Your SlideShare is downloading. ×
×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Apresentação teleconferência resultados 3 t 1112

21
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
21
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Tereos Internacional Resultados do Terceiro Trimestre de 2011/12 São Paulo – 15 de fevereiro de 2012
  • 2. Destaques Trimestrais Resultados Financeiros do 3T 2011/12 Resultados por Segmento Operacional Fluxo de Caixa, Endividamento e CAPEX Perspectivas
  • 3. Destaques Trimestrais
  • 4.  Preços favoráveis de açúcar, amido e etanol conduziram a um crescimento de dois dígitos na receita e no EBITDA  Diversificação geográfica e de produtos proporcionando resiliência • Sólidos resultados nos segmentos do Oceano Índico e Etanol Europa • Menores vendas no Brasil em razão de volumes inferiores de moagem em 2011/12  Iniciativas estratégicas para reforçar as posições de liderança e impulsionar o crescimento futuro • Aquisição de participação de 75% em uma produtora francesa de amido de batata – unidade Haussimont • Aquisição, pela Guarani, da participação restante de 32,56% na subsidiária Andrade Açúcar e Álcool S.A. • Aumento de capital na subsidiária em Moçambique. A Guarani passa a deter 99% da participação acionária da Sena Holdings, no Oceano Índico 3T 2011/12 – Destaques Principais 4
  • 5. 3T 2011/12 – Destaques Financeiros 5  Forte desempenho da receita: R$ 1,8 bilhão… • Em base anual: aumento de 14,4%, conforme divulgado  …devido ao: • Aumento nos preços em base anual nas principais categorias de produtos, compensando os volumes menores de vendas  EBITDA Recorde: R$ 290 milhões • Em base anual: aumento de 36,6%, conforme divulgado  EBITDA Ajustado*: R$ 271 milhões • Aumento de 4,4% em base anual e de +2,7% em base trimestral  Lucro Líquido: R$75,7 milhões no 3T 11/12 e R$141,3 milhões no 9M 11/12 * EBITDA/EBIT Ajustado: EBITDA/EBIT excluindo itens de operações descontinuadas e o efeito contábil do ajuste a valor justo dos ativos biológicos e dos instrumentos financeiros
  • 6. Açúcar:  Preços ainda elevados, apesar da expectativa de melhores safras no hemisfério norte e menor exposição dos fundos especulativos  Baixa oferta no Brasil, sustentando os preços em níveis mais elevados Amido:  Forte pressão nos preços do milho (estoques próximos à mínima histórica) e queda nos preços do trigo (aumento na produção global)  Preços do milho e trigo na Europa novamente se movendo em paralelo  Demanda estável para indústria de alimentos, mas inferior para a indústria não-alimentícia Etanol:  Mudanças positivas para o comércio global: eliminação da tarifa de importação dos EUA e do subsídio de mistura  Disponibilidade limitada de etanol sustentando melhores preços no Brasil 3T 2011/12 – Fundamentos de Mercado 6 Fonte: Bloomberg
  • 7. Resultados Financeiros do 3T 2011/12
  • 8. 1591 (31) +5 +190 +65 1820 3T 2010/11 Brasil Oceano Índico Amido Europa Etanol Europa 3T 2011/12 3T 2011/12 – Receita Líquida Aumento na receita impulsionado pelos preços mais altos em todas as principais categorias de produtos  Faturamento recorde de R$ 1,8 bilhão, aumento de 14,4% em base anual  Receita do segmento cana-de-açúcar: R$ 829 milhões • 45,5% da receita total  Receita do segmento de cereais: R$ 991 milhões • 54,5% da receita total 8  Crescimento da receita impulsionado por: • Preços médios maiores em todas as principais categorias de produto • Valorização do Euro contra o Real • Maiores volumes de venda de etanol na Europa e de açúcar em Moçambique • Compensando a diminuição na produção de cana-de-açúcar no Brasil • Outras receitas impactadas principalmente pela Guarani, Ilha da Reunião e Syral +14.4% Receita Líquida (R$ MM) Receita Líquida (R$ MM) +14.4% 1591 1820 +100 (46) +259 (84) 3T 2010/11 Moeda Volume Preço e Mix Outros 3T 2011/12
  • 9. 260 (39) +22 +21 +14 (7) 271 3T 2010/11 Brasil Oceano Índico Amido Europa Etanol Europa Outros 3T 2011/12 3T 2011/12 – EBITDA Ajustado Impacto de menores volumes no Brasil compensado pelo aumento em nossas outras atividades 9  Cana-de-açúcar • Brasil: impactado negativamente pela queda na produção, que levou a uma redução nas vendas de açúcar e etanol, bem como pelo efeito de hedge (-R$ 25 MM no 3T 2011/12 contra +R$ 6 MM no 3T 2010/11) • Moçambique: maior volume de vendas e preços  Cereal • Amido Europa: maiores preços de venda e praticamente sem efeito de derivativos neste trimestre • Etanol Europa: maiores volumes e preços  Ajustes • Ativos biológicos (-R$ 20 MM) e instrumentos financeiros (+R$ 1 MM) no 3T 11/12 +4,4 % Margem 14,9% EBITDA Ajustado (R$ MM) Margem 16,3%
  • 10. Resultados por Segmento Operacional
  • 11. Cana-de-açúcar Brasil – Oceano Índico
  • 12. 81 51 84 106 90 3T 10/11 4T 10/11 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 164 165 140 99 131 3T 10/11 4T 10/11 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 424 233 305 374 375 3T 10/11 4T 10/11 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 4,0 5,8 7,8 2,6 3T 10/11 4T 10/11 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 Vendas de Etanol (‘000 m³) Vendas de Energia (‘000 MWh) Processamento de Cana-de-Açúcar (MM t) Vendas de Açúcar (‘000 t) 12  Processamento de cana-de-açúcar: 16,3 milhões de toneladas em 2011/12 • Rendimento agrícola: 66,7 t/ha em 2011/12 (abaixo do anunciado, devido à seca na última safra, assim como à geada e ao florescimento durante esta safra)  Mix de produção: 62% açúcar e 38% etanol na safra 2011/12  Estoques: • Açúcar: 361.000 toneladas (-8,8% em base anual) • Etanol: 219.000 m³ (-9,1% em base anual)  Colheita mecanizada: 88% da cana-de-açúcar própria processada em 2011/12 -35,3% YoY -11,6% YoY -20,5% YoY +11,1% YoY Cana-de-açúcar Brasil – Produção e Vendas Baixo volume de moagem devido a fatores climáticos
  • 13. 624 593 +63 (47) +30 (34) (43) 3T 2010/11 Preço e Mix Volume Preço e Mix Volume Outros * 3T 2011/12 Cana-de-açúcar Brasil – 3T Financeiro Preços mais elevados para o açúcar e etanol compensaram parcialmente os volumes menores * inclui Cogeração, Produtos Agrícolas e Hedge Números Chave Em R$ milhões 3T 2011/12 3T 2010/11 Variação Receita 593 624 -5,0% Lucro Bruto 118 163 -27,7% Margem Bruta 19,9% 26,1% EBITDA 129 85 +51,4% Margem EBITDA 21,7% 13,6% EBITDA Ajustado 112 151 -25,9% Margem EBITDA Ajustado 18.9% 24.2%  Lucro Bruto: R$ 118 milhões • Queda de 27,7% principalmente devido aos menores volumes  EBITDA Ajustado: R$ 112 milhões • Valor justo dos ativos biológicos + R$ 17,3 milhões no 3T 2011/12 vs. -R$ 8,0 milhões no 3T 2010/11  Margem EBITDA Ajustado1 incluindo amortização dos tratos culturais seria de 23,8%  Açúcar: 66,8% da receita total • Volumes caíram 11,6% para 375.000 toneladas • Preço do açúcar aumentou 12,3% para R$ 1.056/ton  Etanol: 27,5% da receita total • Volume vendido foi reduzido em 20,5% para 131.000 m3 • Preços médios de R$ 1.250/m3  Cogeração: receita de energia permanece estável em R$ 10,2 milhões 13 (1) A Tereos Internacional aloca despesas com tratos culturais como custo. Se os tratos culturais fossem alocados como investimento, o EBITDA Ajustado seria de R$ 141 milhões. Receita (R$ MM) -5.0% Açúcar Etanol
  • 14. 289 17 65 315 275 3T 10/11 4T 10/11 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 874 989 898 3T 10/11 4T 10/11 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 Moçambique  Processamento de cana-de-açúcar: 699.000 tons • Aumento de 14,4 ton/ha no rendimento agrícola em base anual, devido ao programa de irrigação e plantio  Receita: R$ 38 milhões • 54% maior vs. 3T 2010/11 devido ao maior volume de vendas e preços melhores  EBITDA Ajustado: R$ 21,2 milhões • Aumento de R$ 8,4 milhões vs. 3T 2010/11 • Aumento de 390 bps na margem EBITDA Ajustado Ilha da Reunião  Processamento de cana-de-açúcar: 1,9 milhão de toneladas em 2011/12 • Safra estável comparada a 2010/11  Receita: R$ 198 milhões • Menor em R$ 8 milhões vs. 3T 2010/11 devido ao atraso na entrega de produto  EBITDA Ajustado: R$ 45,0 milhões • vs. R$ 31,2 milhões no 3T 2010/11 Cana-de-açúcar Oceano Índico – Produção e 3T Financeiro Melhora nos resultados e na eficiência Números Chave Em R$ milhões 3T 2011/12 3T 2010/11 Variação Receita 236 231 +2,2% Lucro Bruto 55 78 +30,0% Margem Bruta 23,3% 34,0% EBITDA 69 45 +52,4% Margem EBITDA 29,1% 19,5% EBITDA Ajustado 66 44 +50,4% Margem EBITDA Ajustado 28,1% 19,1% 14 Ilha da Reunião Processamento de Cana-de-Açúcar (’000 t) Moçambique Processamento de Cana-de-Açúcar (‘000 t) +2,7% YoY -4,8% YoY
  • 15. Cereais Amido Europa - Etanol Europa
  • 16. 253 258 262 262 242 39 61 68 59 66 3T 10/11 4T 10/11 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 SYRAL BENP/DVO 42 44 43 48 44 3T 10/11 4T 10/11 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 398 409 440 424 392 3T 10/11 4T 10/11 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 696 696 739 720 678 3T 10/11 4T 10/11 1T 11/12 2T 11/12 3T 11/12 Amido Europa – Produção e Vendas Volumes de amido estáveis; aumento nos volumes de etanol e co-produtos  Processamento de cereais: 678.000 toneladas - 2,6% vs. 3T 2010/11 • Baixo volume de vendas de amido e adoçantes devido ao enfraquecimento da demanda da indústria cíclica de papel e papelão ondulado  Volume de vendas • Amido e Adoçantes: volumes estáveis para a indústria alimentícia, enquanto a demanda dos clientes industriais esteve abaixo dos níveis históricos • Álcool e Etanol: melhores níveis de produção e utilização da capacidade • Co-produtos: elevado volume de vendas de co-produtos devido aos maiores volumes na unidade BENP16 Processamento de Cereais (‘000 t) Vendas de Amidos e Adoçantes (‘000 t) Vendas de Etanol e Álcool (‘000 m³) Venda de co-produtos (‘000 t) -2,6% YoY -1,5% YoY +4,8% YoY +5,5% YoY
  • 17. 579 753 +63 (9) +120 3T 2010/11 Moeda Volume Preço e Mix 3T 2011/12 Amido Europa – 3T Financeiro Resultados sólidos impulsionados por preços mais altos para amido e adoçantes e aumento no volume de vendas de co-produtos e etanol Amido e Adoçantes 64,9% Álcool e Etanol 10,5% Co-produtos e outros 24,6% Números Chave Em R$ milhões 3T 2011/12 3T 2010/11 Variação Receita* 753 579 +30,1% Lucro Bruto* 157 120 +30,8% Margem Bruta* 20,8% 20,7% EBITDA 71 67 +5,1% Margem EBITDA 9,4% 11,6% EBITDA Ajustado 70 49 +43,0% Margem EBITDA Ajustado 9,3% 8,5% * Exclui o impacto financeiro de R$ 29,7 milhões no 3T 2011/12 e de R$ 14,0 milhões no 3T 2010/11 das vendas de co-produtos produzidos pela Tereos BENP e vendidos pela Tereos Syral 17 Receita* (R$ MM) +30,1% Receita* - Abertura por Moeda  Receita*: +30,1% • Devido aos altos preços e volumes de vendas de co-produtos e etanol • Impacto cambial: +10,8%; impacto no volume: -1,5%; e impacto no preço: +20,8%  Lucro Bruto*: R$ 157 milhões, margem bruta de 20,8%  EBITDA Ajustado: R$ 70 milhões, aumento de R$ 21 milhões • Melhoria na margem em base anual para 9,3%
  • 18. 158 238 +16 +68 (4) 3T 2010/11 Moeda Volume Preço e Mix 3T 2011/12 Etanol Europa – 3T Financeiro Maiores volumes de venda de etanol próprio e de trading Números Chave Em R$ milhões 3T 2011/12 3T 2010/11 Variação Receita* 238 158 +51,2% Lucro Bruto* 28 17 +64,7% Margem Bruta* 11,8% 10,8% EBITDA 26 12 +126,0% Margem EBITDA 11,0% 7,3% EBITDA Ajustado 26 12 +128,3% Margem EBITDA Ajustado 11,1% 7,4%  Vendas de etanol**: 143.100 m³ • Maiores volumes de venda, incluindo trading, devido à excelente safra de beterraba para o Grupo Tereos  Receita*: R$ 238 milhões, +51,2% • Impacto de câmbio: +10,1% • Maiores volumes: +43,0% • Queda nos preços: -2,5%  Aumento na produção resultante de melhor utilização da capacidade instalada  Lucro bruto de R$ 28 milhões, margem bruta de 11,8%  Melhora na margem EBITDA Ajustado em 370 bps, em base anual ** Inclui vendas de etanol produzido pela Tereos 18 Receita* (R$ MM) +51,2% * Inclui o impacto financeiro de R$ 29,7 milhões no 3T 2011/12 e de R$ 14,0 milhões no 3T 2010/11 das vendas de co-produtos produzidos pela Tereos BENP e vendidos pela Tereos Syral
  • 19. Fluxo de Caixa, Endividamento e CAPEX
  • 20. 20 EBITDA Ajustado Ajustes EBITDA Depreciação e Amortização Lucros Operacionais Despesas Financeiras Líquidas Lucro antes dos Impostos Impostos Equivalência Patrimonial Lucro Líquido Participações Não Controladoras Aos Acionistas da Controladora + 19 Valor justo dos ativos biológicos: + R$ 20 MM Valor justo dos instrumentos financeiros: - R$ 1 MM 271 290 - 157 133 83 - 50 - 18 +11 - 17 59 76 Do EBITDA Ajustado ao Lucro Líquido
  • 21. Fluxo de Caixa Em R$ milhões 3T 2011/12 EBITDA Ajustado 271 Variação do Capital de Giro (17) Outros operacionais (incluindo imposto pago) 19 Fluxo de Caixa Operacional 273 Juros (53) Dividendos pagos e recebidos (0) Capex (364) Outros 14 Fluxo de Caixa Livre (130) Impacto Cambial 33 Aquisição e impacto de perímetro (47) Variação da dívida líquida (144)  Principais Investimentos • Brasil: R$ 160,6 milhões • Cereais: R$ 149,8 milhões • Oceano Índico: R$ 9,0 milhões  Aquisição da Feculerie d’Haussimont por R$ 30,0 milhões Reconciliação do Fluxo de Caixa Aumento da dívida devido aos programas de CAPEX e aquisições 21
  • 22. Dívida Endividamento estável em 3,4x (Dívida Líquida/EBITDA Ajustado)  Dívida Líquida aumentou ligeiramente (+4,5% em base trimestral) • Programa de investimentos mais intenso e aquisições  Dívida Líquida / EBITDA Ajustado: 3,4x em linha com 3,3x em 30/09/2011 (EBITDA Ajustado de 12 meses = R$ 946 milhões) Dívida Bruta Abertura por moeda Alavancagem (R$ MM) (Dívida Líquida/ EBITDA Ajustado) Dívida Em R$ milhões 31/12/2011 30/09/2011 31/12/2010 Variação Em base anual Circulante 1 471 1 435 1 645 -10,6% Não circulante 2 399 2 138 1 268 89,2% Custos amortizados (30) (25) (15) - Total da Dívida Bruta 3 840 3 547 2 898 32,5% Em € 1 600 1 575 1 365 17,2% Em USD 1 676 1 671 573 192,5% Em R$ 524 258 909 -42,4% Outras moedas 70 69 66 6,1% Caixa e Equivalentes de Caixa (579) (429) (299) 93,6% Dívida Líquida Total 3 261 3 119 2 599 25,5% Partes Relacionadas (38) (35) (29) 31,0% Dívida Líquida Total + Partes Relacionadas 3 223 3 084 2 570 25,4% 22
  • 23. 118 +103 -2 +42 +58 319 3T 2010/11 Brasil Oceano Indico Amido Europa Etanol Europa 3T 2011/12 CAPEX por Segmento Operacional no 3T 2011/12 Programas de investimento em curso 23  Cana-de-açúcar Brasil: R$ 160,6 milhões • Plantio: R$ 32,4 milhões • Cogeração e indústria: R$ 94,0 milhões • Manutenção: R$ 34,4 milhões  Cana-de-açúcar Oceano Índico: R$ 9,0 milhões • Ilha da Reunião: R$ 4,2 milhões • Moçambique: R$ 4,8 milhões  Amido Europa: R$ 87,5 milhões • Aumento de 94,4% em relação ao 3T 2010/11 • Marckolsheim (aumento da capacidade de processamento de milho), Saragoça (cogeração), Selby (álcool potável)  Etanol Europa: R$ 62,3 milhões • Aquisição de equipamentos e instalações para o projeto de glúten em BENP Lillebonne (início em 2012) 170,8% CAPEX (R$ MM) R$ 62 MM 20%R$ 87 MM 27% R$ 161 MM 50% R$ 9 MM 3% CAPEX (R$ MM)
  • 24. Perspectivas
  • 25.  Cana-de-açúcar: foco nas operações, investindo em produção  Brasil: plano de investimento de R$800 milhões em andamento  Oceano Índico: continuidade dos programas de plantio e irrigação em Moçambique  Cereais: capitalizando em know-how de produção de amido através da entrada em economias emergentes  UE: melhoria no mix de produto • Lillebonne (glúten), Selby (álcool potável) e Haussimont (amido de batata): atividades que entrarão em operação no 1S 2012  Brasil e China: exposição a economias emergentes e em forte crescimento • Início de operação da unidade de milho da Syral-Halotek & diversificação do mix de produção • Um projeto para desenvolvimento de amido com a Wilmar na China Perspectivas da Companhia Posicionada para capturar crescimento através de um portfólio diversificado de produtos e ampla presença geográfica 25
  • 26. 26 Relações com Investidores Tel: +55 (11) 3544-4900 ri@tereosinternacional.com.br