O Imperialismo

48,821 views

Published on

0 Comments
12 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
48,821
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6,262
Actions
Shares
0
Downloads
665
Comments
0
Likes
12
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O Imperialismo

  1. 1. O IMPERIALISMO A Revolução Industrial do século XVIII (Grã-Bretanha) A busca de matérias primas em maior quantidade e menor preço: Com este objetivo acentua-se o domínio de regiões ainda não controlada pelo capitalismo. Estimula a divulgação do liberalismo econômico influenciando a independência de países da América Latina. Neste caso a idéia de independência apresenta-se como forma de reorganização do mercado mundial - principalmente - nos aspectos relacionados ao fornecimento de matéria prima. O capitalismo - tem como características - o surgimento de crises cíclicas (superprodução industrial) além da necessidade de busca de novos locais para a aplicação de capitais. Aparecimento do capital financeiro
  2. 2. CARACTERÍSTICAS DO IMPERIALISMO MONOPOLISTA Concentração da produção em grandes empresas com milhares de operários. Com o monopólio acabam por surgir disputas entre as potências, originando guerras e disputas imperialistas. A política econômica dos estados industrializados é aplicada - através das empresas internacionais - nos países mais pobres. Esta característica de monopólio industrial também é notado no setor bancário fortalecendo o capital financeiro
  3. 3. FORMAS DE MONOPÓLIO CARTÉIS Associação de capitalistas baseada num acordo sobre a distribuição de mercados, preços únicos, partilha de matérias primas. Estas formas de monopólio, aplicadas mundialmente, tornam restrita a participação de iniciativas isoladas ou independentes Internamente os países industrializados estabeleceram legislações voltadas para a proibição dos diferentes tipos de monopólio. A mais destacada foi a lei ANTI-TRUSTS dos Estados Unidos no início do século XX. A origem desta legislação encontrava-se na concentração do mercado de combustíveis controlado através da Standard Oil. SINDICATOS Tipo de aliança na qual a venda da produção de seus integrantes, a compra de matéria prima é efetivada através de um organismo central. Desta forma perdem seus integrantes sua autonomia comercial Aliança na qual os componentes perdem a independência produtiva, comercial e jurídica convertendo-se em sócios possuidores de ações. TRUSTS
  4. 4. Presença dos TRUSTS dos EUA na América Latina A Guerra do Chaco (1932-1938) : Disputa entre Bolívia e Paraguai pelo controle de áreas com potencial petrolífero. No momento do conflito dois trusts internacionais (um inglês outro americano) controlavam a produção do mineral na região do Chaco. Morreram nesta guerra 90 mil bolivianos e paraguaios. Até os anos de 1930 controle da produção de petróleo Controle da produção agrícola (banana) Controle da produção de petróleo Controle da produção de petróleo e minerais Controle da produção de petróleo e minerais
  5. 5. O sistema de controle imperialista criou - nos países dominados - um modelo econômico caracterizado por: * Políticas econômicas nacionais voltadas para as necessidades dos grupos monopolistas * Dependência do capital financeiro dos países imperialistas para saneamento dos deficts decorrentes da balança comercial desfavorável. * Atraso no processo de industrialização Estas políticas priorizaram a implantação de uma economia agro-exportadora/extrativista mineral. Dependência dos produtos industrializados produzidos nos mesmos países consumidores da matéria prima A diferença entre os preços dos produtos primários e industrializados e eventual desvalorização das mercadorias exportadas geravam uma dependência direta dos países colonizados.
  6. 6. Colônias Britânicas Colônias Francesas Colônias Espanholas Colônias Portuguesas Colônias Alemãs Colônias Italianas Colônias Belgas Colônias dos EUA A Divisão do Mundo Colonial Os países da América do Sul não chegaram a ser ocupados militarmente e administrativamente pelos EUA. O termo “colônia” neste caso pode ser entendido como “região de influência”. Utilizamos este mapa italiano para entender a visão européia da América Latina: “uma colônia dos EUA.”

×