Aprendizagem autoria avaliação

7,275 views

Published on

A aprendizagem e a avaliação em teorias pedagógicas que buscam o aluno como autor

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
7,275
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
7
Actions
Shares
0
Downloads
184
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aprendizagem autoria avaliação

  1. 1. Weld Nome: Aprendizagem, autoria e avaliação Carlos
  2. 2. Aprendizagem, autoria e avaliação As novas tendências pedagógicas abordam sobre a importância do professor deixar de “dar aula” e assumir o papel do mediador, permitindo que o aluno seja o autor de seu conhecimento, onde este, em contato com os iguais, aprende e ensina. Desta forma, o conteúdo assume diferentes linguagens e abordagens, alcançando diferentes formas de aprender, possibilitando que as compreensões sejam mais amplas. O grande desafio é alcançar a aprendizagem pretendida, sendo o aluno o grande pesquisador. E como avaliar este aprendizado? Como mediar este processo com alunos em diferentes níveis de compreensão?
  3. 3. A aprendizagem é a principal razão de existir da escola, toda sua estrutura como funcionários, secretarias e recursos têm em seu objetivo o aprender. Para isso, várias pedagogias foram adotas para possibilitar este processo, Becker (2001) classificou-as em três tipos: <ul><li>Diretiva: o professor é quem transmite o conhecimento, ele é o centro da aprendizagem; </li></ul><ul><li>Não-diretiva: o aluno é quem deve buscar aprender e uma participação direta do professor pode prejudicar este processo, o aluno é o centro da aprendizagem; </li></ul><ul><li>Relacional: através de desafios criados pelo professor os alunos se relacionam e desenvolvem meios para as soluções, a relação entre o professor e aluno é o centro da aprendizagem. </li></ul><ul><li>As novas tendências pedagógicas consideram a pedagogia relacional como a mais eficiente, nela o professor torna-se mediador do conhecimento, exigindo que o aluno busque seu próprio saber e permite que o aluno aprenda com outro aluno. </li></ul><ul><li>O melhor método de aprendizagem é o que o aluno aprende, mas o professor deve ter a consciência da sua forma de ensinar permitindo que o sua pedagogia seja compreendida pelo aluno. </li></ul>Aprendizagem, autoria e avaliação
  4. 4. Aprendizagem, autoria e avaliação <ul><li>Algumas vantagens da pedagogia relacional </li></ul><ul><li>Ambiente rico em aprendizagem, pois todos os participantes, professor e aluno, são pesquisadores e aprendizes; </li></ul><ul><li>Fazer com que o aluno busque o seu conhecimento, adquirindo assim, autonomia; </li></ul><ul><li>Desenvolvimento social e crítico do aluno; </li></ul><ul><li>Possibitar que os alunos interajam entre si, desta forma, o conteúdo adquiri diferentes linguagens e assimilações; </li></ul><ul><li>A melhora da autoestima do aluno, pois ele aprende e ajuda outros à aprender, sentindo-se assim, útil e valorizado neste processo </li></ul>APRENDIZAGEM
  5. 5. Aprendizagem, autoria e avaliação Pedagogia diretiva = aluno desmotivado Pedagogia relacional = todos envolvidos <ul><li>Mas, para que a pedagogia relacional funcione o professor precisa </li></ul><ul><li>estar ciente das formas de aprendizagem de cada aluno; </li></ul><ul><li>conhecer as dificuldades que possuem; </li></ul><ul><li>estar sempre propondo novos desafios para que eles estejam motivados, descobrindo assim, meios de envolver todos no processo educacional. </li></ul><ul><li>Para conseguir isso a ferramenta mais importante é a avaliação. </li></ul>
  6. 6. Aprendizagem, autoria e avaliação A avaliação permite que o professor conheça o aluno e todo o processo educacional. Luckesi (2011) demonstra a importância da avaliação embasada como meio científico, onde deve-se buscar entender não só o que vemos, mas também, o que está escondido. Silva (2003) enfatiza a importância do professor identificar a forma como o aluno aprende para criar novos desafios para a aprendizagem, e assim, provocar o “erro construtivo”, pois é através destes erros que o professor pode estimular o aluno a produzir e aprender mais. Hoffmann (2005) diz que o professor deve “ler” o aluno, interpretando o que faltou, transformando esta falta em qualidades ou aprendizagens. Esta “leitura” deve ser realizada no cotidiano escolar, onde há a possibilidade do professor traçar objetivos individuais para os alunos, atualizar estes objetivos de acordo o final de cada etapa, fazendo assim uma reflexão de sua metodologia
  7. 7. Aprendizagem, autoria e avaliação As relações e a construção dos diálogos entre professor e aluno devem ser realizados todos os dias, durante todo o processo, tendo o professor, a consciência que o seu trabalho e método também estão sendo avaliados, desta forma, contribuindo para situar-se do que deve ser mudado ou aperfeiçoado. O professor deve refletir sobre o aluno, conhecendo sua realidade, suas dificuldades e como é este aluno como ser social e humano, as suas ações estão sempre em construção, evoluindo conforme suas avaliações diárias.
  8. 8. Aprendizagem, autoria e avaliação Quando o professor avalia o aluno permitindo sua liberdade de autoria e compreende que ele é um ser único e que pode aprender diferentemente de outro, que pode, direta ou indiretamente, contribuir no aprendizado de seus colegas, quando este professor adapta seu conteúdo, metodologias ou cria diferentes instrumentos avaliativos, quando o professor tem a visão de que não é o dono do conhecimento e entende que a forma com que ensina pode não ser a melhor para todos, ele está ajudando seus alunos a adquirirem a autonomia de aprender.
  9. 9. Aprendizagem, autoria e avaliação Para que essas mudanças possam ser possíveis, e xige-se do professor mais planejamento, muita dedicação, criatividade, habilidade de observar e conhecer seus alunos e ainda a consciência de que o conhecimento é construído diariamente e de forma diferente para cada ser. Existem, portanto, muitos fatores que precisam ser mudados, como a aprovação do aluno por meio de notas, as cobranças que são feitas às unidades escolares que devem alcançar metas internacionais baseadas nas médias escolares dos alunos e a visão política de que aumentar as horas de planejamento do professor é um gasto excedente e horas de folga para este profissional. A educação deve mudar, mas para isso não podemos colocar o professor como o único responsável, todos devem estar envolvidos para que essa mudança seja possível.
  10. 10. Aprendizagem, autoria e avaliação REFERÊNCIAS HOFFMANN, Jussara. Avaliação formativa ou avaliação mediadora. In: O jogo do contrário em avaliação. Porto Alegre: Mediação, 2005, p. 13-26. SILVA, Janssen F. da. Introdução: avaliação do ensino e da aprendizagem numa perspectiva formativa reguladora. In: Práticas avaliativas e aprendizagens significativas: em diferentes áreas do currículo / Organizadores Janssen Felipe da Silva, Jussara Hoffmann, Maria Teresa Esteban. Porto Alegre: Mediação, 2003, p. 07-18. LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem na escola: investigação e intervenção. In: Avaliação da aprendizagem componente do ato pedagógico. São Paulo: Cortez, 2011, p. 149-178. AVALIAÇÃO E APRENDIZAGEM. TV Escola. Ministério da Educação. Secretaria de Educação a Distância. DVDEscola 03. AVALIAÇÃO NA APRENDIZAGEM, Luckesi, Cipriano. Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=slL3EW7ntAE&feature=related . Acesso em 04/06/2011.

×