Successfully reported this slideshow.
Your SlideShare is downloading. ×

Higiene Conforto e segurança do pcte.pptx

Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Upcoming SlideShare
aula
aula
Loading in …3
×

Check these out next

1 of 75 Ad

More Related Content

Recently uploaded (20)

Advertisement

Higiene Conforto e segurança do pcte.pptx

  1. 1. Aula Higiene e Conforto
  2. 2. Ética no procedimento Código de ética dos profissionais de enfermagem ❖ Das relações com a pessoa, família e coletividade Responsabilidades e deveres Art 19.Respeitar o pudor , a privacidade e a íntimidade do ser humano, em todo o seu ciclo vital, inclusive nas situações de morte e pós morte. Art 25.Registrar no Prontuário do Paciente as informações inerentes e indispensáveis ao processo de cuidar.
  3. 3. ❖Das relações com trabalhadores de enfermagem, saúde de outros deveres Responsabilidades e deveres Art 39. Participar da orientação sobre benefícios, riscos e conseqüências decorrentes de exames e de outros procedimentos, na condição de membro da equipe de saúde. Do sigilo profissional Art 83. Orientar , na condição de Enfermeiro,a equipe sob sua responsabilidade sobre o dever do sigilo profissional. Ética no procedimento
  4. 4. Agravantes ❖ Negligência Falta de cuidado, de atenção, desleixo, falta de interesse de monitoração,indiferença,preguiça,descuido. Ex: Posicionar o cliente de maneira errada;deixar de fazer higiene. ❖ Imprudência Falta de prudência; forma de culpa, que consiste na falta involuntária de observância de medidas de precaução e segurança, de consequências previsíveis, que se faziam necessárias no momento, para evitar um mal. Ex: Inspeção diária, para que não ocorra o aparecimento de úlceras.
  5. 5. Higiene corporal envolve:  Higiene oral  Banho  Higiene íntima ou lavagem externa  Lavagem dos cabelos ou “xampu”  Higiene das mãos e do rosto
  6. 6. Importância da higiene corporal Conceito de higiene e saúde prevenção de problemas (verminoses, escabiose, pediculose, infecções de pele)
  7. 7. Fatores que influenciam a prática de higiene  Práticas sociais – cultura, Łábitos familiare s  Condição sócio-econômica – limitaçõe s, adaptaç õe s.  Conhecimento  Preferências pessoais  Condição física e mental
  8. 8. Doença e hospitalização necessidades de higiene  Fatores que influenciam a capacidade da pessoa para fazer o auto cuidado  Limitações ✓Percepção da necessidade, ✓Diminuição da tolerância para a atividade (fadiga, redução da força muscular) ✓Capacidade de equilibrar-se, ficar em pé, sentar. ✓Coordenação motora ✓Visão ✓Dor
  9. 9. http://serdeficiente.blogspot.com/2008_08_01_archive.htm l http://catalogohospitalar.com.br/kit-banho-no-leito.html Banho http://www.metalbagno.com.br/www/arquivos/produt os/9lu8i4n1_coluna%20banho%20croma%20160.JPG
  10. 10. Intervenções  Higiene oral – limpeza, conforto e umidificação das estruturas da boca e próteses quando presentes.  Cuidados com os cabelos: lavar e pentear  Tricotomia do pêlo facial (fazer a barba)  Higiene corporal completa incluindo unhas  Lavagem das mão antes e após refeições e após eliminações.  Higiene perineal no pós-parto e certas cirurgias,  Higiene íntima após eliminações, antes de cateterismo vesical, após a retirada da sonda
  11. 11. • Higiene: a prática varia de indivíduo para individuo; • Umidade, migalhas de alimentos, lençóis amarrotados: causam escaras.
  12. 12. Problemas comuns na falta de higiene: • Odores desagradáveis; • Unhas encravadas; • Formação de placas, tártaros e gengivite; • Língua saburrosa; • Caspa, piolhos, lêndias.
  13. 13. 1.Banho No momento do banho a enfermagem Deve aproveitar para movimentar as Articulações do paciente e massagear seus membros inferiores e superiores da extremidade distal para proximal. • Banho de aspersão/ chuveiro pode ser com ou sem auxílio; • Banho no leito;
  14. 14. Tipos de banho 1 Imersão - banho na banheira; 1 Ablução - colocar pequenas porções de água sobre o corpo; 1 Completo no leito – administrado em clientes totalmente dependentes;
  15. 15. 4 Aspersão - banho de chuveiro; 4 Parcial no leito – banhar regiões que provocam desconforto quando ficam sem banho; 4 Banho seco – Compressas de algodão umidecidas com solução de limpeza sem enxague.
  16. 16. Princípios básicos para a higiene 1. Manter a proteção contra a contaminação  Iniciar a higiene do menos contaminado para o mais contaminado (paciente com evacuação no leito retirar a fralda ou limpar com papel higiênico ou pano úmido antes de começar a higiene corporal. Trocar luvas)  Usar hamper. Não colocar a roupa suja no chão.  Encaminhar a roupa suja para local adequado  Usar as precauções padrão antes, durante e após o procedimento.
  17. 17. 2. Conservar energia  Organizar todo o material necessário  Fechar portas e janelas.  Usar água morna  Manter o paciente coberto.  Não demorar na realização do cuidado para não cansar o paciente.
  18. 18. 3. Favorecer a privacidade para o paciente  Usar biombos nas enfermarias.  Colocar aviso na porta e fechá-la  Permitir, se possível que o paciente faça a sua própria higiene íntima.  Se necessário, solicitar ajuda de profissional de mesmo sexo do/da paciente
  19. 19. 4. Dar conforto físico e psicológico  Explicar, orientar, conversar com o paciente  Coordenar a higiene com outras atividades  Perguntar se o paciente quer urinar/evacuar antes de iniciar o banho  Estimular a participação do paciente  Não deixá-lo sozinho ou desamparado
  20. 20. 5. Prevenir acidentes, danos Avaliar a capacidade funcional ( nível de independência) e necessidade de mais pessoas para o procedimento Prevenir quedas do leito e no banheiro. Prevenir lipotímias e desmaios Prevenir queimaduras
  21. 21. Avaliação e documentação do cuidado Respostas do paciente  Inspecionar a pele e cavidades  Inspecionar e palpar áreas específicas para observar estado de circulação, dor  Escutar o paciente. Observar o autocuidado  Documentar o cuidado registrando as observações e cuidados prestados.
  22. 22. Material ❖ Jarro com água morna; ❖ Balde e bacia; ❖ Roupa de uso pessoal; ❖ Material para higiene oral; ❖ Material de higiene pessoal; ❖ Luvas de procedimento; ❖ Luvas de banho; ❖ Toalhas; ❖ Sabonete; ❖ Cuba-rim; ❖ Comadre ou papagaio; ❖ Biombo. http://www.medilart.com.br/product_info.php?cPath=53&products_id=261&osCsid=vpj4fghllfv31u11qmdon33aj6 http://www.gino.com.br/materialhospitalar/produtos-11.html
  23. 23. banho no leito ❖ Lavar as mãos; ❖ Explicar o procedimento ao cliente; ❖ Fechar as portas e janelas; ❖ Desocupar a mesa de cabeceira e reunir os materiais; ❖ Calçar luvas; ❖ Oferecer comadre ou papagaio; ❖ Desprender a roupa da cama; ❖ Fazer higiene oral; ❖ Molhar a luva de banho ou compressa; ❖ Lavar os olhos; ❖ Ensaboar a luva de banho ou compressa; ❖ Lavar , ensaboar e enxaguar o rosto,pescoço e orelhas;
  24. 24. ❖ Remover a camisola ou camisa do pijama; ❖ Colocar a toalha sob o braço mais distante de você, lavar e enxaguar; ❖ Colocar a mão do cliente na bacia, lavar e enxugar; ❖ Colocar a toalha sobre o tórax e abdome do cliente, afastando o lençol até o púbis; ❖ Erguer atoalha com uma das mãos e com aoutra lavar e enxaguar o tórax e abdome em movimentos circulares; ❖ Enxugar e verificar as condições da pele e mamas; ❖ Cobrir com lençol o tórax e abdome, retirando a toalha; ❖ Retirar a calça do pijama; ❖ Colocar a toalha sob a perna mais distante de você, banho no leito
  25. 25. ❖ Aproximar dos pés do cliente a bacia e a cuba-rim com sabonete; ❖ Colocar um dos pés na bacia,lavar , enxaguar e enxugar; ❖ Retirar a cuba-rim e a bacia da cama; ❖ Virar o cliente em decúbito lateral, colocando a toalha sob suas costas e nádegas;Lavar , enxaguar e massagear as costas,nádegas do cliente; ❖ Posicionar a comadre e virar o cliente em decúbito dorsal e realizar a higiene íntima do cliente; ❖ Fazer a arrumação da cama; ❖ Vestir o cliente; ❖ Recompor a unidade; ❖ Retirar as luvas e lavar as mãos; ❖ Fazer as anotações no prontuário. banho no leito
  26. 26. Higiene Oral http://www.diegonegrellos.com/site/qualitta? start=32 http://www.dentes-brancos.com/page/3/
  27. 27. 2.Higiene Oral: • Deve ser realizada pela manhã, após as refeições e a noite; Verificar uso de prótese dentária, se sim realizar higiene; Utilizar escova/similar, fio dental, creme dental/similar; Em pacientes impossibilitados a enfermagem deve usar anti-sépticos para realização da higiene. • • •
  28. 28. Higiene oral Depende : ❖ Cuidados pessoais. ❖ Tratamento realizado por profissionais. Objetivos : ❖Promover conforto ao cliente; evitar halitose; prevenir carie dentaria e conservar a boca livre de resíduos alimentares. ❖ A equipe de enfermagem deve, prestar o cuidado de acordo com o grau de dependência do cliente.
  29. 29. Problemas com a falta da higiene oral O que acontece quando não ocorre uma higienização bucal adequada? ❖ Formação de placa bacteriana ou biofilme. ❖ As cáries ❖ Cálculo dental ou tártaro ❖ Gengivite ❖ Periodentite ( doença da gengiva) http://www.dentaq.com.br/page_1239722474437.html acesso em 26/08/10as 15:59 Uma higiene oral satisfatória contribui para minimizar os riscos de complicações e o tempo de internação do cliente.
  30. 30. Higiene oral: Autocuidado ❖Avaliação dos estados físico e cognitivo; ❖Notar se o cliente está realizando a tarefa corretamente, se é capaz de ser meticuloso e completar a tarefa.
  31. 31. Higiene oral: Prática ❖Higiene das mãos; ❖Explicar ao cliente o procedimento; ❖Colocar-lo em posição confortável; ❖Assistir a higiene da boca; ❖Anotar alterações no prontuário.
  32. 32. http://www.nardeliofernandesluz.com/g_diaadia.htm ❖Se possível fazer uma adaptação na escova para que o para que o cliente sinta-se seguro; Thays Vanessa
  33. 33. 3.Cuidados com os cabelos: • Lavar quando necessário; • Pode ser feito durante banho de leito; • Secar os cabelos rapidamente para evitar resfriamento; • Pentear e prender o cabelo ( se necessário)
  34. 34. Lavagem do cabelo
  35. 35. Lavagem do cabelo ❖ Proteger a cama e o cliente das eventuais fugas de água, com resguardos impermeáveis; ❖ Se a lavagem se faz na cama, instalar o cliente na posição semi-fowler, as costas e os ombros apoiados por uma ou duas almofadas e a cabeça inclinada para trás; ❖ Proteger o canal auditivo com compressas ou algodão; ❖ Envolver os ombros do cliente com um resguardo impermeável coberto por uma toalha cruzada a frente sobre o peito e fixo com um clampe;
  36. 36. ❖ Deixar cair a extremidade do resguardo dentro do balde, enrolando os bordos de cada lado ❖ Molhar o cabelo com shampoo friccionando suavemente o couro cabeludo com a ponta dos dedos ❖ Enxaguar ,recomeçar a operação e enxaguar abundantemente ❖ Secar o cabelo com a toalha,retirar o resguardo e o balde Lavagem do cabelo
  37. 37. 4.Cuidados com a barba: • Quando o cliente necessitar a enfermagem deve ajudá-lo; Água morna amolece os pêlos; Usar loção ou sabonete, passar o barbeador com movimentos curtos e firmes( no sentido do crescimento) Utilizar alguma loção, se houver. • • •
  38. 38. 5.Cuidados com as unhas: • Limpar e cortar caso o paciente não consiga; Ter cuidados com pacientes com DM; Caso as unhas sejam duras, colocar imersas em água morna durante 10-15 min. Desaconselhável o uso do esmalte em clientes pré- cirurgicos. • • •
  39. 39. Mãos e unhas ❖ Trata-se de cuidados simples da lavagem das mãos. As mãos são vetores que favorecem a contaminação. As unhas são receptoras de bactérias. ❖ Propor ao cliente para lavar as mãosantes e depois das refeições, antes de tomar medicamentos, antes de se deitar e quando for necessário. ❖ Encher a bacia de água morna (37º). ❖ Molhar e lavar as mãos com um sabão neutro, depois os espaços interdigitais, a palma e as costas da mão. ❖ Enxaguar e secar por pressão com uma toalha. ❖ Pôr a mão do cliente sobre uma toalha, cortar as unhas e lixá-las se necessário. Para as unhas dos pés deve- se ter os mesmos cuidados . Secar e limpar bem os espaços interdigitais.
  40. 40. http://mdemulher.abril.com.br/saude/reportagem/saude-mulher/11-verdades-mitos-higiene-intima- 421953.shtml http://intimidademasculina.files.wordpress.com/2010/07/1.jpg Cuidado Perineal
  41. 41. 6.Higiene Íntima ●Mulheres:sentidoAntero- posterior; ●Homens:retrai-se o prepúcio para limpar ,o pênis é limpo a seguir ,e por fim a bolsa excrotal.
  42. 42. Cuidado Perineal ❖ Definição • Refere-se à limpeza dos genitais externos e região circundante. • A importância de realizar os cuidados perineais deve-se para evitar situações como: infecções geniturinárias, incontinência fecal e urinária.
  43. 43. Cuidado Perineal ❖ Materiais • Bacia de banho; • Saboneteira com sabão neutro; • Compressas de banho e toalha de banho; • Lençol de tratamento; • Comadre ou impermeável; • Papel higiênico ou fraldas; • Luvas limpas. ❖ Em necessidades especiais • Swabs ou bolas de algodão; • Bolsa impermeável; • Água morna. http://www.ionia.com.br/conteudo.asp?P_pag=59 http://www.muitogostoso.com.br/informacao/view/So bremesas/Doces-e-Compotas/Doce-de-Figo-em- Calda/ http://www.hartz.com.br/imagens.php http://catalogohospitalar.com.br/swabs-plastico-com-tubo-sem- meio.html
  44. 44. Cuidado Perineal ❖ Introdução a Habilidade • Realizar a inspeção do cliente; • Procedimento de limpeza das nádegas. http://vidainedita.blogspot.com/2009_12_01_archive.html
  45. 45. Feminina http://www.aventaldeseda.com/2009/08/higiene-intima-na- mulher.html • Lave e seque a parte superior das coxas da cliente; • Lave os grandes lábios, pequenos lábios, clitóris, pregas cutâneas; • Limpe da região anterior para a posterior do períneo para o reto.
  46. 46. http://www.clinimater.com.br/anatomia.htm Feminina Gerdália
  47. 47. Masculina http://carzem.blogspot.com/2010_01_01_archive.html ❖Começar a lavar com movimentos circulares pela ponta do pênis, puxando o prepúcio para baixo e lavando a glande, posteriormente o pênis e o escroto; ❖Não esquecer de voltar a colocar o prepúcio na sua posição normal, nomeadamente em caso de não circuncidado;
  48. 48. Masculina LuisCláudio http://blog.perguntame.com/2010/01/cuidados-de-higiene
  49. 49. Problemas de desconforto: • Úlceras de decúbito:são lesões na pele que necrosou e desprendeu-se, após pressão inadequada do local,são causadas pela interrupção da circulação numa parte do corpo.
  50. 50. Fatores predisponentes: Umidade, má nutrição, desidratação, distúrbios circulatórios, proeminências ósseas desprotegidas do tecido adiposo pelo emagrecimento. Sinais/ sintomas: rubor, amolecimento da região e sensação de queimadura no local. Se o individuo não for tratado nesta fase a lesão evolui com maceração da pele, aumentando de profundidade e formando gradativamente crostas.
  51. 51. Medidas profiláticas: • Mudança de decúbito em intervalos regulares conforme necessidade individual do paciente. Diminui a pressão sobre a área atingida Exercícios ativos quando o estado do paciente permite: melhora a circulação local Manter a pele e as roupas do paciente limpas e secas: evitar escoriações e infecções. Manter roupas de cama esticadas e sem migalhas de comida; Uso de colchões especiais (piramidal) Ingesta hídrica adequada, conforme orientação médica . • • • • •

×