MOVIMENTO PÓLO CALÇADISTA DE        RONDÔNIASENHORAS E SENHORES     BOA NOITE
MEU NOME É VILLE MARQUES.AGRADEÇO A PRESENÇA DE TODOS:AS AUTORIDADES , SRS.EMPRESÁRIOS, INPRENSA, SRS.(AS)PRESIDENTES DEBA...
APRESENTAREMOS OSOBJETIVO, METAS E AÇÕES DOMOVIMENTO, PASSO A PASSO DEFORMA SIMPLES E RESUMIDA , APARTIR DO FRIGORÍFRICOUS...
BÁSICAMENTE OS CURTUMES SÃO CLASSIFICADOS DE ACORDO COM AS ETAPAS DO PROCESSAMENTO DO             COURO QUE EXECUTA• 1- O ...
Inicio do Processo - Couro Verde: Processo de Pré-         Descarne - Consiste na aparação de    patas, cabeças, rabos, et...
Caleiro: Processo de depilação da pele. Em contato coma cal, os poros do couro se abrem, liberando facilmente        todo ...
Processo de Descarne: Processo de Descarne e  Descarne - Retirada do restante de gordura remanescente do processo de pré-d...
Processo de divisão em Tripa - Divisora Mosconi: Estaoperação é responsável para calibração do couro antes do curtimento. ...
Processo de Curtimento: Após este processo o couro encontra-se no seu primeiro estágio devenda WET BLUE (até aqui já exist...
Processo de Classificação: Nesta etapa o couro é separado em seleções e direcionado conforme suas     características natu...
Processo de Classificação - Couro classificados e    armazenados em pallets com a mesma        seleção.(ATÉ ESTE ESTÁGIO J...
Divisão em Wet Blue - Divisora Mosconi Super Zenit 3200:Processo no qual o couro integral é dividido ao meio, separando-se...
Divisão em Wet Blue: Verificamos os Funcionários retirando ocouro e a raspa saindo na parte inferior e sendo transportada ...
Processo de Rebaixamento - Rebaixadeira                 Flamar 1800:Este processo define a espessura final do artigo.
Verificação de espessura: A espessura é medida   em décimos de milímetros ou milímetros. Couros tem sua espessura definida...
Processo de Secagem - Estira/Enxuga BaucePRC-4: A secagem normalmente acontece em 03   etapas. Este primeiro processo cons...
Processo de Secagem à Vácuo: O segundoprocesso de secagem é a vácuo onde retiras-se a   umidade da pele por temperatura e ...
Processo de Secagem - Secador Aéreo: Ao fundo temos o terceiro processo de secagem denominado secador aéreo onde a secagem...
Processo de Amaciar - Amaciadora de courosCartigliano:Processo de amaciamento por ação                  mecânica.
Processo de Lixamento e retirada de pó -  Lixadeira Flamar 1800: Processo utilizadoconforme as características finais nece...
Processo de Batimento - Fulões de BaterErretre: Processo de amaciamento para artigos que tem como característica um toque ...
. Processo de Togling: Processo para abertura da pele, permitindo um acabamento mais                 uniforme.
Processo de Pintura e Brilho porSpray: Processo de acabamento no qual o couro             adquire a cor e brilho.
Processo de Prensa Rotativa: Utilizada para   estampagem e acetinamento da pele.
Processo deGravação emMesa: Normalmenteutiliza-se esteprocesso paraestagem na qualconcede ao courobovinocaracterísticas de...
Processo de Medição: Neste processo é definida  a área do couro através de sistema eletrônico      com emissão de código d...
Couro acabado: pronto para ser        comercializado, transformado embolsas, sapatos, artefatos e outros vários artigos em...
Laboratório de Ensaio Fisíco e Químico: onde      realizamos ensaios nos couros comoRasgamento, Elasticidade, Flexão, Rupt...
Couro e Raspa em Wet Blue embalados para             comercialização.
OBJETIVOS DO MOVIMENTO POLO CALÇADISTA DE RONDONIA-                           MOVPOLCAR1- A CADEIA(SETOR) PRODUTIVA COUREI...
PRINCIPAIS DIRETRIZES DO MOVIMENTO POLO        CALÇADISTA DE RONDÔNIA - MOVPOLCAR• 1- MOBILIZAR A SOCIEDADADE, A POPULAÇÃO...
5- INCENTIVAR A BANCADAFEDERAL, DEPUTADOS E SENADORES, ÀDESENVOLVER GESTÕES NO SENTIDO DEINPLANTAR EM NOSSOESTADO, ESPECIA...
METAS OU ETAPAS DA CADEIA PRODUTIVA A SEREM                     ALCANÇADAS• 1- CONSEGUIR CONVENCER EMPRESAS OU GRUPOS DO  ...
MOSTRAR MAPA MUNDI
3- O PÓLO DE RONDONIA SERÁ MAIS ATRAENTEFINANCEIRAMENTE, POIS GEOGRÁFICAMENTEESTAMOS MAIS PERTO DO QUE O ESTADO DOCEARÁ EM...
PORTO DE SUAPE EM PERNAMBUCO
4- DEVE SER PREOCUPAÇÃO DOS GRUPOS EMPRESARIAIS DOSETOR:O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DA REGIÃO, ARESPONSABILIDADE SOCIAL,...
METAS OU ETAPAS DA CADEIA PRODUTIVA A SEREM          ALCANÇADAS (AÇÕES PARALELAS)• 1- SENDO POSITIVO A POSIÇÃO DO PRINCIPA...
O Polo calçadista de Rondônia, deve se  desenvolver a partir de exemplos como:• 1- Polo calçadista de Franca no Estado de ...
3- APRESENTAR AOS DEPUTADOSESTADUAIS, SUJESTÕES PARA ELABORAR PROJETODE LEI, VISANDO AUMENTAR ALÍQUOTAS(ESTUDOS) DE SAÍDA ...
4- INCENTIVAR OS SRS. PREFEITOSMUNICIPAIS, SECRETÁRIOS DE INDÚSTRIA E COMERCIO, ADESENVOLVER PROJETOS E IMPLANTAR DISTRITO...
Política Industrial para a Cadeia Produtiva de            Couro, Calçados e Artefatos• • Criação de instrumento de desoner...
POLITICA INDUSTRIAL - Redução gradual do prazo dedevolução de créditos PIS-Pasep/Cofins sobreaquisição de bens de capital:...
CONSEQÜÊNCIAS PERVERSAS DA EXPORTAÇÃO DE 13,5 MILHÕES DE UNIDADES EM WET BLUE• O couro exportado no estágio Wet blue gera ...
Qual a importância do valor     agregado, hoje, seja econômico ou social?Estágio de    Valor        %agregado   Melhorando...
Mesmo que, hoje, grande parte do sapato fabricado no Brasil   seja com material sintético, NO CASO DE RONDÔNIA existE a   ...
POSSIBILIDADES DIVERSAS• 1- A PARTIR DA TRANSFORMAÇÃO DO  COURO WET BLUE EM COURO ACABADO, JÁ  SERÁ POSSIVEL, PRODUZIR EQU...
EXEMPLOS E POSSIBILIDADES PARA         RONDONIA
Subsídios para venda de couro fora  do Estado prejudica fábrica de      calçados no Tocantins  O Grupo Mariner , responsáv...
Cidade de Colinas se torna produtora de                 sapatos• A cidade de Colinas do  Tocantins agora é uma cidade  fab...
Cidade de Colinas se torna produtora            de sapatos
Grupo Bertin quer instalar fábrica de      calçados de segurança.
O município de Arapiraca pode receber, nos próximos dias, um grande empreendimento dosetor industrial, com a instalação de...
21/06/2011 12h38 - Atualizado em 21/06/2011 12h52 Exportação de couro cresce 30% em maio, para US$                  204,9 ...
OPORTUNIDADES DIVERSASÉ ÓBVIO QUE, CONFORME VÃO SE CONCRETIZANDO ASETAPAS DO PROJETO, O ESTADO E AS CIDADES SERÃOBENEFICIA...
INICIALMENTE NÃO TEREMOS MÃO DE OBRA QUALIFICADACUTURNOS E BOTAS PARA O EXÉRCITO BRASILEIRO, POLICIASMILITAR, EQUIPAMENTOS...
LUTAR DE TODAS AS FORMAS, COM ACERTEZA DE VENCERMOS OS OBSTÁCULOSQUE SÃO MUITOS, MAS COM FÉ EM DEUSE A FORÇA DO POVO, VENC...
Movimento Pólo Calçadista de Rondônia
Movimento Pólo Calçadista de Rondônia
Movimento Pólo Calçadista de Rondônia
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Movimento Pólo Calçadista de Rondônia

2,131 views

Published on

As definições e objetivos do Movimento Pólo Calçadista de Rondônia que busca o desenvolvimento Industrial e Sustentável no Estado de Rondônia, agregando valor ao sua maior riquesa o Couro.

3 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Estamos trabalhando no sentido de conseguir recursos para a formação de um corpo docente em Franca-SP ou Novo Hamburgo-RS , onde tivemos recentemente. Dependemos do apoio do governo para colocar em prática a primeira parte do Projeto Polo Calçadista de Rondônia, porém neste momento o Governo Confúcio Moura não dispõe de recursos para esse tipo de investimento. Temos que continuar a busca por ajuda, pois entendemos que sem agregar valores ao couro aqui produzidos, dificilmente teremos outra opção com tamanha importância socioeconômica. Cacoal, 24/10/2013
    Ville Marques.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Estivemos recentemente (07/01/2012) em Franca-SP referencia na produção de calçados em couro no Brasil, onde visitamos e fomos muito bem recebidos por Diretores do SENAI-Franca, onde tratamos informalmente de possíveis parcerias. Ville Marques.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Estamos trabalhando, e buscando efetivamente por em prática as ações previstas, para para alcançarmos os nossos objetivos. Ville Marques - Diretor Presidente
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,131
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
290
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
3
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Movimento Pólo Calçadista de Rondônia

  1. 1. MOVIMENTO PÓLO CALÇADISTA DE RONDÔNIASENHORAS E SENHORES BOA NOITE
  2. 2. MEU NOME É VILLE MARQUES.AGRADEÇO A PRESENÇA DE TODOS:AS AUTORIDADES , SRS.EMPRESÁRIOS, INPRENSA, SRS.(AS)PRESIDENTES DEBAIRROS ,ESPECIALMENTE AOSTRABALHADORES(AS), ESTUDANTES, ENFIM A TODOS. APRESENÇA DE CADA UM DE VOÇÊS, ÉMUITO IMPORTANTE.MUITO OBRIGADO.
  3. 3. APRESENTAREMOS OSOBJETIVO, METAS E AÇÕES DOMOVIMENTO, PASSO A PASSO DEFORMA SIMPLES E RESUMIDA , APARTIR DO FRIGORÍFRICOUSANDO IMAGENS DAS DIVERSASETAPAS DO CURTIMENTO DOCOURO.
  4. 4. BÁSICAMENTE OS CURTUMES SÃO CLASSIFICADOS DE ACORDO COM AS ETAPAS DO PROCESSAMENTO DO COURO QUE EXECUTA• 1- O CURTUME WET BLUE (EX: JBS EM CACOAL) DESENVOLVE SOMENTE O PROCESSAMENTO DO COURO CRÚ EM WET BLUE. (NESTA ETAPA SÃO GERADOS 85% DOS RESÍDUOS COMO : PELOS ,SEBOS ,GORDURAS, E RESIDUOS QUIMICOS USADOS PARA O CURTIMENTO, COMO CROMO E OUTROS).• 2- O CURTUME ACABADOR , UTILIZA A MATÉRIA PRIMA (COURO WET BLUE) O TRANSFORMA EM COURO CRUST (SEMI-ACABADO) OU ACABADO.• 3- O CURTUME INTEGRADO DESENVOLVE TODAS AS ETAPAS, DESDE O COURO CRÚ ATÉ O COURO ACABADO. ( O VALOR DO COURO ACABADO, É TRÊS A QUATRO VEZES O VALOR DO COURO WET BLUE). VER SEQUENCIA DOS SLIDES.
  5. 5. Inicio do Processo - Couro Verde: Processo de Pré- Descarne - Consiste na aparação de patas, cabeças, rabos, etc. O pré-descarne é aretirada da gordura do couro, prepararando-o para o processo de caleiro.
  6. 6. Caleiro: Processo de depilação da pele. Em contato coma cal, os poros do couro se abrem, liberando facilmente todo o pêlo desnecessário ao processo de beneficiamento.
  7. 7. Processo de Descarne: Processo de Descarne e Descarne - Retirada do restante de gordura remanescente do processo de pré-descarne.
  8. 8. Processo de divisão em Tripa - Divisora Mosconi: Estaoperação é responsável para calibração do couro antes do curtimento. Atualmente nosso curtimento é 100% Integral.
  9. 9. Processo de Curtimento: Após este processo o couro encontra-se no seu primeiro estágio devenda WET BLUE (até aqui já existe em Cacoal).
  10. 10. Processo de Classificação: Nesta etapa o couro é separado em seleções e direcionado conforme suas características naturais para artigos comocalçados, bolsas, artefatos e estofamento entre outros.
  11. 11. Processo de Classificação - Couro classificados e armazenados em pallets com a mesma seleção.(ATÉ ESTE ESTÁGIO JÁ EXISTE EM CACOAL).
  12. 12. Divisão em Wet Blue - Divisora Mosconi Super Zenit 3200:Processo no qual o couro integral é dividido ao meio, separando-se a raspa da Flor.A espessura é definida em função do artigo a ser produzido.
  13. 13. Divisão em Wet Blue: Verificamos os Funcionários retirando ocouro e a raspa saindo na parte inferior e sendo transportada por uma esteirA ( A PARTIR DESTA ETAPA DO CURTIMENTO, JÁ É POSSÍVEL PRODUZIR EPIS (EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDUVIDUAL) COMO LUVAS , AVENTAIS, CANELEIRAS EM RASPA (SUB PRODUTO DO COURO).
  14. 14. Processo de Rebaixamento - Rebaixadeira Flamar 1800:Este processo define a espessura final do artigo.
  15. 15. Verificação de espessura: A espessura é medida em décimos de milímetros ou milímetros. Couros tem sua espessura definida em função de sua utilização. Normalmente utiliza-se: calçados 1,0/1,2mm, bolsas e artefatos1,4/1,6mm, vestuário 0,5/0,7mm, estofamento 0,9/1,1mm.
  16. 16. Processo de Secagem - Estira/Enxuga BaucePRC-4: A secagem normalmente acontece em 03 etapas. Este primeiro processo consiste emabertura por estiramento e secagem por pressão entre feltros.
  17. 17. Processo de Secagem à Vácuo: O segundoprocesso de secagem é a vácuo onde retiras-se a umidade da pele por temperatura e vácuo.
  18. 18. Processo de Secagem - Secador Aéreo: Ao fundo temos o terceiro processo de secagem denominado secador aéreo onde a secagem éfeita a temperatura ambiente garantido melhor toque a pele.
  19. 19. Processo de Amaciar - Amaciadora de courosCartigliano:Processo de amaciamento por ação mecânica.
  20. 20. Processo de Lixamento e retirada de pó - Lixadeira Flamar 1800: Processo utilizadoconforme as características finais necessárias para o artigo.
  21. 21. Processo de Batimento - Fulões de BaterErretre: Processo de amaciamento para artigos que tem como característica um toque muito macio.
  22. 22. . Processo de Togling: Processo para abertura da pele, permitindo um acabamento mais uniforme.
  23. 23. Processo de Pintura e Brilho porSpray: Processo de acabamento no qual o couro adquire a cor e brilho.
  24. 24. Processo de Prensa Rotativa: Utilizada para estampagem e acetinamento da pele.
  25. 25. Processo deGravação emMesa: Normalmenteutiliza-se esteprocesso paraestagem na qualconcede ao courobovinocaracterísticas detextura comocouro decobra, jacaré eavestruz entreoutros.
  26. 26. Processo de Medição: Neste processo é definida a área do couro através de sistema eletrônico com emissão de código de barras para rastreamento de todo o processo de fabricação
  27. 27. Couro acabado: pronto para ser comercializado, transformado embolsas, sapatos, artefatos e outros vários artigos em couro. Isso é possível devido à diversidade de etapas da nossa linha de beneficiamento.
  28. 28. Laboratório de Ensaio Fisíco e Químico: onde realizamos ensaios nos couros comoRasgamento, Elasticidade, Flexão, Ruptura, Ades ão de Acabamento, Cifra diferencial, TeorCromo, banho residual entre outros. E também analisamos nossos insumos químicos.
  29. 29. Couro e Raspa em Wet Blue embalados para comercialização.
  30. 30. OBJETIVOS DO MOVIMENTO POLO CALÇADISTA DE RONDONIA- MOVPOLCAR1- A CADEIA(SETOR) PRODUTIVA COUREIRO / CALÇADISTA É UMA DAS MAIORES GERADORAS DE EMPREGOS NO BRASIL E NO MUNDO. (gera cerca de 350.000 empregos no Brasil). (em Franca são +- 29 000)2 -É EXTREMAMENTE IMPORTANTE, ESCLARERER A TODOS (POPULAÇÃO), QUAL A IMPORTANCIA DO VALOR AGREGADO DA CADEIA (SETOR) PRODUTIVA COUREIRO/ CALÇADISTA, SEJA ELA DO PONTO DE VISTA ECONOMICO, SOCIAL, TECNOLÓGICO E AMBIENTAL. (QUAIS OS BENEFICIOS DIRETOS E INDIRETOS GERADOS.)3- ENTENDER, DESENVOLVER E IMPLANTAR ESTA ESTRUTURA PRODUTIVA É DE IMPORTANCIA ESTRATÉGICA BÁSICA, POIS ESTA RIQUEZA TRARÁ BENEFÍCIOS PARA TODO O POVO . NOSSOS GOVERNANTES DEVEM ANALISAR SUA POSIÇÃO DENTRO DESTE CONTEXTO, ESTABELECER OBJETIVOS E DEFINIR METAS, CONSIDERANDO O ATUAL GRAU DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO DO ESTADO DE RONDÔNIA.
  31. 31. PRINCIPAIS DIRETRIZES DO MOVIMENTO POLO CALÇADISTA DE RONDÔNIA - MOVPOLCAR• 1- MOBILIZAR A SOCIEDADADE, A POPULAÇÃO EM GERAL EM TORNO DESTE ASSUNTO, QUE COM CERTEZA INTERESSA A TODOS, GOVERNO, POLITICOS, EMPRÉSÁRIOS, PROFISSIONAIS LIBERAIS, JOVENS FORMANDOS, CLASSES TRABALHADORAS EM GERAL.2- ESCLAREÇER A POPULAÇÃO DE MANEIRA SIMPLES E OBJETIVA O MÁXIMO POSSIVEL SOBRE OS PROCESSOS E POSSIBILIDADES DO SETOR.3- DIVULGAR O DIRIETO QUE TEMOS DE LUTAR PELOS NOSSOS INTERRESSES, ATRAVÉS DA UNIÃO E MOBILIZAÇÃO POPULAR, DIREITOS LEGITIMOS, QUE OS SRS. POLITICOS DEVERÃO ACATAR E DEFENDER, POIS SÃO ELEITOS DEMOCRÁTICAMENTE, PARA DEFENDER O BEM ESTAR SOCIAL, CUIDANDO DA SAÚDE, EDUCAÇÃO, SEGURANÇA, MORADIA, DIREITO AO TRABALHO DIGNO, MELHORANDO A QUALIDADE DE VIDA DE TODOS.4- DISPERTAR NA POPULAÇÃO A IDÉIA DE QUE É POSSIVEL IMPLANTAR INDÚSTRIAS DE CALÇADOS NA REGIÃO, DESENVOLVER UM POLO INDUSTRIAL SUSTENTÁVEL .
  32. 32. 5- INCENTIVAR A BANCADAFEDERAL, DEPUTADOS E SENADORES, ÀDESENVOLVER GESTÕES NO SENTIDO DEINPLANTAR EM NOSSOESTADO, ESPECIALMENTE EMCACOAL, ATRAVÉS DO SENAI, CURSOSTÉCNICOS SIMILARES AOS QUE EXISTEM NOSPOLOS CALÇADISTAS DE FRANCA-SP E VALE DORIO DOS SINOS-RS, VISANDO A FORMAÇÃO DEMÃO DE OBRA ESPECIALIZADA PARA ATENDERAS INDÚSTRIAS DO PÓLO CALÇADISTA DERONDONIA.
  33. 33. METAS OU ETAPAS DA CADEIA PRODUTIVA A SEREM ALCANÇADAS• 1- CONSEGUIR CONVENCER EMPRESAS OU GRUPOS DO SETOR A IMPLANTAR O CURTUME INTEGRADO OU SEJA, DAR CONTINUIDADE AO PROCESSO APÓS O ESTÁGIO WET BLUE, CHEGANDO ASSIM AO COURO ACABADO, O QUE EM TESE POSSIBILITARÁ A INSTALAÇÃO DE INDÚSTRIAS DE CALÇADOS EM CACOAL E REGIÃO.2- ARGUMENTOS: DOIS FATORES QUE PESARAM E LEVARAM OS EMPRESÁRIOS DO SETOR CALÇADISTA TRANSFERIREM GRANDE PARTE DE SUA PRODUÇÃO PARA O CEARÁ, (SEGUNDO MAIOR PRODUTOR DE CALÇADOS DO BRASIL) , FOI A POSIÇÃO GEOGRÁFICA EM RELAÇÃO AOS PRINCIPAIS MERCADOS CONSUMIDORES DO CALÇADO BRASILEIRO NO EXTERIOR(ESTADOS UNIDOS E EUROPA) POIS O FRETE FICOU SUBSTANCIALMENTE MAIS BARATO. OUTRO FATOR FOI A MÃO DE OBRA FARTA E MAIS BARATA. (VER MAPA MUNDI)
  34. 34. MOSTRAR MAPA MUNDI
  35. 35. 3- O PÓLO DE RONDONIA SERÁ MAIS ATRAENTEFINANCEIRAMENTE, POIS GEOGRÁFICAMENTEESTAMOS MAIS PERTO DO QUE O ESTADO DOCEARÁ EM RELAÇÃO AOS PAISES ANDINOS, ESTADOSUNIDOS, EUROPA, ENFIM COM EXPORTAÇÕESATRAVÉS DA HIDROVIA DO RIO MADEIRA OU PELARODOVIA TRANSPACIFICO, (SÓ QUETRANSPORTANDO CONTAINERS , QUE ESTARÃOCARREGADOS COM CALÇADOS, OU OUTROSPRODUTOS COMO CARNE BOVINA ATUALMENTEOU FRANGO FUTURAMENTE(TENDÊNCIANATUARAL), O QUE BENEFICIARIA DIRETAMENTE OSPEQUENOS AGRICULTORES . (VER NAVIO PORTACONTAINERS).
  36. 36. PORTO DE SUAPE EM PERNAMBUCO
  37. 37. 4- DEVE SER PREOCUPAÇÃO DOS GRUPOS EMPRESARIAIS DOSETOR:O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DA REGIÃO, ARESPONSABILIDADE SOCIAL, A SUSTENTABILIDADE AMBIENTALDA AMAZONIA ATRAVÉS DA FABRICAÇÃO DE CALÇADOS, COMMATÉRIA PRIMA JÁ EXISTENTE NA REGIÃO, GERANDOASSIM, MILHARES DE EMPREGOS E CONTRIBUINDO PARA ODESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO DO NOSSO ESTADO.CONTRAPARTIDA DO GRUPO EMPRESARIAL : ALEM DASVANTAGENS FINANCEIRAS, MELHORARIA A IMAGEM DOSGRUPOS PERANTE A OPINIÃO PUBLICA NACIONAL EINTERNACIONAL.(ALIÁS ESSA SERÁ A ESTRATÉGIA DO MOVIMENTO, CASO OS GRUPOSEMPRESÁRIAIS DE RENOME INTERNACIONAL, NÃO NOS DÊ ATENÇÃO).5- UTILIZAREMOS TODOS OS MEIOS DE COMUNICAÇÃOPOSSIVEIS PARA DIVULGAR O MOVIMENTO, OS OBJETIVOS E OSRESULTADOS, ESPECIALMENTE AS REDES SOCIAIS.
  38. 38. METAS OU ETAPAS DA CADEIA PRODUTIVA A SEREM ALCANÇADAS (AÇÕES PARALELAS)• 1- SENDO POSITIVO A POSIÇÃO DO PRINCIPAL GRUPO DO SETOR NO ESTADO, EM PASSAR DO ESTÁGIO WET BLUE ATÉ O COURO ACABADO, O MOVIMENTO DEVERÁ PROSPECTAR (“BUSCAR”) CONTATOS COM POSSÍVEIS INTERESSADOS EM VIR CONHECER AS POTENCIALIDADES DA REGIÃO, COMO: MATÉRIA PRIMA ABUNDANTE, MÃO DE OBRA FARTA E MAIS BARATA E PRINCIPALMENTE NOSSA POSIÇÃO ESTRATÉGICA ALÉM DOS INCENTIVOS MUNICIPAIS, TEMOS• 2- INCENTIVOS FISCAIS DA SUFRAMA, DO CONDER (CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO ECONOMICO DE RONDONIA) INCENTIVOS LOGÍSTICOS, ALÉM DE VENDER PARA O MERCADO INTERNO, TERÃO GRANDE REDUÇÃO DE CUSTOS DE FRETE EXPORTANDO PELA FUTURA TRANSPACIFICO ( PERU,EQUADOR, COLÔMBIA , AMÉRICA CENTRAL, GRANDES METROPOLES AMERICANAS : LOS ANGELES, SÃO FRANCISCO ,MAIAMI OU OUTROS PAISES. VER MAPA MUNDI)OU VIA HIDROVIA DO MADEIRA (EXEMPLO DA SOJA) POIS O PRINCIPAL IMPORTADOR DE CALÇADOS DE COURO DO BRASIL SÃO OS ESTADOS UNIDOS E EUROPA (VER DADOS RECENTES RELATÓRIO SINDIFRANCA ).
  39. 39. O Polo calçadista de Rondônia, deve se desenvolver a partir de exemplos como:• 1- Polo calçadista de Franca no Estado de São Paulo, pois 85% dos calçados produzidos utilizam o couro como principal matéria prima.• 2- O Polo calçadista do Vale do Rio dos Sinos no Rio Grande do Sul, (o mais importante e maior produtor do Brasil) também utiliza o couro como principal matéria prima.• 3- o desenvolvimento do polo deve ser gradativo, produzindo inicialmente calçados mais rústicos devido qualificação da mão de obra.
  40. 40. 3- APRESENTAR AOS DEPUTADOSESTADUAIS, SUJESTÕES PARA ELABORAR PROJETODE LEI, VISANDO AUMENTAR ALÍQUOTAS(ESTUDOS) DE SAÍDA DO COURO NOSESTÁGIOS, CRÚ OU SALGADO E WETBLUE, INIBINDO ASSIM A SAÍDA DO COUROPRATICAMENTE IN NATURA, POR OUTRO LADO, NAMESMA LEI BAIXAR AO MÁXIMO ALIQUOTAS DOCOURO ACABADO (ESTUDOS) PARA SAIDA PARCIALDO COURO OU PRODUTO, RESERVANDO MATÉRIAPRIMA PARA O DESENVOLVIMENTO DE INDÚSTRIASDE CALÇADOS NO ESTADO, COM ISENÇÃO MÁXIMA(ESTUDOS) DE IMPOSTOS PARA INDUSTRIAS QUE SEINTALAREM E PRODUZIREM CALÇADOS AQUÍ.
  41. 41. 4- INCENTIVAR OS SRS. PREFEITOSMUNICIPAIS, SECRETÁRIOS DE INDÚSTRIA E COMERCIO, ADESENVOLVER PROJETOS E IMPLANTAR DISTRITOSINDUSTRIAIS OU PARQUES INDUSTRIAIS, DOTADOS DE TODAA INFRA ESTRUTURA NECESSÁRIA, PARA INSTALAÇÃO DEMICRO,PEQUENAS E GRANDES INDÚSTRIAS DE QUALQUERSEGUIMENTO .(PREVER QUE SERÁ NECESSÁRIO CONSTRIRUM ‘‘ PORTO SECO’’ PREFERENCIALMENTE EM CACOAL).5- INCENTIVAR OS SRS. VEREADORES NA ELABORAÇÃO DELEIS QUE AUTORIZA O PODER EXECUTIVO A ISENTARTRIBUTOS MUNICIPAIS (ESTUDOS), CONCESSÃO DOTERRENO, TERRAPLENAGENS E OUTROS BENEFÍCIOSVISANDO A ATRAIR O INTERESSE DE GRUPOS EMPRESÁRIAISDO SETOR PRODUTIVO, O QUE COM CERTEZAMOVIMENTARIA EM MUITO O SETOR DE SERVIÇOS ECOMERCIO DOS MUNICIPIOS GERANDO + ICMS INDIRETOS.
  42. 42. Política Industrial para a Cadeia Produtiva de Couro, Calçados e Artefatos• • Criação de instrumento de desoneração tributária do PIS/COFINS na aquisição de máquinas e equipamentos para produção de calçados, por meio da Lei nº 11.774/08, que veicula alterações no RECAP - Regime Especial de Aquisição de Bens de Capital para Empresas Exportadoras; • Consolidação do imposto de importação (TEC) para calçados em 35% • Principais medidas lançadas no Programa Brasil Maior em 02 de agosto de 2011:
  43. 43. POLITICA INDUSTRIAL - Redução gradual do prazo dedevolução de créditos PIS-Pasep/Cofins sobreaquisição de bens de capital: de 12 meses paraapropriação imediatao Ampliação de oferta de capital de giro para MPMEs -BNDES PROGEREN• o Novas condições de crédito e prazo: • Orçamento: de R$ 3,4 para R$ 10,4 bilhões • Taxa de juro: 10% a 13% a.a. • Prazo de financiamento: de 24 para 36 meses • Vigência prorrogada até dez/12 • Novos setores incluídos (para médias empresas): autopeças, móveis e artefatos
  44. 44. CONSEQÜÊNCIAS PERVERSAS DA EXPORTAÇÃO DE 13,5 MILHÕES DE UNIDADES EM WET BLUE• O couro exportado no estágio Wet blue gera poucos empregos no Brasil, gera 350.000 empregos nos países concorrentes .O Brasil fica com 85% do passivo ambiental do processo produtivo.O Brasil deixa de gerar mais de US$ 5 bilhões/ano em divisas.O Brasil exporta técnicos e outros profissionais para "ensinar" os chineses a trabalhar sobre o couro brasileiro e transformá-los em sapatos que irão concorrer com o sapato brasileiro no mercado mundial.
  45. 45. Qual a importância do valor agregado, hoje, seja econômico ou social?Estágio de Valor %agregado Melhorando a %processamento atual(US$) qualidade agregado (US$)1 couro fresco 24,00 100% 34,00 100%vale1 couro wet 48,00 200% 55,00 162%blue vale1 couro 70,00 292% 85,00 250%acabado vale1 couro 240,00 1.000% 300,00 882%manufaturado
  46. 46. Mesmo que, hoje, grande parte do sapato fabricado no Brasil seja com material sintético, NO CASO DE RONDÔNIA existE a dependência do setor sapateiro aos curtumes, é importante entender a diferença de valores agregados. É claro que produzindo aqui o couro acabado , serão gerados milhares de empregos e milhões em ICMS, para o Estado e Municípios.• 1.000 couros dia de couros Emprega 10 pessoasfrescos (salgado)• 1.000 couros dia de Emprega 40 pessoascouros wet blue (ex: CURTUMEDE CACOAL)• 1.000 couros dia de couros Emprega 100 pessoasacabados (NÃO TEMOS EMRONDÔNIA)• 1.000 couros dia de couros Emprega 2.000 pessoasmanufaturados (calçados ,BOLSAS , ESTOFADOS ETC..)
  47. 47. POSSIBILIDADES DIVERSAS• 1- A PARTIR DA TRANSFORMAÇÃO DO COURO WET BLUE EM COURO ACABADO, JÁ SERÁ POSSIVEL, PRODUZIR EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL, BOLSAS, ESTOFADOS EM COURO , CALÇADOS RUSTICOS E DE FINO ACABAMENTO.• 2- SEM DESENVOLVER O COURO ACABADO, NÃO É POSSIVEL SONHAR COM UM PÓLO INDÚSTRIAL DE CALÇADOS EM RONDONIA.
  48. 48. EXEMPLOS E POSSIBILIDADES PARA RONDONIA
  49. 49. Subsídios para venda de couro fora do Estado prejudica fábrica de calçados no Tocantins O Grupo Mariner , responsável pela construção e implantação da Tocantins Calçados, em Colinas do Tocantins, indústria que vai gerar 800 empregos no município, vem sendo afetado pela não aplicação da Lei. Isto porque, entre outras coisas, a lei quebra o subsídio que hoje é dado pelo governo aos frigoríficos que vendem o couro para fora do Estado.
  50. 50. Cidade de Colinas se torna produtora de sapatos• A cidade de Colinas do Tocantins agora é uma cidade fabricante de sapatos masculinos. O maior fabricante de calçados masculinos da América do Sul já está produzindo no município.
  51. 51. Cidade de Colinas se torna produtora de sapatos
  52. 52. Grupo Bertin quer instalar fábrica de calçados de segurança.
  53. 53. O município de Arapiraca pode receber, nos próximos dias, um grande empreendimento dosetor industrial, com a instalação de uma fábrica de botas de segurança e outros equipamentos de proteção individual (EPIs).• Segundo ele, a fábrica será a primeira do Nordeste e deve produzir oito mil pares de botas por dia. O empreendimento também deve gerar cerca de 1.200 empregos diretos e indiretos. Para tanto, os diretores do grupo estão avaliando as condições do município para instalar a fábrica. “Sabemos da localização estratégica e da força econômica de Arapiraca, mas precisamos de um local adequado, mão-de-obra e a logística para viabilizar o empreendimento”, explicou Silmar Bertin.
  54. 54. 21/06/2011 12h38 - Atualizado em 21/06/2011 12h52 Exportação de couro cresce 30% em maio, para US$ 204,9 milhões• Dados são do Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB). China e Hong Kong foram principais destinos do couro brasileiro este ano.• Da Agência Estado• As exportações brasileiras de couros somaram US$ 204,9 milhões em maio, alta de 30% ante o mesmo mês do ano passado. Na comparação com abril, a alta foi de 8%. Em volume, os embarques totalizaram 36,2 mil toneladas no mês passado. Os dados são do Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB), com base em relatório da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).
  55. 55. OPORTUNIDADES DIVERSASÉ ÓBVIO QUE, CONFORME VÃO SE CONCRETIZANDO ASETAPAS DO PROJETO, O ESTADO E AS CIDADES SERÃOBENEFICIADA COM MAIS MOVIMENTO NO COMERCIO ESERVIÇOS, PORTANTO MAIS ICMS DIRETOS E INDIRETOSATRAVÉS DA GRANDE MASSA SALARIAL GERADA PELOGRANDE NUMERO DE EMPREGOS QUE O POLO CALÇADISTAGERARÁ. EXISTIRÃO TAMBEM OPORTUNIDADES DEINVESTIMENTOS EM INDUSTRIAS QUE AQUI SEINSTALARÃO, OU EM MICROEMPRESAS PRESTADORAS DESERVIÇOS, POIS VÁRIAS ETAPAS DA FABRICAÇÃO DECALÇADOS É TERCEIRIZADA, COMFORME É CUSTUME NOSGRANDES POLOS CALÇADISTAS DO BRASIL.
  56. 56. INICIALMENTE NÃO TEREMOS MÃO DE OBRA QUALIFICADACUTURNOS E BOTAS PARA O EXÉRCITO BRASILEIRO, POLICIASMILITAR, EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUALPARA APRODUÇÃO DE CALÇADOS FINOS, PORÉM PODEMOS BUSCAR INDÚSTRIAS DE CALÇADOS INDUSTRIAIS , COMO , OU CALÇADOS MAIS SIMPLES E RUSTICOSAGRADEÇEMOS A SUA PRESENÇA,ESPECIALMENTE AO POVO HUMILDE ETRABALHADOR DESTA NOVA TERRA , APARTICIPAÇÃO MACISSA E CONTÍNUADA DAPOPULAÇÃO NESTE PROJETO É E SERÁFUNDAMENTAL PARA ALCANÇARMOS OSOBJETIVOS E METAS AQUI HUMILDEMENTEESPLANADAS .
  57. 57. LUTAR DE TODAS AS FORMAS, COM ACERTEZA DE VENCERMOS OS OBSTÁCULOSQUE SÃO MUITOS, MAS COM FÉ EM DEUSE A FORÇA DO POVO, VENCEREMOS, POISDOS NOSSOS INTERESSES CUIDEMOSNÓS, OUTROS NÃO O FARÃO POR NÓS.MUITO OBRIGADO VILLE MARQUESMOVIMENTO POLO CALÇADISTA DERONDÔNIA. MOVPOLCAR

×