Desenvolvimento de Produto

8,929 views

Published on

0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
8,929
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
25
Actions
Shares
0
Downloads
295
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • O objetivo final é garantir a lucratividade para a empresa: produzir lucrativamente e vender lucrativamente! 5 dimensões garantem que o produto final será lucrativo... Custo do produto: Quais são os custos de manufatura, comercialização, logística desse produto? Eles permitem uma boa lucratividade? Como podem ser reduzidos? Custo de desenvolvimento: Os custos de desenvolvimento do produto condizem com ao qual vamos vendê-lo? Qualidade do produto: Ele satisfaz as necessidades do cliente? Ele é robusto e confiável? Reflexo direto no preço que os clientes pagarão! Tempo de desenvolvimento: O qual rápido podemos desenvolver esse produto? Objetivo: melhor time-to-market! Capabilidade de desenvolvimento: O time é capaz de desenvolver produtos cada vez melhores de uma forma cada vez mais eficiente? O time consegue aprender com cada desenvolvimento feito?
  • Desenvolvimento de Produto

    1. 1. DESENVOLVIMENTODE PRODUTO:uma visão geral do processo Luís André Garrido Gabriel luisandregg@hotmail.com Jaguariúna, 10 de junho de 2009
    2. 2. Agenda Sobre mim Introdução ao Processo de Desenvolvimento de Produto Estrutura do Processo de Desenvolvimento de Produto Bibliografia Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 2
    3. 3.  Sobre mim Introdução ao Processo de Desenvolvimento de Produto Estrutura do Processo de Desenvolvimento de Produto Bibliografia Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 3
    4. 4. Sobre mim Formação:  Engenharia Mecânica, 2008  Master’s degree em Engenharia, 2008 Experiência em desenvolvimento de produto:  2006:  2007:  2008:  Atualmente: Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 4
    5. 5.  Sobre mim Introdução ao Processo de Desenvolvimento de Produto Estrutura do Processo de Desenvolvimento de Produto Bibliografia Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 5
    6. 6. Introdução ao Processo de Desenvolvimento de Produto  Como ter sucesso no desenvolvimento de um produto? CUSTO CUSTO CUSTO DE DO BAIXO PRODUZIRDESENVOLVIMENTO PRODUTO CAPABILIDADE DE DESENVOLVIMENTO VENDER TEMPO DE QUALIDADE DO PREÇO LUCRO$$DESENVOLVIMENTO PRODUTO JUSTO $!!! Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 6
    7. 7. Introdução ao Processo de Desenvolvimento deProduto Quem desenvolve produtos? Finanças Vendas Engenharia Jurídico de Manufatura Compras Marketing LÍDER DE PROJETO CORE TEAM Design e Projeto Estilo Eletrônico Projeto EQUIPE Mecânico EXTENDIDA Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 7
    8. 8. Introdução ao Processo de Desenvolvimento de Produto  Duração e custos do desenvolvimento de produtos Chave-de-fenda Patins in-line Impressora HP Volkswagen New Stanley Avião Boeing 777 Rollerblade Deskjet Beetle JobmasterVolume anual de 100.000 100.000 4 milhões de 100.000 50 unidades/anoprodução unidades/ano unidades/ano unidades/ano unidades/anoPeríodo total de 40 anos 3 anos 2 anos 6 anos 30 anosvendasPreço de venda US$ 3 US$ 200 US$ 300 US$ 17000 US$ 130 milhõesNúmero de peças 3 peças 35 peças 200 peças 10000 peças 130.000 peçasTempo de 1 ano 2 anos 1,5 anos 3,5 anos 4,5 anosdesenvolvimentoTime interno de 3 pessoas 5 pessoas 100 pessoas 800 pessoas 6800 pessoasdesenvolvimentoTime externo de 3 pessoas 10 pessoas 75 pessoas 800 pessoas 10000 pessoasdesenvolvimentoCusto de US$ 150.000 US$ 750.000 US$ 50 milhões US$ 400 milhões US$ 3 bilhõesdesenvolvimentoInvestimento na US$ 150.000 US$ 1 milhão US$ 25 milhões US$ 500 milhões US$ 3 bilhõesprodução Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 8
    9. 9. Introdução ao Processo de Desenvolvimento deProduto Alguns desafios do desenvolvimento de produtos As decisões devem ser •Custo/massa tomadas rapidamente! •Beleza/funcionalidade O produto deve chegar •... logo ao mercado!  Trade-offs •Tecnologias avançam (compromissos) •Requerimenos dos clientes mudam  Pressão lançam •Concorrentes do ASPECTOS ASPECTOS  Dinâmica FINANCEIROS tempo novos produtos FINANCEIROS •A economia mundial entra em crise Desenvolver, produzir e  Detalhes comercializar um produto requer investimentos.Troca de um parafuso por Para gerar lucros, ooutra forma de fixação produto precisa vender = bem e ser barato para produzirMilhões de lucro para umfabricante de computadores Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 9
    10. 10.  Sobre mim Introdução ao Processo de Desenvolvimento de Produto Estrutura do Processo de Desenvolvimento de Produto Bibliografia Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 10
    11. 11. Estrutura do Processo de Desenvolvimento de Produto Desenvolvimento Projeto de Projeto Testes e Ramp-up da Planejamento do conceito sistema detalhado otimizações produção Escolha da  Identificação  Criar esquema  Design do  Simulações  Teste dos meios estrutura das de produto (FEA, CFD, de produção organizacional necessidades funcionamento simulação finais do do cliente do produto  Design for X dinâmica produto Identificação de multicorpos,  Definição de  Agrupar os etc.)  Treinamento da oportunidades  Tolerâncias de especificações elementos do força de fabricação Avaliação e -alvo esquema  Construção de trabalho de escolha da protótipos produção  Modelagem 3D oportunidade  Geração de  Criar um layout (CAD) conceitos do produto final  Testes  Resolução dos Planejamento problemas  D-FMEA, P- restantes de recursos e  Seleção de  Identificar  Definição de FMEA, L-FMEA tempo conceitos interações entre especificações (análises de os elementos do finais  Transição riscos do Aprovação do  Teste de layout produto) gradual para a fase de projeto conceitos  Definição produção  Definição de arquitetura do produto especificações de projeto Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 11
    12. 12. Estrutura do Processo de Desenvolvimento de Produto Desenvolvimento Projeto de Projeto Testes e Ramp-up daPlanejamento do conceito sistema detalhado otimizações produção Gerente geral Gerentes de área Líderes de projeto Escolha da estruturaorganizacional Gerente geral ESTRUTURA POR PROJETO Empresas altamente Empresas tradicionais: inovadoras, empresas de ESTRUTURA POR FUNÇÃO máquinas-ferramenta, software Chrysler Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 12
    13. 13. Estrutura do Processo de Desenvolvimento de ProdutoPlanejamento Gerente geral Gerentes de área Gerentes de área Líderes de projeto “pesados” Escolha da estruturaorganizacional Gerente geral Líderes de projeto “leves” ESTRUTURA MATRICIAL COM FOCO NOS PROJETOS Mais comprometimento da ESTRUTURA MATRICIAL Melhor disseminação do equipe com o projeto COM FOCO NAS FUNÇÕES conhecimento de cada função Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 13
    14. 14. Estrutura do Processo de Desenvolvimento de ProdutoPlanejamento Escolha da Identificação estrutura deorganizacional oportunidades Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 14
    15. 15. Identificação de oportunidades Reclamações de clientes Feedback contínuo do Entrevistas com atuais pessoal de vendas e potenciais clientes Mudanças no estilo de BUSCA PRÓ-ATIVA vida, nas características POR demográficas, na OPORTUNIDADES!!! tecnologiaBenchmarking da concorrência Funil de Acompanhamento de oportunidades inovações tecnológicas internas e externas à empresa OPORTUNIDADES Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 15
    16. 16. Identificação de oportunidades:A idéia de George Eastman, fundador da Kodak ? Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 16
    17. 17. Estrutura do Processo de Desenvolvimento de ProdutoPlanejamento Escolha da Identificação Avaliação e estrutura de escolha daorganizacional oportunidades oportunidade Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 17
    18. 18. Avaliação e escolha da oportunidade 6 aspectos a serem analisados:  Estratégia competitiva da empresa  Segmento de mercado a ser atingido  Trajetória tecnológica  Planejamento da plataforma de produtos  Avaliação 3C’s (mercado, empresa, concorrência) Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 18
    19. 19. Avaliação e escolha da oportunidade Estratégia competitiva da empresa Liderança Liderança Foco no Empresatecnológica em custos cliente seguidora Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 19
    20. 20. Avaliação e escolha da oportunidade  Segmento de mercado a ser atingido  Furadeiras Bosch (e Skil)Profissional Pessoal Standard Sem fio De bancada Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 20
    21. 21. Avaliação e escolha da oportunidade Trajetória tecnológicaR$/km Carro elétrico Carro a gasolina Tempo 2015 Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 21
    22. 22. Avaliação e escolha da oportunidade Planejamento da plataforma de produtosPlataformaDeskjet 600 Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 22
    23. 23. Avaliação e escolha da oportunidade  Avaliação 3C’s Empresa (Company):  Concorrência  Mercado (Customers): (Competitors):  Conhecimento sobre o  Tamanho do mercado mercado-alvo;  Intensidade da (unidades/ano x preço); concorrência (número  Conhecimento sobre a de concorrentes e seus  Taxa de crescimento do tecnologia a ser usada; pontos fortes); mercado (%/ano);  Sinergia com outros  Potencial de patentes,  Histórico de fracassos produtos da empresa; segredos de mercado, de produtos similares. barreira à concorrência.  Capabilidade da empresa em desenvolver, produzir e vender. Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 23
    24. 24. Estrutura do Processo de Desenvolvimento de ProdutoPlanejamento Escolha da Identificação Avaliação e Planejamento estrutura de escolha da de recursos eorganizacional oportunidades oportunidade de tempo Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 24
    25. 25. Planejamento de recursos e tempo WBS Definição da missão Gantt Descrição do produto Objetivos de negócio Definição de recursos Mercado primário Mercado secundário Análise financeira Stakeholders Análise de riscos Riscos Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 25
    26. 26. Planejamento de recursos e tempo WBS 0. Carro de controle remoto a bateria 2. Motor e1. Conceito 3. Chassis 4. Controle transmissão 1.1 2.1 Motor 3.1 Rodas e 4.1 Receptor e Especificações elétrico pneus antena 2.2 4.2 1.2 Design 3.2 Carroceria Transmissão Controlador 2.3 Semi- 4.3 Controle 3.3 Direção eixos remoto 3.4 4.4 Bateria Suspensão Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 26
    27. 27. Planejamento de recursos e tempo  Gantt March.09 April.09 May.09 June.09 July.09TASKS 1w 2w 3w 4w 1w 2w 3w 4w 1w 2w 3w 4w 1w 2w 3w 4w 1w 2w 3w 4wProject planningDevelopment of solutions Assessment of needs Bibliographical research Establishment of solutions Case studies Approval of solutionsImplementation of solutions Implementation at CDM Optimizations and refinementsTraining and SupportProject end (approval) Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 27
    28. 28. Planejamento de recursos e tempo Definição de recursos Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 28
    29. 29. Planejamento de recursos e tempo  Análise financeira 2009 2010 2011(valores em kR$) Q1 Q2 Q3 Q4 Q1 Q2 Q3 Q4 Q1 Q2 Q3 Q4Custos dedesenvolvimento -1000 -1000 -1000 -1000Custos de ramp-up -800 -900Custos de marketing esuporte -500 -400 -400 -400 -300 -300 -300 -200Volume de produção 500 600 1000 1000 1000 500 200Custo de produção -0,5 -0,5 -0,5 -0,4 -0,4 -0,4 -0,4Volume de vendas 500 600 1000 1000 900 600 200Preço de venda 3 3 3 3,5 3,5 3,5 3,5FLUXO DE CAIXA -1000 -1000 -1000 -1800 -1400 850 1100 2100 2800 2450 1600 420Valor presente (taxa deinteresse de 10% a.a.) -1000 -967,74194 -936,52445 -1631,3652 -1227,909 721,46743 903,54555 1669,307 2153,9445 1823,9047 1152,6981 292,82251VALOR PRESENTELÍQUIDO 2954,14902  VPL = R$ 2,9 milhões (Valor Presente Líquido)  TIR = 33% a.a. (Taxa Interna de Retorno) ANÁLISE DE SENSIBILIDADE ! Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 29
    30. 30. Planejamento de recursos e tempo  Análise de riscos Probabil DetecçãItem Descrição Sever. PxSxD Ação de mitigação . o Contato constante Atraso na entrega da linha de com o fornecedor1 3 5 5 75 produção Multa por atraso Salários justos Saída de um membro da2 4 6 7 140 Motivação do time equipe Formação de backups Proteção por patentes Lançamento de um produto Acompanhamento dos3 2 8 8 128 similar pela concorrência movimentos da concorrência ACOMPANHAR PERIODICAMENTE! Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 30
    31. 31. Planejamento de recursos e tempoDefinição da missão Carro de controle remoto off-road a bateria Auto-modelo de controle remoto, de alto desempenho e robustez, destinado aDescrição do produto aplicações off-road, e alimentado por bateria. Promover a entrada da empresa no segmento de modelos off-road. Desenvolver um modelo a bateria com desempenho melhor do que os similaresObjetivos de negócio a gasolina. Melhorar a imagem da marca em relação ao item robustez. Mercosul: obter 30% de market share no mercado dominado por produtos asiáticos.Mercado primário Produtos ambientalmente responsáveis (sustentáveis). Jovens e adultos iniciantes na prática de auto-modelismo. Exportações para Europa e NAFTA.Mercado secundário Colecionadores de auto-modelos. Clientes Operadores da produçãoStakeholders Rede de distribuidores (vendas), atacadistas Rede de assistências técnicas Nova plataforma de produto Motor vindo da ChinaPremissas e definições Modelo montado no Brasil Controle remoto compatível com toda a linha de modelos da marca 2 anos de garantia Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 31
    32. 32. Estrutura do Processo de Desenvolvimento de ProdutoPlanejamento Escolha da Identificação Avaliação e Planejamento Feasibl estrutura de escolha da de recursos e e?organizacional oportunidades oportunidade de tempo Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 32
    33. 33. Estrutura do Processo de Desenvolvimento de ProdutoPlanejamento  Viabilidade financeira  Viabilidade de desenvolvimento  Viabilidade de produção  Viabilidade de comercialização Escolha da Identificação Avaliação e Planejamento Feasibl estrutura de escolha da de recursos e e?organizacional oportunidades oportunidade de tempo  Viabilidade ambiental  Viabilidade social  Impacto na imagem da marca Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 33
    34. 34. Estrutura do Processo de Desenvolvimento de ProdutoPlanejamento Escolha da Identificação Avaliação e Planejamento Feasibl SIM Aprovação estrutura de escolha da de recursos e e? do projetoorganizacional oportunidades oportunidade de tempo NÃO Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 34
    35. 35. Estrutura do Processo de Desenvolvimento de Produto Desenvolvimento Projeto de Projeto Testes e Ramp-up daPlanejamento do conceito sistema detalhado otimizações produção Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 35
    36. 36. Estrutura do Processo de Desenvolvimento de Produto DesenvolvimentoPlanejamento do conceitoIdentificação dasnecessidades dos clientes Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 36
    37. 37. Identificação das necessidades dos clientes Obtenção de informações junto aos clientes •Dentistas  Entrevistas •Pacientes de dentistas  Grupos de discussão •Lojas de artigos para dentistas  Observação do produto em uso “Eu odeio ficar “É muito difícil segurando o sugador na regular a boca do paciente velocidade do enquanto faço o micromotor com o procedimento” pé” “Eu odeio toda hora ter “Eu nunca sei como mexer na que levantar para cuspir!” cadeira, sempre erro os botões, às vezes até com o instrumento na boca do paciente” DOCUMENTAR TUDO!!! Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 37
    38. 38. Identificação das necessidades dos clientes Obtenção de informações junto aos clientes  Entrevistas  Grupos de discussão  Observação do produto em uso Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 38
    39. 39. Identificação das necessidades dos clientes Tradução das informações em “necessidades do cliente” Frase do cliente Necessidade traduzida O sugador se fixa automaticamente na boca do“Eu odeio ficar segurando o sugador na boca do paciente.paciente enquanto faço o procedimento.” A saliva é sugada sem intervenção do dentista. A velocidade do micromotor deve ser regulada com a mão.“É muito difícil regular a velocidade domicromotor com o pé.” A velocidade do micromotor é facilmente regulada, com precisão e sem oscilações. Os botões de regulagem da cadeira são bem“Eu nunca sei como mexer na cadeira, sempre sinalizados.erro os botões, às vezes até com o instrumentona boca do paciente.” A regulagem da cadeira é feita precisamente, sem erros ou enganos. Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 39
    40. 40. Identificação das necessidades dos clientes Organização das necessidades de forma hierárquica  Evitar necessidades redundantes  Agrupar necessidades por similaridadeA saliva é sugada sem intervenção do A velocidade do micromotor é facilmentedentista. regulada, com precisão e sem oscilações. A saliva é sugada sem machucar o paciente. O micromotor é estável em baixas rotações. A faixa de velocidades do micromotor é ampla.A regulagem da cadeira é feita O equipamento possui “jato deprecisamente, sem erros ou enganos. bicarbonato”. A cadeira possui uma faixa ampla de O jato de bicarbonato atinge altas pressões. regulagens. O jato de bicarbonato é focado e preciso. O movimento da cadeira é suave e sem trancos. A cadeira pára exatamente onde o dentista quer A iluminação acompanha o movimento da cadeira Necessidade latente Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 40
    41. 41. Identificação das necessidades dos clientes Estabelecer a importância de cada necessidade  Voltar aos clientes entrevistados (pode ser por e-mail)  O cliente dá nota para cada necessidade  Pode-se identificar desejos latentes (necessidades inesperadas, características excitantes)  Não enviar muitas necessidades para cada clienteImportância Necessidade Necessidade (1 – 5) inesperada (X) 2 A saliva é sugada sem intervenção do dentista. 4 A regulagem da cadeira é feita precisamente, sem erros ou enganos. 2 A iluminação acompanha o movimento da cadeira X A velocidade do micromotor é facilmente regulada, com precisão e sem 5 oscilações. 3 O equipamento possui “jato de bicarbonato”. Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 41
    42. 42. Estrutura do Processo de Desenvolvimento de Produto DesenvolvimentoPlanejamento do conceitoIdentificação Definição das das especificaçõesnecessidades -alvo dos clientes Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 42
    43. 43. Definição das especificações-alvo Listagem das necessidades do cliente (com importância) 3 1 Reduz a vibração para as mãos 2 2 Permite a transposição de terrenos lentos e difíceis 5 3 Permite alta velocidade em decidas acidentadas 3 4 Permite um ajuste de sensibilidade 4 5 Preserva as características de direção da bike 4 7 É rígida em curvas 4 8 É leve O quê 5 9 Serve em diferentes bikes com diferentes pneus 1 10 É fácil de instalar 5 11 É bonita 5 12 Pode ser comprada por não-profissionais 5 13 Pode ser usada na água 1 14 A manutenção é fácil 5 15 Dura muito tempo 5 16 É segura em caso de acidentes Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 43
    44. 44. Atenuação da vibração de dB 10Hz N Pré-carga da mola g Valor máximo no Monster Tempo de descida mínimo s na pista Coeficiente de Ns/m amortecimento (faixa) Coeficiente aerodinâmico - (Cx) Offset mm Rigidez lateral na ponta kN/m g Massa total mm Largura máxima de pneu Beleza Subj. Definição das especificações-alvo  Preparação da lista de métricas Custo unitário de US$ manufatura Ciclos em auto-clave atéLuís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” h falha Tempo de s montagem/desmontagem Ferramentas necessárias - para manutenção Duração do teste UV até h degradação Ciclos de Monster até - falha Resistência a torção kN (carga frontal)44
    45. 45. Definição das especificações-alvo  Correlacionar as necessidades às métricas Como Tempo de descida mínimo Atenuação da vibração de Valor máximo no Monster Coeficiente aerodinâmico montagem/desmontagem Ferramentas necessárias Largura máxima de pneu Ciclos em auto-clave até Duração do teste UV até Rigidez lateral na ponta Ciclos de Monster até amortecimento (faixa) Resistência a torção Pré-carga da mola para manutençãonecessidades Custo unitário de Coeficiente de (carga frontal) Notas das degradação Massa total manufatura Tempo de na pista Beleza Offset 10Hz falha falha Suspensão Rock Shox Tora (Cx) Importância 62 48 67 86 56 40 71 77 62 27 25 104 50 10 10 65 70 94 Unidade dB N g s Ns/m - mm kN/m g mm Subj. US$ h s - h - kN 3 1 Reduz a vibração para as mãos 5 5 3 4 5 1 4 2 2 2 2 Permite a transposição de terrenos lentos e difíceis 5 5 5 5 5 3 3 5 1 1 3 5 3 Permite alta velocidade em decidas acidentadas 5 3 4 3 4 1 2 3 4 Permite um ajuste de sensibilidade 4 5 4 4 5 2 4 5 Preserva as características de direção da bike 2 2 5 2 5 4 1 5 4 7 É rígida em curvas 4 4 3 5 3 5 4 8 É leve 3 4 2 5 3 3 O quê 5 9 Serve em diferentes bikes com diferentes pneus 5 3 1 10 É fácil de instalar 1 5 5 5 11 É bonita 5 2 5 3 5 12 Pode ser comprada por não-profissionais 5 5 13 Pode ser usada na água 5 5 5 1 14 A manutenção é fácil 1 5 5 5 15 Dura muito tempo 2 5 5 5 2 5 16 É segura em caso de acidentes 2 3 4 2 Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 45
    46. 46. Definição das especificações-alvo Avaliar os concorrentes (benchmarking)  Notas dadas ao atendimento das necessidades necessidades Notas das Concorrentes Suspensão Rock Shox Tora XYZ XPTO ABC Importância Nota 0 - 10 Unidade 3 1 Reduz a vibração para as mãos 7 9 5 2 2 Permite a transposição de terrenos lentos e difíceis 6 8 4 5 3 Permite alta velocidade em decidas acidentadas 7 7 3 3 4 Permite um ajuste de sensibilidade 6 5 7 4 5 Preserva as características de direção da bike 8 10 5 4 7 É rígida em curvas 7 5 5 4 8 É leve 4 5 8 O quê 5 9 Serve em diferentes bikes com diferentes pneus 4 4 7 1 10 É fácil de instalar 7 5 7 5 11 É bonita 7 10 5 5 12 Pode ser comprada por não-profissionais 3 1 6 5 13 Pode ser usada na água 6 7 5 1 14 A manutenção é fácil 2 7 8 5 15 Dura muito tempo 10 8 4 5 16 É segura em caso de acidentes 6 7 6 Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 46
    47. 47. Definição das especificações-alvo Avaliar os concorrentes (benchmarking)  Especificações dos concorrentes Tempo de descida mínimo Atenuação da vibração de Valor máximo no Monster Coeficiente aerodinâmico montagem/desmontagem Ferramentas necessárias Largura máxima de pneu Duração do teste UV até Ciclos em auto-clave até Rigidez lateral na ponta Ciclos de Monster até amortecimento (faixa) Resistência a torção Pré-carga da mola para manutenção Custo unitário de Coeficiente de (carga frontal) degradação Massa total manufatura Tempo de na pista Beleza Offset 10Hz falha falha Suspensão Rock Shox Tora (Cx) Importância 62 48 67 86 56 40 71 77 62 27 25 104 50 10 10 65 70 94 Unidade dB N g s Ns/m - mm kN/m g mm Subj. US$ h s - h - kN Manitou XYZ 8 550 3,1 8 200 0,90 38 80 ### 300 7 120 300 215 3 900+ 500k 8,9 Fox XPTO 15 760 3,8 7,2 150 0,93 31 99 ### 320 10 150 750 250 5 900+ 500k 11 Marzocchi ABC 7 500 3,1 9,5 220 1,10 42 71 980 300 5 78 200 230 2 700 450k 5 Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 47
    48. 48. Definição das especificações-alvo Determinar as especificações ideais e “marginais” do produto Tempo de descida mínimo Atenuação da vibração de Valor máximo no Monster montagem/desmontagem Coeficiente aerodinâmico Ferramentas necessárias Largura máxima de pneu Duração do teste UV até Ciclos em auto-clave até Rigidez lateral na ponta Ciclos de Monster até amortecimento (faixa) Resistência a torção Pré-carga da mola para manutenção Custo unitário de Coeficiente de (carga frontal) degradação Massa total manufatura Tempo de na pista Beleza Offset 10Hz falha falha Suspensão Rock Shox Tora (Cx) Importância 62 48 67 86 56 40 71 77 62 27 25 104 50 10 10 65 70 94 Unidade dB N g s Ns/m - mm kN/m g mm Subj. US$ h s - h - kN > >10 < > < > > Alvo desejado (ideal) >16 700 <3,5 <7,5 <0,9 35 320 10 100 3 >10 200 0 110 800 220 900 500 650 - >10 32 - < > < > > Alvo aceitável (marginal) > 10 <4 <8 <1 >80 300 8 120 5 >8 750 0 40 130 700 260 800 400 Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 48
    49. 49. Definição das especificações-alvo * - interv. positiva # - interv. Negativa * * QFD pronto # * * # # * * * * * * * * * Como Existentes Tempo de descida mínimo Atenuação da vibração de Valor máximo no Monster Coeficiente aerodinâmico montagem/desmontagem Ferramentas necessárias Largura máxima de pneu Ciclos em auto-clave até Duração do teste UV até Rigidez lateral na ponta Ciclos de Monster até amortecimento (faixa) Resistência a torção Pré-carga da mola para manutenção necessidades Custo unitário de Coeficiente de (carga frontal) Notas das degradação Massa total manufatura Tempo de Concorrentes na pista Beleza Offset 10Hz falha falha Suspensão Rock Shox Tora (Cx) XYZ XPTO ABC Importância 62 48 67 86 56 40 71 77 62 27 25 104 50 10 10 65 70 94 Nota 0 - 10 Unidade dB N g s Ns/m - mm kN/m g mm Subj. US$ h s - h - kN 3 1 Reduz a vibração para as mãos 5 5 3 4 5 1 4 2 2 7 9 5 2 2 Permite a transposição de terrenos lentos e difíceis 5 5 5 5 5 3 3 5 1 1 3 6 8 4 5 3 Permite alta velocidade em decidas acidentadas 5 3 4 3 4 1 2 7 7 3 3 4 Permite um ajuste de sensibilidade 4 5 4 4 5 2 6 5 7 4 5 Preserva as características de direção da bike 2 2 5 2 5 4 1 5 8 10 5 4 7 É rígida em curvas 4 4 3 5 3 5 7 5 5 4 8 É leve 3 4 2 5 3 3 4 5 8 O quê 5 9 Serve em diferentes bikes com diferentes pneus 5 3 4 4 7 1 10 É fácil de instalar 1 5 5 7 5 7 5 11 É bonita 5 2 5 3 7 10 5 5 12 Pode ser comprada por não-profissionais 5 3 1 6 5 13 Pode ser usada na água 5 5 5 6 7 5 1 14 A manutenção é fácil 1 5 5 2 7 8 5 15 Dura muito tempo 2 5 5 5 2 10 8 4 5 16 É segura em caso de acidentes 2 3 4 2 6 7 6 Manitou XYZ 8 550 3,1 8 200 0,90 38 80 ### 300 7 120 300 215 3 900+ 500k 8,9 Fox XPTO 15 760 3,8 7,2 150 0,93 31 99 ### 320 10 150 750 250 5 900+ 500k 11 Marzocchi ABC 7 500 3,1 9,5 220 1,10 42 71 980 300 5 78 200 230 2 700 450k 5 > >10 < > < > > Alvo desejado (ideal) >16 700 <3,5 <7,5 <0,9 35 320 10 100 3 >10 200 0 110 800 220 900 500 650 - >10 32 - < > < > > Alvo aceitável (marginal) > 10 <4 <8 <1 >80 300 8 120 5 >8 750 0 40 130 700 260 800 400 Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 49
    50. 50. Estrutura do Processo de Desenvolvimento de Produto DesenvolvimentoPlanejamento do conceitoIdentificação Definição das das Geração de especificaçõesnecessidades conceitos -alvo dos clientes Luís André Garrido Gabriel, “Desenvolvimento de Produto” 50

    ×