Gb2013 marcelo schultz_petrobras
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Gb2013 marcelo schultz_petrobras

on

  • 309 views

 

Statistics

Views

Total Views
309
Views on SlideShare
309
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
8
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment
  • {}

Gb2013 marcelo schultz_petrobras Presentation Transcript

  • 1. O DESENVOLVIMENTO DA GALVANIZAÇÃO NO SEGMENTO ÓLEO & GÁS MARCELO SCHULTZ PETROBRAS –E&P-ENGP/OPM/EMI
  • 2. PETROBRAS Uma Empresa Integrada de Energia ■ Atua de maneira integrada na indústria de energia, nos segmentos de: ► Exploração e Produção de Óleo e Gás ► Refino, Transporte e Comercialização ► Distribuição de derivados ► Gás Natural ► Petroquímica ► Energia Elétrica ► Biocombustíveis
  • 3. PETROBRAS Panorama Geral ■ Composto por cerca de 300 subsidiárias, coligadas e controladas, que atuam no Brasil e no exterior ■ Reservas provadas no Brasil e exterior (Critério SPE): 16 bilhões de boe ■ Produção média diária - Brasil e exterior: 2,583 milhões de boe ■ Plataformas em produção: 132 ■ Refinarias: 15 ■ Produção média de derivados - Brasil e exterior: 2,052 milhões de bpd
  • 4. PETROBRAS Panorama Geral ■ Oferta total de gás natural ao mercado brasileiro: 62,4 milhões de m3/dia ■ Usinas termelétricas: 15 ■ Usina Eólica: 1 ■ Fábricas de fertilizantes: 2 ■ Postos de serviço: cerca de 8 mil ■ Usinas de biodiesel: três próprias e participação em duas unidades ■ Usinas de etanol: participação em 10 unidades
  • 5. PETROBRAS PRÉ-SAL, UM NOVO HORIZONTE ■ Descoberta de petróleo na camada Pré-Sal é uma das mais importantes da história recente da indústria de petróleo mundial ■ Pré-Sal: conjunto de rochas sedimentares ao longo da costa brasileira, abaixo de uma extensa camada de sal, a uma profundidade de até 7 mil metros ■ Óleo leve e de alta qualidade (baixa acidez e baixo teor de enxofre), ideal para produtos de alto valor agregado
  • 6. PETROBRAS PRÉ-SAL, UM NOVO HORIZONTE ■ Reservas estimadas entre 10,6 e 16 bilhões de barris de óleo recuperável (apenas Petrobras) ■ Geração de oportunidades de negócios e desenvolvimento da cadeia produtiva e da indústria de bens e serviços, principalmente no Brasil
  • 7. Exploração & Produção Panorama Geral ■ Reservas provadas no Brasil e exterior (Critério SPE) 16 bilhões de boe ► Óleo e condensado – 13,4 bilhões de barris ► Gás natural - 2,6 bilhões de boe ■ Produção média diária - Brasil e exterior 2,583 milhões de boe ■ Poços produtores (óleo e gás natural): 15.087 ■ Plataformas em produção: 132 ■ Sondas de perfuração: 100
  • 8. Produção Mantida PNG 2013-2017: CURVA DE PRODUÇÃO MANTIDA Metas de produção mantidas de acordo com o PNG 2012-2016. Meta para 2013 segue ±2% de 2.022 mbpd em função das manutenções e da performance dos novos ativos: UEP e sondas de perfuração Título da página  Lula Ext. Sul  NE de Tupi (P-68)  Piloto Sapinhoá  Lula Oeste (P-69) (Cid. São Paulo)  Lula Alto  Lula Central  Baúna (Cid. Itajaí) Sub-Título  Lula Sul (P-66)  Piloto Lula NE (Cid. Texto aqui  Franco 1 Paraty) (P-74) Milhões bpd  Roncador III (P-55) (P-62)  Norte Pq. (Cid.Ilhabela) Baleias (P-58)  Iracema Sul  Papa-Terra  Baleia Azul (P-61) 2,0  Iracema Norte  UEPs em operação 2012 (P-70)  Júpiter  Espadarte III  SE Águas Profundas  Sul Pq. Baleias  Maromba  Espadarte I  Carcará  Entorno de Iara (P-73)  Bonito  Florim (P-71)  Franco Leste 4,2  Franco NW (P-77)  Franco SW (P-75) (Cid. Itaguaí) (Cid. Mangaratiba) 2,5 2,0 ±2% 25 novas UEPs entrarão em operação no período 2013-17 ou 38 novas UEPs entrarão em operação no período 2013-20 Produção de óleo e LGN (milhões bpd) 2011  Iara Horst  Parque dos Doces (P-67) (Cid. Anchieta) 2,0  Tartaruga Verde e Mestiça  Lula Norte  Roncador IV  Sapinhoá Norte (P-76)  Carioca  Papa-Terra (P-63)  Franco Sul (P-72)  Iara NW 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020
  • 9. PROGRAMAS ESTRUTURANTES DO PNG 2013-2017 PNG 2013-2017 US$ 236,7 bilhões PROEF PROCOP PRC-Poço Programa de Aumento da Eficiência Operacional Programa de Otimização de Custos Operacionais Programa de Redução de Custos de Poços UO-BC | UO-RIO INFRALOG – Programa de Otimização de Infraestrutura Logística PRODESIN – Programa de Desinvestimentos Gestão de Conteúdo Local – Aproveitamento da capacidade da indústria para catalisar ganhos para a Petrobras PROCOP: Atua no OPEX, custos das atividades operacionais da companhia – Gastos Operacionais Gerenciáveis. PRC-Poço: Atua no CAPEX dedicado à Construção de Poços – Investimentos em Perfuração e Completação.
  • 10. INVESTIMENTOS PNG 2013-2017: APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA PETROBRAS EM 15/03/13 PERÍODO 2013-2017 Título US$ 236,7 bilhões da página Sub-Título Texto aqui 27,4% E&P (US$ 64,8 bi) 4,2% 62,3% (US$ 9,9 bi) (US$ 147,5 bi) 2,2% (US$ 5,1 bi) 1,1% (US$ 2,9 bi) 1,4% 1,0% 0,4% (US$ 3,2 bi) (US$ 2,3 bi) (US$ 1,0 bi) E&P Abastecimento G&E Internacional PBIO BR Distribuidora *Área Financeira, Estratégica e Corporativo-Serviços ETM Demais Áreas *
  • 11. CRESCENTE PARTICIPAÇÃO DO PRÉ-SAL NA CURVA DE PRODUÇÃO 2012 2,0 milhões bpd 2017 2,75 milhões bpd 7% 7% 35% Pós-sal 4,2 milhões bpd Novas Descobertas (*) Pré-sal (concessão) 93% 2020 Cessão Onerosa Pré-sal (concessão) 58% Pós-sal 19% 6% Cessão Onerosa 31% 44% Pós-sal Pré-sal (concessão) (*) Inclui novas oportunidades em blocos onde já existem descobertas
  • 12. CRESCIMENTO DA PRODUÇÃO NA PETROBRAS E NO MUNDO A Petrobras cresceu nove vezes mais rápido que o resto do mundo nas últimas três décadas e vai mais que dobrar sua produção atual na próxima década. • A Petrobras será responsável por 5% da produção mundial de petróleo • O pré-sal irá representar 50% da nossa produção mbbl/d mbbl/d Em 2020
  • 13. GALVANIZAÇÃO (Zn)
  • 14. GALVANIZAÇÃO Objetivo ■ Integridade Estrutural ■ Corrosão Atmosférica ■ Dificuldade de manutenção em função da distância da costa
  • 15. CORROSÃO Classificação ■ BS EN ISO 9223:2012 – Atmosfera Marinha
  • 16. GALVANIZAÇÃO Visão Geral ■ Uso extensivo do Aço-Carbono ■ Necessidade de proteção contra a corrosão ■ Pintura Convencional (Base Epóxi) ■ Possibilidade de revestimento à base de Zinco ■ Galvanização, Thermal Spray Zinc, Tintas Ricas em Zinco ■ Proteção barreira e galvânica ■ Galfan (Zn+5wt% Al) e Galvalume (Zn+55wt% Al+1.6wt% Si)
  • 17. GALVANIZAÇÃO Visão Eletroquímica ■ Diferença de Potencial Eletroquímico ■ Potencial eletroquímico do Zinco: ■ Potencial eletroquímico do AC (Fe): ■ ∆E = 0,32V Pintura Zinco: -0,76VEH Aço-Carbono: -0,44VEH EZn = -0,76VEH EFe = -0,44VEH
  • 18. GALVANIZAÇÃO Visão Eletroquímica Moderna ■ ■ ■ ■ Potencial Potencial Potencial Potencial eletroquímico eletroquímico eletroquímico eletroquímico do do do do ■ Liga ternária Zn-Al-Mg: Zinco: -0,76VEH Magnésio: Alumínio: Zinco: AC (Fe): EMg = -2,37VEH EAl = -1,66VEH EZn = -0,76VEH EFe = -0,44VEH Zn + 2wt.% Al + 2wt.% Mg Pintura Alumínio: -1,66VEH Aço-Carbono: -0,44VEH Magnésio: -2,37VEH
  • 19. GALVANIZAÇÃO Diretriz de Projeto da BR - E&P ■ DR-ENGP-1.1-R.7 - PIPING STANDARD AND MATERIAL FOR OIL PRODUCTION AND PROCESS FACILITIES ■ ASTM A 123 Standard Specification for Zinc (Hot-Dip Galvanized) Coatings on Iron and Steel Products ■ Pipes, connections and fittings shall be galvanized according ASTM A123, after fabrication of the pipe spool
  • 20. Casos de Sucesso PRODUTOS GALVANIZADOS PARA ONSHORE E OFFSHORE (ICZ) Leitos para cabos elétricos Defensas metálicas Postes de iluminação Guarda corpos Pisos metálicos Estruturas metálicas de suportação de tubulação (Pipe-Rack) Estruturas metálicas para acomodação e suporte a equipamentos Estruturas metálicas para galpões de armazenagem em geral “Spools” e “skids” (tubulações em geral)
  • 21. Casos de Sucesso
  • 22. Casos de Sucesso
  • 23. Desafio - REDUC
  • 24. Desafio – P-50
  • 25. Desafio – P-51
  • 26. PETROBRAS Corrosão na BR ■ E&P, Refino, Distribuição, G&E, Transporte ■ Petrobras  Cia Integrada – “ Do Poço ao Posto ! ” ■ Corrosão  Integrada – “ Do Poço ao Posto ! ”
  • 27. GALVANIZAÇÃO Perspectivas de Futuro ■ Ampliação do uso do aço galvanizado ■ Desenvolvimento de novas aplicações ■ Aplicações consagradas, porém mais resistentes ■ Novos projetos da indústria de Óleo & Gás ■ Novos cenários de outros segmentos industriais
  • 28. PETROBRAS Corrosão na BR ■ MITIGAR, MINIMIZAR, CONTROLAR ■ SOLUCIONAR ???  Há casos que não existe uma solução 100%  Solução < 100%  não serve ???  Solução desejada pelo cliente:  Prazo: Ontem  Durabilidade: até 2113  Desempenho: 110%  Custo: R$1,99
  • 29. PETROBRAS Corrosão ■ Existe solução ? - Sim, existe. - Todos os problemas estão resolvidos! ■ A solução é 100%? - Não! (pensamento: não funciona, não serve) - Utopia: pensar que qualquer solução será 100% ■ Corrosão  Solução? – Solução que permita: Mitigar, Controlar, Minimizar
  • 30. PETROBRAS Áreas de Interesse na Petrobras ■ ABASTECIMENTO (REFINARIAS) ■ GÁS E ENERGIA (TERMELÉTRICAS E FERTILIZANTES) ■ BIOCOMBUSTÍVEL (BIODISEL E ETANOL) ■ INTERNACIONAL (AB E E&P) ■ DISTRIBUIÇÃO (POSTOS) ■ ENERGIA RENOVÁVEL (EÓLICA E SOLAR)
  • 31. CONGRESSOS ■ ABRACO (COTEQ, INTECORR) ■ ABRAMAN ■ RIO PIPELINE (Rio de Janeiro), Brasil ■ OTC (BRASIL, EUA) ■ CORROSION (NACE), EUA ■ EUROCORR (EFC), Europa ■ IPC – International Pipeline Conference (Calgary), Canadá
  • 32. Corrosão no Planeta Terra O Walle, a Baratinha e o Extra-Terrestre
  • 33. Reflexão EDUCAÇÃO INOVAÇÃO Visão Schultz
  • 34. Reflexão DE QUEM É O DESAFIO FUTURO ? Visão Schultz
  • 35. Reflexão ÉN O! SS O
  • 36. OBRIGADO, FELICIDADES E SUCESSO !
  • 37. O DESENVOLVIMENTO DA GALVANIZAÇÃO NO SEGMENTO ÓLEO & GÁS MARCELO SCHULTZ PETROBRAS –E&P-ENGP/OPM/EMI