Paisagens geológicas e os agentes que as modelam

17,235 views

Published on

0 Comments
14 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
17,235
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,145
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
14
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Os locais mais adequados para apresentarem um modelado cársico são áreas onde os calcários estão presentes próximo da superfície por baixo de uma camada de solo.
    As águas pluviais, com quantidades apreciáveis de dióxido de carbono, dissolvem os calcários, ao longo de fendas existentes ou de quaisquer outras aberturas onde se infiltram e circulam, conseguindo alargá-las. Este alargamento contribui para a circulação subterrânea, o que intensifica o processo de dissolução e consequente erosão dos maciços calcários, esculpindo aspectos particulares da sua morfologia superficial e subterrânea.
  • Paisagens geológicas e os agentes que as modelam

    1. 1. CN8 Prof. Tânia Reis
    2. 2.  Consoante o tipo de rocha mais abundante: ◦ Paisagens Magmáticas ◦ Paisagens Sedimentares ◦ Paisagens Metamórficas
    3. 3. As partículas transportadas pelo vento provocam uma erosão mais intensa na base deste bloco, dando-lhe o aspecto de um cogumelo. Paisagem sedimentar
    4. 4. Dunas Em certas zonas do litoral e do deserto, os detritos transportados pelo vento depositam-se formando dunas. Paisagem sedimentar
    5. 5. Duna consolidada do Magoito Lençóis Maranhenses Paisagem sedimentar
    6. 6. A vaga marinha desgasta as rochas desagregando-lhes partículas que depois são transportadas para outros locais. Paisagem sedimentar
    7. 7. A água dos rios desgasta as rochas e transporta os detritos para outros locais onde se depositam, formando as praias fluviais. Praias Fluviais Paisagem sedimentar
    8. 8. As raízes das árvores penetram nas fendas das rochas alargando-as.
    9. 9. Após uma forte chuvada, a água ao escorrer num terreno pouco duro, inclinado e desprovido de vegetação, pode originar sulcos torrenciais. Paisagem sedimentar
    10. 10. Quando existem rochas dispersas em terrenos pouco duros, que os protegem da acção desgastante da precipitação, funcionando como um chapéu-de-chuva, formam-se sob estas rochas colunas de solo muito curiosas, denominadas “Chaminés-de-fada”. Paisagem sedimentar
    11. 11. Paisagem sedimentar
    12. 12. Os minerais que constituem as rochas têm comportamentos diferentes face às variações de temperatura a que estão sujeitos. Os derrames de basalto arrefecem a partir da base e do topo. À medida que perde calor ocorre uma contracção até 10% do seu volume, produzindo rupturas e dando origem a colunas. Após a solificação um derrame basáltico apresenta disjunção colunar. As colunas tendem a revelar um formato hexagonal e são perpendiculares ao topo e à base do derrame. Paisagem magmática
    13. 13. Paisagem magmática
    14. 14. Os minerais que constituem as rochas têm comportamentos diferentes face às variações de temperatura a que estão sujeitos, as rochas fracturam-se originando os caos de bloco graníticos. Serra da Estrela Paisagem magmática
    15. 15. Formação granítica muito alterada (caos de blocos), onde uma das pedras tem aspecto antropomórfico Paisagem magmática
    16. 16. Pelas suas formas típicas podemos inferir que, em tempos idos, os glaciares estiveram num determinado local. Os glaciares são agentes erosivos mais eficazes do que a água ou o vento. Um glaciar de vale com apenas algumas centenas de metros de largura pode dilacerar e esmagar milhões de toneladas de rocha por ano. O gelo glaciário erode esta pesada carga de sedimentos do fundo rochoso e das paredes do vale, transportando-o no seu seio para a frente glaciária, onde se deposita quando o gelo se derrete. Paisagem sedimentar
    17. 17. A água da chuva é rica em CO2, formando o ácido carbónico que reage com o carbonato de cálcio (calcite) dissolvendo-o. Paisagem sedimentar
    18. 18.  Maciços calcários  Água da chuva + CO2  Ácido Carbónico  Dissolve o carbonato de cálcio
    19. 19. Paisagem sedimentar
    20. 20.  A rocha calcária está quase sempre retalhada na superfície por uma rede de sulcos. Estas formas denominam-se lapiazes – “Campos de Lapiás” e podem apresentar estádios de evolução diferentemente avançados. Paisagem sedimentar
    21. 21.  Preenchendo os sulcos que separam os lapiazes ou no seu fundo, encontra-se geralmente um depósito argiloso, denominado terra rossa , constituída geralmente por areia muito fina e óxidos de ferro. Paisagem sedimentar
    22. 22.  É também característica do modelado cársico a existência de cavidades mais ou menos circulares, as dolinas, com diâmetro entre a dezena e a centena de metros.  stas dolinas são, em geral, depressões pouco profundas e são caracterizadas pelo fraco declive das paredes. Por outro lado, uma dolina pode formar-se devido ao abatimento do tecto de uma caverna em virtude do seu próprio peso. Paisagem sedimentar
    23. 23.  As uvalas resultam da coalescência de duas ou mais dolinas.
    24. 24.  São também frequentes, nos maciços calcários, os algares, poços profundos, por vezes com mais de uma centena de metros, que permitem colocar a superfície do solo em contacto com toda uma complexa rede de grutas e galerias, espaços com tectos em forma de abóbada, característicos do erodido interior dos maciços calcários. Paisagem sedimentar
    25. 25.  Estalactites são formações rochosas sedimentares que se originam no teto de uma gruta ou caverna, crescendo para baixo, em direcção ao chão da gruta ou caverna, pela deposição (precipitação) de carbonato de cálcio arrastado pela água que goteja do tecto. Apresentam frequentemente uma forma tubular ou cónica. Paisagem sedimentar
    26. 26.  Estalagmites são formações que crescem a partir do chão de uma gruta ou caverna que vão em direcção ao tecto, formadas pela deposição (precipitação) de carbonato de cálcio arrastado pela água que goteja do teto. Paisagem sedimentar
    27. 27. Serra Xistosa – Valongo, Parque Paleozóico Foliação

    ×