Correção da avulsão ureteral durante ureterolitotripsia

2,527 views

Published on

Dr. Paulo R. Monti

Published in: Health & Medicine
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,527
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
44
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Correção da avulsão ureteral durante ureterolitotripsia

  1. 1. Correção da avulsão ureteral durante ureterolitotripsia Paulo R. Monti Chefe do Serviço de Urologia Faculdade de Medicina da UFTM - Uberaba - MG
  2. 2. Ocorre quando manobras agressivas são feitas durante a remoção endoscópica de cálculos, resultando em fixação da parede ureteral com o cálculo durante extração por “basket” ou quando cálculos grandes são tracionados através de segmentos ureterais de menor calibre. Hart JB. J Urol, 1967 Hodge J. BJU, 1973 Conceito Avulsão ureteral Campbell – Walsh Urology – 9ª Ed. 2007
  3. 12. 1- Anastomose primária (liberação renal) 2- Interposição intestinal apêndice cecal segmento ileal segmento intestinal reconfigurado (Yang-Monti) 3- Auto-transplante renal 4- Nefrectomia natural modelado Ureter proximal Avulsão ureteral
  4. 14. 1- Anastomose primária (liberação renal) 2- Interposição intestinal apêndice cecal segmento ileal segmento intestinal reconfigurado (Yang-Monti) 3- Auto-transplante renal 4- Nefrectomia natural modelado Ureter proximal Avulsão ureteral
  5. 18. Contra - indicações creatinina > 2 mg/dl cl. creat < 60 ml/min disfunção vesical obstrução intravesical doença intestinal inflamatória enterite actínica Hsu THS e cols. Campbell-Walsh Urology. 9ª ed. 2007. Substituição ureteral Segmento ileal Avulsão ureteral
  6. 26. N = 7 UFTM Avulsão ureteral Sexo Lado Tubo Seguimento M -6 F-1 E-3 D-4 duplo – 6 triplo - 1 2 a 27 meses (29,5 anos) Tempo Imediato – 1 até 10 dias -5 22 dias - 1 Local 4 diferentes cidades 7 diferentes Serviços
  7. 27. Resultado UFTM Avulsão ureteral Rins normais – 6 Hidronefrose moderada - 1 Complicações Sepsis – 1 (2  10) ITU febril – 1 Bacteriúria assintomática – 2 Hérnia incisional – 1 Fístula urinária - 2
  8. 31. 2001 a 2002 – 10 pts Ali-El-Dein B. e cols. J. Urol. 2003;169:1074-7. Indicações Bilharziose – 6 TBC – 3 Tumor urotelial - 1 tubo triplo – 7 pts tubo duplo – 3 pts Substituição ureteral Técnica de Yang-Monti Avulsão ureteral
  9. 32. Características utiliza pequenos segmentos intestinais preserva intestino reduz complicações metabólicas permite interposição ureteral permite técnica anti-refluxo permite uso de cólon pequena secreção de muco peristaltismo adquirido? Ressalvas número de pacientes tempo de seguimento Ali-El-Dein B. e cols. J. Urol. 2003;169:1074-7. Substituição ureteral Técnica de Yang-Monti Avulsão ureteral
  10. 35. 1- Auto-transplante renal viável cirurgia de grande porte 2 anastomoses vasculares 2- Nefrectomia avaliar custo/benefício Outras opções Avulsão ureteral
  11. 36. 1 - Fragmentar cálculos (< 6 mm) 2 - Ureteroscópios disponíveis (6,9F a 11,5F + flexível) 3 - Fio guia de segurança 4 - Observação contínua do “basket” 5 - Monitoração fluoroscópia 6 - “Basket” retido com cálculo – administrar 7 - Não usar força física 8 - Interromper o procedimento + duplo J 9 - Não ter pressa 10 - Bom senso Segura JW e cols. Eur. Urol. 2006; 50:991-9. Prevenção Avulsão ureteral

×