SlideShare a Scribd company logo

Cuidado de enfermagem doença cronica

Associação Viva e Deixe Viver
Associação Viva e Deixe Viver
Associação Viva e Deixe ViverAssociação Viva e Deixe Viver

Cuidado de enfermagem doença cronica

1 of 2
Download to read offline
CUIDADO DE ENFERMAGEM AO INDIVÍDUO PORTADOR DE DOENÇA CRÔNICA:
                              VIVÊNCIAS DE ACADÊMICOS
    Andréia Santos Mendes(1); Bruna Ariana São Paulo Mota(2); Vanessa Pereira Rocha(3);
                                 Gilmara Bastos Ramos(4)
                                Hospital Ana Nery (HAN)

INTRODUÇÃO: As doenças crônicas estão provocando mudanças no perfil de morbi-
mortalidade e tendem a liderar as causas de incapacidade no mundo. São multifatorial e se
caracterizam por longo período de evolução. Quando acometido por uma doença de
característica crônica, o indivíduo enfrenta alterações no estilo de vida provocadas por
restrições decorrentes da presença da patologia, das necessidades terapêuticas e do
controle clínico, além da possibilidade de submeter-se a internações hospitalares
recorrentes. OBJETIVO: O presente estudo visa relatar as experiências vivenciadas ao
assistir um indivíduo, cardiopata e insuficiente renal dialítico, em uma unidade de internação
médica cardiológica de um hospital público em Salvador-BA. METODOLOGIA: Trata-se de
um relato de experiência, de caráter reflexivo, construído durante as práticas da disciplina
Planejamento e Administração em Serviços de Saúde, do curso de graduação em
Enfermagem de uma universidade federal. As práticas da disciplina desenvolveram-se em
um hospital público localizado no município de Salvador/BA, no período de Março a Maio de
2008. A ênfase do estudo se concentrou na visão holística do cuidado à saúde.
RESULTADOS: O paciente assistido trata-se de um jovem de 21 anos, admitido na unidade
hospitalar por complicações da Insuficiência Renal Crônica (IRC). Verificou-se que o
paciente possuía alterações na integridade físico-emocional por desconforto, dor, limitações
da doença e dependência do seu tratamento, incertezas quanto ao futuro e processos
familiares interrompidos devido às repetidas internações. A participação do mesmo e do seu
familiar no processo da assistência mostrou bons resultados no que se refere à adesão às
medidas terapêuticas prescritas. CONSIDERAÇÕES FINAIS: O estudo evidenciou que um
indivíduo, portador de doença renal crônica dialítica, depara-se com diversas alterações em
seu processo de viver. O cuidado humanizado de Enfermagem e sua constante busca por
soluções nas limitações provocadas pela IRC e o tratamento dialítico são de fundamental
importância para o sucesso do tratamento.

REFERÊNCIAS:

Oliveira, D.R. O idoso e o sistema de cuidados à saúde na doença rena l. Monografia de
conclusão de curso. Departamento de Enfermagem. Universidade Federal do Paraná.
Curitiba, 2002.

Pacheco G.S, Santos I, Bregman R. Características de clientes com doença renal crônica:
evidências para o ensino do autocuidado. R Enferm UERJ; v.14, p. 434-439. 2006.

Ramos D.G. A psique do corpo: uma compreensão simbólica da doença. São Paulo:
Summus; 1994.

Silva M.J.P. Percebendo o ser humano além da doença e o não-verbal detectado pelo
enfermeiro. Nursing. v.4, n.41, p. 14-20. 2001.

Smeltzer, S.C.; Bare, BG.; Hinkle, JL. et al. In: Brunner & Suddarth. Tratato de Enfermagem
Médico-Cirúrgica, v.1, 11.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2009.


1
  Autora Principal. Enfermeira graduada pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia.
Professora das disciplinas “Fundamentação do Processo do Cuidar e Fisiologia Anatomia I” da Faculdade São
Salvador.
2
  Autora. Enfermeira graduada pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia.
3
  Autora. Enfermeira graduada pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia.
4
  Orientadora. Profª da disciplina Planejamento e Administração em Serviços de Saúde da Escola de
Enfermagem da Universidade Federal da Bahia. Especialização em Terapia Intensiva pela UFBA.
Timby, B.K. Conceitos e Habilidades no Atendimento de Enfermagem, 8.ed. Porto Alegre:
Artmed, 2007.

Waldow V.R. Cuidar expressão humanizadora da enfermagem. Petrópolis (RJ): Vozes;
2006.




1
  Autora Principal. Enfermeira graduada pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia.
Professora das disciplinas “Fundamentação do Processo do Cuidar e Fisiologia Anatomia I” da Faculdade São
Salvador.
2
  Autora. Enfermeira graduada pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia.
3
  Autora. Enfermeira graduada pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia.
4
  Orientadora. Profª da disciplina Planejamento e Administração em Serviços de Saúde da Escola de
Enfermagem da Universidade Federal da Bahia. Especialização em Terapia Intensiva pela UFBA.

Recommended

Pré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção BásicaPré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção Básicamarianagusmao39
 
Estudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Estudo de Caso - Diagnóstico de EnfermagemEstudo de Caso - Diagnóstico de Enfermagem
Estudo de Caso - Diagnóstico de EnfermagemYasmin Casini
 
Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemFernando Dias
 
Hipertensao Arterial Caso Clínico Professor Robson
Hipertensao Arterial   Caso Clínico    Professor RobsonHipertensao Arterial   Caso Clínico    Professor Robson
Hipertensao Arterial Caso Clínico Professor RobsonProfessor Robson
 
Saúde do Adulto I Estudo de caso iii com rede
Saúde do Adulto I Estudo de caso iii com redeSaúde do Adulto I Estudo de caso iii com rede
Saúde do Adulto I Estudo de caso iii com redeAngelica Reis Angel
 
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEMAula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEM
Aula 1 - HISTÓRIA, ÉTICA E LEGISLAÇÃO EM ENFERMAGEMLuziane Costa
 
Assistência de enfermagem ao paciente com IAM com SST: estudo de caso
Assistência de enfermagem ao paciente com IAM com SST: estudo de casoAssistência de enfermagem ao paciente com IAM com SST: estudo de caso
Assistência de enfermagem ao paciente com IAM com SST: estudo de casoresenfe2013
 

More Related Content

What's hot

Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Amanda Moura
 
Cuidados a criança durante hospitalização
Cuidados a criança durante hospitalizaçãoCuidados a criança durante hospitalização
Cuidados a criança durante hospitalizaçãoHIAGO SANTOS
 
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasivaMateus Camargo
 
Puericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de ConsultaPuericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de Consultablogped1
 
Conflitos éTicos Em Uti Colorido Com Marcadores Para CóPia
Conflitos éTicos Em Uti Colorido Com Marcadores Para CóPiaConflitos éTicos Em Uti Colorido Com Marcadores Para CóPia
Conflitos éTicos Em Uti Colorido Com Marcadores Para CóPiagalegoo
 
Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...
Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...
Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...Lucas Fontes
 
1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagem1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagemElter Alves
 
Caso Clinico de Hipertensão Arterial
Caso Clinico de Hipertensão ArterialCaso Clinico de Hipertensão Arterial
Caso Clinico de Hipertensão ArterialProfessor Robson
 

What's hot (20)

Infarto agudo do miocárdio
Infarto agudo do miocárdioInfarto agudo do miocárdio
Infarto agudo do miocárdio
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
 
Cuidados a criança durante hospitalização
Cuidados a criança durante hospitalizaçãoCuidados a criança durante hospitalização
Cuidados a criança durante hospitalização
 
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no 3º e 4º períodos
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no 3º e 4º períodosCuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no 3º e 4º períodos
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no 3º e 4º períodos
 
Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)
Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)
Acolhimento e Classificação de Risco em Obstetrícia (ACR) (ACCR)
 
Planejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagemPlanejamento dos cuidados de enfermagem
Planejamento dos cuidados de enfermagem
 
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro período
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro períodoCuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro período
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro período
 
SAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEM
SAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEMSAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEM
SAÚDE DA CRIANÇA: ENFERMAGEM
 
Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)
 
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
 
Doenças crônicas.
Doenças crônicas.Doenças crônicas.
Doenças crônicas.
 
Puericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de ConsultaPuericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de Consulta
 
Conflitos éTicos Em Uti Colorido Com Marcadores Para CóPia
Conflitos éTicos Em Uti Colorido Com Marcadores Para CóPiaConflitos éTicos Em Uti Colorido Com Marcadores Para CóPia
Conflitos éTicos Em Uti Colorido Com Marcadores Para CóPia
 
Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...
Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...
Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...
 
1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagem1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagem
 
Caso Clinico de Hipertensão Arterial
Caso Clinico de Hipertensão ArterialCaso Clinico de Hipertensão Arterial
Caso Clinico de Hipertensão Arterial
 
Parto Normal
Parto NormalParto Normal
Parto Normal
 
Sae
SaeSae
Sae
 
Exames de Rotina do Pré-Natal
Exames de Rotina do Pré-NatalExames de Rotina do Pré-Natal
Exames de Rotina do Pré-Natal
 
Mortalidade Materna e Infantil
Mortalidade Materna e InfantilMortalidade Materna e Infantil
Mortalidade Materna e Infantil
 

Viewers also liked

Promoção da saúde e prevenção de doenças: intervenções comuns às doenças crôn...
Promoção da saúde e prevenção de doenças: intervenções comuns às doenças crôn...Promoção da saúde e prevenção de doenças: intervenções comuns às doenças crôn...
Promoção da saúde e prevenção de doenças: intervenções comuns às doenças crôn...Isadora Ribeiro
 
Doenças crônicas – Pressão Alta
Doenças crônicas – Pressão Alta Doenças crônicas – Pressão Alta
Doenças crônicas – Pressão Alta Dario Hart
 
Assistência de enfermagem aos paciente portadores de doenças infecciosas aula...
Assistência de enfermagem aos paciente portadores de doenças infecciosas aula...Assistência de enfermagem aos paciente portadores de doenças infecciosas aula...
Assistência de enfermagem aos paciente portadores de doenças infecciosas aula...Clebson Reinaldo
 
Cuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensão
Cuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensãoCuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensão
Cuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensãoFabrício Bragança
 
Caderno de atenção básica 35 - doenças crônicas 2014
Caderno de atenção básica   35 - doenças crônicas 2014Caderno de atenção básica   35 - doenças crônicas 2014
Caderno de atenção básica 35 - doenças crônicas 2014ivone guedes borges
 
UM OLHAR GERONTOLÓGICO SOBRE O CUIDAR
UM OLHAR GERONTOLÓGICO SOBRE O CUIDARUM OLHAR GERONTOLÓGICO SOBRE O CUIDAR
UM OLHAR GERONTOLÓGICO SOBRE O CUIDARMárcio Borges
 
Joana e Lurdes;integração na sociedade de pessoas com doenças crónicas
Joana e Lurdes;integração na sociedade de pessoas com doenças crónicasJoana e Lurdes;integração na sociedade de pessoas com doenças crónicas
Joana e Lurdes;integração na sociedade de pessoas com doenças crónicaslurdes123
 
Doenças respiratórias crônicas - Caderno de Atenção Básica Nº 25
Doenças respiratórias crônicas - Caderno de Atenção Básica Nº 25 Doenças respiratórias crônicas - Caderno de Atenção Básica Nº 25
Doenças respiratórias crônicas - Caderno de Atenção Básica Nº 25 enfermagemnaveia
 
Plano de Ensino do Módulo Saúde do Adulto- I UC-III - 2011 - 1
Plano de Ensino do Módulo Saúde do Adulto- I  UC-III -  2011 - 1Plano de Ensino do Módulo Saúde do Adulto- I  UC-III -  2011 - 1
Plano de Ensino do Módulo Saúde do Adulto- I UC-III - 2011 - 1Dr. João Félix Dias
 

Viewers also liked (20)

Mcp e doenças crônicas
Mcp e doenças crônicasMcp e doenças crônicas
Mcp e doenças crônicas
 
Promoção da saúde e prevenção de doenças: intervenções comuns às doenças crôn...
Promoção da saúde e prevenção de doenças: intervenções comuns às doenças crôn...Promoção da saúde e prevenção de doenças: intervenções comuns às doenças crôn...
Promoção da saúde e prevenção de doenças: intervenções comuns às doenças crôn...
 
Doenças crônicas – Pressão Alta
Doenças crônicas – Pressão Alta Doenças crônicas – Pressão Alta
Doenças crônicas – Pressão Alta
 
Rede de atenção à saúde das pessoas com doenças crônicas - Brasil
Rede de atenção à saúde das pessoas com doenças crônicas - BrasilRede de atenção à saúde das pessoas com doenças crônicas - Brasil
Rede de atenção à saúde das pessoas com doenças crônicas - Brasil
 
Saúde do Adulto: enfermagem
Saúde do Adulto: enfermagemSaúde do Adulto: enfermagem
Saúde do Adulto: enfermagem
 
Assistência de enfermagem aos paciente portadores de doenças infecciosas aula...
Assistência de enfermagem aos paciente portadores de doenças infecciosas aula...Assistência de enfermagem aos paciente portadores de doenças infecciosas aula...
Assistência de enfermagem aos paciente portadores de doenças infecciosas aula...
 
Principais doenças da nossa sociedade atualmente
Principais doenças da nossa sociedade atualmentePrincipais doenças da nossa sociedade atualmente
Principais doenças da nossa sociedade atualmente
 
Cartilha dcnt
Cartilha dcntCartilha dcnt
Cartilha dcnt
 
Cuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensão
Cuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensãoCuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensão
Cuidado de enfermagem em doenças crônicas com foco na hipertensão
 
Aula2 modulo3
Aula2 modulo3Aula2 modulo3
Aula2 modulo3
 
Humanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagemHumanização na assistência de enfermagem
Humanização na assistência de enfermagem
 
Apresentação natal 20_03_2014
Apresentação natal 20_03_2014Apresentação natal 20_03_2014
Apresentação natal 20_03_2014
 
8ª Assembleia do CONASS – ENVELHECIMENTO E SAÚDE NO BRASIL DESAFIOS E OPORTUN...
8ª Assembleia do CONASS – ENVELHECIMENTO E SAÚDE NO BRASIL DESAFIOS E OPORTUN...8ª Assembleia do CONASS – ENVELHECIMENTO E SAÚDE NO BRASIL DESAFIOS E OPORTUN...
8ª Assembleia do CONASS – ENVELHECIMENTO E SAÚDE NO BRASIL DESAFIOS E OPORTUN...
 
Caderno de atenção básica 35 - doenças crônicas 2014
Caderno de atenção básica   35 - doenças crônicas 2014Caderno de atenção básica   35 - doenças crônicas 2014
Caderno de atenção básica 35 - doenças crônicas 2014
 
Modelo de Atenção às Condições Crônicas no Paraná
Modelo de Atenção às Condições Crônicas no ParanáModelo de Atenção às Condições Crônicas no Paraná
Modelo de Atenção às Condições Crônicas no Paraná
 
UM OLHAR GERONTOLÓGICO SOBRE O CUIDAR
UM OLHAR GERONTOLÓGICO SOBRE O CUIDARUM OLHAR GERONTOLÓGICO SOBRE O CUIDAR
UM OLHAR GERONTOLÓGICO SOBRE O CUIDAR
 
7. CONASS Debate - PPT Governança Colaborativa
7. CONASS Debate - PPT Governança Colaborativa7. CONASS Debate - PPT Governança Colaborativa
7. CONASS Debate - PPT Governança Colaborativa
 
Joana e Lurdes;integração na sociedade de pessoas com doenças crónicas
Joana e Lurdes;integração na sociedade de pessoas com doenças crónicasJoana e Lurdes;integração na sociedade de pessoas com doenças crónicas
Joana e Lurdes;integração na sociedade de pessoas com doenças crónicas
 
Doenças respiratórias crônicas - Caderno de Atenção Básica Nº 25
Doenças respiratórias crônicas - Caderno de Atenção Básica Nº 25 Doenças respiratórias crônicas - Caderno de Atenção Básica Nº 25
Doenças respiratórias crônicas - Caderno de Atenção Básica Nº 25
 
Plano de Ensino do Módulo Saúde do Adulto- I UC-III - 2011 - 1
Plano de Ensino do Módulo Saúde do Adulto- I  UC-III -  2011 - 1Plano de Ensino do Módulo Saúde do Adulto- I  UC-III -  2011 - 1
Plano de Ensino do Módulo Saúde do Adulto- I UC-III - 2011 - 1
 

Similar to Cuidado de enfermagem doença cronica

Tcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoTcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoantonio-carlos
 
Tcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoTcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoantonio-1968
 
Tcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoTcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoantonio-carlos
 
Tcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoTcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoantonio-1968
 
Tcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoTcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoantonio-carlos
 
Tcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoTcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoantonio-1968
 
Tcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoTcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoantonio-1968
 
Hepatite b crônica e esquistossomose mansoni uma associação deletéria jose ...
Hepatite b crônica e esquistossomose mansoni   uma associação deletéria jose ...Hepatite b crônica e esquistossomose mansoni   uma associação deletéria jose ...
Hepatite b crônica e esquistossomose mansoni uma associação deletéria jose ...Nádia Elizabeth Barbosa Villas Bôas
 
Cuidados intensivos neonatais em cardiopatia congenita grave mudando o curso ...
Cuidados intensivos neonatais em cardiopatia congenita grave mudando o curso ...Cuidados intensivos neonatais em cardiopatia congenita grave mudando o curso ...
Cuidados intensivos neonatais em cardiopatia congenita grave mudando o curso ...gisa_legal
 
Anais.jornada norteriograndense ped intesiva.texto do artigo 5682-1-10-20160921
Anais.jornada norteriograndense ped intesiva.texto do artigo 5682-1-10-20160921Anais.jornada norteriograndense ped intesiva.texto do artigo 5682-1-10-20160921
Anais.jornada norteriograndense ped intesiva.texto do artigo 5682-1-10-20160921gisa_legal
 
terapia de infusão no paciente idoso
terapia de infusão no paciente idosoterapia de infusão no paciente idoso
terapia de infusão no paciente idosoERALDO DOS SANTOS
 
Dissertação ana c. melchiors
Dissertação ana c. melchiorsDissertação ana c. melchiors
Dissertação ana c. melchiorsLASCES UFPR
 
Surta,+estima v14n1 21-28
Surta,+estima v14n1 21-28Surta,+estima v14n1 21-28
Surta,+estima v14n1 21-28kratos8
 
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticosAdesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticosClarissa Lessa
 
Protocolo teleconsulta arrumando (1).docx
Protocolo teleconsulta arrumando (1).docxProtocolo teleconsulta arrumando (1).docx
Protocolo teleconsulta arrumando (1).docxjessica276304
 

Similar to Cuidado de enfermagem doença cronica (20)

Publicac_a_oPJN.2014
Publicac_a_oPJN.2014Publicac_a_oPJN.2014
Publicac_a_oPJN.2014
 
Tcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoTcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminado
 
Tcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoTcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminado
 
Tcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoTcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminado
 
Tcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoTcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminado
 
Tcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoTcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminado
 
Tcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoTcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminado
 
Tcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminadoTcc2 revisado e terminado
Tcc2 revisado e terminado
 
Hepatite b crônica e esquistossomose mansoni uma associação deletéria jose ...
Hepatite b crônica e esquistossomose mansoni   uma associação deletéria jose ...Hepatite b crônica e esquistossomose mansoni   uma associação deletéria jose ...
Hepatite b crônica e esquistossomose mansoni uma associação deletéria jose ...
 
0200
02000200
0200
 
Cuidados intensivos neonatais em cardiopatia congenita grave mudando o curso ...
Cuidados intensivos neonatais em cardiopatia congenita grave mudando o curso ...Cuidados intensivos neonatais em cardiopatia congenita grave mudando o curso ...
Cuidados intensivos neonatais em cardiopatia congenita grave mudando o curso ...
 
Anais.jornada norteriograndense ped intesiva.texto do artigo 5682-1-10-20160921
Anais.jornada norteriograndense ped intesiva.texto do artigo 5682-1-10-20160921Anais.jornada norteriograndense ped intesiva.texto do artigo 5682-1-10-20160921
Anais.jornada norteriograndense ped intesiva.texto do artigo 5682-1-10-20160921
 
Endemias e epidemias brasileiras: hanseníase.
Endemias e epidemias brasileiras: hanseníase.Endemias e epidemias brasileiras: hanseníase.
Endemias e epidemias brasileiras: hanseníase.
 
terapia de infusão no paciente idoso
terapia de infusão no paciente idosoterapia de infusão no paciente idoso
terapia de infusão no paciente idoso
 
Dissertação ana c. melchiors
Dissertação ana c. melchiorsDissertação ana c. melchiors
Dissertação ana c. melchiors
 
Surta,+estima v14n1 21-28
Surta,+estima v14n1 21-28Surta,+estima v14n1 21-28
Surta,+estima v14n1 21-28
 
ACOLHIMENTO NO ÂMBITO HOSPITALAR
ACOLHIMENTO NO ÂMBITO HOSPITALARACOLHIMENTO NO ÂMBITO HOSPITALAR
ACOLHIMENTO NO ÂMBITO HOSPITALAR
 
03
0303
03
 
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticosAdesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico por idosos diabéticos
 
Protocolo teleconsulta arrumando (1).docx
Protocolo teleconsulta arrumando (1).docxProtocolo teleconsulta arrumando (1).docx
Protocolo teleconsulta arrumando (1).docx
 

More from Associação Viva e Deixe Viver

Exposição Virtual Viva e Deixe Viver - 22 anos de Histórias
Exposição Virtual Viva e Deixe Viver - 22 anos de HistóriasExposição Virtual Viva e Deixe Viver - 22 anos de Histórias
Exposição Virtual Viva e Deixe Viver - 22 anos de HistóriasAssociação Viva e Deixe Viver
 
Apresentação valdir principios e diretrizes curso 2015
Apresentação valdir principios e diretrizes curso 2015Apresentação valdir principios e diretrizes curso 2015
Apresentação valdir principios e diretrizes curso 2015Associação Viva e Deixe Viver
 
O Programa Universidade sem Fronteiras, a enfermagem da UEL e a cumunidade: A...
O Programa Universidade sem Fronteiras, a enfermagem da UEL e a cumunidade: A...O Programa Universidade sem Fronteiras, a enfermagem da UEL e a cumunidade: A...
O Programa Universidade sem Fronteiras, a enfermagem da UEL e a cumunidade: A...Associação Viva e Deixe Viver
 
Diabetes mellitus intervenção de saúde na comunidade da unidade básica de saú...
Diabetes mellitus intervenção de saúde na comunidade da unidade básica de saú...Diabetes mellitus intervenção de saúde na comunidade da unidade básica de saú...
Diabetes mellitus intervenção de saúde na comunidade da unidade básica de saú...Associação Viva e Deixe Viver
 
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminalPrincípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminalAssociação Viva e Deixe Viver
 
Os serviços de saúde qualificados pela educação permanente
Os serviços de saúde qualificados pela educação permanenteOs serviços de saúde qualificados pela educação permanente
Os serviços de saúde qualificados pela educação permanenteAssociação Viva e Deixe Viver
 
Os saberes de jovens do ensino fundamental sobre o aleitamento materno
Os saberes de jovens do ensino fundamental sobre o aleitamento maternoOs saberes de jovens do ensino fundamental sobre o aleitamento materno
Os saberes de jovens do ensino fundamental sobre o aleitamento maternoAssociação Viva e Deixe Viver
 

More from Associação Viva e Deixe Viver (20)

Exposição Virtual Viva e Deixe Viver - 22 anos de Histórias
Exposição Virtual Viva e Deixe Viver - 22 anos de HistóriasExposição Virtual Viva e Deixe Viver - 22 anos de Histórias
Exposição Virtual Viva e Deixe Viver - 22 anos de Histórias
 
Sacola literária cch 2015
Sacola literária cch 2015Sacola literária cch 2015
Sacola literária cch 2015
 
Pesquisa hospital menino jesus
Pesquisa hospital menino jesusPesquisa hospital menino jesus
Pesquisa hospital menino jesus
 
Administando melhor o tempo
Administando melhor o tempoAdministando melhor o tempo
Administando melhor o tempo
 
Apresentação valdir principios e diretrizes curso 2015
Apresentação valdir principios e diretrizes curso 2015Apresentação valdir principios e diretrizes curso 2015
Apresentação valdir principios e diretrizes curso 2015
 
Aniversário 7 anos do rio de histórias 12.10.12
Aniversário 7 anos do rio de histórias   12.10.12Aniversário 7 anos do rio de histórias   12.10.12
Aniversário 7 anos do rio de histórias 12.10.12
 
Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 2
Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 2Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 2
Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 2
 
Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 1
Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 1Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 1
Formatura voluntários Rio de Histórias - parte 1
 
Você faz a diferença!
Você faz a diferença!Você faz a diferença!
Você faz a diferença!
 
O Programa Universidade sem Fronteiras, a enfermagem da UEL e a cumunidade: A...
O Programa Universidade sem Fronteiras, a enfermagem da UEL e a cumunidade: A...O Programa Universidade sem Fronteiras, a enfermagem da UEL e a cumunidade: A...
O Programa Universidade sem Fronteiras, a enfermagem da UEL e a cumunidade: A...
 
Diabetes mellitus intervenção de saúde na comunidade da unidade básica de saú...
Diabetes mellitus intervenção de saúde na comunidade da unidade básica de saú...Diabetes mellitus intervenção de saúde na comunidade da unidade básica de saú...
Diabetes mellitus intervenção de saúde na comunidade da unidade básica de saú...
 
Tempo de despertar
Tempo de despertarTempo de despertar
Tempo de despertar
 
Teleconsulta isis bertoncini
Teleconsulta   isis bertonciniTeleconsulta   isis bertoncini
Teleconsulta isis bertoncini
 
Situação de saúde em idosos acometidos pelo avc
Situação de saúde em idosos acometidos pelo avcSituação de saúde em idosos acometidos pelo avc
Situação de saúde em idosos acometidos pelo avc
 
Significado de humanização
Significado de humanizaçãoSignificado de humanização
Significado de humanização
 
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminalPrincípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
Princípios éticos no cuidado com paciente pediátrico terminal
 
Os serviços de saúde qualificados pela educação permanente
Os serviços de saúde qualificados pela educação permanenteOs serviços de saúde qualificados pela educação permanente
Os serviços de saúde qualificados pela educação permanente
 
Os saberes de jovens do ensino fundamental sobre o aleitamento materno
Os saberes de jovens do ensino fundamental sobre o aleitamento maternoOs saberes de jovens do ensino fundamental sobre o aleitamento materno
Os saberes de jovens do ensino fundamental sobre o aleitamento materno
 
O enfermeiro como mediador do processo da mulher.
O enfermeiro como mediador do processo da mulher.O enfermeiro como mediador do processo da mulher.
O enfermeiro como mediador do processo da mulher.
 
MATERNARTES - Maternidade, arte e Saúde.
MATERNARTES - Maternidade, arte e Saúde.MATERNARTES - Maternidade, arte e Saúde.
MATERNARTES - Maternidade, arte e Saúde.
 

Cuidado de enfermagem doença cronica

  • 1. CUIDADO DE ENFERMAGEM AO INDIVÍDUO PORTADOR DE DOENÇA CRÔNICA: VIVÊNCIAS DE ACADÊMICOS Andréia Santos Mendes(1); Bruna Ariana São Paulo Mota(2); Vanessa Pereira Rocha(3); Gilmara Bastos Ramos(4) Hospital Ana Nery (HAN) INTRODUÇÃO: As doenças crônicas estão provocando mudanças no perfil de morbi- mortalidade e tendem a liderar as causas de incapacidade no mundo. São multifatorial e se caracterizam por longo período de evolução. Quando acometido por uma doença de característica crônica, o indivíduo enfrenta alterações no estilo de vida provocadas por restrições decorrentes da presença da patologia, das necessidades terapêuticas e do controle clínico, além da possibilidade de submeter-se a internações hospitalares recorrentes. OBJETIVO: O presente estudo visa relatar as experiências vivenciadas ao assistir um indivíduo, cardiopata e insuficiente renal dialítico, em uma unidade de internação médica cardiológica de um hospital público em Salvador-BA. METODOLOGIA: Trata-se de um relato de experiência, de caráter reflexivo, construído durante as práticas da disciplina Planejamento e Administração em Serviços de Saúde, do curso de graduação em Enfermagem de uma universidade federal. As práticas da disciplina desenvolveram-se em um hospital público localizado no município de Salvador/BA, no período de Março a Maio de 2008. A ênfase do estudo se concentrou na visão holística do cuidado à saúde. RESULTADOS: O paciente assistido trata-se de um jovem de 21 anos, admitido na unidade hospitalar por complicações da Insuficiência Renal Crônica (IRC). Verificou-se que o paciente possuía alterações na integridade físico-emocional por desconforto, dor, limitações da doença e dependência do seu tratamento, incertezas quanto ao futuro e processos familiares interrompidos devido às repetidas internações. A participação do mesmo e do seu familiar no processo da assistência mostrou bons resultados no que se refere à adesão às medidas terapêuticas prescritas. CONSIDERAÇÕES FINAIS: O estudo evidenciou que um indivíduo, portador de doença renal crônica dialítica, depara-se com diversas alterações em seu processo de viver. O cuidado humanizado de Enfermagem e sua constante busca por soluções nas limitações provocadas pela IRC e o tratamento dialítico são de fundamental importância para o sucesso do tratamento. REFERÊNCIAS: Oliveira, D.R. O idoso e o sistema de cuidados à saúde na doença rena l. Monografia de conclusão de curso. Departamento de Enfermagem. Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2002. Pacheco G.S, Santos I, Bregman R. Características de clientes com doença renal crônica: evidências para o ensino do autocuidado. R Enferm UERJ; v.14, p. 434-439. 2006. Ramos D.G. A psique do corpo: uma compreensão simbólica da doença. São Paulo: Summus; 1994. Silva M.J.P. Percebendo o ser humano além da doença e o não-verbal detectado pelo enfermeiro. Nursing. v.4, n.41, p. 14-20. 2001. Smeltzer, S.C.; Bare, BG.; Hinkle, JL. et al. In: Brunner & Suddarth. Tratato de Enfermagem Médico-Cirúrgica, v.1, 11.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2009. 1 Autora Principal. Enfermeira graduada pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia. Professora das disciplinas “Fundamentação do Processo do Cuidar e Fisiologia Anatomia I” da Faculdade São Salvador. 2 Autora. Enfermeira graduada pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia. 3 Autora. Enfermeira graduada pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia. 4 Orientadora. Profª da disciplina Planejamento e Administração em Serviços de Saúde da Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia. Especialização em Terapia Intensiva pela UFBA.
  • 2. Timby, B.K. Conceitos e Habilidades no Atendimento de Enfermagem, 8.ed. Porto Alegre: Artmed, 2007. Waldow V.R. Cuidar expressão humanizadora da enfermagem. Petrópolis (RJ): Vozes; 2006. 1 Autora Principal. Enfermeira graduada pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia. Professora das disciplinas “Fundamentação do Processo do Cuidar e Fisiologia Anatomia I” da Faculdade São Salvador. 2 Autora. Enfermeira graduada pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia. 3 Autora. Enfermeira graduada pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia. 4 Orientadora. Profª da disciplina Planejamento e Administração em Serviços de Saúde da Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia. Especialização em Terapia Intensiva pela UFBA.