Gramática crase

2,163 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,163
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
64
Actions
Shares
0
Downloads
41
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Gramática crase

  1. 1. Aula de hoje: Crase Gramática — Prof. Walter
  2. 2. CRASE É a fusão de duas vogais idênticas, marcada pelo acento grave. preposição A + o artigo feminino A(s): Vamos à cidade. + o pronome demonstrativo A(s): Ele se referiu à que deixei no armário. + o A dos pronomes aquele(s), aquela(s) e aquilo: Dirija-se àquele vendedor. + o A do relativo a qual (as quais): Chegou a aluna à qual entreguei o resultado.
  3. 3. Verificar a existência de uma preposição é, antes de mais nada, aplicar os conhecimentos de regência que você acaba de obter. Observe: Conheço a diretora. Conhecer é transitivo direto: quem conhece, conhece alguém ou algo Somente um A, sem crase Refiro-me à diretora. Referir é transitivo indireto: Quem se refere, refere-se A algo ou A alguém Dois AA, com crase
  4. 4. Método prático 1: a regra do cachorro Troque o termo por feminino por um termo masculino de mesma natureza. SE LATIR (ao), ocorre crase. Conheço a diretora. Conheço O diretor. Refiro-me à diretora. Refiro-me AO diretor. Prefiro a tela da direita à da esquerda. Prefiro o quadro da direita AO da esquerda. Falei à mesma pessoa. Falei AO mesmo homem.
  5. 5. Método prático 2: a regra do pedinte Com nomes próprios de lugar, Troque o verbo que pede a preposição a pelo verbo vir; aparecendo DÁ, ocorre crase. Ela foi à Bahia./ Ela veio DA Bahia. Ela foi a Cuiabá./ Ela veio de Cuiabá. Se você determinar o substantivo usado para cidade, aparecerá o artigo e, conseqüentemente, a crase. Iremos à simpática Cuiabá. (Viremos da simpática Cuiabá).
  6. 6. Sempre com crase: Com a palavra HORA, clara ou oculta. Saímos às três horas. Retornamos às dez. Com a palavra MODA, clara ou oculta. Escrevia à Machado de Assis. Escrevia à moda de Machado de Assis.
  7. 7. Com crase ou sem crase casos facultativos Antes de nomes de mulher: Mandei uma carta à Patrícia/ a Patrícia. Mandei uma carta ao Manuel/ a Manuel. Com determinação, a crase é obrigatória. Mandei uma carta à culta Patrícia/ao culto Manuel Antes de MINHA-T/SUA-N/VOSSA no singular: Explicarei isso à sua irmã/ ao seu irmão. Explicarei isso a sua irmã/ a seu irmão. Depois da preposição ATÉ: Ele foi até à praia/ a praia. Ele foi até ao campo/ até o campo.
  8. 8. Nunca com crase Com a palavra CASA sem determinação: Ele foi a casa pela manhã. Com determinação, com crase: Ele foi à casa da esquina. Com a palavra DISTÂNCIA sem especificação: O guarda ficou a distância. Com especificação, com crase: Ele ficou à distância de 10 metros.
  9. 9. Nunca com crase Com a palavra TERRA, quando é o contrário de bordo: Os marujos foram a terra. Com determinação, com crase: Os marujos foram à terra natal. Em locuções com palavra repetida: Os adversários estavam cara a cara. Antes de palavra masculina. Ex.: Eles chegaram a cavalo. Antes de verbo. Estava prestes a chorar.
  10. 10. Nunca com crase Antes de artigo indefinido, claro ou oculto: Ex.: Aspirava a uma posição/ a um emprego melhor Antes de pronome indefinido: Chegaram a alguma ilha/ a algum município do interior. Antes de pronome pessoal, inclusive o de tratamento. Diga a ela que voltarei. Já tinha pedido isso a Vossa Senhoria. Os pronomes de tratamento senhora, senhorita, madame e dona admitem o acento de crase. Dirigiu-se à senhorita Denise.
  11. 11. Nunca com crase Antes de ESTA e ESSA. Diga a verdade a essa funcionária/ a este homem. Antes de nomes de vultos históricos. Referiu-se a Joana d’Arc/a Tiradentes. Com determinação, com crase: Referiu-se à valente Joana d’Arc. Com A antes de plural. Não se prendia a coisas materiais.

×