Planejamento e relatório crítico

5,220 views

Published on

Published in: Education, Travel, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
5,220
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
24
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Planejamento e relatório crítico

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAISDisciplina: Planejamento Educacional em Artes VisuaisProfessora: Andrea HofstaetterAluna: Alexandra Rita Flores PLANEJAMENTO 2011
  2. 2. Dados de Identificação:Escola Municipal de Ensino Fundamental Presidente Hermes da Fonseca.Série/Turma: 6° ano A Disciplina: Artes Profess ora; Alexandra Rita FloresPeríodo: 4 aulas de 2 períodosTema: Literatura de Cordel / Xilogravura/ ImpressãoJustificativa: Diante dos estudos de vários tipos de texto, após terem estudado sobre a¨ladainha de capoeira” nas aulas de língua portuguesa, surgiu entre os alunos acuriosidade sobre a literatura de cordel, visualizada por alguns deles durante suaspesquisas. Assim propus uma parceria entre artes e língua portuguesa paratrabalharmos a literatura de cordel e xilogravura, cultura herdada dos colonizadoresportugueses. Contaremos também com a colaboração do professor de História e deGeografia, que contextualizará a Literatura de Cordel no espaço e tempo.Objetivos: • Conhecer a literatura de cordel – produção cultural, análise da linguagem verbal e não verbal e o suporte. • Compreender a técnica da xilogravura (conhecer o processo de entalhe e impressão). • Conhecer artistas que trabalham com a literatura de cordel. • Valorizar as diversas culturas do país, sua contribuição para a identidade nacional. • Reconhecer a influência da cultura nordestina em outras culturas no Brasil.
  3. 3. Aula 1 A professora apresentará aos alunos, no data show, o vídeo de abertura danovela “Cordel Encantado” disponível em:http://www.youtube.com/watch?v=hvKW6S8-t1s&feature=related Após a exibição do vídeo, proposta de discussão com os alunos sobre ascaracterísticas observadas na abertura, comentando a existência de familiaridadecom este tipo de imagem ou não. Através de questionamentos, a professorapromove a curiosidade sobre a Literatura de Cordel e xilogravura, arte da suarepresentação. Após a discussão, a professora comenta que a arte da abertura da novela éde Hans Donner, Alexandre Pit Ribeiro, Roberto Stein, numa produção que reproduza xilogravura de cordel e também faz referência a outro tipo de literatura, livros pop-up, em que ao se desdobrar uma página, uma ilustração “pula” do livro. Osprofissionais envolvidos nesta produção não são artistas da arte de cordel. Elesproduziram a abertura utilizando recursos televisuais para a representação dexilogravuras de cordel, através dos conhecimentos adquiridos em pesquisas,estudos sobre o assunto.
  4. 4. A professora solicita que, para a próxima aula, os alunos pesquisem sobre aliteratura de cordel e a arte da representação destas histórias – as imagens –xilogravuras.Aula 2 A professora inicia a aula solicitando que os alunos compartilhem na turma asinformações que trouxeram sobre a literatura de cordel e xilogravura, assuntoabordado na aula anterior. Durante a apresentação das idéias, a professora fazquestionamentos, instigando a participação de todos. Após, exibição de vídeo sobre a literatura de Cordel, no data show, disponívelem: http://www.youtube.com/watch?v=dd3IskH6LNU&feature=related Comentários. No laboratório de informática, a professora propõe aos alunos que acessem osite da Academia Brasileira de Literatura de Cordel, onde poderão conhecer algunsxilógrafos, algumas de suas obras e matrizes em madeira. Disponível em:http://www.ablc.com.br/gravuras/gravuras.htmAula 3 Vamos conhecer um pouco melhor um xilógrafo brasileiro mundialmenteconhecido, José Francisco Borges mestre da literatura de cordel. Apresentação, no data show, das imagens do artista e algumas de suasobras. A professora apresenta o artista, sua origem, uma pequena biografia. Após,mostra as xilogravuras abaixo, uma a uma, questionando os alunos sobre o queveem representado na imagem, o tema apresentado na produção do artista,ressaltando a importância da arte como registro e expressão cultural.
  5. 5. A professora comenta também, que em 1975, as xilogravuras de JoséFrancisco Borges fizeram parte da abertura da novela “Roque Santeiro”.Disponível em : http://www.youtube.com/watch?v=YM3SF7at1zoAula 4 A professora trará para a sala de aula alguns livretos de Cordel da bibliotecada escola, para manuseio e apreciação dos alunos.
  6. 6. Vídeo sobre xilogravura:http://www.youtube.com/watch?v=ATmIEvRb0Cs&feature=related A professora comenta que a xilogravura é caracterizada pela impressão como suporte de madeira, matriz da xilogravura. Salienta que nossa produção será feitacom o uso da placa de isopor como suporte e a caneta sem tinta para a composiçãoda imagem a ser impressa. Com material solicitado anteriormente, os alunos farão impressões, com oobjetivo de ilustrar os textos de cordel elaborados na aula de língua portuguesa.Material:Disco de isopor (pizza);Tinta guache preta;Caneta esferográfica sem tinta;Folha de desenho. Os trabalhos farão parte de uma exposição na Semana Literária da escola,onde os textos e impressões de Cordel produzidos pelos alunos serão expostos emvarais, seguinndo a cultura da Literatura de Cordel.RECURSOS • Data show • Computadores – Laboratório de Informática • Isopor • Folha de desenho • Tinta guache preta
  7. 7. • Caneta esferográfica sem tinta • Livretos de CordelAVALIAÇÃO A avaliação será desenvolvida durante o processo, considerando aparticipação dos alunos nas aulas, nas discussões, a socialização das idéias, oconhecimento construído sobre os conteúdos desenvolvidos, contextualizando-ocom a realidade, bem como, sua produção final.REFERÊNCIASHERNÁNDEZ, Fernando. Transgressão e mudança na educação: Os projetos detrabalho. Porto Alegre: Artmed, 1998.IAVELBERG, Rosa. Para gostar de aprender arte. Artmed.LINKShttp://www.youtube.com/watch?v=hvKW6S8-t1s&feature=relatedhttp://www.youtube.com/watch?v=dd3IskH6LNU&feature=relatedhttp://www.ablc.com.br/gravuras/gravuras.htmhttp://www.youtube.com/watch?v=YM3SF7at1zohttp://www.youtube.com/watch?v=ATmIEvRb0Cs&feature=related
  8. 8. Relato de experiência – Aplicação do Planejamento “Literatura de Cordel”Aula 1 Durante a exibição do vídeo de abertura da novela “Cordel Encantado” osalunos demonstraram surpresa com a mesma e curiosidade com relação à propostada aula. Comentavam entre si sobre cenas da novela, personagens e o enredo queos envolve. Assim, destaquei a importância de assistirem com atenção a abertura,observando os detalhes, buscando acompanhar e compreender a idéia proposta namesma. Assistimos ao vídeo por mais três vezes. Foi possível perceber a mudançade foco nos comentários, onde muitos alunos revelaram que não haviam se dadoconta da “historinha” que a abertura conta. “Ah, nos desenhos é a Açucena e o Jesuíno.” “Vai contando a história deles.” “Mas não aparece direito o final.” “É porque senão não tem graça.” “É como uma história em quadrinhos.” “O cantor tem sotaque como eles da novela.” A partir dos comentários, questionei os alunos sobre a abertura: “Vocês concordam com o colega que diz que parece história em quadrinhos?Por quê?” “Parece um pouco.” “Não, porque as figuras mexem.” “Não tem quadrinhos, parece um livro.” Apresentei aos alunos alguns livros de pop-up da biblioteca da escola,questionando-os a respeito da semelhança com a abertura.
  9. 9. Nos comentários, estabeleceram relações de semelhança, destacando que asimagens parecem “saltar”, bem como, diferenças como a cor, a forma deapresentação e produção da imagem. Diante das dúvidas, questionamentos e comentários, a curiosidade foicrescente. Em determinado momento, um aluno questionou: “Quem é o desenhista?” “Aparece escrito quem fez a abertura das novelas. Tem que ler.” Observaram com atenção, porém, não encontraram o nome do autor daabertura. Questionei se já ouviram falar em algum nome de produtor de abertura denovelas. Os alunos comentaram que não costumam prestar atenção nisso e quenão havia pensado nesta questão. “É uma arte.” “É como a capa do livro.” Então, comentei sobre os produtores da abertura da novela, conforme citei noplanejamento da aula 1. Ao mencionar a literatura de cordel e xilogravura, percebi que os alunos nãoconheciam ambos. Fiz um breve comentário sobre mesmos, explicando que aabertura é uma representação de cordel utilizando recursos gráficos. Lancei a proposta de pesquisa para a aula seguinte.
  10. 10. A aula foi dinâmica, o tempo passou depressa, ao toque do sinal aindaconversávamos sobre o tema. Durante a semana, os alunos me encontravam pelos corredores, ansiosospara compartilhar as descobertas resultantes da pesquisa.Aula 2 Considerando o envolvimento ativo dos alunos, a fim de organizar e promovera participação de todos, propus a formação de grupos para a socialização dapesquisa solicitada sobre literatura de cordel. Após, ao retomarmos o grande grupo,solicitei que um aluno de cada grupo menor, comentasse as contribuiçõessignificativas que puderam vivenciar. Várias idéias foram trazidas da aula de LínguaPortuguesa, onde a professora iniciou a abordagem da Literatura de Cordel. Dentre os vários comentários, dados coletados em sites, Wikipédia, um alunotrouxe um livreto do Ministério da Saúde, um cordel. Os alunos manusearam o livreto, destacando a semelhança com a aberturada novela. Assistimos ao vídeo sobre a literatura de cordel mencionado na aula 2. Osalunos ficaram atentos, solicitaram repetição do vídeo. Iniciamos os comentários,porém, fomos interrompidos pelo sinal de término da aula. No dia seguinte, pedi licença para a colega de Matemática para passar aosalunos a URL da Academia brasileira de Literatura de Cordel, solicitando que os
  11. 11. mesmos acessassem o site, buscando informações sobre o Cordel, a xilogravura, osartistas e suas obras. Percebo a cada aula, a interação e participação ativa de todos, até mesmo dealunos mais tímidos, envolvidos com as pesquisas, buscando possibilidades paraacessar aos sites e vídeos, em casa, na escola (ocupando horários no LIE no turnocontrário, reservados para pesquisa), em lan house, casa de amigos ou parentes. Os comentários são enriquecidos pela troca de experiências entre os alunos,que compartilham descobertas e idéias. Muitas vezes “estrapolamos” o tempo previsto para a aula, envolvidos nasdiscussões. Em virtude de envolvimento da turma nas atividades da Gincores (que ocorreanualmente na escola no mês de junho até a primeira semana de julho) e realizaçãode seminário interno de professores, não concluímos nossas aulas previstas noplanejamento. Pretendo aplicar o planejamento da aula 3 no dia 11 de Julho, últimaaula de Arte antes das férias de inverno, retomando o vídeo sobre a Literatura deCordel, seguindo a abordagem mencionada no planejamento. As propostas dasaulas de Língua Portuguesa também foram afetadas, assim, a aula 4 ficará para oretorno das férias, observando a produção dos textos de Cordel em LínguaPortuguesa para a produção das impressões de acordo com a proposta.

×