Distribuição Linux fedora

721 views

Published on

Distribuição Linux fedora

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
721
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
24
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Distribuição Linux fedora

  1. 1. CEETEPS – CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA “PAULA SOUZA” ETEC FERNANDO PRESTES TÉCNICO EM INFORMÁTICA Michel das Neves Antonio Raymundo de Freitas Neto Juliano Aparecido Ramalho Silvana Alves Franco Wesley Germano Otávio DISTRIBUIÇÃO LINUX FEDORA Sorocaba – SP 2013
  2. 2. Michel das Neves Nº24 Antonio Raymundo de Freitas Neto Juliano Aparecido Ramalho N 17 Silvana Alves Franco Nº 41 Wesley Germano Otávio Nº40 1º TIN DISTRIBUIÇÃO LINUX FEDORA Trabalho da disciplina Gestão de sistemas operacionais sobre distribuições linux. Professor (a): Jones Artur Sorocaba-SP 2013
  3. 3. Resumo Este trabalho apresenta o fedora que é um sistema operacional Linux, composto de um sólido ambiente gráfico e milhares de aplicativos. Disponível gratuitamente, é possível utilizá-lo e copiá-lo sem qualquer restrição e até mesmo substituir ou rodar simultaneamente a outros sistemas operacionais, como Microsoft Windows ou Mac OS X. Palavras chaves: Distribuição Linux, sistema operacional, open source, comunidade.
  4. 4. SUMÁRIO 1. Introdução ............................................................................................................ 4 2. Fedora .................................................................................................................. 6 2.1. Histórico ......................................................................................................... 6 2.2. Versão ............................................................................................................ 6 2.3. Arquitetura...................................................................................................... 9 2.4. Recursos disponíveis ..................................................................................... 9 2.5. Abrangência de mercado ............................................................................. 10 2.6. Portabilidade ................................................................................................ 11 2.7. Segurança .................................................................................................... 11 2.7.1. Medidas de Segurança em Sistemas de Fedora ...................................... 11 2.7.2. Contas de Usuário e a Conta Root ........................................................... 12 2.8. Linguagem suportada................................................................................... 12 2.9. Sgbd suportados .......................................................................................... 13 3. Conclusão .......................................................................................................... 14 4. Referências ........................................................................................................ 15
  5. 5. 4 1. Introdução Fedora é um Sistema Operacional que tem por base o Linux, é uma coleção de software que faz com que o seu computador trabalhe. Pode-se utilizar o Fedora em conjunto com outro sistema operacional como o Microsoft Windows™ ou o Mac OS X™. O sistema operacional Fedora é completamente livre de custo para que todos possam ter acesso, usufruam e partilhem. Fedora Linux é uma distribuição conhecida pela facilidade de uso e grande quantidade de recursos. Assim como nas versões anteriores, também visa atender desde o usuário leigo até o avançado, através das diversas ferramentas existentes no sistema.
  6. 6. 5
  7. 7. 6 2. Fedora 2.1. Histórico Fedora (antigamente chamado Fedora Core) é uma distribuição Linux baseada em pacotes RPM, criada pela RedHat. Atualmente mantida pelo Projeto Fedora (Fedora Project). Sua instalação é semelhante a versão 9 do RedHat, em computadores com mais de 1 GHz de processamento e 256 de MB de memória RAM, a instalação padrão demora cerca de 30 minutos. Depois da instalação o GNOME fica como gestor de desktop padrão, podendo ser mudado para o KDE, Windowmaker, XFCE e etc. Já vem com o browser Mozilla, com OpenOffice.org e suporte a diversos idiomas, além de uma grande diversidade de programas para servidores e desktops. Novas versões do Fedora são lançadas aproximadamente a cada 6 meses, tendo como padrão três versões-teste para validação e correção de defeitos, reportados através do sistema bugzilla do projeto. 2.2. Versão Cor Legenda Vermelho Versão antiga não mais suportada Amarelo Versão antiga ainda suportada Verde Versão atual Azul Versão futura Versão Data de lançamento Fim do suporte oficial Codinome Fedora 5 de Core 1.0 novembro de 2003 20 de 3 setembro de 2004 Fedora 18 de maio de 2004 Core 2.0 11 de abril de 2005 Descrição "Yarrow" 3 núcleo 2.4.22 "Tettnang" Linux 2.6.5, gnome 2.6.0, KDE 3.2.2
  8. 8. 7 Fedora 8 de Core 3.0 novembro de 2004 16 de 3 janeiro de 2006 "Heidelberg" Linux 2.6.9, gnome 2.8.0, KDE 3.3.0 Fedora 13 de junho de 2005 Core 4.0 7 de 3 agosto de 2006 "Stentz" Linux 2.6.11, gnome 2.10.0, KDE 3.4.0, gcc 4.0.0 "Bordeaux" Linux 2.6.15, gnome 2.14,0, KDE 3.5.1, gcc 4.1.0 Fedora 7 de 24 de outubro de 2006 3 Core 6.0 dezembro de 2007 "Zod" Linux 2.6.18, gnome 2.16.0, KDE 3.5.4, gcc 4.1.1 Fedora 7.0 31 de maio de 2007 13 de 3 junho de 2008 "Moonshine" Linux 2.6.21, gnome 2.18.0, KDE 3.5.6, Python 2.5 Fedora 8.0 8 de novembro de 2007 7 de 3 janeiro de 2009 "Werewolf" Linux 2.6.23.1, gnome 2.20.1, KDE 3.5.8, Python 2.5.1 "Sulphur" Linux 2.6.25, gnome 2.22.0, KDE 4.0.3 e o Python 2.5.1 Fedora 20 de março de 2006 Core 5.0 3 2 de julho de 2007 Fedora 9.0 13 de maio de 2008 10 de julho de 2009 Fedora 10 25 de novembro de 2008 18 de 3 dezembro de 2009 "Cambridge" Linux 2.6.27.5, gnome 2.24.1, KDE 4.1.2, Python 2.5.2 Fedora 11 9 de junho de 2009 25 de 3 junho de 2010 "Leonidas" Linux 2.6.29.4, gnome 2.26.0, KDE 4.2.2, Python 2.6 Fedora 12 17 de 5 novembro de 2009 2 de 3 dezembro de 2010 "Constantine" 4 3 Linux 2.6.31.5, gnome 2.28.0, KDE 4.3.2, Python
  9. 9. 8 2.6.2 Fedora 13 10 de junho de 2010 24 de 3 junho de 2011 "Goddard" Linux 2.6.33.3, gnome 2.30.0, KDE 4.4.2, Python 2.6.4 Fedora 14 2 de 7 novembro de 2010 9 de 3 dezembro de 2011 "Laughlin" Linux 2.6.35.6, gnome 2.32.0, KDE 4.5.2, Python 2.7 "Lovelock" Linux 2.6.38.6, gnomeshell 3.0.1, KDE 4.6.2, Python 2.7.1 6 Fedora 15 24 de maio de 2011 26 de 3 junho de 2012 Fedora 16 8 de 9 10 novembro de 2011 12 de 3 fevereiro de 2013 Fedora 17 Fedora 18 Fedora 19 8 "Verne" Linux 3.1, gnome-shell 3.2.1, KDE 4.7.2, Python 2.7.2 29 de 12 13 maio de 2012 "Beefy 14 15 Miracle" Linux 3.3.4, gnome-shell 3.4.1, KDE 4.8.3, Phyton 2.7.3 15 de 16 janeiro de 2013 "Spherical 17 Cow" Linux 3.6.10, gnome-shell 3.6.2, KDE 4.9.4, Phyton 2.7.3 "Schrödinger's 18 Cat" TBA 11 Os usuários da versão RedHat 9 estavam aguardando a versão 9.1 ou 10 da distribuição, mas na verdade a RedHat estava com outros planos para a nova versão. Esta distribuição era comercializadas em caixas e disponibilizadas nas lojas. Quem assim o adquiria, procurava por mais recursos. Esta era a versão Enterprise Linux. A RedHat decidiu focar o mundo corporativo com o RedHat Enterprise Linux e descontinuou sua versão voltada para a comunidade, lançando o Projeto Fedora e registrando esta nova marca, desvinculando esta nova distribuição de suas marcas. O Fedora representa um conjunto de projetos patrocinados pela RedHat e direcionados pelo Projeto Fedora. Estes projetos são desenvolvidos por uma imensa comunidade internacional de pessoas focadas em prover e manter as melhores iniciativas através dos padrões livres do software de fonte aberto. A Distribuição
  10. 10. 9 GNU/Linux Fedora, projeto central do Projeto Fedora, é um sistema operacional baseado no Linux, sempre gratuito para ser usado, modificado e distribuído por qualquer pessoa. 2.3. Arquitetura O Fedora está disponível nas seguintes arquiteturas: PPC, Arquitetura i386, Arquitetura x86_64, Arquitetura i686. PPC: PowerPC é uma arquitetura e uma família de microprocessadores RISC. Descende da arquitetura Power, mantendo com ela certo grau de compatibilidade. O acrônimo expande-se como Power OptimizationWithEnhancedRISC – Performance Computing. A origem das arquiteturas Power e PowerPC remonta ao IBM 801. O PowerPC foi criado pela aliança AIM (Apple, IBM e Motorola) no início dos anos 90 com o objetivo de criar um processador RISC para ser utilizado nos computadores da Apple (Macintosh). Embora a Apple tenha abandonado este mercado e aderido à arquitetura x86 (Intel), os processadores PowerPC ainda estão presentes em consoles de jogos (Xbox 360, Wii), para além claro está de todas as máquinas Apple Macintosh ainda ao serviço de muitos utilizadores. Podemos dizer que o x86 termo refere-se a uma família de arquitetura do conjunto de instruções, baseado no Intel 8086. O 8086 foi lançado em 1978 como uma extensão de 16 bits pela Intel foi um dos oito primeiros microprocessadores baseados que introduziu a segmentação de superação dos 16 bits de endereçamento de barreira dos chips anteriores. O x86-64 foi desenhado pela empresa Advanced Micro Devices (AMD), que o renomeou AMD64. 2.4. Recursos disponíveis Suas principais características são: Fácil utilização, mesmo para usuários inexperientes em GNU/Linux. Instalador Anaconda, um dos mais fáceis utilizados atualmente. Gestor de desktop GNOME e KDE Inclui diversos Drivers de periféricos atualizados, facilitando a detecção de hardwares mais novos. Possui diversas interfaces de configuração (Rede, Vídeo, Som, Segurança, Teclado, Samba, Serviços e etc.) facilitando a administração e configuração do sistema. Sistema para gerenciamento de pacotes Yum e atualizador de pacotes Packagekit (a partir do Fedora 9). Inúmeros programas divididos por temas, que podem ser selecionados na instalação ou através do gerenciador de pacotes. LiveCDs instaláveis com Gnome e/ou KDE disponíveis oficialmente a partir da versão 7. A partir da versão 7, inclui o REVISOR, uma ferramenta de fácil utilização para que qualquer pessoas possa gerar sua versão LiveCDs ou DVD baseado no Fedora. Disponível em CDs (exceto as versões 7 e 8, lançadas somente em DVD) e DVDs (a partir da versão 7).
  11. 11. 10 Disponível nas arquiteturas x86, x86_64 e PPC. Traduzido e Documentado em Português pelo Projeto Fedora Brasil. 2.5. Abrangência de mercado Os grandes fabricantes de hardware têm apoiado amplamente o Linux, já de olho no seu grande potencial de mercado e na necessidade de uma solução corporativa. Uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas mostra que os servidores Web em Linux estão em 16% das empresas no Brasil. Isso confere ao país o segundo lugar na adoção desse sistema, o que demonstra o aumento da confiabilidade das empresas no uso do Linux. Segundo o instituto de pesquisas americano IDC, o Linux está em 20% de todos os computadores da rede mundial. Considere, portanto, que de cada cinco computadores existentes na Web um deles é Linux! Ainda segundo o IDC, o Linux deve continuar crescendo na proporção de 24% ao ano, garantindo definitivamente o segundo lugar em sistemas operacionais na linha cliente/servidor. As empresas de suporte no Brasil, se computarmos somente as certificadas pela Conectiva, somam hoje mais de cinqüenta. E existem 70 centros de treinamento Linux em todo o país. Some-se a isso as possíveis redes de suporte e treinamento que as empresas com projeto de se instalar no Brasil irão montar (entre elas, SuSE, Mandrake, Caldera e Turbo Linux), e teremos uma idéia do quão lucrativo é o mercado de serviços ligados a Linux, sejam eles suporte ou treinamento. O importante aqui é deixar claro o novo paradigma de administração: em vez de comprar uma licença para ter o suporte atrelado, utiliza-se um produto gratuito e adquire-se o suporte específico às suas necessidades, racionalizando processos e custos e evitando a aquisição de produtos ou serviços desnecessários. Quem usa Fedora? 1. Governo Brasileiro Projeto Comunidade Digital (Mais de 31 tele centros de inclusão digital no estado do Acre e vários servidores) Serpro (Mais de 8.000 estações de trabalho e vários servidores) CECAFA (30 estações de desenvolvimento e 10 servidores) MP-TO (Estações de trabalho e 8 servidores) Universidades e Instituições de Ensino UFCG (12 servidores web/email/bd) Escola Técnica Redentorista (Servidores e 20 estações em Laboratórios) USP UNICAMP AREA1FTE Centro Universitário IPA (Servidores e 30 estações em Laboratórios) 2. Empresas ProOceano (2 servidores) Fundação Parque Tecnológico da Paraíba (5 Servidores) Freta Home Center
  12. 12. 11 3. Internacionais NASA, Saiba mais no texto Fedoraonthe Final Frontier aqui! Moblin Roadrunner IBM (Um dos supercomputadores mais rápido do mundo) 2.6. Portabilidade Software de aplicação é geralmente escrito para uso em um sistema operacional específico, e às vezes até para um hardware específico. Quando portar o aplicativo seja executado em outro sistema operacional, a funcionalidade exigida por esse aplicativo pode ser implementado de forma diferente por que o OS (os nomes de funções, ou seja, dos argumentos, etc.), requerendo a aplicação de ser adaptado, alterado, ou mantido. Este custo, em apoio à diversidade de sistemas operacionais podem ser evitados, em vez escrever aplicações contra plataformas de software como Java ou Qt. para navegadores web. Estas abstrações já suportado o custo da adaptação a sistemas operacionais específicos e suas bibliotecas de sistema. Outra abordagem é para fornecedores de sistema operacional para adoptar as normas. Por exemplo, POSIX e camadas de abstração OS fornecer comuns que reduzam os custos de portabilidade. 2.7. Segurança Os pesquisadores, desenvolvedores e profissionais de segurança, têm desenvolvido uma ampla gama de abordagens para lidar com cada tipo de ameaça. Como resultado, é possível reduzir ativamente a vulnerabilidade geral do sistema tanto para as ameaças atuais e futuras. Aplicações e serviços de rede podem serprojetados para evitar o comportamento que é conhecido por ser potencialmente perigoso, e contramedidas especializadas podem ser aplicadas dentro do próprio sistema operacional. O RedHat Enterprise Linux Security Guide fornece uma visão geral dos problemas de segurança e conselhos sobre como configurar o software comum. 2.7.1. Medidas de Segurança em Sistemas de Fedora As medidas de segurança no Fedora incluem: Um sistema de firewall Contas de usuário Separado Cada arquivo de sistema e usuário é marcado com um conjunto de permissões que especificam como ele pode ser usado Muitos serviços de rede podem acessar apenas as partes apropriadas do sistema Sem acesso às instalações administrativas desde as contas de usuário padrão sem autorização em separado Métodos de instalação de software que rejeitam software de fontes não confiáveis Utilitários para atualizar todos os softwares fornecidos no seu sistema com um comando
  13. 13. 12 Vários recursos que impedem software de modificar outras partes do sistema funcionando Status relatórios automatizados e-mail Por padrão, o processo de instalação configura todos esses recursos. Um dos objetivos do projeto global do Fedora é que cada sistema deve ser seguro, sem exigir esforço extra por parte dos usuários. Para este efeito, os desenvolvedores do Fedora continuar a aperfeiçoar as tecnologias principais como gerenciamento de software, o quadro de acesso SE Linux, e o compilador GCC software. As aplicações recomendadas e serviços de rede também têm características que abordam questões de segurança comum. Você pode modificar as configurações de cada componente para adequar a segurançado seu sistema para suas necessidades. O Projeto Fedora apenas fornece o software que está licenciado sob licença open source, para garantir que você possa estudar e personalizar o software para qualquer nível que você deseja. Você também pode ajudar diretamente para melhorar a segurança da distribuição Fedora, participando nos processos de testes, documentação e desenvolvimento. As seções abaixo fornecem alguns conselhos gerais sobre aspectos específicos da segurança do sistema. 2.7.2. Contas de Usuário e a Conta Root Criar uma conta por usuário, com uma senha forte. Cada usuário deve fazer logon no sistema com sua própria conta. Usuários podem alterar a configuração e arquivos de dados em seu próprio diretório home, mas não pode modificar arquivos do sistema, nem podem acessar os arquivos nos diretório homes de outros usuários. 2.8. Linguagem suportada Um sistema operacional como o Unix suporta uma ampla gama de dispositivos de armazenamento, independentemente da sua concepção ou sistemas de arquivos, permitindo que eles sejam acessados através de uma comum interface de programação de aplicativo (API). Isso torna desnecessário para os programas de ter qualquer conhecimento sobre o dispositivo que está acessando. A VFS permite que o sistema operacional para fornecer programas com acesso a um número ilimitado de dispositivos com uma infinita variedade de sistemas de arquivos neles instalados, através do uso de determinados Drivers de dispositivos e Drivers sistema de arquivos. O conectado dispositivo de armazenamento, como um disco rígido, é acessado através de um Drivers de dispositivo. O Drivers de dispositivo compreende a linguagem específica da unidade e é capaz de traduzir essa linguagem para uma linguagem padrão usada pelo sistema operacional para acessar todas as unidades de disco. No UNIX, esse é o idioma de dispositivos de bloco. Quando o kernel tem um driver de dispositivo apropriado no local, ele pode acessar o conteúdo do disco em formato bruto, que pode conter um ou mais sistemas de arquivos. Um driver sistema de arquivos é usado para traduzir os comandos usados para acessar cada sistema de arquivo específico em um conjunto padrão de comandos que o sistema operacional pode usar para falar com todos os sistemas de arquivos. Os programas podem então lidar com estes sistemas de arquivos com base em nomes de arquivos e diretórios / pastas, contidos em uma estrutura hierárquica. Eles podem criar apagar, abrir e fechar arquivos, bem como
  14. 14. 13 recolher diversas informações sobre elas, incluindo as permissões de acesso, tamanho, espaço livre, criação e datas de modificação. 2.9. Sgbd suportados O Fedora é suportado em parte por um banco de dados relacional. O bibliotecário pode optar em não usar o BD natural do sistema desenvolvido em Java (McKoi v1.0.3). Neste caso, deve instalar um dos bancos relacionados para trabalhar com o sistema. Entre os indicados há o banco de dados de código aberto MySQL, sempre em versões compatíveis e atualizadas com as plataformas operacionais instaladas; E o Oracle 9i. Estes bancos de dados se caracterizam pela compatibilidade e integração com sistema desenvolvido na linguagem Java. Fedora suporta repositórios que variam em complexidade desde implementações simples que usam um pacote padrão do serviço até distribuições altamente customizáveis e completas de repositórios digitais.
  15. 15. 14 3. Conclusão Essa pesquisa proporcionou um conhecimento melhor do que vem a ser o Sistema Operacional Linux, especificamente o Fedora, também podemos notar que o crescimento nesse setor, na adoção desse sistema é muito grande, tanto de usuários como de colaboradores que contribuem para o aperfeiçoamento da ferramenta. Linux é percebida como, um sistema altamente flexível. É uma multi-plataforma, assim para trabalhar em uma ampla gama de hardware. Suporta quase todos os protocolos de rede e internet.Sua natureza aberta permite que você configure de acordo com os gostos pessoais. Tendo como objetivo: - ter um sistema operacional completo com as potencialidades dos sistemas disponíveis no mercado. Para isso, o Fedora é aberto não somente para usuários, mas para aqueles que desejarem participar do desenvolvimento da distribuição, contribuindo para o constante aperfeiçoamento da mesma; - Disponibilizar o sistema operacional completamente em software livre (códigofonte aberto); - Fornecer uma plataforma robusta para o desenvolvimento de software; - Oferecer pacotes de atualização por vários meios; - Enfatizar a usabilidade e uma filosofia de "trabalho em conjunto", para definir as características do sistema e as correções de falhas; - Promover uma adoção rápida, mantendo um upgrade fácil e com o mínimo de alterações de configuração (em relação a uma versão RedHat ou a uma versão anterior do Fedora, quando existir); - Incluir uma série de softwares populares, além daqueles oferecidos pela RedHat (quando esta pode legalmente fornecer); - Estabelecer padrões técnicos para que os pacotes tenham qualidade e consistência; - Oferecer atualizações periodicamente; - Criar um ambiente onde os pacotes de terceiros sejam fáceis de adicionar e incentivar a manutenção dos mesmos; - Dar base a produtos suportados pelo sistema operacional RedHat; - Promover o uso global, dando suporte a tantos idiomas e locais quanto forem possíveis; Liberar os downloads do Fedora, em formato RPM, SRPM e ISO (para serem gravadas em CD).
  16. 16. 15 4. Referências Projeto Fedora, Acesso em 10/06/2013 http://fedoraproject.org/ http://fedoraproject.org/ HtmlStanff, Acesso em 10/06/2013 http://www.htmlstaff.org/ver.php?id=22618 little_oak_,TI ->, Acesso em 11/06/2013 http://littleoak.wordpress.com/2009/04/16/gnulinux-e-suas-dificuldades-nausabilidade-diversidade-que-pode-matar-2/ Onda Linux, Acesso 11/06/2013 http://ondalinux.blogs.sapo.cv/15927.html Viva o Linux, Acesso em 11/06/2013 http://www.vivaolinux.com.br/artigos/impressora.php?codigo=7093 Wikipédia, Acesso 11/06/2013 http://pt.wikipedi

×