Informativo licenciatura uninorte_#2

1,837
-1

Published on

Segunda edição do informativo da Escola de Licenciaturas, do Centro Universitário do Norte (UniNorte).

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,837
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Informativo licenciatura uninorte_#2

  1. 1. BOLETIM O r g a n i z a ç ã o INFORMATIVO ESCOLA DAS LICENCIATURASCARREIRAA Avaliação da AprendizagemInstituto Paulo MontenegroAdaptado da entrevista concedi- ra característica, vem a segunda: prova de uma determinada unidadeda ao Jornalista Paulo Camargo. os exames são pontuais, o que de ensino e obtém uma nota 2,0www.luckesi.com.br significa que não interessa o que (dois), nós professores lhe aconse- estava acontecendo com o edu- lhamos estudar um pouco mais eUm ponto que se ressalta em cando antes da prova, nem inte- submeter-se a uma nova prova.suas palestras é a diferença ressa o que poderá acontecer Então, o aluno faz isso e, nestaentre “examinação” e depois. Só interessa o aqui e ago- segunda oportunidade, obtém nota“avaliação”. Como podemos ra. Tanto é assim que se um alu- 10,0 (dez). Qual será a nota finaldefinir essa diferença. no, num dia de prova, após entre- dele? Certamente será 6,0 (seis),Infelizmente, tenho que dizer gar a sua prova respondida ao que é a média entre o dois inicial e ANO I , Edição 2que genericamente falando, ou professor, der-se conta de que o dez posterior. Mas, por que não Junho/2012seja, sem mencionar esta ou não respondeu adequadamente a 10,0 (dez), se foi essa a qualidadeaquela escola, este ou aquele questão 3, por exemplo, e solicitar que ele manifestou na segundaprofessor, a escola hoje ainda ao mesmo a possibilidade de oportunidade? Antes, ele não sabi-não avalia a aprendizagem do refazê-la, nenhum dos nossos a, porém, agora, sabe. Não atribuí- Interesses especiais:educando, mas sim o examina, professores, hoje atuantes em mos o dez a ele, devido ao fato de • A Avaliação da Aprendizagemou seja, denominamos nossa nossas escolas, permitirá que isso ter obtido dois antes. Esse dois era por Cipriano Luckesiprática de avaliação, mas, de seja feito; mesmo que o aluno definitivo, de tal forma que não nosfato, o que praticamos são exa- nem tenha ainda saído da sala de possibilitou atribuir-lhe o dez, ape- • I Torneio de Futsal da Escolames. Historicamente, mudamos aula. Os exames são cortantes, na sar de ter manifestado essa quali- das Licenciaturaso nome, porém não modificamos medida em que só vale o aqui e o dade plenamente satisfatória em agora, nem o antes nem o depois. • Inclusão Social através dasa prática. Portanto, vivenciamos sua aprendizagem. Práticas Desportivasalguma coisa equívoca: leva o Em terceiro lugar, os exames são Em conseqüência dessa terceiranome, mas não realiza a prática. classificatórios, ou seja, eles clas- característica emerge a quarta. Os • O que é interdisciplinaridade?Para compreender esse ponto sificam os educandos em aprova- exames são seletivos ou excluden- • Projeto Atividades Integradorasde vista, basta verificarmos as dos ou reprovados, ou coisa se- tes. Porque classificatórios, oscaracterísticas básicas, de um melhante, estabelecendo uma exames excluem uma grande parte • Dicas de estudo e aprendizagemlado, do ato de examinar e, de escala classificatória com notas dos educandos. Muitos ficam deoutro, do ato de avaliar. que vão de zero a dez. São classi- fora. A pirâmide educacional brasi-Iniciemos pelos exames escola- ficações definitivas sobre a vida leira é perversa; o aproveitamentores. Em primeiro lugar, eles ope- do educando. Elas são registradas de nossos educandos é estatistica- Nesta edição:ram com desempenho final. Ao em cadernetas e documentos mente muito baixa. Evidentementeprocesso de exame não interes- escolares, “para sempre”. As mé- que para essa perda estão com- dias obtidas a partir de duas ou prometidos fatores tais como a “A Avaliação da Aprendi- 1sa como o respondente chegou zagem” por Luckesia essa resposta, importa somen- mais notas revelam isso. Por e- distribuição de renda no país, nos-te a resposta. xemplo, quando um aluno tem um sas políticas públicas e as determi- desempenho insatisfatório na nações socioculturais. I Torneio Interno de Futsal 2Em conseqüência dessa primei- da Escola das LicenciaturasESCOLA DAS LICENCIATURAS A prática desportiva como 2I Tor nei o I nter no de Futsal da Escol a das Licenci atur as - TI FEL fator de Inclusão Social na EscolaNúcleo de Comunicação do os cursos. As inscrições ocorreram nas coor-Projeto Qualidade de Ensino denações dos cursos, tendo como O projeto foi uma iniciativa dorealiza o I TIFEL participantes desse primeiro Tor- Núcleo de Comunicação do Interdisciplinaridade 3 neio os cursos de Geografia, Histó-O I Torneio de Futsal da Escola Projeto Qualidade de Ensino ria, Química, Pedagogia, Matemáti-das Licenciaturas aconteceu nos (PQE) da Escola das Licenciatu- ca e Educação Física, perfazendodias 18 e 25 de Maio na unidade ras. um total de 14 equipes inscritas. Projeto Atividades Integra- 3XIII do Uninorte/Laureate envol- O Torneio foi organizado pelos dorasvendo acadêmicos e professores professores do PQE Dra. Miner-da Escola das Licenciaturas. va Amorim e Esp. Odivaldo de Cultura: O que é Pixurum? 3O objetivo do torneio de futsal foi Souza Marques também profes-integrar os cursos da Escola das sores do curso de EducaçãoLicenciaturas como forma de Física e teve arbitragem dosdivulgar a prática desportiva, professores Agnelo Rocha e Dicas de estudo e aprendi- 4 Leia mais na página 2.mas também de promover o Rogério Marchioretto. zagemlazer e a confraternização entre
  2. 2. Página 2 BOLETIM INFORMATIVO ESCOLA DAS LICENCIATURASEDUCAÇÃO E INCLUSÃO SOCIALI Torneio Interno de Futsal da Escola dasLicencia turas - TIFELOs organizadores do I Torneio Interno deFutsal (TIFEL) da Escola das Licenciaturas,Dra. Minerva Amorim e Esp. Odivaldo deSouza Marques, professores do cursos deEducação Física do Uninorte, iniciaram nosemestre 2012/1 o que esperamos, se torneuma tradição na Escola das Licenciaturas: aintegração dos cursos da Escola através daprática desportiva.O TIFEL foi uma iniciativa do Núcleo de Co-municação ligado ao Projeto Qualidade deEnsino (PQE) que visa desenvolver açõesefetivas para a melhoria da qualidade deensino na Escola das Licenciaturas do Unin-orte/Laureate através dos Núcleos de Refor-ma Pedagógica, de Atividades Integradoras ede Comunicação. Física I, com a vitória da equipe de EducaçãoDessa primeira edição participaram os cursos Física I.de História, Geografia, Pedagogia, Química, “ A prática desportiva promove aMatemática e Educação Física. No segundo jogo, enfrentaram-se as equipes integração, o lazer e a solidariedade dos cursos de Química e Educação Física II, com a equipe de Educação Física II se con- entre os acadêmicos”Os Jogos sagrando vitoriosa nesta partida. Profa. Minerva Amorim O futsal feminino marcou presença com a participação de duas equipes de Educação cação Física I e Educação Física II que termi-No dia 18 de Maio, às 9:00h, na Unidade XIII Física e uma do curso de Pedagogia. Consa- naram o tempo regulamentar de jogo empata-do Uninorte/Laureate tivemos a abertura do grou-se campeã, honrando o nome das mu- das. O jogo foi decidido através da disputa deTorneio de Futsal e a realização da 1a. Fase, lheres desportistas, a equipe “As Femini- pênaltis, com a equipe de Educação Física IIa classificatória, com a participação de todas nas” (ver foto abaixo) do curso de Educação vencendo a partida com um gol de diferença.as equipes inscritas. A composição das cha- Física. Para a próxima edição, os organizado- As atividades foram finalizadas com a entregapas para a competição foi decidida através de res esperam incentivar a participação femini- de medalhas a todos os participantes quesorteio das equipes. na, não só como torcedoras, mas como parti- chegaram à 2a, fase e de troféus às equipesNo dia 25 de Maio (sexta-feira) a partir das cipantes. vencedoras.20:00h foram realizados os jogos referentes à O quarto jogo da noite foi a disputa entre as Os organizadores, profa. Minerva Amorim e2a. Fase, a final do I Torneio Interno de Fut- equipes de Química (3o. lugar) e História (4o. prof. Odivaldo Marques já apontam para a 2a.sal da Escola das Licenciaturas. lugar). edição do TIFEL, no segundo semestre eO primeiro jogo da noite foi realizado entre as prometem ampla divulgação do evento.equipes dos cursos de Geografia e Educação A final foi realizada entre as equipes de Edu-A prática despor tiva como fa torde inclusão social na educaçãoO conceito de esporte-educação ou es- performance e como busca por resulta-porte educacional surge a partir da Carta do. Está fundamentado em valores comoInternacional da Educação Física, elabo- co-educação, emancipação, participaçãorada pela Unesco, que renovou os con- e cooperação. Os princípios do esporteceitos do esporte em função da reação educacional são: totalidade, co-mundial pelo uso político do esporte educação, emancipação, cooperação,durante a Guerra Fria. participação e regionalismo.Desenvolvido nos sistemas de educação “É uma irresponsabilidade pedagógicaformal e não-formal de maneira desinsti- trabalhar o esporte na escola que temtucionalizada (não segue padrões das por conseqüências provocar vivências defederações internacionais das modalida- sucesso para uma minoria e vivências dedes esportivas), adaptando regras, estru- insucesso ou de fracasso para a maiori-tura, espaços, materiais e gestos moto- a.” (Eleonor Kunz).res de acordo com as condições sociaise pessoais, o esporte educacional procu- Adaptado de www.infojovem.org.brra transcender a visão do esporte como
  3. 3. ANO I , Edição 2 Página 3CARREIRAInterdisciplinaridade: compreendendo o conceito. Para Paulo Freire (1987), a interdisciplinari-Adaptado da Revista Brasileira de Educação dade é o processo metodológico de constru-vol.13 no.39 Rio de Janeiro Set./Dez. 2008 ção do conhecimento pelo sujeito com baseA Interdisciplinaridade surgiu como respos- em sua relação com o contexto, com a reali-ta à fragmentação e especialização do co- dade, com sua cultura. Busca-se a expres-nhecimento na Modernidade. Vale conhecer são dessa interdisciplinaridade pela caracte- rização de dois movimentos dialéticos: amelhor o conceito. problematização da situação, pela qual se desvela a realidade, e a sistematização dos conhecimentos de forma integrada.A interdisciplinaridade, como um enfoque teóri-co-metodológico ou gnosiológico, como a de-nomina Gadotti (2004), surge na segunda De todo modo, o professor precisa tornar-semetade do século passado, em resposta a um profissional com visão integrada da reali-uma necessidade verificada principalmente dade, compreender que um entendimentonos campos das ciências humanas e da edu- mais profundo de sua área de formação nãocação: superar a fragmentação e o caráter de é suficiente para dar conta de todo o proces-especialização do conhecimento, causados so de ensino. Ele precisa apropriar-se tam-por uma epistemologia de tendência positivista bém das múltiplas relações conceituais queem cujas raízes estão o empirismo, o naturalis- sua área de formação estabelece com asmo e o mecanicismo científico do início da outras ciências.modernidade.Projeto Atividades Integradoras: “Realizando um Puxirum acadêmico”Atividades Integradoras são um programa aprendizagem. Seu norteamento são os obje- çar objetivos comuns e satisfação de todos.articulador de um conjunto de ações didático tivos e metas do Plano de Desenvolvimento-metodológicas visando garantir a qualidade Institucional (PDI) do Uninorte/Laureate nano ensino por meio da unidade estabelecida implementação da “promoção e integraçãoentre as ações pedagógicas e as matrizes das diferentes áreas de conhecimento nocurriculares dos cursos. A professora Alde- desenvolvimento dos cursos de graduação”,cir Mesquita, membro do PQE, nos escrevesobre a proposta: bem como da “promoção e integração entre os membros do colegiado do curso visando a“ A implementação das atividades integrado- unidade de trabalho, a partir da identificaçãoras no mês de maio em todos os cursos da de objetivos comuns”, além do “incentivo aoEscola de licenciaturas pôs em prática o trabalho interdisciplinar” e da “melhoria dodesenvolvimento do planejamento institucio- processo de avaliação escolar”.nal de qualidade no ensino, conferindo um A motivação, além da consubstanciação “O Puxirum pedagógico enseja aprocesso estratégico de integração das matri- científica pertinente a todos os cursos, tam-zes dos cursos de Licenciaturas articuladas realização da construção simbólica bém recebe a inspiração regional do milenarem objetivos comuns e materializadas no puxirum amazônico em seu caráter agregador da farinhada no desenvolvimentodesenvolvimento programático de cada pro- de pertencimento existencial ao que se estáfessor em seu processo de ensino/ da formação acadêmica” produzindo, no qual todos agem para alcan-CULTURAPuxirum Amazônico Outro fator importante a ser destacado a respeito do saber-fazerO termo Puxirum é um termo da língua indígena Nheengatu que designa farinha é a possibilidade de produção final diversificada, oferecendomutirão, cooperação e união de pessoas para planejar e realizar ações. vários tipos farinha: amarela, farinha d’água, farinha de tapioca,Expressa a reunião de esforços em prol de um objetivo comum. farinha ova etc. Realizando uma analogia, as atividades integrado- ras unificam várias áreas de conhecimento articulando objetivosO exemplo de expressão máxima do Puxirum é a “Farinhada”. comuns e gerando uma identidade entre as matrizes curricularesConta a tradição indígena e cabocla, que a “Farinhada” reúne as comuni- das Licenciaturas, ao mesmo tempo em que produzem resultadosdades tradicionais e caboclas num ritual do saber-fazer a manipulação da diferenciados conforme a especificidade de cada curso envolvido.mandioca (raiz do caule da Maniva) para produzir farinha (além de muitos Portanto, o Puxirum pedagógico enseja a realização da construçãodos seus derivados: tucupi, bejus, farinha de tapioca etc.) - elemento culi-nário essencial aos povos amazônicos. Em cujo processo se observa um simbólica da farinhada no desenvolvimento da formação acadêmicaprimor de organização e solidariedade, por meio do trabalho coletivo, no como meio de reproduzir relações sociais de aprendizagem, dequal intercalam trabalho, cânticos e brincadeiras, imprimindo ao fazer pertencimento ao espaço de ensino/aprendizagem e produção pro-essencial uma produção prazerosa entre os partícipes. E por ser realizada fissional, no encaminhamento integrado da qualidade no ensino,por todos os elementos humanos da comunidade efetiva uma aprendiza- articulando a motivação milenar aos anseios pertinentes ao presentegem fundamental para a sobrevivência da mesma. e ao futuro dos cidadãos brasileiros.
  4. 4. Conheça a Escola das Licenciaturas A Escola das Licenciaturas tem como objetivo a formação para o exercício da docência em nível fundamental, médio e superior. Possui cursos específicos para a formação de licenciados em Geografia, História, Biologia, Computação, Química, Matemá- tica, Letras Língua Inglesa e Letras Língua Portuguesa. Todos os cursos são reconhecidos pelo MEC e oferecem certifi- cação reconhecida em todo o país.Dicas de estudo e aprendizagem TIRA-DÚVIDAS Profa. Adriana AntonySelecionar trechos do texto para estudarfacilita o acesso às informações. sentido sozinhos. Como a construçãoMas como eleger essas informações? sintática nem sempre é linear deve-se buscar a relação entre as partes grifadas.O que é sublinhar Procedimento de Se a ligação não é evidente deve-se fa-leitura que consiste em grifar (marcar, zer anotações laterais para explicá-la.sublinhar) um número reduzido de pas-sagens do texto com o objetivo de res- Falta de critério Nem todos os pará-saltar as informações que melhor sinteti- grafos apresentam informações que pre-zam seu conteúdo. cisam ser ressaltadas. Antes de sair sub- linhando, é importante ler o materialComo trabalhar Além de ser uma es- todo para ter uma noção geral do assun-tratégia de estudo por si só, eleger as to.informações principais em um textomuitas vezes é a primeira fase para estu- Omissão de dados relevantes Procuredar utilizando outros procedimentos, não ignorar informações importantes.como elaborar resumos e esquemas. Para corrigir essa falha, anote o que con-Sublinhar pressupõe saber selecionar e siderou essencial sobre o tema Veja sesuprimir informações. O leitor deve res- todos os dados relevantes aparecem.saltar os dados essenciais para a compre-ensão do texto e omitir os secundários Informações descontextualizadas Fo-ou irrelevantes. (...) Um procedimento ram marcados dados soltos somenteinteressante é anotar nas laterais do tex- porque são difíceis de entender ou lem-to, apontando idéias relacionadas ao que brar. Faça anotações para contextualizarfoi grifado. Dessa forma, fica mais fácil INFORMES ou explicar o termo.estudar o conteúdo depois. Realização da 3a. AREIdentificação do assunto Deve ser i- Adaptado da revista Nova Escola (Provão)dentificado, no título, o trecho que evi- www.revistaescola.abril.com.brdencia o tema tratado pelo texto. Na No próximo dia 25/06 A Escola das Li-hora de grifar, termos acessórios como cenciaturas realizará a 3a. ARE.adjetivos, podem ser deixados de lado, ENTRE EM CONTATO... Não esqueça que o prazo máximo parapois não interferem na compreensão. Opiniões, dúvidas ou sugestões ? Entre em solicitação de segunda chamada, peloConceitos repetidos e exemplos também contato conosco do Programa Qualidade de Ensino da Escola das Licenciaturas (PQE) calendário acadêmico é dia 28/06 e paranão são essenciais. a realização da segunda chamada, diaTrechos longos Marcar parágrafos intei- ESCOLA DAS LICENCIATURAS 04/07.ros dificulta a recuperação das idéias Rua Huáscar de Figueiredo, n. 1730 Finalizamos o período, desejando boasprincipais na hora de estudar. Telefone: 3212—5067 férias a todos. Diretora: Maria Izolda BarretoPalavras isoladas Às vezes, são selecio- Edição: Helenice Ricardonados termos que parecem não fazer E-mail: helenice.ricardo@uninorte.com.br

×