Utilizando o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle como Apoio às                                   Disciplinas Presencia...
profissionais da área, ou seja, é preciso que seja contextualizado o conhecimento narealidade do discente. Além disso, as ...
como subsídio para fomentar a institucionalização da EaD e validar essa modalidade deensino no contexto presencial.       ...
como de demonstrar o desenvolvimento da aprendizagem e/ou dificuldades encontradasno percurso. A mesma metodologia foi ado...
professor acesse o portal moodle.org [Moodle Community, 2010], pois a página possuidiversos tutoriais e uma comunidade bem...
pedagógicos dos cursos a fim de que seja apropriado o uso de novas tecnologias paraapoiar as disciplinas presenciais, em c...
casos, as atividades poderiam ser mais proveitosas caso utilizassem outros tipos derecursos. Um fator positivo no uso do M...
ReferênciasAlves, L; Barros, A; Okada, A. (2009) MOODLE: Estratégias Pedagógicas e Estudos de  Caso, Brasil, Universidade ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Utilizando o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle como Apoio às Disciplinas Presenciais

1,649 views

Published on

Artigo apresentado no Moodlemoot Buenos Aires 2010

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,649
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Utilizando o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle como Apoio às Disciplinas Presenciais

  1. 1. Utilizando o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle como Apoio às Disciplinas Presenciais Elizama das Chagas Lemos1, Wagner de Oliveira1. 1 Departamento de Tecnologias Educacionais e Educação a Distância Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) CEP: 59015-000 – Natal– RN – Brasil {wagner.oliveira,elizama.lemos}@ifrn.edu.br1. Introdução As novas tecnologias e o aumento exponencial da informação levam a uma novaorganização do trabalho, em que se faz necessária a especialização dos saberes, de formaa promover a colaboração transdisciplinar e interdisciplinar, o acesso facilitado àinformação e a consideração do conhecimento como um valor precioso e útil na vidaeconômica [Mercado, 1999]. Logo, o papel da instituição de ensino frente a essaspossibilidades não pode permanecer o mesmo. Com as NTICs – Novas Tecnologias daInformação e Comunicação –, um conjunto de novas atividades pode ser empregadopara enriquecer o repertório em sala de aula, intercambiando dados científicos e culturaisde diversas naturezas. A educação a distância tirou grande vantagem com as novas tecnologias, afinal,ela ganhou mais credibilidade e espaço nas instituições de ensino graças, mas nãosomente, às NTICs, que quebraram as barreiras geográficas entre professor e aluno epossibilitaram que o ensino de qualidade não se prendesse às instituições existentes nascapitais dos estados. O AVA – Ambiente Virtual de Aprendizagem – disponibilizourecursos, ferramentas, dispositivos e atividades que são eficazes na amenização dessafalta física. Segundo Wiggins (1993), os ambientes de aprendizagem (virtuais ou não) devemser constituídos de problemas ou de questões relevantes, para que o aluno possaconstruir o conhecimento, a fim de moldar desempenhos efetivos. As tarefas passadasdevem ser réplicas de problemas enfrentados pelos cidadãos, consumidores ou
  2. 2. profissionais da área, ou seja, é preciso que seja contextualizado o conhecimento narealidade do discente. Além disso, as considerações devem ser feitas para proporcionarao estudante acesso aos recursos comumente disponíveis àqueles comprometidos nos“lestes reais análogos à vida”. O AVA apresenta diversos recursos a fim de alcançar todos esses aspectosanteriormente mencionados. Entretanto, a equipe pedagógica e administrativa precisaestar a par do potencial que o ambiente possui para que possa utilizá-lo de forma eficazno contexto escolar presencial, transformando todas essas ferramentas tecnológicas emmecanismos de fomento ao aprendizado, seja inserindo fóruns de discussão sobre oconteúdo das aulas, realizando atividades práticas, criando diários para acompanhamentoda evolução individual do aluno, passando tarefas em grupo, entre outras abordagens. No Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN, o AVA utilizadoé o Moodle, adotado tanto nos cursos a distância quanto para complemento dasdisciplinas presenciais. Será apresentado neste artigo como essa plataforma pode setornar uma excelente ferramenta para utilização no contexto presencial, apresentandocasos de uso de disciplinas ministradas em turmas do ensino médio, técnico e superior doinstituto. A realização de atividades a distância, em cursos presenciais, promove umamodificação nas concepções relativas ao uso das tecnologias digitais na educação. Alémdisso, possibilita a emergência de subsídios teóricos, metodológicos e experimentais parao desenvolvimento, com qualidade, da modalidade de ensino semipresencial, podendo serusado para desmistificar as concepções, de professores, técnicos e alunos sobre as novastecnologias aplicadas na educação por meio da educação a distância. O intuito éfomentar o potencial que a ferramenta apresenta em outra modalidade de aprendizagem afim de que seja facilmente empregada em outras instituições de ensino.2. Uso do Moodle em disciplinas presenciais no IFRN. A Portaria MEC nº 4.059/2004 trata de ensino a distância semipresencial. Combase nela, as instituições de ensino superior poderão introduzir, na organizaçãopedagógica e curricular de seus cursos superiores devidamente reconhecidos, a oferta dedisciplinas integrantes do currículo que utilizem a modalidade semipresencial, desde quenão ultrapasse 20% (vinte por cento) da carga horária total de curso. A portaria serve
  3. 3. como subsídio para fomentar a institucionalização da EaD e validar essa modalidade deensino no contexto presencial. No IFRN, o uso do AVA no ensino presencial está sendo usado como ferramentacomplementar, disponibilizando ao aluno e professor novas alternativas de aprendizado.Nos cursos de Licenciatura em Espanhol, Licenciatura em Física e Licenciatura emGeografia, o professor D.H.M. utilizou a plataforma Moodle para complementar a suaausência no fim do período 2009.1, em que esteve afastado sob licença médica. A fim deevitar que os alunos fossem prejudicados, o docente utilizou o Moodle para concluir adisciplina de modo satisfatório, disponibilizando o material das aulas, realizandodiscussões por meio dos fóruns e chats e inserindo atividades de avaliação. De acordo com o professor a utilização do Moodle foi bem recebida pelosestudantes, até mesmo porque ele já possuía um boa relação com a turma e que autilização da EaD correspondeu a cerca de 30% da disciplina. Com relação àparticipação dos alunos o professor relatou que: [...] a participação dos alunos, em geral, foi boa, apesar de alguns terem relatado dificuldades para interagir via plataforma. [...] vários relataram que a experiência foi muito boa e chegaram a sugerir que em algumas disciplinas deveria se institucionalizar que uma parte fosse desenvolvida por meio de EaD, como forma, inclusive, de prepará-los nessa modalidade [...]. (D.H.M, 2010) Após a disciplina o professor D.H.M teve alguns momentos com a turma dealunos para avaliar a utilização do EaD em disciplinas presenciais. Nessas conversas, amaioria dos alunos afirmou que não consideravam adequado o desenvolvimento do cursointegralmente à distância, mas que parte de algumas disciplinas poderia ser ministradadessa maneira, ou até algumas matérias de forma integral, dependendo de suascaracterísticas. No curso de Licenciatura em Geografia, a professora E.C.S, no semestre de2010.1, fez uso da plataforma também como apoio ao ensino presencial, focando notrabalho final da disciplina de Geografia Agrária, sob a forma de um portfólio, a fim deservir como um conjunto de elementos, acompanhados de indicações e de comentáriosestruturados, reflexões, auto-avaliação, escolhidos pelo aluno e/ou pelo professor, bem
  4. 4. como de demonstrar o desenvolvimento da aprendizagem e/ou dificuldades encontradasno percurso. A mesma metodologia foi adotada pela professora ao ministrar a disciplinade Geografia nos cursos de nível técnico integrado de Informática, Edificações, ControleAmbiental e Geologia. Segundo a professora “[...] quase a totalidade dos alunos apoiouo uso do Moodle na disciplina, e que poucos tiveram problemas de acesso, asdificuldades se concentraram na falta de acesso de alguns alunos à internet [...]”. Aeducadora também relatou que utilizou apenas as atividades do tipo fórum, visto que nãotinha conhecimentos avançados na plataforma o que acabou restringindo a utilização deoutros tipos de atividades. Mesmo utilizando apenas um tipo de ferramenta parainteração, a professora afirmou que as discussões no ambiente enriqueceram bastante adisciplina, pois os alunos puderam participar de maneira mais eficaz nas discussõesrelacionadas aos assuntos da disciplina. Já na disciplina Recurso e Multimídia do curso superior em Tecnologia em Lazere Qualidade de Vida, o professor A.L utilizou a plataforma Moodle ao longo de todo osemestre 2010.1, passando várias atividades de envio de arquivo, ferramentas dediscussão como fóruns e chats, atividades do tipo wiki, atuando de forma colaborativaentre os participantes e disponibilizando materiais de estudo. O docente foi capaz deutilizar diversos tipos de atividades, isso se deve ao conhecimento avançado do professorna plataforma Moodle, noções essas adquiridas por meio da experiência do educador noDepartamento de Tecnologias Educacionais e Educação a Distância (DETED) do IFRN,responsável por toda a estrutura pedagógica e tecnológica vinculada à EaD do instituto.Seu contato anterior com a plataforma ocasionou em uma melhor utilização dasferramentas disponíveis e, consequentemente, facilitou a interação dos seus alunos, queficaram estimulados a participar de diversas atividades no ambiente.3. Dicas e observações acerca da utilização do Moodle em disciplinas presenciais. Através das experiências adquiridas pelo uso do Moodle em disciplinaspresencias no IFRN, foram constatados alguns pontos importantes a serem consideradosquando se pensa na utilização do Moodle em disciplinas presenciais. O primeiro passo é a capacitação do professor para o uso da plataforma, seapropriando principalmente de quais ferramentas o Moodle possui, para assim poderanalisar melhor quais atividades utilizar durante a disciplina. É recomendado que o
  5. 5. professor acesse o portal moodle.org [Moodle Community, 2010], pois a página possuidiversos tutoriais e uma comunidade bem ativa que fornece diversos documentos para acapacitação no Moodle. Além disso, o professor pode recorrer a vários livros emformato e-book para auxiliar nos seus estudos como Cole (2005), Alves, Barros e Osaka(2009), entre outros. Muitas referências são direcionadas para o uso do professor,mostrando técnicas de ensino, estratégias pedagógicas e estudos de caso. O primordial éque o docente sinta-se bem em desbravar esses novos saberes, com o auxílio de todo omaterial que estiver ao seu alcance. Depois da capacitação, a próxima etapa é planejar a disciplina, pensando nouso do Moodle como apoio à matéria, pois, caso a plataforma seja utilizada assim comovem sendo ministrada a disciplina presencialmente, o Moodle poderá se tornar um itemseparado da dinâmica do curso e não um item integrador do aprendizado dos alunos. Ouseja, o ambiente não deve ser utilizado como simples repositório de conteúdos, oprofessor deve planejar o uso da plataforma de forma que ela seja integrada à disciplinarealizando tarefas e planejando momentos de interação. Portanto, é recomendado que adisciplina seja planejada pensando na utilização do Moodle como ferramenta de apoio,somente assim as atividades poderão ser pensadas de forma a projetar o desenvolvimentodos alunos no ambiente. Além disso, no planejamento da disciplina, é interessante analisar as condiçõesfísicas da instituição em relação aos laboratórios disponíveis para utilização dos alunos,para que seja fornecido aos estudantes locais de acesso ao ambiente virtual. Afinal, jáque o uso do computador é algo imperativo, é dever do professor assegurar que ainstituição de ensino forneça mecanismos de acesso. Por essa razão que também se faznecessária uma avaliação inicial a respeito da situação dos alunos, se eles têm acesso àinternet de forma facilitada, e se possuem conhecimentos em informática básica,principalmente nos cursos em que essa disciplina não faz parte da grade curricular. Sepossível, o professor deve planejar um momento anterior à disciplina na qual o Moodleserá utilizado para nivelar o conhecimento dos alunos a fim de que eles não encontremdificuldades no decorrer do curso. Um ponto crucial, no que tange a utilização de ambientes virtuais deaprendizagem em disciplinas presenciais, é a estruturação dos projetos político
  6. 6. pedagógicos dos cursos a fim de que seja apropriado o uso de novas tecnologias paraapoiar as disciplinas presenciais, em conformidade com a regulamentação do MEC sobreos 20% de carga horária a distância já mencionada anteriormente. Pois, pensando noprojeto do curso como um todo, a grade curricular, as disciplinas e os conteúdos podemser analisados e ministrados de forma a aproveitar da melhor forma possível amodalidade a distância. Por exemplo, podem ser verificadas quais disciplinas que têmmaiores dificuldades em adequação às atividades à distância, para que a utilização doMoodle ao ministrar tais matérias seja em menor escala. Por fim, toda a equipe pedagógica deve buscar fazer uso de outrasferramentas fora o ambiente virtual de aprendizagem. Objetos de aprendizagem,recursos multimídias como videoaulas, filmes, entre outros, devem ser utilizados paraenriquecer os cursos, pois o ensino a distancia não se resume ao AVA, ao invés disso, oEaD é capaz de englobar todas as novas tecnologias que sejam eficazes no auxílio aoensino-aprendizagem dos alunos. Logo, explorá-las, averiguando o potencial de cadauma, bem como maneiras de encaixá-las em cada contexto do ambiente de ensino, deveser uma premissa, uma atividade diária do professor. Seguindo todas essasrecomendações, as aulas ministradas podem se tornar mais interativas, colaborativas eatrativas para os participantes dos cursos, elevando a capacidade do aluno de apreender,de transmitir informações e de esgotar as fontes de saber disponíveis.4. Considerações finais Ao analisar os casos por hora descritos, é notória a relevância de utilizar as novastecnologias, sobretudo o AVA, no ensino presencial. Entretanto, para que isso sejapossível, vários pontos devem ser considerados. Um dos pontos que merece ser reiteradoé a capacitação dos professores para a utilização de um AVA como apoio as suasdisciplinas presenciais, pois, caso contrário, o AVA será utilizado como mero repositóriode arquivos, o que é pouco diante de uma plataforma como o Moodle que possuidiversas atividades que podem ajudar as disciplinas a promover um melhor aprendizado eautonomia dos alunos. Esse ponto é importante, pois professores bem capacitadostendem a utilizar mais recursos e a cobrar mais pelo acesso de seus alunos ao ambiente,já professores com pouca vivência no ambiente, buscam quase sempre o Moodle para ainserção de materiais e ministram a disciplina através de fóruns, sendo que, em inúmeros
  7. 7. casos, as atividades poderiam ser mais proveitosas caso utilizassem outros tipos derecursos. Um fator positivo no uso do Moodle como suporte às disciplinas presenciaisconsiste numa melhoria em relação à autonomia dos alunos, pois, ao interagir noambiente virtual, ele acabam sanando dúvidas com colegas, que muitas vezes sentemvergonha em interagir na sala de aula presencial, como também buscam outras fontes depesquisa, até mesmo na própria internet, promovendo um aprendizado maior, pois oaluno participa das aulas presenciais em conjunto com as atividades à distância quecomplementam os conteúdos dados em sala. O IFRN conta com uma estrutura de apoio ao ensino a distância que vem sendoutilizada por alguns professores no ensino presencial, entretanto, até o momento, issovem ocorrendo de forma despretensiosa e empírica. Com o intuito de diminuir asbarreiras entre o ensino tradicional e a educação a distância no instituto, foi desenvolvidoum projeto mais robusto para a institucionalização da EaD, envolvendo osdepartamentos responsáveis pela formação de professores, tecnologia da informação eeducação a distância de todos os campi espalhados na geografia do estado. Tal projetotem como previsão de execução em doze meses, mais precisamente no segundo semestrede 2011 e comporá uma estrutura para capacitar profissionais do instituto, produzirmateriais e adaptar o ambiente virtual instaurado – o Moodle. As diversas questões anteriormente vistas fazem da plataforma Moodle umaferramenta importante no processo de aprendizagem e justificam sua escolha como oAVA adotado nos cursos em EaD do IFRN. Entre as vantagens da institucionalização doMoodle em disciplinas presenciais, podem-se destacar a ampliação do campo de atuaçãodo professor, saindo do padrão da escola clássica do "entre muros" e da sala de aulatradicional. O espaço profissional dos professores, no mundo em rede, amplia-se. Novasqualificações para estes professores são exigidas, mas ao mesmo tempo, novasoportunidades de ensino se apresentam. Os projetos de educação permanente, asdiversas instituições e cursos que podem ser oferecidos para todos os níveis e para todasas idades, a internacionalização do ensino – através das redes – criam novasoportunidades educacionais que não podem ser ignoradas.
  8. 8. ReferênciasAlves, L; Barros, A; Okada, A. (2009) MOODLE: Estratégias Pedagógicas e Estudos de Caso, Brasil, Universidade do Estado da Bahia - UNEB, 2009, 384p.Belloni, M. Luiza. (1999) Educação a distância. Campinas, SP: Autores Associados, , 1999. 115 p. BBE.Cole, J. (2005) Using moodle: teaching with the popular open source course management system, USA, O’ Reilly Midia, 2005, 224p.Dougiamas, M. (1999) Reading and Writing for Internet Teaching, 1999. Disponível em: <http://dougiamas.com/writing/readwrite.html>. Acesso em: 12 Jul. 2010.Ferreira, S. de Lucena; Bianchetti, Lucídio. (2005) As tecnologias da informação e da comunicação e as possibilidades de interatividade para a educação. In: Pretto, Nelson De Luca. (Org.) Tecnologias e Novas Educações. Salvador: EDUFBA, 2005, p. 151- 165.Ferreira, S. de Lucena; Lima, M. de Fátima M.; Pretto, N de Luca. (2005) Mídias digitais e educação: tudo ao mesmo tempo agora o tempo todo. In: FILHO, André Barbosa; CASTRO, Cosette; TOME, Takashi. (Org.) Mídias Digitais: convergência tecnológica e inclusão social. São Paulo: Paulinas, 2005, p. 225-255.Filho, Athail R. Pulino. (2009) Moodle: um sistema de gerenciamento de cursos (versão 1.5.2+). Brasília: Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, Universidade de Brasília, s.d. Disponível em: http://aprender.unb.br/file.php/1/manuais/moodlebook.pdf. Acesso em 24 Nov 2009.Mercado, L. Leopoldo. (1999) Formação Continuada de Professores e Novas Tecnologias. Maceió : EDUFAL, 1999.Moodle Community. (2010) Moodle community, 2010. Disponível em: <http://moodle.org/>. Acesso em: 12 Jul. 2010.Wiggins, G. (1993) Assessment: authenticity, context, and validity. Phi Delta Kappan, Chicago (USA), 75, p.200-214,1993.

×