Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Metafísica em aristóteles

27,722 views

Published on

Metafísica em aristóteles

  1. 1. NOÇÕES SOBRE<br /> METAFÍSICA<br />EM<br />ARISTÓTELES<br />
  2. 2. O objeto de investigação da Metafísica não é qualquer ser, mas do ser enquanto ser. <br />Examina o que pode ser afirmado sobre qualquer coisa que existe por causa de sua existência e não por causa de alguma qualidade especial que se tenha. <br />Também aborda os diferentes tipos de causas, forma e matéria, a existência dos objetos matemáticos e Deus.<br />
  3. 3. Aristóteles deu quatro definições para metafísica:<br />-a ciência que indaga causas e princípios; -a ciência que indaga o ser enquanto ser; -a ciência que investiga a substância; -a ciência que investiga a substância supra-sensível.<br />Os conceitos de ato e potência, matéria e forma, substância e acidente possuem especial importância na metafísica aristotélica.<br />
  4. 4. A metafísica de Aristóteles concebe o ente como um ser composto de matéria (hylé) e forma (eidos).<br />A matéria significa aquilo de que é feito algo. A forma é a figura dos corpos; aquilo que faz com que a coisa seja o que é; aquilo que fornece unidade a matéria. <br />Ela se confunde com a essência da coisa; aquilo que a define, que dá sentido ou finalidade (telos- palavra grega que significa fim). <br />Assim, não existem, para Aristóteles, idéias puras no mundo inteligível; a forma só há para a matéria e vice-versa. <br />É pelo processo de abstração que se pode saber o que a coisa é, ou seja, só se forma tipos gerais em virtude da abstração das características particulares das coisas. <br />
  5. 5. Só se conhece o homem, porque esta idéia é algo comum a todos os homens.<br /> Então, as substâncias existem.<br />A gênese de tudo que é composto consiste em uma matéria informe com uma forma que a fornece unidade dando-lhe inteligibilidade. <br />A matéria sempre objetiva voltar à sua forma original e desvencilhar-se da forma. <br />
  6. 6. Na metafísica, Aristóteles definiu as quatro causas, explicada aqui em termos gerais:<br />Causa formal — é a forma ou essência das coisas(um objeto se define pela sua forma).<br />Causa material — é a matéria de que é feita uma coisa (a matéria na qual consiste o objeto).<br />Causa eficiente — é a origem das coisas (aquilo ou aquele que tornou possível o objeto).<br />Causa final — é a razão de algo existir (a finalidade do objeto).<br />
  7. 7. A causa material (aquilo do qual é feita alguma coisa, a argila, por exemplo); <br />A causa formal (a coisa em si, como um vaso de argila); <br />A causa motora (aquilo que dá origem ao processo em que a coisa surge, como as mãos de quem trabalha a argila); <br />A causa final (aquilo para o qual a coisa é feita, cite-se portar arranjos para enfeitar um ambiente). <br />
  8. 8. Essência e acidente<br />Aristóteles distingue, também, a essência e os acidentes em alguma coisa.A essência é algo sem o qual aquilo não pode ser o que é; é o que dá identidade a um ser, e sem a qual aquele ser não pode ser reconhecido como sendo ele mesmo (por exemplo: um livro sem nenhum tipo de letras não pode ser considerado um livro, pois o fato de ter letras é o que permite-o ser identificado como "livro" e não como "caderno" ou meramente "papel em branco").O acidente é algo que pode ser inerente ou não ao ser, mas que, mesmo assim, não descaracteriza-se o ser por sua falta (o tamanho de uma flor, por exemplo, é um acidente, pois uma flor grande não deixará de ser flor por ser grande; a sua cor, também, pois, por mais que uma flor tenha que ter, necessariamente, alguma cor, ainda assim tal característica não faz de uma flor o que ela é).<br />
  9. 9. A teoria aristotélica sobre as causas estende-se sobre toda a Natureza, que é como um artista que age no interior das coisas. ( Filosofia primeira)<br />

×