Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

T.I.G Gestão Pública

398 views

Published on

Trabalho Interdisciplinar de Grupo... Meus Parabéns universitários de Tecnologia em Gestão Pública. Sabemos que em Gestão Pública, necessitamos muito de conhecimentos e interpretações coerentes, principalmente grande confiabilidade em relação as suas rotinas e filosofia científica, dentre as esferas municipais; estaduais e federais. Pois para lidar com os serviços públicos, as empresas e os negócios exigem confiança, quando citamos impostos ou tributos. Precisamos sempre conhecer a importância de determinadas arrecadações e seus benefícios para população. O Grupo interagiu com bons conhecimentos, exibindo um excelente trabalho interdisciplinar, a equipe demonstrou empreendedorismo e capacidade para prosseguir nos estudos das rotinas de Gestão Pública do 4º período.
Meus Parabéns Equipe... Continuem sempre assim...
Palestra do Profº João Carlos Melo - https://www.youtube.com/watch?v=Er63GOzHSfo
http://lnkd.in/GN69K2 http://lnkd.in/dyVjAxH http://lnkd.in/dyp_si9

Published in: Education
  • Login to see the comments

  • Be the first to like this

T.I.G Gestão Pública

  1. 1. • Analisar a economicidade e legalidade dos processos licitatórios, suas dispensas e inexigibilidades, prorrogações e aditamentos; • Analisar os processos de pagamento para fins de liquidação da despesa; • Analisar os processos de Prestações de Contas dos adiantamentos, auxílios e subvenções sociais concedidos pelo Poder Municipal; • Auxiliar o Controle Externo no exercício de sua missão institucional.
  2. 2. ACCOUNTABILITY O controle e à fiscalização dos agentes públicos e de maneira comum.
  3. 3. O Brasil tem uma história democrática relativamente curta e recente. E teve suas mudanças mais significativas desencadeadas pelo regime democrático. Onde cabe destacar: • a criação da Secretaria Nacional do Tesouro (STN), no Ministério da Fazenda, órgão centralizador da gestão fiscal no país; • a montagem do SIAFI (Sistema Integrado de Administração Financeira), que organizou e tornou mais transparente o fluxo dos recursos públicos federais; • a promulgação da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que representou um marco na gestão fiscal do país ao instituir normas mais efetivas de restrição orçamentária
  4. 4. Com a constituição de 1988 foi introduzido o processo de planejamento no ciclo orçamentário, medida tecnicamente importante. E reforçou o Poder Legislativo. Onde em seu artigo 165,a nova carta indica que, por iniciativa do poder Executivo devem se estabelecidas, além do Plano Plurianual (PPA), Leis de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e ainda Leis Orçamentárias Anuais (LOA).
  5. 5. Gestão/Administração Gerir, Administrar, palavras sinônimas que envolvem o processo de tomada de decisões. No Setor Público corresponde a cuidar de bens alheios A missão do gestor do setor público é cuidar para que o fornecimento dos serviços e obras de caráter público estão sendo oferecidos à medida que são recolhidos os impostos. Desta forma proporcionando o equilíbrio da balança das receitas e despesas públicas. O tesouro público encontra-se em situação delicada em virtude da ineficiência e ineficácia do gestor público contemporâneo, no processo de gestão dos recursos públicos. O processo de privatização das empresas do Estado evidencia uma manifestação de inaptidões generalizada para a atividade gerencial ao redor do mundo inteiro.
  6. 6. As auditorias de gestão podem ser vistas com a revisão e avaliação da qualidade e oportunidade da informação. Podem ser realizadas por auditores gerenciais, externos ou internos e pelo órgão de fiscalização superior Visa avaliar se a entidade publica auditada está, atingindo de forma efetiva os objetivos para os quais foram aprovados os programas e recursos; Se os procedimentos realizados para tal finalidade são eficientes, se os recursos alocados são suficientes; Se estão sendo cumpridas as leis e regulamentos aplicáveis. Não extinguindo a necessidade de uma rigorosa revisão, por parte da gerência. A auditoria de gestão pública se faz necessária no sentido de avaliar a adequação dos programas e a existência de controle efetivo sobre as receitas e despesas.
  7. 7. Os Indicadores de Gestão na Administração Pública A administração púbica deve executar reformas estruturais para se adaptar à nova situação de mudanças e evolução do cenário, são elas: 1º) pela revisão de sua própria dimensão ou tamanho; 2º) pela introdução de técnicas de gestão que permitam um funcionamento mais eficaz, eficiente e econômico; 3º) pela criação de um sistema de informações úteis para o processo de tomada de decisões.
  8. 8. Devemos responder as seguintes questões:  O que será medido?  Qual é a informação necessária?  Quais são os valores de comparação ou referência (padrões)?  Como será obtida a informação?
  9. 9. Principais qualidades de um indicador: • Relevância; • Pertinência; • Objetividade; • Sensibilidade; • Precisão; • Custo-benefício.
  10. 10. Vamos dar uma olhada agora no tramite para que se faça um aquisição num órgão público. Usaremos aqui de exemplo: uma aquisição veicular. Secretaria Municipal de Defesa Civil com o objetivo de ampliar a frota da Guarda Municipal solicita a aquisição de 10(dez) veículos. Nesta solicitação deve conter as especificações desejadas em cada veículo. Para que possa ser feita essa aquisição de veículos devemos seguir respectivamente os seguintes passos: 1. A elaboração do projeto básico onde deverá conter todas as informações do tipo e dos itens que devem conter cada veículo; 2. O levantamento do orçamento detalhado; 3. A previsão de recursos orçamentários e a compatibilidade com o PPA (Plano Plurianual);
  11. 11. 4. A abertura do processo administrativo para a verificação da necessidade de contratação e designação de comissão; 5. Finalmente a publicação do edital como instrumento convocatório; 6. Habilitação onde é verificado quem poderá participar da licitação; 7. Classificação que diz efetivamente quem ira participar; 8. Homologação; 9. Adjudicação.
  12. 12. FORMULÁRIO OFICIAL DE PROPOSTA Processo n.º 2015.000.001 Licitação n.º 001/SEMDEC/2015 Modalidade: PREGÃO PRESENCIAL Tipo: MENOR PREÇO POR ITEM Objeto: AQUISIÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTOR PARA ATENDER AS NECESSIDADES DA GUARDA MUNICIPAL DA SECRETARIA MUNICIPAL DE DEFESA CIVIL. EMPRESA: INSCRIÇÃO ESTADUAL: CNPJ: ENDEREÇO: TELEFONE: E-MAIL: BANCO/AGÊNCIA: CONTA BANCÁRIA Nº:
  13. 13. ITEM DESCRIÇÃO QUANTIDADE VALOR TOTAL 01 VEÍCULO AUTOMOTIVO NOVO (ZERO QUILÔMETRO) 1.6; 16v, ANO DE FABRICAÇÃO/MODELO 2014/2015, 5 PORTAS, 5 MARCHAS, CÂMBIO MANUAL; CAPACIDADE DO TANQUE DE COMBUSTIVEL 50 LITROS, HI-FLEX, CILINDRADA (CM3) 1.598, 475 LITROS DE VOLUME DE PORTA MALAS; DISTANCIA ENTRE EIXOS 2.673mm 10 PRAZO DE ENTREGA: ATÉ 30 (TRINTA) DIAS, APÓS EMISSÃO DA ORDEM DE FORNECIMENTO VALIDADE DA PROPOSTA: 60 (SESSENTA) DIAS DATA: Carimbo de CNPJ Assinatura do Representante legal da Empresa devidamente identificado
  14. 14. ESTIMATIVA ORÇAMENTÁRIA ITEM DESCRIÇÃO QUANT. VALOR UNITARIO VALOR TOTAL 01 VEÍCULO AUTOMOTIVO NOVO (ZERO QUILÔMETRO) 1.6; 16 v, ANO DE FABRICAÇÃO/MODELO 2014/2015, 5 PORTAS, 5 MARCHAS, CÂMBIO MANUAL; CAPACIDADE DO TANQUE DE COMBUSTIVEL 50 LITROS, HI-FLEX, CILINDRADA (CM3) 1.598, 475 LITROS DE VOLUME DE PORTA MALAS; DISTANCIA ENTRE EIXOS 2.673mm 10 R$60.000,00 R$600.000,00 VALOR TOTAL: R$ 600.000,00 (Seiscentos mil reais). PREÇOS COLETADOS JUNTO AO MERCADO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO.
  15. 15. Trata o presente de forma sintética, revelar os efeitos da accountability democrática sobre as finanças públicas brasileiras. Vimos no contexto o desenvolvimento a visão sistêmica no processo de gestão financeira da Secretária de Controle Geral da Cidade de Nova Iguaçu, com suas atribuições.
  16. 16. A Auditoria de Gestão é uma nova e recente forma de fiscalização. É a utilização dos Controle de Gestão e da Auditoria de Gestão que são atividades técnicas e profissionais que não devem ser consideradas de forma isolada, como funções atribuídas a organismos de controle, em um esquema institucional e burocrático. E sim como parte do processo: planejar – executar – controlar. O que é inerente à atividade administrativa, qualquer que seja a índole ou natureza jurídica da entidade.
  17. 17. • (1998a). “Os avanços e os dilemas do modelo pós burocrático: a reforma da administração pública à luz da experiência internacional”. Luiz Carlos Bresser Pereira & Peter Spink (orgs.). Reforma do Estado e Administração Pública Gerencial. Fundação Getúlio Vargas. Rio de Janeiro. • ABERBACH, Joel., PUTNAM, & ROCKMAN. Bert.(1981). Bureaucrats and Politicians in Western Democracies. Boston: Harvard University Press. • ABRUCIO, Luiz Fernando e LOUREIRO, Maria Rita. Finanças públicas, democracia e accountability. In: BIDERMAN, Ciro e ARVATE, Paulo (orgs.). Economia do Setor Público no Brasil. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005. • ABERBACH, Joel., PUTNAM, & ROCKMAN. Bert.(1981). Bureaucrats and Politicians in ALESINA, A., ROUBINI, N. e COHEN, G. (1997). Political cycles and the macroeconomy. Cambridge University Press. • ARANTES, Rogério, ABRUCIO, Fernando Luiz & TEIXEIRA, Marco Antonio Carvalho (2003). A imagem dos Tribunais de Contas. Relatório de Pesquisa. Ministério do Planejamento. Brasília. • BARZELAY, Michael (2002). “Instituições Centrais de Auditoria e Auditoria de Desempenho: uma análise comparativa das estratégias organizacionais na OCDE”. O Controle Externo e a Nova Administração Pública: uma visão comparativa. Tribunal de Contas da União. Brasília. • BEHN, Robert (1998). “O novo paradigma da gestão pública e a busca da accountability democrática”. Revista do Serviço Público, n. 4, out-dez. Brasília. • BELLUZZO, Luiz.Gonzaga (1993). “Economia, Estado e Democracia”. Revista Lua Nova, n. 28/29. Cedec. São Paulo. • BRESSER PEREIRA, Luiz. Carlos & Spink, Peter (1998). Reforma do Estado e Administração Pública Gerencial. Fundação Getulio Vargas. Rio de Janeiro. • BANCO MUNDIAL. O Estado num mundo em transformação. Relatório sobre o desenvolvimento mundial. World Bank. Whashinton D.C., 1997. Vocações. Editora Cultrix. São Paulo. • BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm >. Acesso em: 15 jul. 2014. • BRASIL. Lei de Licitações nº 8.666/93. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8666cons.htm >. Acesso em: 16 ago. 2014.
  18. 18. •BRASIL. Lei do Pregão nº 10.520/02. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10520.htm >. Acesso em? 16 ago. 2014. • CAIDEN, Gerald E. & CAIDEN, Naomi. Enfoques y lineamiento, la medición e la evaluación del desempeño en el sector público. Revista do Serviço Público, Ano 52, no.1, pp.25 – 55, 2001. • CAMPOS, Anna Maria. Accountability: Quando poderemos traduzi-la para o português. Revista de Administração Pública 24 (2), Rio de janeiro, FGV, 1990. pp.30-50. • CARDOSO, Fernando Henrique (1975). Autoritarismo e Democratização. Paz e Terra. São Paulo. • CARVALHO FILHO, José dos Santos. Manual de direito administrativo. São Paulo: Atlas, 2014. • CLAD. La Responsabilizacion en la Nueva Gestion Pública Latinoamericana. Buenos Aires: CLAD BID, 2000. • DAHL, Robert. Democracy and its Critics. New Haven, CT: Yale University Press. 1989. • DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito administrativo. 27.ed. São Paulo: Atlas, 2014. • FLEISCHER, David. (2000). “Reforma Política e Financiamento das Campanhas Eleitorais”. Os Custos da Corrupção. Cadernos Adenauer. Fundação Konrad Adenauer. São Paulo. • GOMES, José Mauro (1999). A Definição do Gasto Público: Aspectos Institucionais e a Disputa Política. Dissertação de mestrado apresentada ao Curso de Pós-Graduação em Administração Pública e Governo da EAESP, Fundação Getulio Vargas, São Paulo. • KEOHANE, Robert O. Global Governance and democratic accountability. Unpublished paper from the Miliband Lectures, London School of Economics, Spring 2002. Disponível em:http://www.lse.ac.uk/collections/LSEPublicLecturesAndEvents/pdf/20020701t1531t001.p df, acessado em agosto de 2005. • LOUREIRO, Maria Rita (2001), “Instituições, política e ajuste fical. Revista Brasileira de Ciências Sociais, volume 16 no. 47, outubro. São Paulo. • LOUREIRO, Maria Rita e ABRUCIO, Fernando Luiz (2004). Política, volume 24, no.1(93). • MAZZA, Alexandre. Manual de direito administrativo. 4 ed. São Paulo: Saraiva, 2014. • MELO, Marcus A. Estado, Governo e Políticas Públicas. In: MICELI, Sergio (org.). O que ler na ciência social brasileira. São Paulo: ANPOCS / Editora Sumaré. 1999. • OCDE (2002). Transparência e Responsabilização no Setor Público. Coleção Gestão Pública, Brasília. • O' DONNELL, Guillermo. Accountability horizontal e as novas poliarquias. Lua Nova, São Paulo, n. 44. p. 27 – 54. 1998. • PAUL, Samuel. Accountability in public services: exit, voice and control. World Development 29, 7 (julho) p. 1047 – 1060. 2002. • Pesquisa presencial feita na CPL da prefeitura municipal de nova Iguaçu em 22/05/2015. Com a assessora técnica Alessandra farias dos santos. • PRZEWORSKI, Adam STOKES, Susan & MANIN, Bernard (1999). Democracy, Accountability and Representation. Cambridge University Press. • SAMUELS, David (2003). “Financiamento de campanha e eleições no Brasil: o que podemos aprender com o ‘caixa um’ e propostas de reforma”. Maria Victoria Benevides, Paulo Vanucchi & Fábio Kerche (orgs.). Reforma Política e Cidadania. Editora Fundação Perseu Abramo. Instituto Cidadania, São Paulo. • SANTOS, Wanderley G. Cidadania e Justiça. Rio de Janeiro: Campus, 1979. • SARTORI, Giovanni. A teoria da democraica revisitada. São Paulo: Editora Ática, 1994. Volumes 1 e 2. • SKEDESLKY, Robert. (1977). “The policial meneaning of the keynesian revolution'. Robert Skedeslky (org.). The End of Keynesian Era. Mcmillan, London. • SOUZA, Celina (2003), “Políticas públicas e orçamento público: conflitos e cooperação”. Maria Victoria Benevides, Paulo Vanucchi & Fábio Kerche (orgs.). Reforma Política e Cidadania. Editora Fundação Perseu Abramo. Instituto Cidadania, São Paulo. • WEBER, Max. (1974). Ciência e Politica: Duas Vocações. Editora Cultrix. São Paulo.

×