Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Informativo licenciatura uninorte_#2

2,030 views

Published on

Segunda edição do informativo da Escola de Licenciaturas, do Centro Universitário do Norte (UniNorte).

  • Be the first to comment

Informativo licenciatura uninorte_#2

  1. 1. BOLETIM O r g a n i z a ç ã o INFORMATIVO ESCOLA DAS LICENCIATURASCARREIRAA Avaliação da AprendizagemInstituto Paulo MontenegroAdaptado da entrevista concedi- ra característica, vem a segunda: prova de uma determinada unidadeda ao Jornalista Paulo Camargo. os exames são pontuais, o que de ensino e obtém uma nota 2,0www.luckesi.com.br significa que não interessa o que (dois), nós professores lhe aconse- estava acontecendo com o edu- lhamos estudar um pouco mais eUm ponto que se ressalta em cando antes da prova, nem inte- submeter-se a uma nova prova.suas palestras é a diferença ressa o que poderá acontecer Então, o aluno faz isso e, nestaentre “examinação” e depois. Só interessa o aqui e ago- segunda oportunidade, obtém nota“avaliação”. Como podemos ra. Tanto é assim que se um alu- 10,0 (dez). Qual será a nota finaldefinir essa diferença. no, num dia de prova, após entre- dele? Certamente será 6,0 (seis),Infelizmente, tenho que dizer gar a sua prova respondida ao que é a média entre o dois inicial e ANO I , Edição 2que genericamente falando, ou professor, der-se conta de que o dez posterior. Mas, por que não Junho/2012seja, sem mencionar esta ou não respondeu adequadamente a 10,0 (dez), se foi essa a qualidadeaquela escola, este ou aquele questão 3, por exemplo, e solicitar que ele manifestou na segundaprofessor, a escola hoje ainda ao mesmo a possibilidade de oportunidade? Antes, ele não sabi-não avalia a aprendizagem do refazê-la, nenhum dos nossos a, porém, agora, sabe. Não atribuí- Interesses especiais:educando, mas sim o examina, professores, hoje atuantes em mos o dez a ele, devido ao fato de • A Avaliação da Aprendizagemou seja, denominamos nossa nossas escolas, permitirá que isso ter obtido dois antes. Esse dois era por Cipriano Luckesiprática de avaliação, mas, de seja feito; mesmo que o aluno definitivo, de tal forma que não nosfato, o que praticamos são exa- nem tenha ainda saído da sala de possibilitou atribuir-lhe o dez, ape- • I Torneio de Futsal da Escolames. Historicamente, mudamos aula. Os exames são cortantes, na sar de ter manifestado essa quali- das Licenciaturaso nome, porém não modificamos medida em que só vale o aqui e o dade plenamente satisfatória em agora, nem o antes nem o depois. • Inclusão Social através dasa prática. Portanto, vivenciamos sua aprendizagem. Práticas Desportivasalguma coisa equívoca: leva o Em terceiro lugar, os exames são Em conseqüência dessa terceiranome, mas não realiza a prática. classificatórios, ou seja, eles clas- característica emerge a quarta. Os • O que é interdisciplinaridade?Para compreender esse ponto sificam os educandos em aprova- exames são seletivos ou excluden- • Projeto Atividades Integradorasde vista, basta verificarmos as dos ou reprovados, ou coisa se- tes. Porque classificatórios, oscaracterísticas básicas, de um melhante, estabelecendo uma exames excluem uma grande parte • Dicas de estudo e aprendizagemlado, do ato de examinar e, de escala classificatória com notas dos educandos. Muitos ficam deoutro, do ato de avaliar. que vão de zero a dez. São classi- fora. A pirâmide educacional brasi-Iniciemos pelos exames escola- ficações definitivas sobre a vida leira é perversa; o aproveitamentores. Em primeiro lugar, eles ope- do educando. Elas são registradas de nossos educandos é estatistica- Nesta edição:ram com desempenho final. Ao em cadernetas e documentos mente muito baixa. Evidentementeprocesso de exame não interes- escolares, “para sempre”. As mé- que para essa perda estão com- dias obtidas a partir de duas ou prometidos fatores tais como a “A Avaliação da Aprendi- 1sa como o respondente chegou zagem” por Luckesia essa resposta, importa somen- mais notas revelam isso. Por e- distribuição de renda no país, nos-te a resposta. xemplo, quando um aluno tem um sas políticas públicas e as determi- desempenho insatisfatório na nações socioculturais. I Torneio Interno de Futsal 2Em conseqüência dessa primei- da Escola das LicenciaturasESCOLA DAS LICENCIATURAS A prática desportiva como 2I Tor nei o I nter no de Futsal da Escol a das Licenci atur as - TI FEL fator de Inclusão Social na EscolaNúcleo de Comunicação do os cursos. As inscrições ocorreram nas coor-Projeto Qualidade de Ensino denações dos cursos, tendo como O projeto foi uma iniciativa dorealiza o I TIFEL participantes desse primeiro Tor- Núcleo de Comunicação do Interdisciplinaridade 3 neio os cursos de Geografia, Histó-O I Torneio de Futsal da Escola Projeto Qualidade de Ensino ria, Química, Pedagogia, Matemáti-das Licenciaturas aconteceu nos (PQE) da Escola das Licenciatu- ca e Educação Física, perfazendodias 18 e 25 de Maio na unidade ras. um total de 14 equipes inscritas. Projeto Atividades Integra- 3XIII do Uninorte/Laureate envol- O Torneio foi organizado pelos dorasvendo acadêmicos e professores professores do PQE Dra. Miner-da Escola das Licenciaturas. va Amorim e Esp. Odivaldo de Cultura: O que é Pixurum? 3O objetivo do torneio de futsal foi Souza Marques também profes-integrar os cursos da Escola das sores do curso de EducaçãoLicenciaturas como forma de Física e teve arbitragem dosdivulgar a prática desportiva, professores Agnelo Rocha e Dicas de estudo e aprendi- 4 Leia mais na página 2.mas também de promover o Rogério Marchioretto. zagemlazer e a confraternização entre
  2. 2. Página 2 BOLETIM INFORMATIVO ESCOLA DAS LICENCIATURASEDUCAÇÃO E INCLUSÃO SOCIALI Torneio Interno de Futsal da Escola dasLicencia turas - TIFELOs organizadores do I Torneio Interno deFutsal (TIFEL) da Escola das Licenciaturas,Dra. Minerva Amorim e Esp. Odivaldo deSouza Marques, professores do cursos deEducação Física do Uninorte, iniciaram nosemestre 2012/1 o que esperamos, se torneuma tradição na Escola das Licenciaturas: aintegração dos cursos da Escola através daprática desportiva.O TIFEL foi uma iniciativa do Núcleo de Co-municação ligado ao Projeto Qualidade deEnsino (PQE) que visa desenvolver açõesefetivas para a melhoria da qualidade deensino na Escola das Licenciaturas do Unin-orte/Laureate através dos Núcleos de Refor-ma Pedagógica, de Atividades Integradoras ede Comunicação. Física I, com a vitória da equipe de EducaçãoDessa primeira edição participaram os cursos Física I.de História, Geografia, Pedagogia, Química, “ A prática desportiva promove aMatemática e Educação Física. No segundo jogo, enfrentaram-se as equipes integração, o lazer e a solidariedade dos cursos de Química e Educação Física II, com a equipe de Educação Física II se con- entre os acadêmicos”Os Jogos sagrando vitoriosa nesta partida. Profa. Minerva Amorim O futsal feminino marcou presença com a participação de duas equipes de Educação cação Física I e Educação Física II que termi-No dia 18 de Maio, às 9:00h, na Unidade XIII Física e uma do curso de Pedagogia. Consa- naram o tempo regulamentar de jogo empata-do Uninorte/Laureate tivemos a abertura do grou-se campeã, honrando o nome das mu- das. O jogo foi decidido através da disputa deTorneio de Futsal e a realização da 1a. Fase, lheres desportistas, a equipe “As Femini- pênaltis, com a equipe de Educação Física IIa classificatória, com a participação de todas nas” (ver foto abaixo) do curso de Educação vencendo a partida com um gol de diferença.as equipes inscritas. A composição das cha- Física. Para a próxima edição, os organizado- As atividades foram finalizadas com a entregapas para a competição foi decidida através de res esperam incentivar a participação femini- de medalhas a todos os participantes quesorteio das equipes. na, não só como torcedoras, mas como parti- chegaram à 2a, fase e de troféus às equipesNo dia 25 de Maio (sexta-feira) a partir das cipantes. vencedoras.20:00h foram realizados os jogos referentes à O quarto jogo da noite foi a disputa entre as Os organizadores, profa. Minerva Amorim e2a. Fase, a final do I Torneio Interno de Fut- equipes de Química (3o. lugar) e História (4o. prof. Odivaldo Marques já apontam para a 2a.sal da Escola das Licenciaturas. lugar). edição do TIFEL, no segundo semestre eO primeiro jogo da noite foi realizado entre as prometem ampla divulgação do evento.equipes dos cursos de Geografia e Educação A final foi realizada entre as equipes de Edu-A prática despor tiva como fa torde inclusão social na educaçãoO conceito de esporte-educação ou es- performance e como busca por resulta-porte educacional surge a partir da Carta do. Está fundamentado em valores comoInternacional da Educação Física, elabo- co-educação, emancipação, participaçãorada pela Unesco, que renovou os con- e cooperação. Os princípios do esporteceitos do esporte em função da reação educacional são: totalidade, co-mundial pelo uso político do esporte educação, emancipação, cooperação,durante a Guerra Fria. participação e regionalismo.Desenvolvido nos sistemas de educação “É uma irresponsabilidade pedagógicaformal e não-formal de maneira desinsti- trabalhar o esporte na escola que temtucionalizada (não segue padrões das por conseqüências provocar vivências defederações internacionais das modalida- sucesso para uma minoria e vivências dedes esportivas), adaptando regras, estru- insucesso ou de fracasso para a maiori-tura, espaços, materiais e gestos moto- a.” (Eleonor Kunz).res de acordo com as condições sociaise pessoais, o esporte educacional procu- Adaptado de www.infojovem.org.brra transcender a visão do esporte como
  3. 3. ANO I , Edição 2 Página 3CARREIRAInterdisciplinaridade: compreendendo o conceito. Para Paulo Freire (1987), a interdisciplinari-Adaptado da Revista Brasileira de Educação dade é o processo metodológico de constru-vol.13 no.39 Rio de Janeiro Set./Dez. 2008 ção do conhecimento pelo sujeito com baseA Interdisciplinaridade surgiu como respos- em sua relação com o contexto, com a reali-ta à fragmentação e especialização do co- dade, com sua cultura. Busca-se a expres-nhecimento na Modernidade. Vale conhecer são dessa interdisciplinaridade pela caracte- rização de dois movimentos dialéticos: amelhor o conceito. problematização da situação, pela qual se desvela a realidade, e a sistematização dos conhecimentos de forma integrada.A interdisciplinaridade, como um enfoque teóri-co-metodológico ou gnosiológico, como a de-nomina Gadotti (2004), surge na segunda De todo modo, o professor precisa tornar-semetade do século passado, em resposta a um profissional com visão integrada da reali-uma necessidade verificada principalmente dade, compreender que um entendimentonos campos das ciências humanas e da edu- mais profundo de sua área de formação nãocação: superar a fragmentação e o caráter de é suficiente para dar conta de todo o proces-especialização do conhecimento, causados so de ensino. Ele precisa apropriar-se tam-por uma epistemologia de tendência positivista bém das múltiplas relações conceituais queem cujas raízes estão o empirismo, o naturalis- sua área de formação estabelece com asmo e o mecanicismo científico do início da outras ciências.modernidade.Projeto Atividades Integradoras: “Realizando um Puxirum acadêmico”Atividades Integradoras são um programa aprendizagem. Seu norteamento são os obje- çar objetivos comuns e satisfação de todos.articulador de um conjunto de ações didático tivos e metas do Plano de Desenvolvimento-metodológicas visando garantir a qualidade Institucional (PDI) do Uninorte/Laureate nano ensino por meio da unidade estabelecida implementação da “promoção e integraçãoentre as ações pedagógicas e as matrizes das diferentes áreas de conhecimento nocurriculares dos cursos. A professora Alde- desenvolvimento dos cursos de graduação”,cir Mesquita, membro do PQE, nos escrevesobre a proposta: bem como da “promoção e integração entre os membros do colegiado do curso visando a“ A implementação das atividades integrado- unidade de trabalho, a partir da identificaçãoras no mês de maio em todos os cursos da de objetivos comuns”, além do “incentivo aoEscola de licenciaturas pôs em prática o trabalho interdisciplinar” e da “melhoria dodesenvolvimento do planejamento institucio- processo de avaliação escolar”.nal de qualidade no ensino, conferindo um A motivação, além da consubstanciação “O Puxirum pedagógico enseja aprocesso estratégico de integração das matri- científica pertinente a todos os cursos, tam-zes dos cursos de Licenciaturas articuladas realização da construção simbólica bém recebe a inspiração regional do milenarem objetivos comuns e materializadas no puxirum amazônico em seu caráter agregador da farinhada no desenvolvimentodesenvolvimento programático de cada pro- de pertencimento existencial ao que se estáfessor em seu processo de ensino/ da formação acadêmica” produzindo, no qual todos agem para alcan-CULTURAPuxirum Amazônico Outro fator importante a ser destacado a respeito do saber-fazerO termo Puxirum é um termo da língua indígena Nheengatu que designa farinha é a possibilidade de produção final diversificada, oferecendomutirão, cooperação e união de pessoas para planejar e realizar ações. vários tipos farinha: amarela, farinha d’água, farinha de tapioca,Expressa a reunião de esforços em prol de um objetivo comum. farinha ova etc. Realizando uma analogia, as atividades integrado- ras unificam várias áreas de conhecimento articulando objetivosO exemplo de expressão máxima do Puxirum é a “Farinhada”. comuns e gerando uma identidade entre as matrizes curricularesConta a tradição indígena e cabocla, que a “Farinhada” reúne as comuni- das Licenciaturas, ao mesmo tempo em que produzem resultadosdades tradicionais e caboclas num ritual do saber-fazer a manipulação da diferenciados conforme a especificidade de cada curso envolvido.mandioca (raiz do caule da Maniva) para produzir farinha (além de muitos Portanto, o Puxirum pedagógico enseja a realização da construçãodos seus derivados: tucupi, bejus, farinha de tapioca etc.) - elemento culi-nário essencial aos povos amazônicos. Em cujo processo se observa um simbólica da farinhada no desenvolvimento da formação acadêmicaprimor de organização e solidariedade, por meio do trabalho coletivo, no como meio de reproduzir relações sociais de aprendizagem, dequal intercalam trabalho, cânticos e brincadeiras, imprimindo ao fazer pertencimento ao espaço de ensino/aprendizagem e produção pro-essencial uma produção prazerosa entre os partícipes. E por ser realizada fissional, no encaminhamento integrado da qualidade no ensino,por todos os elementos humanos da comunidade efetiva uma aprendiza- articulando a motivação milenar aos anseios pertinentes ao presentegem fundamental para a sobrevivência da mesma. e ao futuro dos cidadãos brasileiros.
  4. 4. Conheça a Escola das Licenciaturas A Escola das Licenciaturas tem como objetivo a formação para o exercício da docência em nível fundamental, médio e superior. Possui cursos específicos para a formação de licenciados em Geografia, História, Biologia, Computação, Química, Matemá- tica, Letras Língua Inglesa e Letras Língua Portuguesa. Todos os cursos são reconhecidos pelo MEC e oferecem certifi- cação reconhecida em todo o país.Dicas de estudo e aprendizagem TIRA-DÚVIDAS Profa. Adriana AntonySelecionar trechos do texto para estudarfacilita o acesso às informações. sentido sozinhos. Como a construçãoMas como eleger essas informações? sintática nem sempre é linear deve-se buscar a relação entre as partes grifadas.O que é sublinhar Procedimento de Se a ligação não é evidente deve-se fa-leitura que consiste em grifar (marcar, zer anotações laterais para explicá-la.sublinhar) um número reduzido de pas-sagens do texto com o objetivo de res- Falta de critério Nem todos os pará-saltar as informações que melhor sinteti- grafos apresentam informações que pre-zam seu conteúdo. cisam ser ressaltadas. Antes de sair sub- linhando, é importante ler o materialComo trabalhar Além de ser uma es- todo para ter uma noção geral do assun-tratégia de estudo por si só, eleger as to.informações principais em um textomuitas vezes é a primeira fase para estu- Omissão de dados relevantes Procuredar utilizando outros procedimentos, não ignorar informações importantes.como elaborar resumos e esquemas. Para corrigir essa falha, anote o que con-Sublinhar pressupõe saber selecionar e siderou essencial sobre o tema Veja sesuprimir informações. O leitor deve res- todos os dados relevantes aparecem.saltar os dados essenciais para a compre-ensão do texto e omitir os secundários Informações descontextualizadas Fo-ou irrelevantes. (...) Um procedimento ram marcados dados soltos somenteinteressante é anotar nas laterais do tex- porque são difíceis de entender ou lem-to, apontando idéias relacionadas ao que brar. Faça anotações para contextualizarfoi grifado. Dessa forma, fica mais fácil INFORMES ou explicar o termo.estudar o conteúdo depois. Realização da 3a. AREIdentificação do assunto Deve ser i- Adaptado da revista Nova Escola (Provão)dentificado, no título, o trecho que evi- www.revistaescola.abril.com.brdencia o tema tratado pelo texto. Na No próximo dia 25/06 A Escola das Li-hora de grifar, termos acessórios como cenciaturas realizará a 3a. ARE.adjetivos, podem ser deixados de lado, ENTRE EM CONTATO... Não esqueça que o prazo máximo parapois não interferem na compreensão. Opiniões, dúvidas ou sugestões ? Entre em solicitação de segunda chamada, peloConceitos repetidos e exemplos também contato conosco do Programa Qualidade de Ensino da Escola das Licenciaturas (PQE) calendário acadêmico é dia 28/06 e paranão são essenciais. a realização da segunda chamada, diaTrechos longos Marcar parágrafos intei- ESCOLA DAS LICENCIATURAS 04/07.ros dificulta a recuperação das idéias Rua Huáscar de Figueiredo, n. 1730 Finalizamos o período, desejando boasprincipais na hora de estudar. Telefone: 3212—5067 férias a todos. Diretora: Maria Izolda BarretoPalavras isoladas Às vezes, são selecio- Edição: Helenice Ricardonados termos que parecem não fazer E-mail: helenice.ricardo@uninorte.com.br

×