Oscar

4,501 views

Published on

1 Comment
4 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
4,501
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
749
Comments
1
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Oscar

  1. 1. Oscar Niemeyer “ A vida é um sopro”
  2. 2. Biografia Oscar Niemeyer Soares Filho nasceu no Rio de Janeiro, em 1907. Era um jovem carioca boêmio que gostava de freqüentar as noites cariocas. Terminou o ensino secundário apenas aos 21 anos, idade com que se casou com a sua primeira esposa, Annita Baldo, com quem teve uma única filha, a galerista Anna Maria Niemeyer. Do fruto desse casamento, rendeu ao arquiteto, cinco netos, treze bisnetos e quatro trinetos.
  3. 3. Descendente de família tradicional católica e neto de ministro do supremo tribunal federal, fez o seu primeiro projeto quando ainda era estudante, gratuitamente, uma casa em estilo moderno, para um parente que era médico.
  4. 4. Para Niemeyer é fundamental que o arquiteto saiba e goste de desenhar, para poder exprimir as suas idéias, e foi justamente o gosto pelo desenho que o levou a cursar arquitetura. A maioria dos arquitetos reconhece nele um desenhista extraordinário. Apesar de sua preocupação com o quesito funcionalidade dos seus projetos, sua atenção à estética é mais que evidente. Ele diz que a beleza num projeto arquitetônico é essencial, sobrepondo, até mesmo, a própria razão de existir do edifício. Além disso, gosta de incluir em seus projetos profissionais pintores, escultores e artistas plásticos para trabalhar em suas obras.
  5. 5. Seu primeiro projeto individual como profissional que foi construído, foi a Obra do Berço, em 1937, no Rio de Janeiro. Este projeto foi encomendado por uma das diretoras da instituição, que também era sua parente. Foi esta obra que marcou a sua presença na arquitetura como arquiteto modernista. Naquele tempo existiam duas tendências arquitetônicas no Brasil, uma era a arquitetura moderna, que procurava utilizar toda a tecnologia e materiais existentes, explorando uma plenitude de possibilidades, e outra, uma arquitetura intermediária, misturando o moderno com estilos do passado.
  6. 6. Lucio Costa se converteu ao estilo modernista e por causa disso seu escritório passou por 5 anos quase sem trabalho, porque a maioria dos seus clientes antigos gostavam do estilo neoclássico, barroco, colonial. Sua preocupação, quando ainda estudante, era de poder trabalhar numa firma construtora e por este motivo, conseguiu estágio e foi trabalhar no escritório de Lucio Costa, onde aprendeu muito.
  7. 7. Em 1936, o então ministro Gustavo Capanema, convida Lucio Costa a realizar o projeto, em estilo moderno, do edifício do Ministério da Educação e Saúde. Foi formada uma equipe e Le Corbusier foi chamado para dar consultoria. Segundo Lucio Costa, Niemeyer assessora pessoalmente Corbusier e foi através desta convivência de poucos dias que desabrochou em Oscar o seu talento e a influência do estilo modernista ficou mais acentuada.
  8. 8. O edifício do MES, torna-se então o primeiro arranha-céu do mundo a contar com “os 5 pontos da arquitetura moderna” definidos por Le Corbusier: a planta livre, a fachada livre, a estrutura independente, os pilotis e o terraço-jardim.
  9. 9. É reconhecido como o maior arquiteto brasileiro que acumula prêmios nacionais e internacionais e que exibe um conjunto de obras realizadas no Brasil e no exterior (Estados Unidos, França, Alemanha, Argélia, Itália e Israel, entre outros países). Em 1939, Oscar Niemeyer e Lucio Costa recebem a tarefa de projetar o Pavilhão do Brasil para exposição em Nova York.
  10. 10. Em 1940, o prefeito de Belo Horizonte, Juscelino Kubitschek encomenda a Niemeyer o conjunto da Pampulha, formado por iate clube, cassino, igreja, restaurante, hotel (que não foi construído) e casa de baile. Projeto desenvolvido como centro de lazer da elite mineira e criado em apenas uma noite devido ao caráter de urgência imposto pelo prefeito.
  11. 11. Foi nesse projeto que Niemeyer procurou fazer uma arquitetura diferente, pois ele achava que a arquitetura que ele praticava até aquele momento não compreendia e retratava bem a plasticidade do concreto armado (material com que gosta de trabalhar), porque era rígida como se fosse estrutura metálica. Introduziu então, a “curva livre e sensual”, “a curva da mulher preferida”, que tornou uma de suas marcas. O uso de formas em curvas ou em cascas nas estruturas em concreto armado, deu a Niemeyer a possibilidade de explorações inéditas em todos os seus futuros projetos.
  12. 12. É convidado pela Organização das Nações Unidas - ONU a participar da comissão de arquitetos encarregada de definir os planos de sua futura sede em Nova York, em 1947, onde tem a oportunidade de trabalhar novamente com Le Corbusier.
  13. 13. No início da década de 1950 projetou o parque do Ibirapuera e o Edifício Copan, que se tornaram cartões-postais da cidade de São Paulo.
  14. 14. Juscelino Kubitschek tornou-se Presidente do Brasil e com a idéia de construir uma nova capital (Brasília), encarregou Niemeyer de organizar o concurso para a escolha do plano-piloto de Brasília, vencido por Lúcio Costa. Era a oportunidade e também um desafio de construir uma cidade inteira em estilo modernista e com base na Carta de Atenas. Brasília foi inaugurada em 21 de abril de 1960.
  15. 15. Niemeyer alcançou prestígio e reconhecimento internacional ao projetar o Palácio da Alvorada, o Palácio do Planalto, o Palácio da Justiça, o Congresso Nacional, a Catedral de Brasília e os prédios dos Ministérios. Todos eles continham um arrojo estrutural e inovador de estética arquitetônica. As formas espetaculares das colunas estruturais do Palácio do Planalto, do Planalto da Alvorada, são elementos conhecidos e reproduzidos pelo mundo inteiro.
  16. 16. Palácio da Alvorada
  17. 17. Palácio do Planalto
  18. 18. Palácio da Justiça
  19. 19. Congresso Nacional
  20. 20. Sede do Partido Comunista - Paris Universidade de Constantine - Argélia Niemeyer era comunista e filiado ao Partido Comunista Brasileiro desde 1945 e essa opção política veio a lhe criar diversos problemas. Por causa da Ditadura militar que tomou posse no país, um período de perseguições e repressão política se instala e por este motivo, deixou o cargo de coordenador da Escola de Arquitetura da Universidade de Brasília e mudou-se para o exterior onde teve a oportunidade de mostrar o seu trabalho.
  21. 21. Editora Mondadori - Itália Sede do Jornal L’Humanité - Paris Foi autor de inúmeros projetos dos quais se destacam: a Universidade de Constantine e a Mesquita de Argel (Argélia), o espaço Oscar Niemeyer Le Havre, a Sede do Partido Comunista e o Jornal L’Humanité (Paris), Editora Mondadori (Itália), os planos da Cidade de Neveg, (Israel), Plano de Urbanização do Algarve, (Portugal), Centro Residencial de Estudantes em Oxford, (Inglaterra), entre outros.
  22. 22. CIEPs – Rio de Janeiro Museu de Niterói De volta ao Brasil, no início da década de 1980, com o abrandamento ou distensão política da ditadura militar, a sua produção não diminui: projetou a Passarela do Samba (Sambódromo) e o conjunto de escolas pré-fabricadas (CIEPs), no Rio de Janeiro; o Panteão da Liberdade, na Praça dos Três poderes, em Brasília; o projeto para a Embaixada Brasileira em Cuba; o Memorial da América Latina, em São Paulo; o Museu de Arte Contemporânea de Niterói e a sua residência na Estrada de Canoas (Rio de Janeiro); a fábrica Duchen em São Paulo; o Museu Oscar Niemeyer em Curitiba-PR; o sambódromo do Anhembi (São Paulo); o projeto para o Hotel de Ouro Preto (Minas Gerais); o Museu de Caracas (Venezuela), etc.
  23. 23. Sambódromo da Sapucaí Museu Oscar Niemeyer - Curitiba Sambódromo da Sapucaí Sambódromo do Anhembi
  24. 24. No campo da escultura, são conhecidos os projetos do Monumento a Carlos Fonseca Amador, Nicaraguá, 1982; Monumento Cabanagem, Pará, 1984; Monumento "Tortura Nunca Mais", Rio de Janeiro, 1986, Monumento aos "Três operários assassinados durante a greve de novembro de 1988, em Volta Redonda e a escultura na Praça Cívica do Memorial da América Latina , 1989. A presença constante de Oscar Niemeyer no cenário da arquitetura contemporânea internacional, desde 1936 até os dias atuais, o transformou em símbolo brasileiro.
  25. 25. Recebeu inúmeros prêmios e possui vasta bibliografia. Entre os inúmeros prêmios recebidos destacam-se o Prêmio Lênin da Paz em 1963; Prêmio "Lorenzo il Magnífico", Itália, 1980; Membro Honorário da Academia de Artes da URSS, 1983; Membro Titular da Academia Européia das Ciências, Artes e Letras, 1983; Doutor "Honoris Causa" da Academia de Construção da República Democrática Alemã, 1988; Pritzker Architecture Prize - Estados Unidos, 1988; Membro Honorário do "Royal Institute of British Architects", Inglaterra, 1989 ace, no mesmo ano, o Prêmio Príncipe de Asturias de Las Artes, Espanha. Continua desenvolvendo projetos no Brasil, em Oslo (Noruega), em Moscou e em Londres. Mantém-se produtivo e lúcido.

×