Seminário prof. dra. daniela barros

5,039 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

Seminário prof. dra. daniela barros

  1. 1. Universidade Federal do Rio Grande Instituto de Ciências Biológicas Laboratório de Neurociências Daniela Martí Barros [email_address] Neurociências e Aprendizagem
  2. 2. <ul><li>Na sociedade pós-moderna: </li></ul><ul><li>Busca por conexões, </li></ul><ul><li>Rompimento de fronteiras e hierarquias, </li></ul><ul><li>Fusões de áreas, </li></ul><ul><li>Interações e convergências entre áreas antes independentes. </li></ul>SABERES E A SOCIEDADE EDUCAÇÃO PSICOLOGIA NEUROCIÊNCIAS I Seminário Nacional de Neurociências Aplicadas à Educação – Outubro 2010- Alfred Sholl
  3. 3. SURGE UM NOVO CAMPO DE ESTUDO: NEUROEDUCAÇÃO EDUCAÇÃO PSICOLOGIA NEUROCIÊNCIAS NEUROEDUCAÇÃO <ul><li>Campo emergente, </li></ul><ul><li>Alvo de apropriações indevidas, quando não oportunistas. </li></ul>I Seminário Nacional de Neurociências Aplicadas à Educação – Outubro 2010- Alfred Sholl
  4. 5. <ul><li>Pode ser considerado como a habilidade para dirigir pensamentos e ações de acordo com as nossas intenções internas </li></ul><ul><li>Encontra-se no cerne da mais elevadas faculdades mentais que nos tornam humanos, tais como planejamento, resolução de problemas e linguagem (Cohen et al 2000) </li></ul><ul><li>Permite a seleção de ações consistentes com os nossos objetivos e com o contexto (Brade 2008) </li></ul><ul><li>Córtex Pré-Frontal: componente central na rede cerebral que sustenta o controle cognitivo </li></ul><ul><li>(Brade 2008) </li></ul>
  5. 6. Córtex Pré-Frontal www.google .images
  6. 7. <ul><li>Processos mentais envolvidos na aquisição de conhecimento e compreensão , incluindo pensamento, conhecimento, lembrança, julgamento e resolução de problemas. </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>São funções de elevada complexidade abrangendo a linguagem, imaginação, percepção e planejamento. </li></ul></ul></ul></ul>COGNIÇÃO EXECUÇÃO MOTORA MEMÓRIA <ul><li>PERCEPÇÃO </li></ul><ul><li>Visual </li></ul><ul><li>espacial </li></ul><ul><li>auditiva </li></ul>DISCRIMINAÇÃO ATENÇÃO APRENDIZAGEM CONCENTRAÇÃO CONTROLE COMPORTAMENTAL RACIOCINIO LÓGICO PLANEJAMENTO COMPORTAMENTAL CÁLCULO LEITURA ESCRITA LINGUAGEM DISFUNÇÃO COGNITIVA
  7. 8. Professor como alguém que interage ensinar aprender
  8. 11. A vida por um fio e por inteiro – Elias Knobel Lisa Sanders
  9. 12. EDUCAÇÃO E SOCIEDADE <ul><li>A Educação é uma atividade social no qual o conhecimento tem um papel central. </li></ul>Felipe de Matos Müller
  10. 13. EDUCAÇÃO E CONHECIMENTO <ul><li>“ A ciência visa ao conhecimento que é novo para a humanidade, a educação visa ao conhecimento que é novo para o estudante individualmente”. (GOLDMAN, 1999, p. 349) </li></ul>
  11. 14. ORIENTADOS PARA A VERDADE <ul><li>INTERESSE PELA VERDADE </li></ul><ul><ul><li>Prática de questionar </li></ul></ul><ul><li>Busca pela verdade </li></ul><ul><ul><li>Curiosidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Vantagens práticas </li></ul></ul>Felipe de Matos Müller
  12. 15. A BUSCA DA VERDADE <ul><li>Disponibilidade de informações e conhecimentos </li></ul><ul><ul><li>Como distinguir a informação verdadeira da falsa? </li></ul></ul><ul><ul><li>Como distinguir as informações relevantes das irrelevantes? </li></ul></ul>Felipe de Matos Müller
  13. 16. CONHECIMENTO <ul><li>Há uma força cultural que nos impele a assumir o objetivo prioritário de ter conhecimento. </li></ul><ul><li>“ Todos os homens têm por natureza o desejo de conhecer” ( Aristóteles 384-322 a.C .) </li></ul>Felipe de Matos Müller
  14. 17. <ul><li>Nosso meio-ambiente imediato : </li></ul><ul><ul><li>“ Há uma mesa aqui.” </li></ul></ul><ul><li>Nossos próprios pensamentos e sentimentos : </li></ul><ul><ul><li>“ Estou animado com o novo semestre.” </li></ul></ul><ul><li>Estados mentais dos outros : </li></ul><ul><ul><li>“ Aquela pessoa ali que está rindo muito achou a piada que ela recém ouviu engraçada.” </li></ul></ul><ul><li>O passado : </li></ul><ul><ul><li>“ Em 1791 a Assembléia Constituinte Francesa cria as patentes de invenções”. </li></ul></ul><ul><li>Matemática : </li></ul><ul><ul><li>“ 2 + 2 = 4” </li></ul></ul><ul><li>Fatos científicos : </li></ul><ul><ul><li>“ A terra gira em torno do sol.” </li></ul></ul>O QUE CONHECEMOS ?
  15. 18. Felipe de Matos Müller
  16. 19. PERCEPTO Mundo Cérebro Percepção é o processo por meio do qual nós representamos os objetos do mundo tão fielmente quanto possível. OBJETO
  17. 27. PERCEPTO Mundo Cérebro OBJETO
  18. 28. PERCEPTO Mundo Cérebro OBJETO
  19. 29. PERCEPTO Mundo Cérebro OBJETO 
  20. 30. Percepção Processo de inferência da mais provável situação ambiental, dado um padrão de estimulação sensorial. Helmholtz (1867)
  21. 31. INTROSPECÇÃO <ul><li>Para conhecer algo sobre nossos próprios estados mentais . </li></ul><ul><ul><li>Estar imaginando ou pensando sobre algo. </li></ul></ul>
  22. 32. RACIOCÍNIO <ul><li>Para conhecer fatos que são sustentados por outros fatos. </li></ul><ul><ul><li>Os fatos científicos . </li></ul></ul>
  23. 33. TESTEMUNHO <ul><li>com base no que leu em um </li></ul><ul><ul><li>mapa </li></ul></ul><ul><ul><li>jornal </li></ul></ul><ul><ul><li>livro </li></ul></ul><ul><ul><li>revista </li></ul></ul><ul><li>com base no que ouviu de </li></ul><ul><ul><li>seus pais </li></ul></ul><ul><ul><li>um amigo </li></ul></ul><ul><ul><li>seu professor </li></ul></ul><ul><ul><li>outros </li></ul></ul><ul><li>seja diretamente ou por meio de </li></ul><ul><ul><li>telefone </li></ul></ul><ul><ul><li>TV </li></ul></ul><ul><ul><li>rádio </li></ul></ul><ul><ul><li>internet </li></ul></ul>
  24. 34. NEUROCIÊNCIA <ul><li>Processos cognitivos confiáveis </li></ul><ul><ul><li>Percepção </li></ul></ul><ul><ul><li>Memória </li></ul></ul><ul><li>Explicação </li></ul><ul><ul><li>Raciocínio </li></ul></ul><ul><ul><li>Empatia (Testemunho) </li></ul></ul><ul><li>Desafio </li></ul><ul><ul><li>Introspecção x resultados científicos </li></ul></ul>Felipe de Matos Müller
  25. 35. <ul><li>Confiabilidade </li></ul><ul><ul><li>Processo cognitivos </li></ul></ul><ul><li>Confiança </li></ul><ul><ul><li>Relações </li></ul></ul>Felipe de Matos Müller
  26. 36. EXPLICAÇÕES E MODELOS CIENTÍFICOS Felipe de Matos Müller
  27. 37. MEMÓRIA <ul><li>Para conhecer algo sobre o passado . </li></ul><ul><ul><li>Choveu ontem à tarde. </li></ul></ul>Felipe de Matos Müller
  28. 38. Classificação das Memórias STM e LTM Declarativas/Explícitas lobo temporal medial, córtex parietal, córtex cingulado semânticas e episódicas Procedurais/Implícitas estriado e cerebelo hábitos
  29. 39. O que é a Memória? <ul><li>Memória é a aquisição, consolidação e evocação de informações. </li></ul>AQUISIÇÃO CONSOLIDAÇÃO EVOCAÇÃO RETENÇÃO tempo
  30. 40. tempo MEMÓRIA DE CURTA E DE LONGA DURAÇÃO AQUISIÇÃO MT CONSOLIDAÇÃO LTM STM RETENÇÃO LTM EVOCAÇÃO LTM MT
  31. 41. Memória de trabalho <ul><li>É uma forma de memória online. </li></ul><ul><li>Sua função é a de manter a informação ativa no cérebro apenas pelo tempo necessário para determinar se deve ou não ser armazenada. </li></ul><ul><li>Dura de segundos a poucos minutos. </li></ul><ul><li>Baseia-se na atividade elétrica de neurônios do córtex pré-frontal. </li></ul>m ecsrv70.mec.gov.br
  32. 42. Racionalizando as funções da Memória de Trabalho <ul><li>É saturável. </li></ul><ul><li>Aprender a dizer NÃO ao excesso de exigências. </li></ul><ul><li>Há prioridades na vida – a SOBREVIVÊNCIA é sempre a maior. </li></ul>umolhardiferente-to.webs.com <ul><li>Memórias acessórias </li></ul><ul><li>Agendas, computadores, livros... </li></ul>
  33. 43. Hipocampo <ul><li>Estrutura central na formação das mem órias declarativas </li></ul>GD CA3 S CA1 ENTO
  34. 44. Bibliioteca Médica da Harvard Medical School Phineas Gage (1819-1861)
  35. 45. Paciente H. M. <ul><li>Portador de epilepsia grave desde criança </li></ul><ul><li>Remoção cirúrgica bilateral no setor medial do lobo temporal em 1953 (confirmada RM em 1997) </li></ul><ul><li>Melhora do quadro epiléptico; perda de memória </li></ul><ul><li>Amnésia anterógrada total e retrógrada parcial </li></ul><ul><li>As regiões mediais do lobo temporal participam do processo de consolidação da memória explícita </li></ul>Brenda Milner
  36. 46. O que é a Memória? <ul><li>Biologicamente, a memória consiste na estabilização de sinapses ativadas por um determinado estímulo, formando uma rede que pode ser posteriormente reativada. </li></ul>
  37. 47. Plasticidade Neuronal
  38. 48. Ato pedagógico Mudanças estruturais nos neurônios
  39. 49. <ul><li>Mudanças dos neurônios  rápidas e fáceis, lentas e profundas, </li></ul><ul><li> permanentes e modificáveis </li></ul><ul><li>Modificações possíveis em um neurônio: </li></ul><ul><ul><ul><li>Nascimento ou remoção de dendritos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Esticamento ou encolhimento de alguns dendritos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Criação de novas sinapses ou alterações </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Remoção das sinapses </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Morte e regeneração de neurônios </li></ul></ul></ul><ul><li>A plasticidade sináptica é o mecanismo mais importante para as redes neurais, sejam elas biológicas ou artificiais. </li></ul>Plasticidade dos neurônios
  40. 50. <ul><li>Pensamento holístico </li></ul><ul><li>Intuição </li></ul><ul><li>Criatividade </li></ul><ul><li>Arte e Música </li></ul><ul><li>Pensamento analítico </li></ul><ul><li>Lógica </li></ul><ul><li>Linguagem </li></ul><ul><li>Ciência e Matemática </li></ul>http://www.ideachampions.com/weblogs/archives/2008/07/ Esquerdo Direito
  41. 51. Em resumo: <ul><li>↑ Resposta pós sináptica gerada pode ser o resultado da ação final de vários compartimentos: </li></ul><ul><li>1. Modificações Pré Sinápticas  quantidade de </li></ul><ul><li>L-glutamato liberado por impulso </li></ul><ul><li>2. Modificações Pós Sinápticas  ↑ dos receptores </li></ul><ul><li>ou alterações em suas propriedades funcionais </li></ul><ul><li>3. Alterações Extra Sinápticas  ↓ recuperação de </li></ul><ul><li>L-glutamato pelas cel. gliais, ↑ a disponibilidade de NT </li></ul><ul><li>4. Alterações Morfológicas </li></ul>
  42. 52. Deu branco...
  43. 53. Modulação das memórias: Influência do nível de alerta, do nível de ansiedade e do estado de ânimo <ul><li>estados de ânimo, emoções, nível de alerta, ansiedade e estresse modulam fortemente as memórias. </li></ul><ul><li>O núcleo chave da modulação da aquisição e fases iniciais da consolidação é núcleo basolateral da amígdala. </li></ul><ul><li>A amígdala responde a numerosos estímulos periféricos – sensoriais, hormonais e vegetativos. </li></ul>Amígdala Lobo Temporal Hipocampo
  44. 54. Estresse “bom” e Estresse “ruim” <ul><li>Liberação moderada de hormônios do estresse (adrenalina, corticóides) minutos após a aquisição pode facilitar a LTM. </li></ul><ul><li>A exposição excessiva aos hormônios do estresse pode levar a amnésia. </li></ul>extraído, enquanto disponível, de: http://connection.lww.com/Products/braun-carie/documents/PDF/90309%20ch11.pdf
  45. 55. Sistema Límbico Regiões corticais e subcorticais Aferências sensoriais CIRCUITO BÁSICO DAS EMOÇÕES Hipotálamo Giro do Cíngulo HIPOCAMPO Tálamo Anterior Neocórtex Riqueza Emocional Experiência Emocional Expressão visceral da emoção
  46. 56. Memória e emoções <ul><li>Toda a memória é adquirida num certo estado emocional. </li></ul><ul><li>Cada estado emocional se acompanha de uma gama de fenômenos hormonais e neuro-humorais. </li></ul><ul><li>Gravamos melhor, e temos menor tendência a esquecer, as memórias de alto conteúdo emocional – biologicamente ativas . </li></ul>http://20anosdesolidao.blogspot.com
  47. 57. Circuito de recompensa cerebral Prazer = Recompensa Motiva a repetição do ato que causa o prazer
  48. 58. Área tegmentar Ventral (PAG) N. acumbens Córtex pré-frontal DA DA Locais onde o rato realiza auto-estimulaçao
  49. 59. Perguntas frequentes...
  50. 60. Como exercitar a memória?
  51. 61. <ul><li>A repetição de uma determinada combinação de estímulos que produz uma memória leva a uma melhora desta (Pavlov) </li></ul><ul><li>Leitura - requer a utilização de várias regiões corticais (córtex visual, motor, áreas corticais vinculadas à linguagem). </li></ul><ul><li>Pratica de exercício físico </li></ul>Exercitando a memória
  52. 62. <ul><li>Estudar para quê? </li></ul><ul><li>... a incidência e a gravidade da principal doença da memória – Mal de Alzheimer , são menores em pessoas instruídas. </li></ul><ul><li>Déficit de memória entre 50 e 60 – BENIGNO. Atinge em torno de 22% da população com 75 anos. </li></ul>Exercitando a memória
  53. 63. Faz sentido o processo educacional baseado no “decoreba”?
  54. 65. Esquiva Inibitória <ul><li>TREINO (APRENDER): choque ao descer da plataforma </li></ul><ul><li>TESTE (EVOCAR): descer da plataforma sem receber o choque </li></ul><ul><li>MEMÓRIA = diferença de tempo de descida entre treino e teste. </li></ul>

×