Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Questão e Resposta

1,124 views

Published on

Atitude resultante da valorização de uma Direção Unipessoal, pela Inspeção Geral da Educação e Ciência.
Alguém vislumbra um "PEDIDO DE NÃO AVERIGUAÇÃO DOS FACTOS"??

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Questão e Resposta

  1. 1. Assédio moral Data: Ter, 13 Out 2015 (13:35:15 WET) De: fvbras@sapo.pt Para: igec@igec.mec.pt Ex.º Senhor Inspetor Geral: Venho, através do presente mail, solicitar a V.ª Ex.ª informação acerca do assunto que passo a expor. Desde 2010,altura em que houve uma queixa de uma encarregada de educação a meu respeito, da qual não me foi dado conhecimento nem oportunidade de defesa, arquivada por uma pronúncia falsa do Diretor de Agrupamento, posteriormente requerida a esses Serviços e "voltada a arquivar" com pronúncia reformulada do mesmo Diretor,que o senhor em questão persiste numa atitude de difamação da minha pessoa. Qualquer sugestão que eu faça (organização de horários, AEC, constituição de Conselho de Docentes para Avaliação de Alunos, atribuição de cargos a coordenadores,não respeitando o ECD... ...) é rebatida com a acusação de ser falsa,caluniosa e infundada,afirmações como estando eu confusa, equivocada... por parte do Diretor. Na sequência desse processo,estive, de março de 2010 a outubro de 2011, sem condições de trabalho. Voltei a lecionar,na Escola onde fora Coordenadora desde outubro de 2011 até ao início do ano escolar de 2014/2015, tendo sido colocada na Biblioteca da E.B.2.3. Armando LucenaMalveira, pelo Sr. Diretor, usufruindo de ano de isenção da componente letiva ao abrigo do Artigo 79.º do ECD, por ter completado 33 anos de serviço.Em qualquer destes locais, o meu trabalho foi reconhecido por colegas e pais como sendo de qualidade e grande empenho. Fui avaliada com9,1 (Excelente, que por decisão da Comissão de Avaliação, teve a menção de Muito Bom). Durante o ano letivo anterior, para além do trabalho na Biblioteca, louvado pela respetiva Coordenadora em Conselho Pedagógico, investi na minha formação: - Prevenção da Indisciplina- Centro de Formação de Mafra- 9,4 valores- Excelente; - Aplicação do Modelo CAF à Avaliação das Escolas- Universidade Aberta- 9,9 valores- Excelente. Neste ano letivo, foi-me atribuída uma turma de 1.º e 4.º anos, de 26 alunos, com 19 alunos de 1.º ano (sete eram condicionais,com 6 anos por completar) e 7 alunos de 4.º ano, havendo uma NEE confirmada, uma outra ainda não sinalizada para a educação especial (no 4.º ano) e outros alunos sem qualquer autonomia , já com repetências em anos anteriores. Apesar de uma pequena remodelação, apenas consegui trabalhar durante 7 dias, nos quais ensaiei várias estratégias, que pouco resultaram: - trabalhar com o 1.º ano e o 4.º ao mesmo tempo- impossível; - ocupar os alunos do 4.º ano e trabalhar com o grupo de 1.º ano- impossível, por falta de autonomia dos alunos mais velhos,um sem saber ler e outros sem capacidade de compreensão das questões, nem de expressão escrita ( conteúdo da composição na ficha de avaliação diagnóstica de Português de um aluno de 4.º ano, relatando as suas férias: "Fui às piscinas a Santarém e à República Domin icana", sem mencionar os erros ortográficos incluídos ); - trabalhar com os alunos de 1.º ano- possível apenas com "abandono" dos alunos de 4.º, incapazes de levar a cabo qualquer tarefa sem as explicações e o acompanhamento imprescindíveis. Como é evidente, esta última solução não foi do meu agrado e tentei "correr" de um grupo para o outro. Ao sétimo dia,do 36.º ano de serviço,tive que me ausentar por doença, quase perdendo os sentidos na própria escola. Liguei para a DGEstE, expus a situação, pedi ajuda. Os pais dos alunos, antes do início das aulas,contestaram para a Secretaria de Estado da Ad. Escolar, a constituição da turma, por sua própria iniciativa. Quando me desloquei ao Agrupamento, (acompanhada) falei com o Sr. Diretor e contestei o não respeito pela Graduação Profissional na atribuição de turmas, a minha mudança de Escola, a inexistência ou o não cumprimento dos Critérios de Constituição de Turmas, o não funcionamento do Conselho Geral, uma vez que o respetivo Presidente fora chamado para adjunto do Diretor... Obtive como resposta, entre outras, "Vai-te embora! De atestado é que estás bem!" E, de novo, me encontro sem condições de trabalho.
  2. 2. Entretanto, recebi por e-mail,o "relato" da conversa tida entre o Sr. Diretor e o Presidente da Associação de Pais, feito pelo próprio para os pais dos meus alunos (colado após o presente texto). Como V.ª Ex.ª constatará, se estava doente, mais se agravou o meu estado. A questão que coloco a V.ª Ex.ª é esta: Irá a IGEC, finalmente tomar uma posição firme de averiguação da ação do Sr. Diretor, ou haverá o habitual encaminhamento à DGEstE, pronúncias infundadas e arquivamento? Nesta segunda hipótese, de nada servirá encaminhar provas e formalizar queixa. Com os melhores cumprimentos, agradeço a V.ª resposta A Professora do Quadro do Agrupamento Maria de Fátima Graça Ventura Brás S/11386/SC/15 - EXPOSIÇÃO/QUEIXASOBRE ALEGADAS IRREGULARIDADES NO FUNCIONAMENTO DO AGRUPAMENTO--------------------------------------------------- (00Y42UL95TFES013S7P7WO773200) Data: Seg, 2 Nov 2015 (13:59:52 WET) De: igec@igec.mec.pt Para: Destinatários Desconhecidos Processo de Provedoria NUP:10.09//SC/15 Ex.ma Senhora, Acusamos a receção do correio eletrónico enviado por V. Ex.ª a esta Inspeção-Geral e somos a informar que não iremos efetuar as diligências necessárias para o apuramento dos factos, nomeadamente solicitar esclarecimentos ao Senhor Diretor do Agrupamento de Escolas Prof.Armando de Lucena sobre a matéria em apreço,respeitando o pedido formulado por V. Ex.ª na exposição supramencionada. Com os melhores cumprimentos, Lisboa,2 de novembro de 2015 A Chefe de Equipa Multidisciplinar de Provedoria --------------------------------------------------------- (Por delegação de competências do Senhor Inspetor-Geral da Educação e Ciência) PV

×