07 Movimento Moderno BAUHAUS /  1919 - 1933
<ul><li>Em 21 de março de  1919 , o arquiteto  Walter Gropius  inaugurou a escola  Bauhaus  em  Weimar , no leste da Alema...
<ul><li>Bauhaus – &quot;casa de construção&quot;  – assumido também como um o movimento,  ... uma instituição de ensino co...
<ul><li>No primeiro manifesto da Bauhaus, 1919, Gropius declarou que “ a arquitetura é a meta de toda atividade criadora. ...
<ul><li>Havia liberdade de criação, entre professores e alunos, desde que obedecendo convicções filosóficas comuns.  </li>...
<ul><li>Na segunda etapa;  </li></ul><ul><ul><li>eram desenvolvidos problemas mais complexos e mais diversificados, como p...
<ul><li>Em  1925 , o governo corta os subsídios para a escola, obrigando sua transferência para outra cidade,  Dessau , ta...
<ul><li>Acirrada a perseguição nazista, seus principais expoentes emigraram para a  Inglaterra  e os  Estados Unidos .  </...
Bauhaus...estórias da história e do design Bauhaus em  Dessau
Bauhaus...estórias da história e do design Dessau, exterior e detalhes do interior
Bauhaus...estórias da história e do design Bauhaus  em  Dessau , exterior, detalhes do interior e vista aérea
Bauhaus...estórias da história e do design Bauhaus em  Weimar , exterior e oficina Bauhaus em  Dessau , exterior a noite e...
Bauhaus... estórias da história e do design Dessau , vista lateral do edifício e para o pátio interno
Bauhaus...estórias da história e do design Museu da Bauhaus / Berlin
Bauhaus...estórias da história e do design Dessau , casa dos professores _ Paul Klee
Bauhaus...estórias da história e do design Dessau , casa dos professores _ Kandinsky, Klee(escada) e Muche (casa)
Bauhaus...estórias da história e do design Dessau , casa dos professores _ O. Schlemer (dormitório) e G. Muche (casa e int...
Bauhaus...estórias da história e do design
Bauhaus...estórias da história e do design Kandinsky, Moholy-Nagy, Breuer e Klee.
Bauhaus...estórias da história e do design Dessau,  Feininger  – Sala e desenho com bico de pena
Bauhaus...estórias da história e do design Mestres, que participaram no ensino da Bauhaus. Da esquerda:  Hinnerk Scheper, ...
<ul><li>Pinturas </li></ul>Bauhaus...estórias da história e do design Johannes  Itten Wassily Kandinsky   Paul  Klee
Bauhaus...estórias da história e do design Laszlo  Moholy-Nagy Georg  Muche Lyonel  Feininger
Bauhaus...estórias da história e do design Oskar Schlemmer, Bauhaustreppe,  1930 Lyonel Feininger,  Marktkirche in Halle, ...
Bauhaus...estórias da história e do design Kandem-Lampe   MT9,   München 1925   Büro, Walter Gropius, 1923 Haus  am Horn, ...
Bauhaus...estórias da história e do design Auditório,  Bauhaus Dessau                              1926, Marcel Breuer    ...
Bauhaus...estórias da história e do design T. Bogler, G. Marcks, 1922 Marguerite Friedländer,  1922/23 1922,  Christian De...
Bauhaus...estórias da história e do design Anzeige für die «Bauhaus- Tapeten » , 1938 Farbgestaltung des Hauses Auerbach, ...
Bauhaus...estórias da história e do design Postkarte  von Wassily Kandinsky, 1923 Postkarte  von Paul Klee,  ,1923   Herbe...
Bauhaus...estórias da história e do design 1924 Laszlo  Moholy-Nagy 1925 Herbert  Bayer 1926,  Herbert Bayer
Bauhaus...estórias da história e do design Schablonenschrift, 1923–1926,  Josef Albers  Bayer-Type, 1930/32.
Bauhaus...estórias da história e do design «Versuch einer neuen Schrift»  busca de uma nova fonte  Herbert Bayer          ...
Papéis de carta, 1923 Laszlo  Moholy-Nagy Bauhaus...estórias da história e do design «foto-Qualität», 1931, Laszlo  Moholy...
Bauhaus...estórias da história e do design «Futura» de  Paul Brenner , desenvolvida na época da  Bauhaus e em uso até hoje...
...estórias da história e do design http://demo.sfgb-b.ch/TG/20erJahre/Bibliothek/Bauhaus/BauhausWerk.htm   http://www.bra...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

História do Design - Mov.Moderno.Bauhaus - Hd07

10,650 views

Published on

Material organizado para um curso básico de História do Design

2 Comments
11 Likes
Statistics
Notes
  • obrigado! grande trabalho
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Obrigada - muito interessante
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
10,650
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
94
Actions
Shares
0
Downloads
815
Comments
2
Likes
11
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • ANOTAÇÕES 01A LEITURAS RECOMENDADAS: 01ª DESIGN...CONCEITOS TEXTOS DE APOIO ESPM RJ Design Gráfico HISTÓRIA DO DESIGN -  DSGS1A Prof. Valdir Soares DESIGN ...CONCEITOS O Design , ...sua prática nos últimos anos, passa a exigir que a qualificação profissional, antes com o foco no patamar estritamente operacional do projeto, desenvolva ações também no nível estratégico de uma organização. O &amp;quot; fazer &amp;quot; do Design para bens e serviços, de produtos à programação visual dos elementos constituintes da identidade visual de um empreendimento, do tratamento visual da informação dos serviços de uma empresa, produtos, impressos e imagens virtuais , segue como conteúdo do perfil profissional do Designer mas, outras exigências, vão sendo apontadas como: « ...elemento dinamizador para administradores; elemento diferenciador entre concorrentes; peça chave no incremento das vendas para o pessoal de marketing e parte fundamental do motor  do avanço tecnológico... » (PUERTO, H.B. Design e Inovação Tecnológica , Salvador, IEL-Prog. Bahia Design, 1999.) ¨O &amp;quot; IDEO &amp;quot; um dos maiores escritórios de Design , no Estados Unidos, pesquisando sobre a busca de empresas que, mesmo possuindo seus setores de Design , buscavam externamente a contratação desses serviços apontou que: « ...condensamos as respostas em quatro razões principais: ...capacidade, ...velocidade, ...especializações fora de suas atividades principais. E a quarta era inovação. » ( KELLEY, T. A Arte da Inovação , São Paulo, Futura, 2001) ¨Para definir Design , o que é  ...enfrenta-se dificuldades variadas e contraditórias. Contudo, o serviço que se espera que o Designer cumpra, na maioria das vezes, é mais objetivo exigindo competência profissional ( capacidade e a devida especialização ), tempos exíguos para apresentação e um diferencial das soluções ( velocidade e inovação ).  Daí, um dos compromisso pedagógico com a formação dos futuros profissionais transita na esfera de discutir e procurar denominadores comuns, que forneçam a devida segurança de, no futuro, marcarem sua posição no mercado de trabalho, sem levarem questões dúbias para as negociações, provavelmente preexistentes, no repertório dos clientes. « ..Design ?  É...design ! » ( STRUNCK, G., Viver de Design , Rio, 2AB,1999) ¨« ..Designer gráfico é um termo relativamente novo para designar um profissional. Usava-se artista gráfico até alguém falar que o trabalho de desenhar logotipos, cartazes, folhetos, embalagens, livros é design e que design não é arte.  Daí, designer gráfico. ...afinal quais os limites do design gráfico ? » ( OHTAKE, R. O que é ser designer gráfico hoje ?  in: Revista ADG - Revista da Assoc. dos Designers GráficosBrasil, São Paulo, n º 27, Fevereiro, 2003, p. 78-79 .  ver também:  ESCOREL, A. L. O Efeito Multiplicador do Design , São Paulo, Ed.SENAC, 2000 ).¨ « ...Num mercado globalizado, são fatores decisivos para o sucesso de uma empresa a credibilidade de sua imagem e a qualidade de seus produtos e serviços que ela oferece ...nos últimos anos os investimentos voltados para a área de design deixaram de ser uma questão de estética e se tornaram uma questão estratégica para sobrevivência das organizações....Entende-se por design a melhoria dos aspectos funcionais, ergonômicos e visuais dos produtos, de modo a atender às necessidades do consumidor, melhorando o conforto, a segurança e a satisfação dos usuários. » ( CNI - Bahiana,C., A Importância do Design para sua Empresa , Brasília -DF, 1998. Ver também: BAXTER, M. Projeto de Produto , São Paulo, Ed.E.Blucher, 1998  e  LOBACH, B. Design Industrial , São Paulo, Ed.E.Blucher, 2000, do qual, parte do texto foi aqui anexado.) ¨O Desenho industrial Design , em seus dois grandes blocos de habilitação Programação Visual Design Gráfico   e  o Projeto de Produto Design Industrial , vão encontrar posicionamentos conceituais sobre o que é Design na literatura que, hoje, vai do campo da Arte ao das Engenharias, passando pela Comunicação, Antropologia, Economia, Sociologia e Direito, cada qual emprestando suas reflexões de forma positiva, ou não,  à aqueles que estarão no  &amp;quot; front &amp;quot;, disputando seu espaço no mercado de trabalho.¨ « ...A Ciência do Designer encontra-se definida em função produtiva, tecnológica como no caso do tecnólogo.  Mas, a Tecnologia do Designer encontra-se definida em função estética, o que faz que essa ação estética seja também tecnológico-científica.  A Ciência, a Tecnologia e a Arte integradas unitária, orgânica e sinergeticamente no ato produtor do Design, permitem denominar este com o neologismo: O PROJETAR ou  ATO ´POIETICO`. Querer fazer do Design uma atividade exclusivamente tecnológica ou artística é não compreender seu sentido.   O Design é um ato distinto, próprio, integrado, científico-tecnológico-estético: Uma tecnologia-estética-opera-cional ou uma operação-estético-tecnológica ´sui generis`. »  ( apud. PUERTO, 1999   DUSSEL, E.  La Filosofia de la Producción , México, UNAM, 1984 ato poiético , do gr. Poiesis é a atividade produtiva fabricativa, que é dirigida ao trabalho da natureza, como produção dos homens livres, dos artesãos ou dos escravos; relacionada à arte, à semiótica e ao Design .). Os textos, em anexo, vão nos remeter à algumas reflexões como -  Por que? e Para que ? - estudar a História do Design bem como, o que é produzir e como organizar o conhecimento acumulado, no sentido de estimular e subsidiar a práxis do Design.  DENIS, Rafael C. UMA INTRODUÇÃO À HISTÓRIA DO DESIGN . São Paulo, E Blücher, 2000 / História e design, p. 12 a 15 / A natureza do design, p. 16 – 18 SOUZA, Pedro Luiz Pereira de. NOTAS PARA UMA HISTÓRIA DO DESIGN . Rio de Janeiro, 2AB, 1998 / Introdução, p. 09 a 12 HÜHNE, L. M.(org.) METODOLOGIA CIENTÍFICA – Cadernos de Textos e Técnicas . Rio de Janeiro, Agir, 6a. ed. 1995 / Apresentação, p. 11 e 12 / O Ato de Estudar, p. 13 – 20 / A Organização do Trabalho Acadêmico p. 21, 44 - 54, 64 e 65.
  • História do Design - Mov.Moderno.Bauhaus - Hd07

    1. 1. 07 Movimento Moderno BAUHAUS / 1919 - 1933
    2. 2. <ul><li>Em 21 de março de 1919 , o arquiteto Walter Gropius inaugurou a escola Bauhaus em Weimar , no leste da Alemanha. </li></ul><ul><li>Para Gropius , a unidade arquitetônica só podia ser obtida pela tarefa coletiva, que incluía os mais diferentes tipos de criação, como a pintura, a música, a dança, a fotografia e o teatro. </li></ul>Bauhaus...estórias da história e do design
    3. 3. <ul><li>Bauhaus – &quot;casa de construção&quot;  – assumido também como um o movimento, ... uma instituição de ensino com idéias vanguardistas. </li></ul><ul><li>....o mundo enfrentava séria crise econômica. </li></ul><ul><li>Engenheiros, Designers e Arquitetos buscavam uma maneira simples de produzir em série objetos de consumo baratos. </li></ul>Bauhaus...estórias da história e do design
    4. 4. <ul><li>No primeiro manifesto da Bauhaus, 1919, Gropius declarou que “ a arquitetura é a meta de toda atividade criadora. Completá-la e embelezá-la foi, antigamente, a principal tarefa das artes plásticas .” </li></ul><ul><li>&quot;Não há diferença entre o artesão e o artista, mas todo artista deve necessariamente possuir competência técnica&quot;, </li></ul><ul><li>...pregava o fundador da Bauhaus. </li></ul>Bauhaus...estórias da história e do design
    5. 5. <ul><li>Havia liberdade de criação, entre professores e alunos, desde que obedecendo convicções filosóficas comuns. </li></ul><ul><li>O currículo da Bauhaus previa três fases: </li></ul><ul><ul><li>no primeiro semestre ...o fundamento da própria Bauhaus. Inspirado nas idéias de Alfred Hozel , da Academia de Stuttgart, </li></ul></ul><ul><ul><li>... um método de ensino para libertar os estudantes de preconceitos em relação ao &quot; belo &quot; e à &quot; estética &quot; adquiridos nas escolas primárias e nos ginásios. ...preparação intelectual para a próxima fase. </li></ul></ul>Bauhaus...estórias da história e do design
    6. 6. <ul><li>Na segunda etapa; </li></ul><ul><ul><li>eram desenvolvidos problemas mais complexos e mais diversificados, como projetos industriais, pintura, escultura, arte publicitária, teatro, arte cênica e dança. </li></ul></ul><ul><ul><li>Concluída esta fase, o aluno recebia o diploma da Bauhaus e podia começar o curso de arquitetura propriamente dito. </li></ul></ul>Bauhaus...estórias da história e do design
    7. 7. <ul><li>Em 1925 , o governo corta os subsídios para a escola, obrigando sua transferência para outra cidade, Dessau , também no leste alemão. </li></ul><ul><li>Constroi-se uma universidade seguindo os planos de Walter Gropius , </li></ul><ul><li>em 1932 ... Dessau foi fechada pelos nazistas. </li></ul><ul><li>A difusão do movimento se deu através de exposições na Alemanha e no exterior, além de publicações. </li></ul><ul><li>1933 .. Berlin , é o último refúgio de seus integrantes...que votam pelo seu fechamento e fuga do regime autoritário e bárbaro que se instalava em toda a Alemanha. </li></ul>Bauhaus...estórias da história e do design
    8. 8. <ul><li>Acirrada a perseguição nazista, seus principais expoentes emigraram para a Inglaterra e os Estados Unidos . </li></ul><ul><li>Hoje, a Bauhaus de Weimar é uma escola superior, enquanto a de Dessau abriga a Fundação Bauhaus . </li></ul><ul><li>http://www.bauhaus-dessau.de/ </li></ul><ul><li>E, em Berlin , encontra-se o Bauhaus Archiv... um museu com exemplares da produção daquela escola. </li></ul><ul><li>http://www.bauhaus.de/english/index.htm </li></ul>Bauhaus...estórias da história e do design
    9. 9. Bauhaus...estórias da história e do design Bauhaus em Dessau
    10. 10. Bauhaus...estórias da história e do design Dessau, exterior e detalhes do interior
    11. 11. Bauhaus...estórias da história e do design Bauhaus em Dessau , exterior, detalhes do interior e vista aérea
    12. 12. Bauhaus...estórias da história e do design Bauhaus em Weimar , exterior e oficina Bauhaus em Dessau , exterior a noite e oficina
    13. 13. Bauhaus... estórias da história e do design Dessau , vista lateral do edifício e para o pátio interno
    14. 14. Bauhaus...estórias da história e do design Museu da Bauhaus / Berlin
    15. 15. Bauhaus...estórias da história e do design Dessau , casa dos professores _ Paul Klee
    16. 16. Bauhaus...estórias da história e do design Dessau , casa dos professores _ Kandinsky, Klee(escada) e Muche (casa)
    17. 17. Bauhaus...estórias da história e do design Dessau , casa dos professores _ O. Schlemer (dormitório) e G. Muche (casa e interior)
    18. 18. Bauhaus...estórias da história e do design
    19. 19. Bauhaus...estórias da história e do design Kandinsky, Moholy-Nagy, Breuer e Klee.
    20. 20. Bauhaus...estórias da história e do design Dessau, Feininger – Sala e desenho com bico de pena
    21. 21. Bauhaus...estórias da história e do design Mestres, que participaram no ensino da Bauhaus. Da esquerda: Hinnerk Scheper, Georg Muche, László Moholy-Nagy, Herbert Bayer, Joost Schmidt, Walter Gropius, Marcel Breuer, Wassily Kandinsky, Paul Klee, Lyonel Feininger, Gunta Stölzl e Oskar Schlemmer.
    22. 22. <ul><li>Pinturas </li></ul>Bauhaus...estórias da história e do design Johannes Itten Wassily Kandinsky Paul Klee
    23. 23. Bauhaus...estórias da história e do design Laszlo Moholy-Nagy Georg Muche Lyonel Feininger
    24. 24. Bauhaus...estórias da história e do design Oskar Schlemmer, Bauhaustreppe, 1930 Lyonel Feininger, Marktkirche in Halle, 1930 Paul Klee, Baumkultur, 1924
    25. 25. Bauhaus...estórias da história e do design Kandem-Lampe MT9, München 1925 Büro, Walter Gropius, 1923 Haus am Horn, 1923
    26. 26. Bauhaus...estórias da história e do design Auditório, Bauhaus Dessau                              1926, Marcel Breuer                              1924, Marcel Breuer                                                         
    27. 27. Bauhaus...estórias da história e do design T. Bogler, G. Marcks, 1922 Marguerite Friedländer, 1922/23 1922, Christian Dell 1924, Marianne Brandt
    28. 28. Bauhaus...estórias da história e do design Anzeige für die «Bauhaus- Tapeten » , 1938 Farbgestaltung des Hauses Auerbach, von Alfred Arndt 1926, Ruth Hollós-Consemüller Kitty Fischer- van de Mijll -Dekker, 1932
    29. 29. Bauhaus...estórias da história e do design Postkarte von Wassily Kandinsky, 1923 Postkarte von Paul Klee, ,1923 Herbert Bayer, ,1923 Laszlo Moholy-Nagy, ,1923
    30. 30. Bauhaus...estórias da história e do design 1924 Laszlo Moholy-Nagy 1925 Herbert Bayer 1926, Herbert Bayer
    31. 31. Bauhaus...estórias da história e do design Schablonenschrift, 1923–1926, Josef Albers Bayer-Type, 1930/32.
    32. 32. Bauhaus...estórias da história e do design «Versuch einer neuen Schrift» busca de uma nova fonte Herbert Bayer                   Grotesk sobre uma base quadrada, 1931, Joost Schmidt
    33. 33. Papéis de carta, 1923 Laszlo Moholy-Nagy Bauhaus...estórias da história e do design «foto-Qualität», 1931, Laszlo Moholy-Nagy 1929, Laszlo Moholy-Nagy
    34. 34. Bauhaus...estórias da história e do design «Futura» de Paul Brenner , desenvolvida na época da Bauhaus e em uso até hoje. Plakat-Cartaz, Litografia, 1922/23, Joost Schmidt Plakat –Cartaz, Litografia colorida manualmente, 1924, Oskar Schlemmer
    35. 35. ...estórias da história e do design http://demo.sfgb-b.ch/TG/20erJahre/Bibliothek/Bauhaus/BauhausWerk.htm http://www.braun.com/global/company/history.html http://demo.sfgb-b.ch/TG/30er/bau_m.htm

    ×