potatoes)
  15. 23. Exemplos de páginas pessoais dos alunos dentro da rede
  16. 33. Referências : CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede. Paz e Terra. 2008. CAVALCANTI, M & NEPUMUCENO, C. O conhecimento em rede. Campus. 2006 EGBERT, J. e PETRIE, G.M. CALL research perspectives. ESL and applied linguistics professional series. Nova Jersey: Lawrence Erlbaum, 2005. HOLMES, B. e GARDNER, J. E-learning; concepts and practice. London, SAGE.2006. KERN,R., WARE,P. & WARSCHAUER,M. Network-based Language Teaching. In N. Van Deusen-Scholl and N. H. Hornberger , Encyclopedia of Language and Education. Springer Science+Business Media LLC. 2008 LAMY, M. & HAMPEL, R. Online communication in language learning and teaching. Nova York: Palgrave, 2007 LEVY, P. Cibercultura. Editora 34: São Paulo. 1999. PALLOF, R & PRATT, K. Building Online Learning Communities. Jossey-Bass. 2007. PREECE, Jennifer. Online communities: designing usability, supporting sociability. Chichester, UK. John Wiley & Sons, 2000.
  17. 34. Referências : PRENSKY, M. Teaching Digital Natives: Partnering for Real Learning. Corwin. 2010 RHEINGOLD, H. Virtual Communities. 1993. Disponível em http://www.rheingold.com/vc/book/ SILVA, A. Aprendizagem e Comunidades de Prática. Uversidade Aberta, Portugal. 2008. Disponível em http://www.bocc.ubi.pt/_esp/autor.php?codautor=799 TAPSCOTT, D. Grown up digital. 2008. TAVARES, K. Comunidades onlie: discutindo possíveis definições. 2007. TAVARES, K. Novas tecnologias, novas linguagens: formando comunidades de aprendizagem para o ensino de linguas. 2003. THORNE, S.L. & PAYNE, J.S. Evolutionary trajectories, Internet-mediated expression, and language education, CALICO Journal 22(3), 371–397. 2005 THORNE, K. Blended Learning: How to integrate online and traditional learning

×