Aula 11 capacidade cardiorrespiratória

6,778 views

Published on

Avaliação da capacidade cardiorrespiratória

Published in: Health & Medicine
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
6,778
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8
Actions
Shares
0
Downloads
135
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aula 11 capacidade cardiorrespiratória

  1. 1. 22/05/2013 1 Avaliação da capacidade cardiorrespiratória Resistência Cardiorrespiratória Consiste na capacidade de realizar exercícios dinâmicos envolvendo grandes grupos musculares em intensidade moderada a alta por períodos prolongados (ACSM, 2000). Taxa de consumo e aproveitamento de oxigênio durante exercícios aeróbios máximos. 1. Capacidade do coração, pulmões e sangue de transportarem oxigênio. 2. Utilização de oxigênio pelos músculos durante o exercício máxOV 2  Quando fazer testes de esforço progressivo máximo? Sempre antes de iniciar um programa de atividades vigorosas (>60% VO2máx). • Homens (45 anos) e mulheres (55 anos). • Indivíduos de qualquer idade, com risco moderado (+ de 2 fatores de risco para cardiopatia). • Indivíduos c/ alto risco (1 ou + sintomas de cardiopatia). • Indivíduos c/ doença cardiovascular, pulmonar ou metabólica conhecida. Testes de esforço submáximo Aplicado em indivíduos com baixo risco ou com risco moderado que irão iniciar um programa de exercícios com intensidade moderada (40 a 60% VO2máx). • O valor da capacidade aeróbica (VO2máx.) é considerado como o melhor indicador da aptidão física, sendo um dos índices confiáveis de determinação da saúde corporal (McARDLE et al., 1998) Testes de esforço submáximo Tabela 03. Classificação do VO2máx de indivíduos sedentários e corredores profissionais de 20 a 29 anos de idade, masculino e feminino, adaptado de Barros Neto e col. (1999).
  2. 2. 22/05/2013 2 Testes de esforço submáximo Acredita-se que o homem moderno vive em estado de hipocinesia; hipo (pouco), cine (movimento) e ia (doença), ou seja, apresenta doenças causadas pela falta de movimentos. Então, percebe-se que o corpo humano necessita de certa quantidade diária de movimento, para funcionar adequadamente e sentir-se bem (ARALDI & KALININE, 2004). Testes de esforço submáximo Platonov & Bulatova (2001), quantificam a intensidade do trabalho através dos índices de consumo de oxigênio, que pode ser facilitada com o registro dos dados da freqüência cardíaca, no quadro abaixo: CAPACIDADE AERÓBIA • Treinamento cardiopulmonar. Finalidades: 1. Profilática; 2. Terapêutica; 3. Estabilização; 4. Estética; 5. Treinamento. Direto Indireto CAPACIDADE AERÓBIA  Alterações no sistema cardiovascular • Hipertrofia do coração; • Aumento do volume de ejeção; • Bradicardia de repouso; • Aumento do volume sanguíneo circulante. CAPACIDADE AERÓBIA  Alterações no sistema respiratório. • Aumento da ventilação por minuto; • Aumento da eficiência respiratória;  Alterações na composição corporal.  Redução das concentrações circulantes de colesterol e triglicérides.  Elevação do metabolismo de repouso. CAPACIDADE AERÓBIA  Fatores que influenciam no treinamento • Nível inicial; • Intensidade; • Volume; • Freqüência semanal; • Forma de trabalho.
  3. 3. 22/05/2013 3 Testes de esforço submáximo Os testes de corrida em distância são fundamentados na suposição de que o indivíduo mais condicionado será capaz de correr determinada distância em menos tempo. No entanto, o desempenho na corrida de resistência pode ser influenciado por outros fatores como motivação, %G, eficiência mecânica da corrida e limiar de lactato. Preparação para o Teste • Observar os critérios de contra-indicação do teste; • Não comer ou fumar entre 2-3h antes do teste; • Observar a utilização de medicamentos; • Condições ambientais – Temperatura – URA (60%) • Instruir o avaliado quanto aos possíveis riscos, benefícios e resultados do teste, além dos procedimentos • Conferir os equipamentos Testes de Campo • Testes de Distância Fixa – 1 milha (trote) – (1609m) – 1 milha (caminhda ou corrida) – 1,5 milha (caminhada ou corrida) - (2400m) • Teste de Tempo Fixo – 12 minutos – 15 minutos Teste Equação 1 milha (trote) pessoas de 18 a 29 anos de idade 100,5 – 0,1636(MCKg) – 1,438(Tmin) – 0,1928(FCfinal) + 8,344(sexo) 1 milha (caminhada) pessoas de 30 a 69 anos de idade 132,853 – (0,1692 x MC) – (0,3877 x ID) – (3,2649 x T) – (0,1565 x FC) + (6,3150 x sexo) 2000m (caminhada) homens de 20 a 65 anos 184,9 – (4,65 x T) – (0,22 x FC) – (0,26 x ID) – (1,05 x IMC) 2000m (caminhada) mulheres de 20 a 65 anos 116,2 – (2,98 x T1) – (0,11 x FC) – (0,14 x ID) – (0,39 x IMC) 12 minutos (D metros – 504,094) / 44,783 15 minutos 33 + (0,17 x (D metros - 1955)) / 15 NÍVEL 13-19 20-29 30-39 40-49 50-59 +60 SEXO Muito- Fraco -2080 -1952 -1888 -1824 -1648 -1392 M -1600 -1536 -1504 -1408 -1344 -1248 F Fraco 2080-2192 1952-2096 1888-2080 1824-1984 1648-1856 1392-1632 M 1600-1888 1536-1776 1504-1680 1407-1568 1344-1488 1248-1376 F Razoável 2193-2496 2097-2384 2081-2320 1985-2224 1857-2080 1633-1920 M 1889-2064 1777-1952 1681-1888 1569-1776 1489-1680 1377-1568 F Bom 2497-2752 2385-2624 2321-2496 2225-2448 2081-2304 1921-2112 M 2065-2288 1953-2144 1889-2064 1777-1984 1681-1888 1569-1744 F Excelente 2753-2976 2625-2816 2497-2704 2449-2640 2305-2528 2113-2480 M 2289-2416 2415-2320 2065-2224 1985-2144 1889-2080 1745-1888 F Superior +2992 +2832 +2720 +2656 +2544 +2496 M +2432 +2336 +2240 +2160 +2096 +1904 F TABELA PARA O TESTE DE COOPER 12 Minutos Critérios de referência da AAHPERD para classificação de crianças e adolescentes no teste de 1 milha (1.609m) Idade (anos) Teste 1600m (minutos) 10 11:30 a 9:00 11 11:00 a 8:30 12 10:30 a 8:00 13 10:00 a 7:30 14 9:30 a 7:00 15 9:00 a 7:00 16 – 17 ou + 8:30 a 7:00 Idade (anos) Teste 1600m (minutos) 10 12:30 a 9:30 11 - 12 12:00 a 9:00 13 11:30 a 9:30 14 11:00 a 8:30 15 10:30 a 8:00 16 - 17 ou + 10:00 a 8:00 Sexo masculino Sexo feminino Teste de trote e/ou caminhada. Valores estabelecidos pela NASPE - FITNESSGRAN
  4. 4. 22/05/2013 4 Durante um esforço físico, o VO2máx tende a aumentar com a carga de trabalho, até atingir um ponto onde se verifica um platô, e não mostra qualquer aumento adicional. Este ponto é denominado consumo máximo de oxigênio, captação máxima de oxigênio, potência aeróbica máxima ou simplesmente VO2máx. TESTE DE 12 MINUTOS NA ÁGUA 2. METODOLOGIA BÁSICA: 2.1. O teste deve ser aplicado no início da aula, logo após o aquecimento; 2.2. O objetivo é nadar a maior distância possível em 12 doze minutos cronometrados; 2.3. A largada será com o aluno dentro da piscina. 2.4. Nas raias com até 2 nadadores, eles nadarão independentemente um do outro e sairão junto à borda. Nas raias com 3 ou mais nadadores, será utilizado rodízio, indo pela direita e voltando pela esquerda. Neste caso o início do teste será escalonado com os nadadores largando a 5 metros um do outro (um na borda, um nos 5 metros, nos 10 metros, nos 15 e assim por diante); 2.5. Ao soar o apito, os alunos devem parar e permanecer apoiados nas raias ou na borda onde estiverem, até que seja feita a anotação exata de onde estavam aos 12 minutos. 2.6. O resultado do teste deve ser anotado, em metros inteiros, com a melhor aproximação possível. Na dúvida, arredondar para baixo (525,5 metros = 525 metros). Para isso a piscina deve estar sinalizada em seu comprimento a cada metro. 2.7. Os anotadores contarão o número de chegadas inteiras em quadradinhos cruzados, mais a fração de chegada em metros nos últimos minutos do teste. Por exemplo: um nadador que tenha feito 10 chegadas de 50 metros completas mais 15 metros nadou 515 m. 3. REGRAS 3.1. O aluno deverá dar preferência ao nado crawl, mas poderá utilizar-se de qualquer um dos quatro estilos competitivos, podendo inclusive alterá-lo durante o teste. 3.2. Será permitido parar para descanso, devendo o professor apenas estimular o aluno para que o faça o mínimo possível; 3.3. Não será permitido andar na parte rasa ou tracionar- se pelas raias; 3.4. Nas raias com mais de 3 nadadores ou mais, as ultrapassagens serão livres e devem ser facilitadas; Homens IDADES CATEGORIA 09 Até 12 Até 15 Até 19 Até 29 Até 39 Até 49 Até 59 60 ou + 1. INICIANTE < 256 < 342 < 434 < 494 < 366 < 320 < 274 < 229 < 229 2. ALUNO 256 - 347 342 - 434 434 - 521 494 - 592 366 - 456 320 - 411 274 - 365 229 - 319 229 - 273 3. AVANÇADO 348 - 438 435 - 525 522 - 607 593 - 690 457 - 548 412 - 502 366 - 456 320 - 411 274 - 365 4. NADADOR > 439 526 - 616 608 - 694 691 - 789 549 - 639 503 - 593 457 - 548 412 - 502 366 - 456 5. ATLETA - > 616 > 694 > 789 > 639 > 593 > 548 > 502 > 456 Mulheres IDADES CATEGORIA 09 Até 12 Até 15 Até 19 Até 29 Até 39 Até 49 Até 59 60 ou + 1. INICIANTE < 164 < 250 < 348 < 395 < 274 < 229 < 183 < 137 < 137 2. ALUNO 165 - 256 250 - 341 349 - 433 395 - 492 274 - 365 229 - 319 183 - 273 137 - 228 137 – 182 3. AVANÇADO 257 - 347 342 - 432 434 - 521 493 - 592 366 - 456 320 - 411 274 - 365 229 - 319 183 – 273 4. NADADOR > 348 433 - 524 522 - 608 593 - 690 457 - 548 412 - 502 366 - 456 320 - 411 274 – 365 5. ATLETA - > 524 > 608 > 690 > 548 > 502 > 456 > 411 > 365
  5. 5. 22/05/2013 5 Testes de esforço submáximo Teste de banco – Queens College Este teste pode ser utilizado para estimar o VO2máx. de jovens com boa condição física. Para a realização do teste são necessários: um banco com 41cm de altura, um metrônomo (sinais sonoros em ritmo determinado), um cronômetro, estetoscópio ou freqüencímetro. Testes de esforço submáximo Teste de banco – Queens College O teste é realizado subindo e descendo do banco em um período de três minutos com 22 passos (88 batidas) por minuto para mulheres e 24 passos (96 batidas) por minuto para homens. Após os três minutos o avaliado deve sentar-se por 5 segundos e em seguida é verificada a freqüência cardíaca por 15 segundos, multiplicando-se o resultado por quatro. Testes de esforço submáximo Teste de banco – Queens College Para a estimativa do VO2máx. utiliza-se as equações abaixo: Homens: VO2máx (mL . kg-1 . min-1) = 111,33 – (0,42 . FC bpm) Mulheres: VO2máx (mL . kg-1 . min-1) = 65,81 – (0,1847 . FC bpm) Testes de esforço submáximo Tabela de classificação do VO2máx. Idade 15 a 19 anos 20 a 29 anos 30 a 39 anos 40 a 4 anos 50 a 59 anos 60 a 69 anos Sexo M F M F M F M F M F M F Excelente > 60 >43 >57 >40 >48 >37 >42 >35 >38 >30 >31 >25 > média 58-59 40-42 52-56 37-39 46-47 34-36 40-41 32-34 36-37 27-29 29-30 23-24 Média 54-57 37-39 43-51 35-36 42-45 31-33 37-39 26-31 34-35 25-26 27-28 21-22 < média 44-53 35-37 40-42 32-34 38-41 29-30 34-36 24-25 31-33 22-24 25-26 19-20 Fraco <43 <34 <39 <31 <37 <29 <33 <23 <30 <17 <24 <18 Fonte: Canadian Standardized Test of Fitness (CSTF) Operations Manual. Testes de esforço submáximo Teste de Banco – Nagle Público Alvo – Ambos os sexos, de 6 a 70 anos e ao público com condições especiais como os obesos, cardíacos, indivíduos pós cirúrgico. Muito utilizado em escolares. Material Necessário - Cronômetro, metrônomo (marca ritmo), freqüencímentro cardíaco, bancos com 4 cm, 8 cm, 12 cm, 16 cm, 20 cm, 24 cm, 28 cm, 32 cm, 36 cm, 40 cm, 44 cm, 48 cm e 52 cm de altura, planilha de coleta dos dados (nome, idade, sexo...) Testes de esforço submáximo Teste de Banco – Nagle Procedimento de execução – Utilizar o ritmo fixo de 30 passadas por minuto (utilizar o metrônomo) cada estágio terá a duração de 2 minutos, o teste é continuo e a cada estágio deverá ser substituído o banco nas sucessivas alturas. Recomenda-se a utilização dos seguintes bancos para início do teste: 28 cm para jovens sadios, 12 cm para adultos sedentários e 4 cm para indivíduos de alto risco (a escolha da altura inicial dependerá de exames prévios e análise de fatores de risco e o grau de condicionamento físico, bem como sexo e idade).
  6. 6. 22/05/2013 6 Testes de esforço submáximo Teste de Banco – Nagle Procedimento de execução – Os bancos devem ser trocados na seguinte ordem: 4 cm, 8 cm, 12 cm, 16 cm, 20 cm, 24 cm, 28 cm, 32 cm, 36 cm, 40 cm, 44 cm, 48 cm e 52 cm, a cada 2 minutos deve ser verificado a FC, quando ela atingir entre 85 a 90% do valor máximo estimado, o teste deve ser finalizado. Usar a altura do último banco para o cálculo. • Porque Treinamento Cardiorrespiratório? Os baixos níveis de aptidão cardiorrespiratória estão associadas com maior risco por morte prematura de todas as causas, principalmente cardiovascular Os aumentos nos níveis de aptidão cardiorrespiratória estão associadas com redução de mortes por todas as causas. Os altos níveis de aptidão cardiorrespiratória estão associadas níveis mais altos de atividade física habitual, que por sua vez estão associados aos vários benefícios para promoção da saúde (ACSM,2003) Treinamento Cardiorrespiratório Aptidão cardiorrespiratória • “Capacidade de realizar um exercícios dinâmico de intensidade moderada a alta com grandes grupos musculares por longos períodos de tempo” (ASCM, 2003) DEPENDE Sistema respiratório Sistema cardiovascular Sistema musculoesquelético Efeitos do Treinamento Cardiorrespiratório • Os sistemas cardiovascular e respiratório estão intimamente correlacionados aos processos exercícios aeróbios, ocorrendo alterações tanto a nível funcional quanto morfológicos; • A resposta cardiovascular aos exercícios dinâmicos dependem da intensidade, freqüência e duração. (Guedes, 1995) Efeitos do Treinamento Cardiorrespiratório • Diminuição significativa da FC de repouso e nos exercícios de intensidade submáxima • Essa informação é importante na medida em que se pode utilizar a FC como meio de avaliação e controle do condicionamento fisiológico FREQUENCIACARDÍACA Efeitos do Treinamento Cardiorrespiratório • Aumento significativo (atletas de endurance) • Devido ao aumento do ventrículo, melhor contratibilidade do miocárdio; VOLUME DE EJEÇÃO
  7. 7. 22/05/2013 7 Efeitos do Treinamento Cardiorrespiratório • Aumento no peso e volume; • A hipertrofia é caracterizada pelo aumento da cavidade ventricular esquerda e um leve espessamento de suas paredes VOLUME CARDÍACO Efeitos do Treinamento Cardiorrespiratório • aumento do plasma em relação a hematócritos; VOLUME SANGUÍNEO Efeitos do Treinamento Cardiorrespiratório • Atividades aeróbias tem efeito crônico positivo na diminuição da PAS e PAD, tanto no repouso como em atividades aeróbias submáximas; • O efeito massageador da contração muscular, auxilia no retorno do sangue dos MMII, reduzindo assim a hipertensão venosa periférica “ bomba venosa de panturrilha” para posição ortostática; PRESSÃO SANGUÍNEA Efeitos do Treinamento Cardiorrespiratório • Atividades aeróbias tem efeito positivo na melhora da capacidade fisiológica respiratória às solicitações tanto em repouso como em exercícios moderados a fortes; • Na fase compensatória a função respiratória aumenta a atividade a fim de se adaptar a crescente necessidade de O2 por parte do organismo; FUNÇÃO RESPIRATÓRIA Normas e Recomendações para Prescrição de Exercícios Cardiorrespiratório • Obrigatoriedade – Exame médico preliminar – Teste ergométrico sempre que possível – Avaliação das habilidades motoras básicas – Avaliação física, antropométrica, etc. – Aquecimento e alongamento – O programa deve desenvolver mais de uma habilidade motora básica Recomendações para o teste de 12 Min • Aplicar o teste preferencialmente em uma pista de Atletismo. • Presença de dois avaliadores. • Incentivar o avaliado a correr, caminhando o mínimo possível. • Informar o tempo a cada volta e ao faltar 1 minuto para o final. • Ao final o avaliado deve fazer a caminhada perpendicular até ter a distância percorrida anotada. • Utilizar palavras de incentivo (motivação aos voluntários). • Permitir uma única tentativa. • Fornecer um número a cada participante.
  8. 8. 22/05/2013 8 Pelo teste de 12 Min •Pode-se obter a intensidade em função da equação a qual determinou o nível de condicionamento. Exemplo: Jovem 25 anos, 80kg percorreu a distância de 2500m em 12 min, numa pista de 400m. VO2 máx = (D – 504,094)/44,783 = (2500 – 504,094) / 44,783 = 44,57 mL/kg/min Correr e caminhar Métodos de Treinamento Cardiorrespiratório Método da Velocidade = estimar o VO2 máx •Nesse método, solicita-se que o indivíduo percorra uma distância conhecida em terreno plano. Anota-se o tempo necessário(t). • Encontra-se a Velocidade =D/t m/min, e aplica-se à equação: VO2 máx = V m/min x 0,2 + 3,5 ml/kg/min Exemplo: Jovem 25 anos, 80kg percorreu 5km em 29min e 30seg (29’30’’) Vm/mi = D/t = 5000m /(29*60’+ 30’’) = 5000m/ 1770 seg = 2,82 m/seg = 2,82 * 60’= 169,2 m/min VO2 máx = V m/min x 0,2 + 3,5 ml/kg/min = 169,2 * 0,2 + 3,5 = 33,84 + 3,5 VO2 máx = 37,35 ml/kg/min Métodos de Treinamento Cardiorrespiratório Método da Velocidade = estimar o VO2 máx •Nesse método, solicita-se que o indivíduo percorra uma distância conhecida em terreno plano. Anota-se o tempo necessário(t). • Encontra-se a Velocidade =D/t m/min, e aplica-se à equação: VO2 máx = V m/min x 0,2 + 3,5 ml/kg/min Exemplo: Jovem 25 anos, 80kg percorreu 5km em 29min e 30seg (29’30’’) Vm/mi = D/t = 9500m /(45’x60” + 53’’) = 9500m/ 2753 seg = 3,451 m/seg = 3,451 x 60’ = 207,04 m/min VO2 máx = V m/min x 0,2 + 3,5 ml/kg/min = 207,04 x 0,2 + 3,5 = 44,9 mL/kg/min Métodos de Treinamento Cardiorrespiratório Método da Velocidade = estimar o VO2 máx •Nesse método, solicita-se que o indivíduo percorra uma distância conhecida em terreno plano. Anota-se o tempo necessário(t). • Encontra-se a Velocidade =D/t m/min, e aplica-se à equação: VO2 máx = V m/min x 0,2 + 3,5 ml/kg/min Exemplo: Jovem 25 anos, 80kg percorreu 5km em 29min e 30seg (29’30’’) Vm/mi = D/t = 3200m /(12’) = 266,67m/min. VO2 máx = V m/min x 0,2 + 3,5 ml/kg/min = 266,67 x 0,2 + 3,5 = 56,8 mL/kg/min Equação VO2máx (L.min-1) [Massa corporal (kg) x VO2máx mL(kg.min)-1] / 1000 1 MET 3,5 mL(kg.min)-1 1 L.min-1 = 5 Kcal Tabela Classificatória - mulheres VO2 max Idade M. Fraca Fraca Regular Bom Excelente 20 – 29 - 24 24 – 30 31 – 37 38 – 48 > 49 30 – 39 - 20 20 – 27 28 – 33 34 – 44 > 45 40 – 49 - 17 17 – 23 24 – 30 31 – 41 > 42 50 – 59 - 15 15 – 20 21 – 27 28 – 37 > 38 60 – 69 - 13 13 – 17 18 – 23 24 – 34 > 35 American Heart Association, 1980
  9. 9. 22/05/2013 9 Tabela Classificatória - homens Idade M. Fraca Fraca Regular Bom Excelente 20 – 29 - 25 25 – 33 34 – 42 43 – 52 > 53 30 – 39 - 23 23 – 30 31– 38 39 – 48 > 49 40 – 49 - 20 20 – 26 27 – 35 36 – 44 > 45 50 – 59 - 18 18 – 24 25 – 33 34 – 42 > 43 60 – 69 - 16 16 – 22 31– 40 > 41 - American Heart Association, 1980 Teste Ergométrico - O avaliado pede para interromper o teste; - Limitações físicas (exaustão); - FC Max preconizada atingida; - Náusea e vômito; - Claudicação induzida pelo exercício; - Tonteira; - Obnubilação; - Palidez intensa; - Ataxia; - Lipotimia; - Cianose; - Pa sistólica > 250 mmHg; - Pa diastólica > 120 mmHg nos indivíduos normotensos; - Dispnéia severa desproporcional à intensidade do esforço; - Desconforto músculo-esquelético intenso; - Redução da FC e PA apesar do aumento de carga; - Dor precordial crescente e intensa; - Taquicardia ventricular; - Infradesnivelação de segmento ST > 3,0 mm; - Supradesnivelação de segmento ST > 1,0 mm; -Sinais de insuficiência ventricular – 3ª bulha; - Perda da qualidade técnica do exercício; - Falha do sistema de monitoração; - Fibrilação ou taquicardia atrial; Teste Ergométrico Protocolo de BRUCE – Até 2004 era um dos métodos mais conhecido e utilizado em nosso meio. Consiste na aplicação de cargas progressivas a cada três minutos de forma contínua. O VO2 máx é estimado para: Homens VO2máx ml.(kg.min)-¹ = 8,33 + (2,94 x T) Mulheres VO2máx ml.(kg.min)-¹ = 8,05 + (2,74 x T) T = Tempo em minutos. - O VO2máx não é um parâmetro fisiológico e metabólico estático. Ele pode ser modificado pelo treinamento físico. Estágio Tempo (minutos) Velocidade (km/h) Inclinação (%) 1 0 2,74 10% 2 3 4,02 12% 3 6 5,47 14% 4 9 6,76 16% 5 12 8,05 18% 6 15 8,85 20% 7 18 9,65 22% 8 21 10,46 24% 9 24 11,26 26% 10 27 12,07 28% Protocolo de BRUCE para esteira elétrica Protocolo submáximo em esteira rolante George et al. (1993). Para jovens com idades entre 18 e 29 anos. Recomenda-se que a velocidade seja suficiente para que a FC alcance o equilíbrio no intervalo de 130 a 180 bpm. Estágio único Duração (min.) velocidade mph km/h m/min Homens 3 4,3-7,5 6,9-12,1 115-202 Mulheres 3 4,3-6,5 6,9-10,5 115-175 Protocolo submáximo em esteira rolante Predição em valores relativos. EPE = 3,2 mL/kg/min. Homens: VO2máx= 54,07 – 0,1938(MC) + 4,47(V) – 0,1453 (FCesf) + 7,062 Mulheres: VO2máx= 54,07 – 0,1938(MC) + 4,47(V) – 0,1453 (FCesf) Onde: MC = massa corporal em kg. V = velocidade final em mph. FC = frequência cardíaca de esforço.
  10. 10. 22/05/2013 10 Protocolo submáximo em bicicleta ergométrica Astrand & Ryhming (1954). • O teste sub-máximo mais utilizado em cicloergômetro. • Desenvolvido para homens e mulheres entre 18 e 30 anos de idade. • É baseado na relação linear entre FC e VO2 e no pressuposto que pessoas mais jovens e com melhor aptidão apresentarão uma menor freqüência cardíaca sub-máxima em um determinado nível de intensidade. Protocolo submáximo em bicicleta ergométrica Astrand & Ryhming (1954). • Protocolo: – O avaliado deverá pedalar a um ritmo de 50 rpm. – Carga inicial: 150 W para bem treinados 100 W 100 W para moderadamente treinados 75 W 75 W para destreinados 50 W – O teste tem uma duração de 6 min. Mensurar a FC no final do 5º e 6º minuto. Protocolo submáximo em bicicleta ergométrica Astrand & Ryhming (1954). • Se a FC entre o 5º e 6º minuto não diferir mais que 5 bpm e a média estiver entre 130 e 170 bpm o teste é encerrado. • Se a média for menor que 130 bpm, aumentar a carga (50 – 100 W) e continuar por mais 6 minutos. Se as FC do 5º e 6º min. diferir mais que 5 bpm o teste continua até dois minutos consecutivos não diferirem por mais de 5 bpm. Equação para homens e mulheres (L/min): VO2máx= x CC FCmáx - FCrep FCmáx - FCrep Protocolo submáximo em bicicleta ergométrica Astrand & Ryhming (1954). Correção da carga: Homens = 0,014 (carga em watts) + 0,129 Mulheres = 0,012 (carga em watts) + 0,3 Fórmula p/ transformar VO2absoluto em VO2relativo VO2relativo = VO2absoluto x 1000 MC Teste Ergométrico Protocolo em Rampa – O protocolo em rampa é um protocolo para testes de esforço que não possui estágios. Nele o incremento da carga se dá de maneira continua e gradual durante todo o tempo de esforço. A razão com que a carga é incrementada é definida para cada paciente. Isso faz com que o protocolo em rampa seja individual e portanto ideal para qualquer paciente. O protocolo em rampa parte do pressuposto de que ao conhecermos o sexo, a idade e o condicionamento físico do paciente, temos uma boa aproximação de quanto será o consumo máximo daquele indivíduo (VO2). A partir disso o protocolo em rampa sugere então que velocidade e que inclinação serão necessárias para levar o paciente ao esforço máximo num tempo desejado. Teste Ergométrico Protocolo em Rampa A palavra rampa não tem nada a ver com a inclinação da esteira. É possível fazer um protocolo em rampa com inclinação zero durante todo o esforço. O nome rampa vem de implementar a carga de esforço em rampa, ou seja continua e gradualmente. Por isso pacientes que não tolerem inclinação podem ter seu protocolo personalizado de maneira a prevenir isso.
  11. 11. 22/05/2013 11 Teste Ergométrico Protocolo em Rampa VO2 Máximo Previsto – é calculado segundo a fórmula: 1 – Homens VO2Máx = 1.11 * (60 - 0.55 * idade) 2 – Mulheres VO2Máx = 1.11 * (48 - 0.37 * idade)

×