Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Drogas e Juventude no Século XXI

5,953 views

Published on

Apoio digital da palestra do Coletivo Fanon sobre a questão das drogas fugindo das visões maniqueístas e hipócritas. O aumento do consumo de substâncias lícitas e ilícitas no século XXI foi analisado de um modo "nu e crú" para uma platéia de jovens que estão expostos ao contato com drogas de todo o tipo, principalmente o álcool e o crack, duas das piores drogas devastadoras de famílias na periferia. Sempre nos perguntamos quantas livrarias temos em uma favela? E quantos botecos, biroscas, servindo pinga barata? O problema das drogas é uma totalidade cheia de contradições e relações ocultas, onde a sujeira humana nos leva da boca de crack fedendo a esgoto a céu aberto em uma favela de barracos de restos de madeira sobrepostos aos paraísos fiscais do mundo onde a roupa suja com o sangue dos jovens das periferias dos Brasis deste mundo é lavada.

Published in: Education
  • Be the first to comment

Drogas e Juventude no Século XXI

  1. 1. JUVENTUDE E DROGAS NO SÉCULO XXI Prof. Walter Lippold
  2. 2. OBJETIVOS <ul><li>Proponho aqui a valorização da vida através de um debate franco, que fuja dos tabus e da hipocrisia acerca das drogas, do tráfico, dos problemas de saúde e dos sociais que originam e são originados pelo consumo, pela produção e distribuição de drogas ilícitas, mas também focando as lícitas. </li></ul>
  3. 3. <ul><ul><li>O uso de drogas - das chamadas substâncias psicoativas - acontece há milhares de anos. Nosso foco é a atualidade, o consumo de drogas hoje e a teia de relações que o sustenta. </li></ul></ul><ul><ul><li>O Uso acontece por diversas razões: </li></ul></ul><ul><ul><li>vulnerabilidade social </li></ul></ul><ul><ul><li>fuga social; </li></ul></ul><ul><ul><li>como meio de socialização; </li></ul></ul><ul><ul><li>por recreação; </li></ul></ul><ul><ul><li>como forma de enfrentamento de problemas; </li></ul></ul><ul><ul><li>para transgredir; </li></ul></ul><ul><ul><li>medicinais; </li></ul></ul><ul><ul><li>culturais ou religiosas; </li></ul></ul><ul><ul><li>para ampliar o rendimento no trabalho. </li></ul></ul>
  4. 4. A SOCIEDADE ATUAL: CONSUMISMO E PRESENTISMO <ul><li>Economia predatória. </li></ul><ul><li>Culto do eu. </li></ul><ul><li>Consumismo e mercadificação. </li></ul><ul><li>Falta de oportunidades. </li></ul><ul><li>Cultura da competição individual (vencer ou fracassar). </li></ul><ul><li>Mídia  “viver o prazer imediato”. </li></ul><ul><li>“ A felicidade está numa pílula”. A Distopia de Huxley e a SOMA. </li></ul><ul><li>As novas drogas sintéticas. </li></ul>
  5. 5. II Levantamento Domiciliar sobre o Uso de Drogas Psicotrópicas no Brasil: 2005 Em 108 cidades c/ mais 200 mil hab. Brasil 9 DROGAS MAIS USADAS % de uso na vida DROGAS 2001 2005 ÁLCOOL 68,7 74,6 TABACO 41,1 44,0 MACONHA 6,9 8,8 SOLVENTES 5,8 6,1 ANOREXÍGENOS 4,3 4,1 BENZODIAZEPÍNICO 3,3 5,6 COCAÍNA 2,3 2,9 XAROPE (codeína) 2,0 1,9 ESTIMULANTES 1,5 3,2
  6. 6. Alcoolismo, o maior problema de saúde pública Já é fato conhecido que o álcool é a segunda substância psicoativa mais consumida no mundo depois da cafeína . Em consequência do seu uso, aparecem os acidentes automobilísticos, os acidentes de trabalho, as doenças orgânicas como, por exemplo, hepatopatias e neuropatias, além dos quadros de dependência que geram inúmeros transtornos familiares e graves problemas sociais.
  7. 7. CRACK = MORTE <ul><li>Autodestruição da mente e do corpo. </li></ul><ul><li>O usuário torna-se rapidamente dependente. </li></ul><ul><li>Subproduto cristalizado da merla, que é um subproduto da pasta de coca. </li></ul><ul><li>Entre 1986 e 1992 o mercado do crack toma os guetos dos EUA. (Filme New Jack City, a gang brutal) </li></ul><ul><li>Mais barato que a cocaína, de produção descomplicada, o crack tornou-se um problema social de extrema gravidade. </li></ul>Apesar de ser considerado “droga de pobre”, o crack já alcançou a classe média também. A droga se espalhou e se firmou também em cidades do interior.
  8. 8. O PROBLEMA SOCIAL <ul><li>Contradições sociais. </li></ul><ul><li>Lógica do lucro fácil. </li></ul><ul><li>A cidade rica e a cidade pobre. </li></ul><ul><li>VIOLÊNCIA SOCIAL </li></ul><ul><li>Controle social  O caso Cointelpro </li></ul><ul><li>Drogas para ricos e drogas para pobres: “coca para os ricos, cola para os pobres.” </li></ul>
  9. 9. PRODUÇÃO DISTRIBUIÇÃO CICLO ECONÔMICO DA DROGA CONSUMO
  10. 10. A ZONA NEBULOSA NO COMBATE ENTRE O ESTADO E O CRIME ZONA NEBULOSA <ul><li>LAVAGEM DE DINHEIRO </li></ul><ul><li>SUBORNOS E “APADRINHAMENTOS” </li></ul><ul><li>CORRUPÇÃO POLICIAL (“arrego”) </li></ul>ESTADO CRIME
  11. 11. VALORIZAÇÃO DA VIDA <ul><li>Acesso aos esportes. </li></ul><ul><li>Educação estética. </li></ul><ul><li>Controle da propaganda midiática. (Álcool) </li></ul><ul><li>Crítica à “cultura do imediatismo” e da mercadificação absoluta. </li></ul><ul><li>Redução de Danos. </li></ul><ul><li>Alternativas econômicas para a comunidade. </li></ul><ul><li>Combate à hipocrisia e ao obscurantismo. </li></ul><ul><li>Crítica ao modelo meramente punitivo. </li></ul>

×