O Free da aviação

478 views

Published on

Published in: Technology, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
478
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
12
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O Free da aviação

  1. 1. MTA E-BusinessMTA E-Business O Free da Aviação - RyanairO Free da Aviação - Ryanair Prof.: Vasco MarquesProf.: Vasco Marques Bruno CardosoBruno Cardoso 3 de Novembro de 20103 de Novembro de 2010 IESFIESF MBA – GESTÃO EMPRESASMBA – GESTÃO EMPRESAS
  2. 2. A aviação low cost As companhias low cost (LCCs) aparecem nos EUA no final dos anos 70 e no final dos anos 80 na Europa devido à desregulação do espaço aéreo. Bem estabelecidas na Europa, constituindo um factor de desenvolvimento nas redes aéreas. Em 2004 existiam 28 LCCs na Europa, responsáveis por uma cota de mercado de cerca de 18% da oferta de lugares disponíveis Sector bastante dependente do cenário económico-social
  3. 3. Em 2006, a Ryanair e a EasyJet assumiam 60% da oferta das LCCs na Europa. Voos caracterizados pelo seu alcance curto ou médio (short e middle-haul), por uma distância mediana de 634 km ou 1:40 horas, sendo que 70% dos voos não atingem os 1000 quilómetros O âmbito geográfico destas empresas incide sobretudo na Europa Ocidental e mais recentemente na Europa Central e de Leste Neste momento já existem voos intercontinentais (exemplo: Air Asia entre Londres Kuala Lumpur)
  4. 4. Métodos de redução de custos no sector
  5. 5. Métodos de redução de custos no sector
  6. 6. A Ryanair
  7. 7. Fundada em 1985 pela família Ryan, começa a operar a rota Irlanda (Waterford) - Londres. Em 1986, por via do governo irlandês ter sido o primeiro a desregular a principal rota da sua companhia nacional, a Ryanair começou a explorar a rota Dublin-Londres, provocando a primeira ‘guerra’ de preços. Reestruturada em 1990 e relançada em 1991, a companhia transportou 0,7 milhões de passageiros, contra os 3,7 milhões da empresa incumbente, a Aer Lingus. Historial
  8. 8. A empresa em números
  9. 9. Como diminuir preço bilhetes? Receitas M € (2003) Comissões de aluguer de automóveis 23 Vendas pela Internet 12 Vendas a bordo 23 Vendas fora de bordo 35
  10. 10. Características Low Cost Frequência dos voos Voos para os principais destinos da área geográfica onde se insere (Europa Ocidental) Vendas online Check in online Parcerias com hotéis , empresas de aluguer de automóveis e empresas de transfers Ofertas promocionais Portal em vários idiomas Possibilidade de levar bagagem de mão gratuita
  11. 11. Características Low Cost II Preços Pontualidade – voos chegam antes do tempo previsto Reduzido índice de extravio de bagagens Ligações entre os principais destinos e destinos pouco comuns Não cobra taxas de combustível Possibilidade de utilização de telemóveis a bordo
  12. 12. Destinos
  13. 13. LEAN nos processos – Redução de Custos
  14. 14. Cadeia de valor – Redução de Custos Supply Chain Management
  15. 15. Gestão da Capacidade Garantir a máxima rotação das aeronaves  Tempo de paragem reduzido  Modelo de exploração: ponto-a-ponto  Não fazem ligações entre voos de outras companhias Incentiva viagens fora dos períodos de ponta Grande aposta na oferta sazonal Reservas Obrigatórias Não há marcação de lugares Check In Online
  16. 16. Gestão da Procura Promoção de novos mercados Fortes campanhas promocionais - Preços mais baixos em períodos de menor procura - Grande percentagem de bilhetes oferecidos Maximização das receitas em cada voo - Elevadas taxas de ocupação - Grande aposta nas Vendas a Bordo - Prioridade de acesso ao avião taxada
  17. 17. Resumo da Actividade
  18. 18. Desafios para o futuro
  19. 19. Conclusão • A redução ou as borlas dos bilhetes tiveram que ser compensadas por novas fontes de receita que as companhias aéreas de bandeira não exploram

×