Edgar morin

11,931 views

Published on

2 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
11,931
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
285
Actions
Shares
0
Downloads
336
Comments
2
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Edgar morin

  1. 1. Os Saberes e pilares<br />Necessários à educação do Futuro <br />Isabel Vivas De Castro <br />
  2. 2. Os pilares segundo Delors<br /><ul><li>Aprender a ser
  3. 3. Aprender a conhecer
  4. 4. Aprender a fazer
  5. 5. Aprender a viver juntos</li></ul>Os saberes Segundo O Edgar Morin<br /><ul><li>Ensinar a condição Humana
  6. 6. As cegueiras do conhecimento: erro e ilusão
  7. 7. Os princípios do conhecimento pertinente
  8. 8. Ensinar a identidade terrena</li></li></ul><li>Edgar Morin<br />Os saberes da educação do Futuro<br />
  9. 9. Há que fazer um total reorganização da educação. E essa reorganização não se referem ao ato de ensinar. Refere - Se à luta contra os defeitos do sistema que estão cada vez maiores.<br />Por exemplo, o ensino de disciplinas separadas e sem comunicação entre si produz uma fragmentação e uma dispersão que nos impede de ver globalmente coisas que são cada vez mais importantes no mundo problemas centrais e fundamentais que permanecem completamente ignorados ou esquecidos e que são importante para qualquer sociedade e qual quer cultura.<br />Edgar Morin<br />
  10. 10. ENSINAR A CONDIÇÃO HUMANA<br />“ Ensinar a condição humana compreende todos os saberes, que são vivenciados no dia-a-dia, porém muitas vezes são imperceptíveis.<br />” É preciso o que os educadores tenham os “ saberes” bem compreendidos para mediar o processo educativo.<br />O conhecimento deve ser fornecido pelo ensino, porém, como afirma MORIN, nunca é de facto ensinado.<br />“ o que deve ser ensinado não é o conhecimento baseado em informações, regras e itens pré-estabelecidos nos programas de ensino, e sim, o vivenciar os fatos quotidianos e as experiências pelas quais passamos durante toda a vida. <br />
  11. 11. ENSINAR A CONDIÇÃO HUMANA<br /><ul><li>A educação deve oportunizar ao aluno o auto-conhecimento. O ser humano deve ser capaz de olhar para o seu interior, examinar e transcender os padrões herdados dos pais, de familiares e da próprio cultura e sociedade para encontrar um sentido à vida
  12. 12. O homem faz parte de uma sociedade que molda o comportamento por padrões socio-culturais, mas por outro lado, é capaz de possibilitar escolhas na construção da própria história sendo agente da sua transformação.
  13. 13. A escola como centro privilegiado do conhecimento humano deveria levar os indivíduos perceberem que tudo que sabe só vale se for colocado a serviço da promoção humana.
  14. 14. A escola é um espaço em que se oportuniza a construção de um ser sensível, generoso solidário, confiante, sonhador. O espaço da sabedoria.
  15. 15. A condição humana envolve a compreensão total do que somos como seres humanos, únicos diferenciados entre nós mesmos. </li></li></ul><li>AS CEGUEIRAS DO CONHECIMENTO: O ERRO E A ILUSÃO<br /><ul><li>As ideias são pontos de vista da realidade e, muitas vezes, não são imparciais, o que pode levar a super-valorização de umas em detrimento de outras, podendo haver resistências à sua aceitação.
  16. 16. Não podemos confundir o conhecimento com a realidade e, portanto, corre risco do erro.
  17. 17. O conhecimento é uma tradução da realidade e, portanto, corre o risco do erro.
  18. 18. O erro consiste em, propositadamente ou não, mascarar certos “fatos” que acabam por distorcer o verdadeiro conhecimento. </li></li></ul><li><ul><li>A ilusão é o que nos leva a misturar contextos e fatos, tornando inverdades em conhecimentos verdadeiros em nossa mente, e fazendo assim, com que tudo venha a mesclar numa grande alucinação.
  19. 19. Causas e erro:
  20. 20. ilusão, pois o conhecimento é tradução e reconstrução da realidade.
  21. 21. diferenças culturais, sociais e de origem tem como consequência as ideias normativas( normal X Patológico) </li></li></ul><li><ul><li>O conhecimento precisa ser contextualizado para ter devido significado.
  22. 22. No conhecimento pertinente o mais importante não é quantidade de conhecimento mas a capacidade que o aluno tem em;
  23. 23. Contextualizar os conhecimentos;
  24. 24. Relacionar os conhecimentos adquiridos recentemente com os conhecimentos adquiridos anteriormente.</li></li></ul><li><ul><li>A escola trabalha de forma muito fragmentada e não proporciona oportunidade de que o aluno tenha uma visão do todo , juntando as partes.
  25. 25. No mundo moderno esse é um dos grandes desafios da educação: conseguir apreender a complexidade das coisas, sabendo reconhecer todas as multifacetads do conhecimento.
  26. 26. É preciso ensinar a estabelecer relações considerando as diversas dimensões que interferem num mesmo problema ou conhecimento.</li></li></ul><li>ENSINAR A IDENTIDADE TERRENA<br />A identidade Humana<br /><ul><li>ignorada pelos programas de instituição:</li></ul>-é a reunião de fragmentos da sociedade e fragmentos espécie humana.<br />
  27. 27. <ul><li>A identidade humana tem em si a criança e o adulto.
  28. 28. Somos o indivíduos únicos ,mas ao mesmo tempo partes da sociedade que nem sempre nós existiria.</li></ul>Temos todos a mesma natureza, mas dentro dela desenvolvemos a diversidade através das culturas e crenças.<br /><ul><li>É preciso criar nos jovens a noção de onde e como estamos vivendo e convivendo.</li></li></ul><li><ul><li>A interdisciplinaridade é fundamental para congregar todos os espaços </li></ul>que envolvem a identidade humana.<br /><ul><li>É imprescindível que o homem viva em contínua conexão de todos para construir mecanismos para sabe viver e conviver.
  29. 29. A escola ainda é o lugar privilegiado de aquisição de conhecimentos, pois oportuniza a todos que nela se inserem uma experiência de vida em sociedade
  30. 30. .Em termos de internet e redes de computadores estarem interligadas, torna-se condição vital à compreensão da complexidade humana e sua sobrevivência. </li></li></ul><li><ul><li>É homem é razão e </li></ul>Emoção, é prosa e poesia.<br /><ul><li>Poesia não é apenas um
  31. 31. género textual, mas um jeito
  32. 32. De olhar a vida com mais</li></ul> sensibilidade e deve ser<br />oportunizada aos alunos.<br /><ul><li>Morin lembra bem que a </li></ul>Literatura, a poesia podem contribuir em muito para compreender a complexidade<br />Humana.<br />
  33. 33. Jacques Delors<br />Os quatro pilares <br />
  34. 34. Aprender a conhecer<br /><ul><li>A preocupação da educação deve ser o “aprender a aprender”, apropriando-se das realidades quotidianas e transformando-as em conhecimento para ser reutilizado sempre que necessário ao longo da vida.
  35. 35. O mundo está em constante transformação, as informações mudam em pouco tempo, o que precisamos é fazer com que os indivíduos adquiram competências para se adaptarem a situações novas e imprevistas.
  36. 36. O importante não é mais a quantidade das informações acumuladas, mas saber selecciona-las e referi-las Sintetizar o paradigma do ensino com pesquisa.</li></li></ul><li>Aprender a fazer<br /><ul><li>Privilegia a aplicação de teoria na prática e enriquece a vivencia da ciência na tecnologia e destas no social.
  37. 37. Está relacionado com a questão profissional. Mais do que os conhecimentos técnicos, é preciso aprender os conhecimentos comportamentais, saber viver, o saber trabalhar em equipe, usar a criatividade, ter iniciativa.
  38. 38. As habilidades físicas estão sendo substituídas pelas habilidades cognitivas, já que cada vez mais as máquinas estão automatizadas e o homem está no comando delas. Por isso, juntamente com o “aprender a conhecer”, “aprender a fazer” é colocar os conhecimentos em prática diante do que se apresentar para a vida e a carreira. </li></li></ul><li><ul><li>Aprender a viver com os outros
  39. 39. A sociedade competitiva e os preconceitos geram uma violência que deve ser combatida pela escola. É fazer o possível para evitar os conflitos, desenvolvendo conhecimento dos outros, sua cultura e sua espiritualidade.
  40. 40. A melhor maneira de resolver os conflitos é proporcionar formas de busca projectos e objectivos em comum, fugindo das rotinas individuais e afastando-se das diferenças e através da cooperação, soma-se a diversidade para fortalecer as construções colectivas.
  41. 41. Implica solidariedade, respeito pelo outro, implementar meios .práticas voltadas à construção de novas redes que permitem a expansão dos saberes.</li></li></ul><li>Aprender a ser<br /><ul><li>Nós, enquanto seres humanos, não podemos nos deixar “ levar” pela globalização e por todos as avanços tecnológicos que nos assolam nos dias de hoje.
  42. 42. A educação deve construir para a formação integral do ser humano, em todos os seus aspecto físicos, social intelectual de forma que cada um possa desenvolver sua criatividade e senso crítico, seus valores que o conduzam à construção de sua própria história.
  43. 43. Estímulo às artes e imaginação criadora na escola, com o ensino da poesia e literatura, são fundamentais para a transformação da autonomia , numa época em que tendência é a padronização de comportamentos.
  44. 44. Identifica a capacidade de interacção, de aceitação do outro, fazendo florescer a auto-estima, a auto confiança e a autodeterminação. </li></li></ul><li>“É chegado o momento dos os ideais da escola nova se transformarem em acção.<br />É chegada a hora de educar, para hoje, para este mundo de grandes transformações”.<br />Celso Antunes<br />
  45. 45. “ Mude, mas mude devagar,<br />O importante não é a velocidade.<br />É saber a direcção”.<br />ClariceLispector<br />
  46. 46. Bibliografia<br />Morin Edgar, Os sete saberes para a educação do futuro, Instituto Piaget<br />Delores Jacques, um tesouro a descobrir,Edição Asa, 1966 <br />

×