Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Objetivos Gerais de cada uma das fases do Projeto de Arquitetura

20,209 views

Published on

  • DOWNLOAD THAT BOOKS INTO AVAILABLE FORMAT (2019 Update) ......................................................................................................................... ......................................................................................................................... Download Full PDF EBOOK here { http://shorturl.at/mzUV6 } ......................................................................................................................... Download Full EPUB Ebook here { http://shorturl.at/mzUV6 } ......................................................................................................................... Download Full doc Ebook here { http://shorturl.at/mzUV6 } ......................................................................................................................... Download PDF EBOOK here { http://shorturl.at/mzUV6 } ......................................................................................................................... Download EPUB Ebook here { http://shorturl.at/mzUV6 } ......................................................................................................................... Download doc Ebook here { http://shorturl.at/mzUV6 } ......................................................................................................................... ......................................................................................................................... ................................................................................................................................... eBook is an electronic version of a traditional print book that can be read by using a personal computer or by using an eBook reader. (An eBook reader can be a software application for use on a computer such as Microsoft's free Reader application, or a book-sized computer that is used solely as a reading device such as Nuvomedia's Rocket eBook.) Users can purchase an eBook on diskette or CD, but the most popular method of getting an eBook is to purchase a downloadable file of the eBook (or other reading material) from a Web site (such as Barnes and Noble) to be read from the user's computer or reading device. Generally, an eBook can be downloaded in five minutes or less ......................................................................................................................... .............. Browse by Genre Available eBooks .............................................................................................................................. Art, Biography, Business, Chick Lit, Children's, Christian, Classics, Comics, Contemporary, Cookbooks, Manga, Memoir, Music, Mystery, Non Fiction, Paranormal, Philosophy, Poetry, Psychology, Religion, Romance, Science, Science Fiction, Self Help, Suspense, Spirituality, Sports, Thriller, Travel, Young Adult, Crime, Ebooks, Fantasy, Fiction, Graphic Novels, Historical Fiction, History, Horror, Humor And Comedy, ......................................................................................................................... ......................................................................................................................... .....BEST SELLER FOR EBOOK RECOMMEND............................................................. ......................................................................................................................... Blowout: Corrupted Democracy, Rogue State Russia, and the Richest, Most Destructive Industry on Earth,-- The Ride of a Lifetime: Lessons Learned from 15 Years as CEO of the Walt Disney Company,-- Call Sign Chaos: Learning to Lead,-- StrengthsFinder 2.0,-- Stillness Is the Key,-- She Said: Breaking the Sexual Harassment Story That Helped Ignite a Movement,-- Atomic Habits: An Easy & Proven Way to Build Good Habits & Break Bad Ones,-- Everything Is Figureoutable,-- What It Takes: Lessons in the Pursuit of Excellence,-- Rich Dad Poor Dad: What the Rich Teach Their Kids About Money That the Poor and Middle Class Do Not!,-- The Total Money Makeover: Classic Edition: A Proven Plan for Financial Fitness,-- Shut Up and Listen!: Hard Business Truths that Will Help You Succeed, ......................................................................................................................... .........................................................................................................................
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Muito bom! Ótimo trabalho
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here

Objetivos Gerais de cada uma das fases do Projeto de Arquitetura

  1. 1. OBJETIVOS GERAIS DE CADA UMA DAS FASES DO PROJETODE ARQUITETURACOM BASE NA NORMA DA ABNT NBR13.531/95FACULDADES SANTO AGOSTINHO – ARQUITETURA E URBANISMOANÁLISE DE PROJETOS – PAULO NASCIMENTOFELLIPE LUCAS, JÉSSICA LUCAS, ROBERTA GONÇALVES, RHAYSSA DANTAS.
  2. 2. FASE A - CONCEPÇÃO DO PRODUTO (conforme NBR 13.531) Levantar um conjunto de informações jurídicas, legais, programáticas etécnicas; dados analíticos e gráficos objetivando determinar as restrições epossibilidades que regem e limitam o produto imobiliário pretendido. Estasinformações permitem caracterizar o partido arquitetônico e urbanístico, e aspossíveis soluções das edificações e de implantação dentro das condicionanteslevantadas. Esta fase está subdividida nas seguintes etapas:LV - Levantamento de DadosPN - Programa de NecessidadesEV - Estudo de Viabilidade
  3. 3. FASE A - CONCEPÇÃO DO PRODUTO (conforme NBR 13.531)LEVANTAMENTO DE DADOS / RESTRIÇÕES FÍSICAS E LEGAISAnalisar a documentação fornecida e identificar as restrições (legislação)preliminares na esfera Municipal (órgão principal), a fim de orientar o empreendedorquanto às restrições legais que possam ter influência na concepção do produto,sendo:- Restrições de uso do solo- Taxas de ocupação e aproveitamento- Gabaritos de altura das edificações- Alinhamentos, recuos e afastamentos- Exigências específicas relativas à tipologia da edificação pretendida- Outros aspectos específicos do órgão municipal principal de aprovação- Verificar a influência de outras legislações detectadas pela Ficha Técnica e/ouutilização de legislações quepermitem o aumento ou limitem o potencial construtivo (operação urbana, outorgaonerosa, gabaritos, etc.)
  4. 4. FASE A - CONCEPÇÃO DO PRODUTO (conforme NBR 13.531)PROGRAMA DE NECESSIDADESQualificar e quantificar o potencial construtivo do Empreendimento, definindo o merototal de unidades, vagas de estacionamento, caracterização das áreas segundo asnormas e condições requeridas na legislação Municipal do Órgão Público principalenvolvido com a aprovação do programa.-Informação conceitual do produto pretendido; tipologia da edificação e da unidade(ex: numero de dormitórios, banheiros, área pretendida da unidade, numero de vagas)- Características superficiais do solo (topografia e tipo de solo da região)-Documento informativo sobre: vegetação existente no terreno, córregos ecanalizações existentes ou outros elementos de porte, potencialmente impeditivos daimplantação- Verificação da capacidade da infra estrutura urbana no local (esgoto, água, energia,gás, telefonia, etc.)
  5. 5. FASE A - CONCEPÇÃO DO PRODUTO (conforme NBR 13.531)ESTUDO DE VIABILIDADE Desenvolver a concepção do produto imobiliário pretendido através dadefinição da unidade (apartamento, conjunto, etc.), de forma a verificar suaviabilidade mercadológica e econômica, avaliações preliminares dos sistemas deestruturas e de instalações prediais, e a validação dos produtos gerados nas fasesanteriores-Caracterização de uso, localização, dimensionamento e articulação de todas asáreas das unidades e dos pavimentos tipo- Proposta preliminar dos sistemas construtivos-Implantação preliminar do pavimento / unidade tipo no terreno
  6. 6. FASE A - CONCEPÇÃO DO PRODUTO (conforme NBR 13.531)TOPOGRAFIA-Levantamento planialtimétrico completo do terreno, inclusive levantamento arbóreo( identificação das espécies vegetais, locação e dimensões), muros de divisas (comsuas respectivas alturas), construções existentes (em caso de reformas ouampliações) e quaisquer outros elementos internos.GEOTÉCNICA-Relatório de sondagem com dados de nível d´água no local e característica do solo-Análise do Solo (Contaminação)SISTEMAS PREDIAIS – ELÉTRICOS E HIDRÁULICOS-Comentários e recomendações preliminares sobre a ligação do Empreendimento aosserviços públicos e necessidade de complementação de infraestrutura urbana(tratamento esgoto, rede de gás, etc.)
  7. 7. FASE A - CONCEPÇÃO DO PRODUTO (conforme NBR 13.531) Obter e analisar informações preliminares, a fim de orientar oEmpreendedor em relação aos condicionantes locais que possam ter influência naconcepção do produto, sendo:- Padrões Urbanísticos e Arquitetônicos;- Tendências de desenvolvimento para área;- Condições de tráfego e estacionamento;- Visuais;- Proximidades de equipamentos urbanos;- Dados geoclimáticos e ambientais locais; Temperatura; Pluviosidade; Insolação; Regime de ventos; Níveis de poluição sonora; poluição do ar; do solo; e poluição da águas;-Características gerais dos solos da região.
  8. 8. FASE A - CONCEPÇÃO DO PRODUTO (conforme NBR 13.531) Obter e analisar informações preliminares, a fim de orientar oEmpreendedor em relação aos condicionantes locais que possam ter influência naconcepção do produto, sendo:- Padrões Urbanísticos e Arquitetônicos;- Tendências de desenvolvimento para área;- Condições de tráfego e estacionamento;- Visuais;- Proximidades de equipamentos urbanos;- Dados geoclimáticos e ambientais locais; Temperatura; Pluviosidade; Insolação; Regime de ventos; Níveis de poluição sonora; poluição do ar; do solo; e poluição da águas;-Características gerais dos solos da região.
  9. 9. FASE A - CONCEPÇÃO DO PRODUTO (conforme NBR 13.531)- Relatório / programa com croquis explicativos que descrevam detalhadamente osdados referentes a todos itens abordados na atividade;- Fotos do local e do entorno.
  10. 10. FASE B –DEFINIÇÃO DO PRODUTO (conforme NBR 13.531) Desenvolver o partido arquitetônico e demais elementos doempreendimento, definindo e consolidando todas informações necessárias a fim deverificar sua viabilidade física, legal e econômica bem como possibilitar a elaboraçãodos Projetos Legais. Esta fase está subdividida nas seguintes etapas:EP - Estudo PreliminarAP - AnteprojetoPL - Projeto Legal
  11. 11. FASE B –DEFINIÇÃO DO PRODUTO (conforme NBR 13.531)- Consolidar a viabilidade do empreendimento;-Consolidar o potencial construtivo do local definindo. Implantação esquemática das edificações-tipo e todas áreasnecessárias, contendo no mínimo:- Conceituação, articulação, dimensionamento e caracterização da(s) edificação ouedificações no terreno;- Definição das vias de acesso de veículos e de pedestres;- Áreas verdes, recreação e lazer;- Cotas gerais de implantação;- Sistema de eixos organizacionais e referências de nível;- Indicação Norte / Sul;- Indicação das vias e acessos.
  12. 12. FASE B –DEFINIÇÃO DO PRODUTO (conforme NBR 13.531)ESTRUTURA-Definição do sistema estrutural com croquis de lançamento e pré-dimensionamentode pilares, vigas, lajes e alternativas estruturais.SISTEMAS PREDIAIS – ELÉTRICOS E HIDRÁULICOS-Definição dos sistemas e croquis dos ambientes e centrais técnicas, com dimensõespreliminares e outros condicionantes.SISTEMAS DE CLIMATIZAÇÃO (AR CONDICIONADO, PRESSURIZAÇÃO E VENTILAÇÃO)- Definição dos sistemas e croquis dos ambientes e centrais técnicas, com dimensõespreliminares e outros condicionantes.
  13. 13. FASE B –DEFINIÇÃO DO PRODUTO (conforme NBR 13.531)PLANTA BAIXA DOS ELEMENTOS DE COBERTURA, CONTENDO NO MÍNIMO:- Conceituação de tipologias: lajes, telhados, pergolados, etc.- Sistema de eixos organizacionais e modulação geral;-Conceituação de caimentos, calhas e coletores de águas pluviais;-Conceituação de vãos (portas e esquadrias) e aberturas técnicas (shafts). Cortes e/ou secções longitudinais e/ou transversais preliminares detodos os pavimentos, indicando todos os níveis e alturas (internas e externas) emrelação a referência adotada, contendo, no mínimo:- Níveis e alturas (pé-direito, piso a piso, platibandas, etc.) de todos os ambientes,pavimentos e edificações/blocos;- Conceituação de vãos (portas e esquadrias) e aberturas técnicas (shafts);- Necessidades de espaços livres entre forros e entre pisos;- Dimensionamento estrutural conceitual vertical (quando pertinente;)- Sistema de modulação vertical (quando pertinente);- Conceituação e articulação dos espaços técnicos necessários (quando pertinente).
  14. 14. FASE B –DEFINIÇÃO DO PRODUTO (conforme NBR 13.531) Desenvolver solução preliminar das fachadas da edificação para aanálise, verificação e aprovação da concepção arquitetônica, da imagem, e suaadequação a tipologia do empreendimento.Fachadas, de todas as edificações, indicando os elementos que a(s) compõe(m) taiscomo:- Todos elementos que compõe as fachadas;- Esquadrias;- Terraços e gradis;- Coberturas e platibandas;- Acessos e marquises;- Outros elementos significativos;- Referências a níveis;- Definição de materiais e cores;- Sistema de modulação horizontal e vertical;- Níveis dos principais pavimentos em relação a referência adotada.
  15. 15. FASE B –DEFINIÇÃO DO PRODUTO (conforme NBR 13.531) Consolidar, a solução preliminar, todos os produtos gerados nesta fase,com todos os envolvidos no processo, verificando e compatibilizando asinterferências preliminares:- Conceituação geral Arquitetônica do Empreendimento;- Adequação dos ambientes aos dados das atividades anteriores;- Sistemas de revestimentos de pisos, vedações e forros;- Sistemas de Estruturas;- Sistemas de Fundações;- Sistemas Prediais Elétricos e Hidráulicos;- Sistemas de Climatização (ar-condicionado e ventilação mecânica);- Sistemas gerais de vedação;- Sistema de transporte vertical;- Projetos de compensação arbórea;- Projeto de Arquitetura de Interiores;- Projeto de Arquitetura Paisagística.
  16. 16. FASE B –DEFINIÇÃO DO PRODUTO (conforme NBR 13.531) Desenvolver modelo detalhado do empreendimento, com a finalidade deanalisar e avaliar seu impacto no entorno e todas as relações de imagem(cores/texturas/sombras,etc.) para uma visualização realista do produto pretendido.-Aprovação dos conceitos arquitetônicos, dos sistemas de revestimentos externos(vedações, caixilharia, muros, etc.) e dos anteprojetos arquitetônico e paisagístico.- Desenhos e imagens apresentadas em papel, ou em arquivos tipo jpg, tif, etc, oumaquete física para visualização dos itens descritos na atividade.
  17. 17. FASE C - IDENTIFICAÇÃO E SOLUÇÃO DE INTERFACES (conformeNBR 13.531) Consolidar claramente todos ambientes, suas articulações e demais elementos do empreendimento, com as definições necessárias para o intercâmbio entre todos envolvidos no processo. A partir da negociação de soluções de interferências entre sistemas, o projeto resultante deve ter todas as suas interfaces resolvidas, possibilitando uma avaliação preliminar dos custos, métodos construtivos e prazos de execução. Quando esta fase estiver concluída ainda que o projeto não esteja completo e for necessário licitar a obra esta fase opcional, se caracteriza como: PB - Projeto Básico
  18. 18. FASE C - IDENTIFICAÇÃO E SOLUÇÃO DE INTERFACES (conformeNBR 13.531) Plantas baixas de todos os pavimentos, indicando todos os ambientes/ áreas e suas dimensões, contendo: ELEMENTOS BÁSICOS: - Sistema de eixos organizacionais, referências de níveis e orientação geográfica (norte magnético ou verdadeiro); - Articulação, dimensionamento e caracterização de todos os ambientes e espaços técnicos, em todos os pavimentos das edificações; - Indicação dos elementos do sistema estrutural; - Indicação dos cortes gerais e fachadas; - Indicação do sentido de abertura das esquadrias; -Indicação de enchimentos, dutos, passagens horizontais e verticais, além das prumadas das instalações.
  19. 19. FASE C - IDENTIFICAÇÃO E SOLUÇÃO DE INTERFACES (conformeNBR 13.531) ELEMENTOS COMPLEMENTARES (DESEJÁVEIS): - Indicações de cotas parciais entre coordenadas e cotas totais; - Indicação de níveis de piso acabado e “no osso”; - Indicação de sancas, rebaixos e projeções; - Indicação de soleiras e peitoris; - Indicação dos pontos de distribuição de água e esgoto, inclusive para jardins, filtros, bebedouros e caixas de incêndio; - Tabelas com indicação de acabamentos, revestimentos e pisos; - Quadro de dimensionamento das esquadrias, com dimensões e quantidades de cada tipo (quando pertinente); - Modulação Geral (quando pertinente).
  20. 20. FASE C - IDENTIFICAÇÃO E SOLUÇÃO DE INTERFACES (conformeNBR 13.531) Cortes longitudinais, transversais e secções parciais suficientes para compreensão do projeto, em todos os pavimentos, contendo no mínimo: ELEMENTOS BÁSICOS - Níveis e alturas (pé-direito, piso a piso, platibandas, etc.) de todos ambientes, pavimentos e edificações; - Indicações dos perfis longitudinais e transversais naturais do terreno, bem como dos novos perfis longitudinais e transversais; - Definição de espaços livres entre forros, e entre pisos; -Definição e articulação dos espaços técnicos necessários; ELEMENTOS COMPLEMENTARES (DESEJÁVEIS): - Sistema de modulação vertical (quando pertinente); - Indicação dos elementos do sistema estrutural; - Definição de vãos (esquadrias e portas) e de aberturas técnicas horizontais e verticais (shafts).
  21. 21. FASE C - IDENTIFICAÇÃO E SOLUÇÃO DE INTERFACES (conformeNBR 13.531) Protocolamento e acompanhamento de Processos de Aprovações dos projetos contratados em Órgãos Técnicos Públicos, em todas as esferas - Municipal, Estadual e Federal.
  22. 22. FASE C - IDENTIFICAÇÃO E SOLUÇÃO DE INTERFACES (conformeNBR 13.531) PLACAS DE COMUNICAÇÃO VISUAL - Elevação modular dimensionada e sistema construtivo adequado para inserção dos logotipos de ordem legal, e os definidos pelo empreendedor. TAPUMES - Elevações modulares com base em sistemas construtivos pré-definidos dimensionadas ao longo de todo o perímetro a ser isolado. Observação: Fica expressamente definido que, de acordo com a Lei Federal nº 250 de 16/12/77 do CONFEA, é obrigatório a colocação de placas nas obras com indicação dos arquitetos autores e dos responsáveis técnicos.
  23. 23. FASE D - PROJETO DE DETALHAMENTODAS ESPECIALIDADES (conforme NBR 13.531) Executar o detalhamento de todos os elementos do empreendimento demodo a gerar um conjunto de referências suficientes para a perfeita caracterizaçãodas obras/serviços a serem executadas, bem como a avaliação dos custos, métodosconstrutivos, e prazos de execução. Executar o detalhamento de todos os elementosdo empreendimento e incorporar os detalhes necessários de produção dependendodo sistema construtivo. O resultado deve ser um conjunto de informações técnicasclaras e objetivas sobre todos os elementos, sistemas e componentes doempreendimento.Esta fase se denomina PE - Projeto de Execução
  24. 24. FASE D - PROJETO DE DETALHAMENTODAS ESPECIALIDADES (conforme NBR 13.531)- Definição final de todos acabamentos propostos no empreendimento;- Cópia de todos os projetos aprovados junto aos Órgãos Técnicos e Públicos;- Folders dos projetos do Lançamento Imobiliário;- Fotos de maquetes.
  25. 25. FASE D - PROJETO DE DETALHAMENTODAS ESPECIALIDADES (conforme NBR 13.531)-Desenhos complementares em escalas ampliadas, necessários à melhorcompreensão e execução da obra;- Desenhos complementares de instalação de equipamentos;- Desenhos complementares de cobertura (rufos, calhas, telhas, etc.);- Desenhos complementares de arremates de madeira (soleiras, peitoris, rodapés ourevestimentos);-Desenhos complementares de arremates de elementos (esquadrias, escadas,rampas com alvenarias e estruturas);- Desenhos complementares de arremates das alvenarias ou de outros elementos devedação com estruturas;- Desenhos complementares de finalização de acabamentos de equipamentos comtodos os elementos da construção;- Especificações Gerais de Materiais e Sistemas, Notas Gerais, e Legendas;
  26. 26. FASE D - PROJETO DE DETALHAMENTODAS ESPECIALIDADES (conforme NBR 13.531) Elaboração de cronograma de obra com software específico, para avalidação dos prazos pretendidos e acompanhamento dos tempos de execução decada serviço par a execução das obras. Planilha de orçamento com preços estimativos, incluindo toda aexecução dos elementos arquitetônicos definidos pelos projetos. O Contratante e a empresa de arquitetura deverão definir, de comumacordo, por ocasião da contratação, qual a extensão e abrangência desses serviços ea responsabilidade da empresa de arquitetura em seu desenvolvimento. A empresa dearquitetura deverá relacionar os elementos de documentação necessários para essaanálise, a serem fornecidos pelo Contratante e demais especialidades.
  27. 27. FASE E - PÓS-ENTREGA DO PROJETO (conforme NBR 13.531)- Garantir a plena compreensão e utilização das informações deprojeto, bem como sua aplicação correta nos trabalhos de campo.- Realizar reunião com o objetivo de apresentar o projeto final com seus conceitostécnicos e premissas adotadas, solicitações do Contratante e outras peculiaridades. Éo momento também para esclarecer eventuais dúvidas dos participantes- O número de visitas deve ser compatível com as características e dimensões doEmpreendimento e a remuneração do projeto.- Quando for necessário um número maior de visitas ou carga horária maior deveráser estabelecida remuneração especifica.
  28. 28. FASE F - PÓS-ENTREGA DA OBRA (conforme NBR 13.531) Analisar e avaliar o comportamento da edificação em uso para verificare reafirmar se os condicionantes e pressupostos de projeto foram adequados e seeventuais alterações, realizadas em obra, estão compatíveis com as expectativas doempreendedor e de ocupação dos usuários.- Reunião para avaliação e validação do processo de projeto, com o intuito derastrear eventuais não conformidades e analisar os pontos passíveis de melhoria,com a participação de todos envolvidos no processo.

×