Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Teoria cores

23,538 views

Published on

Aula sobre a Teoria das Cores para o Design e Publicidade. Autoria: prof. Flavia Werneck

Teoria cores

  1. 1. Teoria das Cores Psicodinâmica das Cores Estudo sobre a percepção das cores. Flavia Werneck.Cores.2011
  2. 2. <ul><ul><li>Aristóteles: as cores eram uma propriedade dos objetos, assim como peso, material e textura. Eram seis no total: o vermelho, o verde, azul, amarelo, branco e negro; </li></ul></ul><ul><ul><li>Plínio (poeta do século V): acreditava que existiam três cores básicas seriam o vermelho vivo, o ametista e uma outra que chamou de conchífera (uma espécie de rosa perolado). O amarelo foi excluído por estar associado a mulheres (era usado no véu nupcial); </li></ul></ul><ul><ul><li>Leonardo da Vinci: publicou o livro Tratado da pintura e da paisagem , que se opõem a Aristóteles ao afirmar que a cor não era uma propriedade dos objetos, mas da luz. Todas as outras cores eram formas a partir do vermelho, verde, azul e amarelo. Afirma ainda que o branco e o preto não são cores mas extremos da luz; </li></ul></ul><ul><ul><li>Le Blon (impressor do século XVIII): testou diversos pigmentos até chegar aos três básicos para impressão: o vermelho, amarelo e azul; </li></ul></ul><ul><ul><li>Goethe (escritor alemão do século XIX): criou um tratado sobre as cores que confrontou a teoria de Newton. Suas observações sobre a fisiologia e psicologia da cor foram usadas no século XX pelos pesquisadores da Gestalt . </li></ul></ul>Estudos sobre a Luz e a Cor
  3. 3. O que é a cor? <ul><ul><li>A cor não é um fenômeno físico. </li></ul></ul><ul><ul><li>É um estímulo orgânico que interpreta o reflexo da luz vinda de um objeto que foi emitida por uma fonte luminosa, correspondente ao espectro visível; </li></ul></ul><ul><ul><li>A Luz é o estímulo e a Cor é o efeito; </li></ul></ul><ul><ul><li>O Objeto não possui cor . </li></ul></ul>
  4. 4. Teoria da Cor <ul><ul><li>Sem luz, a cor não existe. </li></ul></ul><ul><ul><li>A cor é formada por vibrações eletromagnéticas que ao encontrar um obstáculo é refletida ou absorvida, variando a intensidade da cor, do reflexo e do brilho. </li></ul></ul><ul><ul><li>Cor não é matéria, é sensação provocada pela ação da luz sobre o órgão da visão. </li></ul></ul><ul><ul><li>As sensações de cor, ou sensações cromáticas, dividem-se em dois grupos: </li></ul></ul><ul><ul><li>Cor Luz e Cor Pigmento. </li></ul></ul>
  5. 5. A cor possui: <ul><ul><li>DIMENSÃO – porque aumenta e diminui, aparentemente, os ambientes. </li></ul></ul><ul><ul><li>PESO – porque torna, aparentemente, os volumes mais leves ou pesados. </li></ul></ul><ul><ul><li>ILUMINAÇÃO – porque absorve uma parte da luz recebida e reflete outra. </li></ul></ul><ul><ul><li>TEMPERATURA – porque imprime a ideia subjetiva de “quente” e “frio”. </li></ul></ul><ul><ul><li>SIMBOLISMO – porque se relaciona com as tradições. </li></ul></ul><ul><ul><li>EMOÇÃO – porque se associa diretamente ao nosso psiquismo </li></ul></ul>
  6. 7. Aspectos orgânicos. O olho humano. <ul><ul><li>Cor é um fenômeno subjetivo e individual; </li></ul></ul><ul><ul><li>Nosso olho é composto por células que levam impulsos para o cérebro: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cones: captam a informação luminosa da luz do dia, das cores e do contraste. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Bastonetes : adaptados à luz noturna e à penumbra. Captam o claro e escuro e volumes. </li></ul></ul></ul>Flavia Werneck.Cores.2009
  7. 8. Espectro Cromático Em 1704, o físico e matemático inglês Isaac Newton (1642-1727) apresentou em sua obra um questionamento-chave para a relação luz e cor. Trata-se da passagem do raio de luz branca por um prisma, revelando o espectro cromático que, por sua vez, ao atingir um novo prisma, retorna a luz branca original.
  8. 9. Espectro Cromático Flavia Werneck.Cores.2009 <ul><ul><li>Espectro visível é o comprimento das ondas eletromagnéticas, que vibram à um nível visível, entre 380 e 750 nanômetros; </li></ul></ul><ul><ul><li>Ondas mais curtas (ultravioleta, os raios-X e os raios gamas) e mais longas (infravermelho, o calor, as microondas e as ondas de rádio e televisão) emitem um nível de radiação que não podem ser percebidas pelo olho humano. </li></ul></ul>
  9. 10. Síntese Aditiva – Cor Luz RGB - cores da natureza, tela de televisão e monitores, que são meios que emitem luz. <ul><ul><li>Somam-se radiações de comprimentos de onda diversos, projetando-as simultaneamente sobre uma tela branca. Resultam assim em outras cores, por adição. </li></ul></ul><ul><ul><li>Somatório das Cores Primárias: Vermelho (R) + Verde (G) + Azul (B) = Branco </li></ul></ul>
  10. 11. Decomposição da Cor-Luz <ul><ul><li>Primárias: cores com maior freqüência </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>azul, vermelho e amarelo. </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Secundárias: obtidas com a mistura das cores primárias </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>laranja, verde, violeta </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Terciárias: obtidas com a mistura das cores secundárias </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>vermelho-laranja, vermelho-violeta, amarelo-verde, amarelo-laranja, azul-verde e azul-violeta, bistre, marrom, verde oliva, etc. </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Nesta escala o amarelo é a cor mais clara (luz), o violeta a mais escura. </li></ul></ul>Flavia Werneck.Cores
  11. 12. Síntese Subtrativa – Cor Pigmento <ul><ul><li>Os pigmentos agem como FILTROS ou selecionadores da luz incidente. </li></ul></ul><ul><ul><li>As cores básicas da cor pigmento são: amarelo, cyan e magenta. </li></ul></ul><ul><ul><li>A subtração das três cores resultam numa cor muito próxima ao preto. </li></ul></ul>CMYK usado no processo gráfico C = cyan, M = magenta, Y = yellow (amarelo) K = Black (preto) é a cor responsável pelos contornos.
  12. 13. Síntese Subtrativa Cor Pigmento TRICROMIA C = cyan M = magenta Y = yellow
  13. 14. Processo Gráfico: Fotolito <ul><ul><li>Cor obtida por partição (grãos): </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Técnica desenvolvida por artistas impressionistas e pós-impressionistas (pontilhismo, Georges Seurat) e estudada na “Lei das Misturas” de Grassmann; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Pode ser utilizada como: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Retícula do processo gráfico; </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Granulação do papel fotográfico; </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Visualização de pixel. </li></ul></ul></ul></ul>
  14. 15. Tom <ul><li>Tonalidade – trajetória que vai da luz a escuridão (ausência de luz = preto). </li></ul><ul><li>Gradação na natureza é “infinita”, mas em artes gráficas temos cerca de 13 gradações. </li></ul><ul><ul><li>Escala acromática </li></ul></ul><ul><ul><li>Escala dos cinzas </li></ul></ul>
  15. 16. A tonalidade permite ao designer reforçar a ideia da perspectiva, oferecendo volume a imagem. <ul><li>LUZ </li></ul><ul><li>MEIO TOM </li></ul><ul><li>SOMBRA </li></ul><ul><li>REFLEXO </li></ul><ul><li>SOMBRA PROJETADA </li></ul>
  16. 17. Características psicológicas <ul><li>1 – Matiz “cor” ou “tinta” </li></ul><ul><ul><li>É sensação primordial da cor. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ligado ao comprimento de onda de cada cor. </li></ul></ul><ul><ul><li>MATIZ / COMPRIMENTO DE ONDA = HUE . </li></ul></ul>Flavia Werneck.Cores.2009 Na percepção das cores distinguem-se características principais, ou parâmetros básicos da cor:
  17. 18. <ul><li>2 – Valor: Luminosidade, Brilho / Sombra. </li></ul><ul><li>É a quantidade de luminosidade presente na cor. </li></ul><ul><ul><li>Adiciona-se a escala acromática (escala dos cinzas) </li></ul></ul><ul><ul><li>Matizes próximas do branco são consideradas com valor alto ou Luminosas ; </li></ul></ul><ul><ul><li>Matizes próximas do preto são consideradas com valor baixo ou com Sombra . </li></ul></ul>Características psicológicas Flavia Werneck.Cores.2009
  18. 20. Características psicológicas <ul><ul><li>O cinza além de conferir maior ou menor luminosidade, também pode modificar a cor. Veja o amarelo com cinza, tornou-se esverdeado. </li></ul></ul><ul><ul><li>LUMINOSIDADE = LUMINOSITY </li></ul></ul>Flavia Werneck.Cores.2009 Adição branco / luz Adição cinza Adição preto
  19. 21. Características psicológicas <ul><li>3 – Saturação </li></ul><ul><ul><li>Pureza da Cor </li></ul></ul><ul><ul><li>Quanto mais próximo a cor pura, mais saturada. </li></ul></ul><ul><ul><li>Cores desaturam-se quando misturadas ao branco, isto é, perdem sua intensidade. </li></ul></ul><ul><ul><li>SATURAÇÃO = SATURATION. </li></ul></ul>Flavia Werneck.Cores.2009 saturada
  20. 23. Temperatura da Cor <ul><ul><li>Sensação transmitida pela cor, dando a impressão de ser: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Quente s: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Possuem uma vibração muito intensa; </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Tendem a avançar (saltar) e vibrar; </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Compostas pela derivação do laranja, vermelho e amarelo. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Frias : </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Quando predominam, dá um caráter emotivo a imagem; </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Tendem a retrair (encolher); </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Compostas pela derivação do azul, roxo e verde. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Neutras: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Não há predomínio de tonalidades quentes ou frias; </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Compostas pela mistura com o preto, branco, cinza. </li></ul></ul></ul></ul>Flavia Werneck.Cores.2009
  21. 24. Flavia Werneck.Cores.2009 Mais Quente Mais Frio
  22. 25. Influência da Luminosidade. Mais Luminosidade + Mais Positividade nas Sensações Mais Sombra + Sensações menos positivas
  23. 26. Psicodinâmica das cores <ul><ul><li>É a Psicologia da Cor, isto é, as sensações percebidas por nós quando a vemos isolada ou combinada. </li></ul></ul><ul><ul><li>Produz diversas mudanças corpóreas (aumento involuntário da respiração e do fluxo sanguíneo; influencia no estado de espírito, de humor e de saúde). </li></ul></ul><ul><ul><li>Produz mudanças em nosso comportamento e atitudes; </li></ul></ul><ul><ul><li>Pode ser associada a diversos simbolismos e códigos de expressão artística e de comunicação visual, num processo de caráter universal. </li></ul></ul>Flavia Werneck.Cores.2009
  24. 27. Psicodinâmica das cores <ul><ul><li>As cores podem ter significados e provocar sensações diferentes: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Branco: pureza, inocência, reverência, paz, simplicidade, rendição, sabedoria. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Amarelo: poder, concentração, otimismo, alegria, felicidade, idealismo, riqueza (ouro), arrogância. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Laranja: fruto, saboroso, abre o apetite, alegria, diversão, popular, juventude. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Vermelho: paixão, força, energia, amor, sexualidade, calor, velocidade, liderança, masculinidade, vivacidade, sangue, guerra, perigo, fogo, raiva, revolução. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Magenta: luxúria, sofisticação, sensualidade, feminilidade, desejo, majestade. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Verde: natureza, calma, fertilidade, juventude, desenvolvimento, riqueza, saúde, boa sorte, ciúmes, esperança. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Azul: água, frio, mansidão, harmonia, confidência, conservadorismo, austeridade, monotonia, dependência, tecnologia, intelectualidade, racionalismo. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Azul ciano: tranqüilidade, paz, sossego, limpeza, frescor. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Violeta: espiritualidade, realeza, antiguidade (velhice), resplandecência, dor; doença, gosto amargo. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cinza: elegância, humildade, respeito, reverência, sutileza, aspereza. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Preto: poder, sofisticação, formalidade, morte, medo, anonimato, segredo, música de som estridente. </li></ul></ul></ul>Flavia Werneck.Cores.2009 Aula no site
  25. 29. Flavia Werneck.Cores.2009 Psicodinâmica das cores <ul><ul><li>O conceito de temperatura da cor é relativo. Veja o exemplo, se compararmos o verde na primeira fileira, parece mais frio. No entanto, na fileira abaixo parece mais quente Uma mesma cor pode ser considerada quente ou fria, dependendo do contraste a que for submetida. </li></ul></ul>
  26. 30. Círculo cromático <ul><ul><li>Método de representar o espectro visível agrupando as cores na seqüência da freqüência espectral; </li></ul></ul><ul><ul><li>Conhecido como Roda das cores, Círculo das cores ou Círculo cromático. </li></ul></ul><ul><ul><li>Usada para estudo dos contrastes das cores. </li></ul></ul>Flavia Werneck.Cores.2009
  27. 31. Contraste das Cores <ul><ul><li>Leonardo Da Vinci elaborou aquela que se convencionou chamar Teoria das Cores reunindo tudo o que se havia estudado até então. </li></ul></ul><ul><ul><li>O mais importante para o colorido nas artes visuais foi a “simultaneidade dos contrastes de cor”. Esta descoberta explora a ação das cores umas sobre as outras, ao mesmo tempo que mostra a relatividade da aparência da cor. </li></ul></ul><ul><ul><li>Uma cor ao lado de outra mais escura tende a parecer mais clara. </li></ul></ul><ul><ul><li>Da mesma forma, a qualidade cromática é acentuada simultaneamente quando uma cor se confronta com outra. </li></ul></ul>Flavia Werneck.Cores.2009
  28. 32. Flavia Werneck.Cores.2009 <ul><ul><li>O mesmo laranja, sobre fundo vermelho, parece mais amarelado e mais claro que sobre fundo amarelo. Em contraste com vermelho e com azul, o mesmo violeta parece mais azulado e mais escuro no primeiro caso, e mais avermelhado e claro no segundo. </li></ul></ul>Contraste Simultâneo
  29. 33. Contraste entre Tons e Valores <ul><ul><li>Variações de crominância e luminosidade em função do fundo. </li></ul></ul><ul><ul><li>Fundos muito escuros aumenta os contrastes das cores. </li></ul></ul><ul><ul><li>Fundos claros e brancos diminuem os contrastes e prejudica leitura de cores claras. </li></ul></ul>
  30. 34. Cores Monocromática <ul><ul><li>O uso de um mesmo matiz porém com variação de valor (luminosidade) e saturação cria várias nuances da mesma cor. Podem ser combinações muito eficazes e harmônicas. </li></ul></ul>
  31. 35. Cores Análogas <ul><ul><li>São cores vizinhas no círculo cromático. Se uma combinação de cores contempla cores consecutivas no círculo cromático que ocupam 1/4 do círculo, será sempre uma combinação harmoniosa. </li></ul></ul><ul><ul><li>Oferece contraste moderado e equilíbrio. </li></ul></ul>Flavia Werneck.Cores.2009
  32. 36. Cores Complementares <ul><ul><li>Relaciona cores opostas; </li></ul></ul><ul><ul><li>Possui intenso contraste, aplicando as cores na saturação máxima, gerando uma sensação de vibração; </li></ul></ul><ul><ul><li>Procure utilizar cores complementares de valor, saturação diferente ou proporções distintas. </li></ul></ul><ul><ul><li>A complementar de uma cor é também a cor que lhe oferece maior contraste. </li></ul></ul>
  33. 37. Esquema Divídico ou Split Complementar <ul><ul><li>Combina uma cor complementar com mais duas adjacentes (vizinhas) a ela; </li></ul></ul><ul><ul><li>Essa combinação possui um contraste menor do que ao esquema complementar, isto é, possui menos tensão. </li></ul></ul>Flavia Werneck.Cores.2009
  34. 38. Esquema Triádico, Triplo ou Triad <ul><ul><li>Combina três cores eqüidistantes (triangulação); </li></ul></ul><ul><ul><li>Como a intensidade entre as cores são pouco distintas, esse esquema é mais versátil; </li></ul></ul><ul><ul><li>Pode-se utilizar essa técnica para diminuir a vibração óptica das cores. </li></ul></ul><ul><ul><li>É um esquema suave. </li></ul></ul>
  35. 39. Esquema Quadrado ou Tetrádico <ul><ul><li>Combina quatro cores igualmente espaçadas. </li></ul></ul><ul><ul><li>Esquema que pode ser conflitante. O ideal é escolher uma cor dominante, isto é, predominando na área do desenho. </li></ul></ul>Flavia Werneck.Cores.2009
  36. 40. Esquema Retangular <ul><ul><li>Combina quatro cores em retângulo, sendo complementares aos pares. </li></ul></ul><ul><ul><li>Balancear cores frias e quentes. </li></ul></ul>
  37. 41. Contrastes na Propaganda
  38. 42. Leitura visual <ul><ul><li>Técnica em que se apropria de elementos da imagem para criar elementos estéticos no layout ; </li></ul></ul><ul><ul><li>1º - Análise da imagem </li></ul></ul><ul><ul><li>2º - Sobre as cores: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Quais as cores que o sujeito apresenta? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Há uma predominância de uma cor sobre a outra? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Existe um fundo? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Se o fundo for relevante, quais as cores ao fundo do sujeito? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>As cores do fundo “vibram” mais do que as do sujeito? </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>3º - Sobre as proporções: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Quais as cores dominam a imagem? (Cores dominantes) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Quais as cores mais intensas? (Cores Saturadas) </li></ul></ul></ul>
  39. 44. Profusão de cores
  40. 45. Harmonia com contraste
  41. 46. Harmonia sem contraste
  42. 47. Exercícios Teoria das cores 1 - Fazer anúncio (ou outra peça publicitária) onde as cores acentuem as propriedades do produto anunciado. Trabalho realizado em dupla. 1 ponto. 2 – Trazer um anúncio da mídia onde exista contraste de cores. Defina esse contraste. Trabalho Individual. 0,5 ponto. Obrigada!

×