SlideShare a Scribd company logo
1 of 11
Na floresta vivia uma menina com o seu avô chamada Maria Castanha.
Deram-lhe este nome porque ela e o seu avô apanhavam castanhas para
vender. Cada vez que iam apanhar castanhas o avô dizia para a menina:
-Não passes para o outro lado do rio. Lembra-te que vivem lá os duendes
da cabana.
- Os duendes são maus, avô? - perguntou a menina. - Não, não são maus,
mas gostam muito de fazer travessuras.
Numa tarde Maria Castanha foi apanhar castanhas atravessou o rio em
cima de um tronco de uma árvore e encontrou os duendes, andavam
sempre vestidos um de cada cor, o Azulinho, Verdinho, Laranjinha,
Branquinho, Amarelinho e Vermelhinho. Eles ficaram muito contentes
quando a viram. Brincaram muito com ela.
Estava a escurecer e os duendes fizeram uma roda em volta dela
para não a deixar ir embora.
Os duendes começaram a gritar: “Velho krock! Velho krock!"
Nesse momento, ao longe ouviu-se “croc, croc, croc", era o ruído
de um pássaro, e de repente viram chegar a voar um passáro
grande para levar ao avô um papel escrito para não se preocupar
que Maria Castanha ficava em casa dos duendes e voou, voouo o
velho Krock, até ao avô.
No dia seguinte a menina levantou-se para arrumar a
casa, acendeu a lareira, varreu o chão, fez as camas
a comida, e ficaram todos muito contentes.
Quando chegou a tarde, a Maria Castanha quis ir-se embora...,
mas os duendes deram as mãos e fizeram uma roda à volta dela.
- Não, não, tu não te vais embora.
E a menina começou a chorar.
- Mas, por que é que não posso ir embora?
- Podes ir embora mas tens que prometer que vens todos os domingos para
arrumar a casa e fazer a comida!
A Maria Castanha prometeu.
- Se não cumprires , nós ficaremos muito zangados contigo e o velho Krock,
como castigo, rouba-vos todas as castanhas antes de as poderem vender.
Nos dois domingos seguintes a menina foi arrumar a cabana dos
duendes, mas no terceiro domingo a menina disse ao avô: - Acho
que desta vez não vou. Estou cansada.
- Está bem - disse o avô, - então temos que trancar bem as
janelas e as portas, porque o velho Krock pode vir roubar-nos as
castanhas.
Depois de tudo bem trancado, veio um duende disfarçado de
velhinha bateu à porta e disse:- Sou uma pobre velhinha que me
perdi na floresta; se me pudessem dizer o caminho...
O avô levantou-se e foi abrir a porta logo entraram os duendes e
o velho Krock a voar com um saco para levar todas as castanhas.
No dia seguinte, o avô e Maria Castanha foram falar com o guarda
florestal e contaram –lhe o que aconteceu.
O guarda florestal, ao saber o que tinha acontecido, chamou o cão e
disse: - Vamos, atrás deles. E lá foram.
Encontraram os duendes, estavam encharcados, sujos, a espirrar e a chorar.
Noutro ramo, com as penas molhadas, estava o velho Krock. Tinham ficado
sem cabana devido à tempestade naquela noite.
-Fomos bem castigados, por pouco não morremos. Perdoem-nos, nunca mais
faremos isso! - disse um dos duendes.
-O guarda florestal deu ordem para ir buscar as castanha e eles foram, até
apanharam mais.
O avô e a Maria Castanha tiveram pena deles e disseram-lhes: -
Se não têm casa, podem ir viver connosco, lá ficam bem.
- Obrigado, obrigado! - disseram os duendes. - Prometemos que
vamos ser bonzinhos e que vamos trabalhar. Faremos todos os
reca­dos, varremos a casa, vamos apanhar lenha, não precisam de
fazer nada... só a comida, porque a Maria Castanha cozinha bem.
Depois, regressaram todos para casa do avô, muito contentes.
Os duendes fizeram o seu quarto no palheiro, e o velho Krock
encontrou no telhado um tronco bem forte onde fez a sua casa.

More Related Content

What's hot

A castanha lili-
A castanha lili-A castanha lili-
A castanha lili-labeques
 
O palhaco-tristoleto
O palhaco-tristoletoO palhaco-tristoleto
O palhaco-tristoletoSilvares
 
Carlota barbosa a bruxa medrosa
Carlota barbosa a bruxa medrosa Carlota barbosa a bruxa medrosa
Carlota barbosa a bruxa medrosa Lara Gonçalves
 
A Magia da Estrela do outono.pdf
A Magia da Estrela do outono.pdfA Magia da Estrela do outono.pdf
A Magia da Estrela do outono.pdfMariaCarmen49
 
A magia da estrela do outono
A magia da estrela do outonoA magia da estrela do outono
A magia da estrela do outonoCarla Ferreira
 
Natal conto melhor-natal-de-sempre
Natal conto melhor-natal-de-sempreNatal conto melhor-natal-de-sempre
Natal conto melhor-natal-de-sempreMarisol Santos
 
A velhinha que comeu os símbolos do natal
A velhinha que comeu os símbolos do natalA velhinha que comeu os símbolos do natal
A velhinha que comeu os símbolos do natalMaria Sousa
 
Bruxa mimi
Bruxa mimiBruxa mimi
Bruxa mimiAna Alho
 
A casa da mosca fosca
A casa da mosca foscaA casa da mosca fosca
A casa da mosca foscagigilu
 
O boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escola
O boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escolaO boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escola
O boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escolaMaria Ferreira
 
O ciclo do mel
O ciclo do melO ciclo do mel
O ciclo do melIsa Crowe
 
O Sapo Encontra Um Amigo
O Sapo Encontra Um AmigoO Sapo Encontra Um Amigo
O Sapo Encontra Um Amigoanabraga
 

What's hot (20)

Eu e o meu pai
Eu e o meu paiEu e o meu pai
Eu e o meu pai
 
A castanha lili-
A castanha lili-A castanha lili-
A castanha lili-
 
O polvo coceguinhas
O polvo coceguinhasO polvo coceguinhas
O polvo coceguinhas
 
O palhaco-tristoleto
O palhaco-tristoletoO palhaco-tristoleto
O palhaco-tristoleto
 
Carlota barbosa a bruxa medrosa
Carlota barbosa a bruxa medrosa Carlota barbosa a bruxa medrosa
Carlota barbosa a bruxa medrosa
 
Historia de outono
Historia de outonoHistoria de outono
Historia de outono
 
O dia em que a barriga rebentou josé fanha
O dia em que a barriga rebentou  josé fanhaO dia em que a barriga rebentou  josé fanha
O dia em que a barriga rebentou josé fanha
 
A Magia da Estrela do outono.pdf
A Magia da Estrela do outono.pdfA Magia da Estrela do outono.pdf
A Magia da Estrela do outono.pdf
 
A magia da estrela do outono
A magia da estrela do outonoA magia da estrela do outono
A magia da estrela do outono
 
Natal conto melhor-natal-de-sempre
Natal conto melhor-natal-de-sempreNatal conto melhor-natal-de-sempre
Natal conto melhor-natal-de-sempre
 
A velhinha que comeu os símbolos do natal
A velhinha que comeu os símbolos do natalA velhinha que comeu os símbolos do natal
A velhinha que comeu os símbolos do natal
 
A Abóbora Gigante
A Abóbora GiganteA Abóbora Gigante
A Abóbora Gigante
 
Bruxa mimi
Bruxa mimiBruxa mimi
Bruxa mimi
 
Um bocadinho inverno
Um bocadinho invernoUm bocadinho inverno
Um bocadinho inverno
 
A casa da mosca fosca
A casa da mosca foscaA casa da mosca fosca
A casa da mosca fosca
 
O meu pai
O meu paiO meu pai
O meu pai
 
O boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escola
O boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escolaO boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escola
O boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escola
 
O ciclo do mel
O ciclo do melO ciclo do mel
O ciclo do mel
 
Boneco de neve
Boneco de neveBoneco de neve
Boneco de neve
 
O Sapo Encontra Um Amigo
O Sapo Encontra Um AmigoO Sapo Encontra Um Amigo
O Sapo Encontra Um Amigo
 

Viewers also liked

Viewers also liked (14)

Maria Castanha
Maria CastanhaMaria Castanha
Maria Castanha
 
Maria castanha
Maria castanhaMaria castanha
Maria castanha
 
A Maria Castanha
A Maria CastanhaA Maria Castanha
A Maria Castanha
 
Maria castanha
Maria castanhaMaria castanha
Maria castanha
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Maria castanha(história)
Maria castanha(história)Maria castanha(história)
Maria castanha(história)
 
Teatro da lenda de São Martinho
Teatro da lenda de São MartinhoTeatro da lenda de São Martinho
Teatro da lenda de São Martinho
 
Maria Castanha
Maria CastanhaMaria Castanha
Maria Castanha
 
História s martinho
História s  martinhoHistória s  martinho
História s martinho
 
História da Maria Castanha
História da Maria CastanhaHistória da Maria Castanha
História da Maria Castanha
 
Desculpa, por-acaso-és-uma-bruxa
Desculpa, por-acaso-és-uma-bruxaDesculpa, por-acaso-és-uma-bruxa
Desculpa, por-acaso-és-uma-bruxa
 
Menina do mar
Menina do marMenina do mar
Menina do mar
 
Joana E Liliana E Rafaela
Joana E  Liliana E  RafaelaJoana E  Liliana E  Rafaela
Joana E Liliana E Rafaela
 
Pe de pai
Pe de paiPe de pai
Pe de pai
 

Similar to Maria castanha com a historia dos duendes

Similar to Maria castanha com a historia dos duendes (20)

Teatro maria castanha_duendes(2)
Teatro maria castanha_duendes(2)Teatro maria castanha_duendes(2)
Teatro maria castanha_duendes(2)
 
Maria Castanha
Maria CastanhaMaria Castanha
Maria Castanha
 
História da Maria Castanha
História da Maria CastanhaHistória da Maria Castanha
História da Maria Castanha
 
aula trovad.
aula trovad.aula trovad.
aula trovad.
 
Os contos do 5.º E
Os contos  do 5.º EOs contos  do 5.º E
Os contos do 5.º E
 
A menina do capuchinho vermelho no século xxi
A menina do capuchinho vermelho no século xxiA menina do capuchinho vermelho no século xxi
A menina do capuchinho vermelho no século xxi
 
A bruxa cartuxa
A bruxa cartuxaA bruxa cartuxa
A bruxa cartuxa
 
Branca De Neve
Branca De NeveBranca De Neve
Branca De Neve
 
Os contos
Os  contosOs  contos
Os contos
 
A FamíLia Feliz
A FamíLia FelizA FamíLia Feliz
A FamíLia Feliz
 
Pdf contos
Pdf contosPdf contos
Pdf contos
 
Letras com rugas
Letras com rugasLetras com rugas
Letras com rugas
 
Contos Tradicionais
Contos TradicionaisContos Tradicionais
Contos Tradicionais
 
Apresentação marcelina 2
Apresentação marcelina 2Apresentação marcelina 2
Apresentação marcelina 2
 
Rosa Branca e Rosa Vermelha
Rosa Branca e Rosa VermelhaRosa Branca e Rosa Vermelha
Rosa Branca e Rosa Vermelha
 
Rosa Branca e Rosa Vermelha
Rosa Branca e Rosa VermelhaRosa Branca e Rosa Vermelha
Rosa Branca e Rosa Vermelha
 
Contos pdf
Contos pdfContos pdf
Contos pdf
 
Livrinho 4ª J
Livrinho 4ª JLivrinho 4ª J
Livrinho 4ª J
 
Pdf contos
Pdf contosPdf contos
Pdf contos
 
Os primos e a bruxa Cartuxa.pdf
Os primos e a bruxa Cartuxa.pdfOs primos e a bruxa Cartuxa.pdf
Os primos e a bruxa Cartuxa.pdf
 

Maria castanha com a historia dos duendes

  • 1.
  • 2. Na floresta vivia uma menina com o seu avô chamada Maria Castanha. Deram-lhe este nome porque ela e o seu avô apanhavam castanhas para vender. Cada vez que iam apanhar castanhas o avô dizia para a menina: -Não passes para o outro lado do rio. Lembra-te que vivem lá os duendes da cabana. - Os duendes são maus, avô? - perguntou a menina. - Não, não são maus, mas gostam muito de fazer travessuras.
  • 3. Numa tarde Maria Castanha foi apanhar castanhas atravessou o rio em cima de um tronco de uma árvore e encontrou os duendes, andavam sempre vestidos um de cada cor, o Azulinho, Verdinho, Laranjinha, Branquinho, Amarelinho e Vermelhinho. Eles ficaram muito contentes quando a viram. Brincaram muito com ela. Estava a escurecer e os duendes fizeram uma roda em volta dela para não a deixar ir embora.
  • 4. Os duendes começaram a gritar: “Velho krock! Velho krock!" Nesse momento, ao longe ouviu-se “croc, croc, croc", era o ruído de um pássaro, e de repente viram chegar a voar um passáro grande para levar ao avô um papel escrito para não se preocupar que Maria Castanha ficava em casa dos duendes e voou, voouo o velho Krock, até ao avô.
  • 5. No dia seguinte a menina levantou-se para arrumar a casa, acendeu a lareira, varreu o chão, fez as camas a comida, e ficaram todos muito contentes.
  • 6. Quando chegou a tarde, a Maria Castanha quis ir-se embora..., mas os duendes deram as mãos e fizeram uma roda à volta dela. - Não, não, tu não te vais embora. E a menina começou a chorar. - Mas, por que é que não posso ir embora? - Podes ir embora mas tens que prometer que vens todos os domingos para arrumar a casa e fazer a comida! A Maria Castanha prometeu. - Se não cumprires , nós ficaremos muito zangados contigo e o velho Krock, como castigo, rouba-vos todas as castanhas antes de as poderem vender.
  • 7. Nos dois domingos seguintes a menina foi arrumar a cabana dos duendes, mas no terceiro domingo a menina disse ao avô: - Acho que desta vez não vou. Estou cansada. - Está bem - disse o avô, - então temos que trancar bem as janelas e as portas, porque o velho Krock pode vir roubar-nos as castanhas.
  • 8. Depois de tudo bem trancado, veio um duende disfarçado de velhinha bateu à porta e disse:- Sou uma pobre velhinha que me perdi na floresta; se me pudessem dizer o caminho... O avô levantou-se e foi abrir a porta logo entraram os duendes e o velho Krock a voar com um saco para levar todas as castanhas.
  • 9. No dia seguinte, o avô e Maria Castanha foram falar com o guarda florestal e contaram –lhe o que aconteceu. O guarda florestal, ao saber o que tinha acontecido, chamou o cão e disse: - Vamos, atrás deles. E lá foram. Encontraram os duendes, estavam encharcados, sujos, a espirrar e a chorar. Noutro ramo, com as penas molhadas, estava o velho Krock. Tinham ficado sem cabana devido à tempestade naquela noite. -Fomos bem castigados, por pouco não morremos. Perdoem-nos, nunca mais faremos isso! - disse um dos duendes. -O guarda florestal deu ordem para ir buscar as castanha e eles foram, até apanharam mais.
  • 10. O avô e a Maria Castanha tiveram pena deles e disseram-lhes: - Se não têm casa, podem ir viver connosco, lá ficam bem. - Obrigado, obrigado! - disseram os duendes. - Prometemos que vamos ser bonzinhos e que vamos trabalhar. Faremos todos os reca­dos, varremos a casa, vamos apanhar lenha, não precisam de fazer nada... só a comida, porque a Maria Castanha cozinha bem.
  • 11. Depois, regressaram todos para casa do avô, muito contentes. Os duendes fizeram o seu quarto no palheiro, e o velho Krock encontrou no telhado um tronco bem forte onde fez a sua casa.