Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Redes de computadores - Meios de Transmissão

1,956 views

Published on

Notas de aula da disciplina de redes de computadores

Published in: Technology
  • Be the first to comment

Redes de computadores - Meios de Transmissão

  1. 1. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Meios de Transmissão E.E.E.P. Francisca Neilyta C. Albuquerque Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Augusto Braz
  2. 2. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Figura 7.1 Meios de transmissão e a camada física
  3. 3. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Figura 7.2 Tipos de meios de transmissão
  4. 4. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 7.1 Guias de onda Cabo coaxial Cabo par trançado Cabo de fibra óptica
  5. 5. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Cabo Coaxial •Antecederam os cabos de par trançado na conexão de redes; •Hoje são mais utilizados para transmissão de sinal de TV a cabo; •Possui uma blindagem entre os condutores permitindo uma boa taxa de transmissão e poucas perdas;
  6. 6. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Características •A velocidade de transmissão é bastante elevada devido a tolerância aos ruídos, graças à malha de proteção desses cabos. •Os cabos coaxiais são usados em diferentes aplicações: ligações de áudio, ligações de rede de computadores e ligações de sinais rádiofrequência de rádio e TV– (Transmissores/receptores). •muito comum encontrar rede de computadores usando cabo coaxial na década de 90
  7. 7. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Observação! •Os cabos coaxiais podem ser classificados por sua impedância, ou seja, sua resistência à passagem de corrente elétrica; •Quanto menor a resistência, melhor a transmissão pelo cabo, já que o corrente irá fluir mais rapidamente.
  8. 8. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Figura 7.7 Cabo coaxial
  9. 9. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Figura 7.8 Conectores BNC Cabo Conector BNC Terminador para BNC (50ohm) Fio terra
  10. 10. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Cabo coaxial
  11. 11. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Tabela 7.2 Categorias de cabos coaxiais Categoria Impedância Aplicação RG-59 75 W TV a Cabo RG-58 50 W Thin Ethernet RG-11 50 W Thick Ethernet
  12. 12. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Par trançado
  13. 13. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 •Com o avanço das redes de computadores, aumentando sua taxa de transferência, o cabo coaxial começou a ser substituído pelo cabo par trançado. •As principais vantagens de uso do cabo par trançado são: uma maior taxa de transferência de arquivos, o baixo custo do cabo e da manutenção de rede.
  14. 14. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Por que o Par Trançado? •Cabo que tem um feixe de dois fios, no qual eles são entrançados um ao redor do outro para cancelar as interferências eletromagnéticas de fontes externas e interferências mútuas (linha cruzada ou, em inglês, crosstalk) entre cabos vizinhos.
  15. 15. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Figura 7.3 Cabo par trançado Isolante Condutores
  16. 16. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Figura 7.4 UTP e STP
  17. 17. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Cabo UTP •São cabos que não possuem blindagem; •Não existe proteção a interferências externas; •Os fios de cobre são protegidos somente por uma capa de plástico; •Possuem taxas de transmissão que vão de 10Mbps a 10Gbps em redes locais; •Mais baratos;
  18. 18. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004
  19. 19. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Cabo FTP •São cabos que possuem uma blindagem feita com uma folha de alumínio que envolve todos os pares; •protege os fios evitando interferências com cabos da rede elétrica ou motores próximos ao cabo; •Essa blindagem é de um tipo mais simples •em relação ao STP;
  20. 20. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004
  21. 21. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Cabo STP •São também blindados, mas tornam-se mais eficientes que os FTP; •Sua blindagem é feita a cada par de cabos; •Ajudando assim a reduzir tanto a interferência externa quanto a interna ou ou crosstalk; –Interferência entre os pares de cabos;
  22. 22. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004
  23. 23. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Tabela 7.1 Categorias cabos UTP Categoria Largura de banda Taxa de transmissão Digital/Analógico Aplicação 1 very low < 100 kbps Analógico Telefone 2 < 2 MHz 2 Mbps Analógico/digital Linhas T-1 3 16 MHz 10 Mbps Digital LANs 4 20 MHz 20 Mbps Digital LANs 5 100 MHz 100 Mbps Digital LANs 6 (minuta) 200 MHz 200 Mbps Digital LANs 7 (minuta) 600 MHz 600 Mbps Digital LANs
  24. 24. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Categorias •Categoria do cabo 5 (CAT5): usado em redes fast ethernet. (CAT5 não é mais recomendado pela TIA/EIA). •● Categoria do cabo 5e (CAT5e): é uma melhoria da categoria 5 e foi desenvolvida graças à revisão da norma EIA/TIA568B. (CAT5e é recomendado pela norma EIA/TIA568B). •● Categoria do cabo 6 (CAT6): definido pela norma ANSI EIA/TIA568B2.1. •Adequada para redes gigabit ethernet. (CAT6 é recomendado pela norma EIA/TIA568B). •● Categoria: CAT 6a: é uma melhoria dos cabos CAT6. O A de CAT6a significa augmented (ampliado). Os cabos dessa categoria podem ter até 55 metros, no caso da rede ser de 10.000 Mbps, caso contrário podem ter até 100 metros. •● Categoria 7 (CAT7): foi criado para permitir a criação de rede 10 gigabit Ethernet de 100m usando fio de cobre (apesar de que atualmente esse tipo de rede esteja sendo usado pela rede CAT6).
  25. 25. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Figura 7.5 Conectores UTP Fêmea Macho
  26. 26. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Cabo de Fibra Óptica •É um fino e flexível fio de vidro feito de sílica; •Transmite dados a partir de feixes de luz; •Como a velocidade da luz é bem elevada, a transmissão dos dados é muito melhor na fibra ótica, podendo chegar a 16Tbps; •Utilizada em redes de longa distância e de alta velocidade;
  27. 27. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Cabo de Fibra Óptica •Não sofrem com interferências eletromagnéticas e possui perca mínima; •Muito utilizada em empresas de telefonia e televisão, onde em ambas existe a necessidade de que o som e/ou a imagem cheguem em tempo real e em perfeita sincronia.
  28. 28. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Figura 7.11 Fibra óptica
  29. 29. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Figura 7.14 Partes da fibra Kevlar Dupont para rigidez mecânica Casca Jaqueta externa Buffer de plástico Núcleo de vidro ou plástico
  30. 30. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Figura 7.15 Conectores para cabos de fibra ópticas Conector SC Conector ST Conector MJ-RJ
  31. 31. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Figura 7.12 Modes de propagação
  32. 32. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Figura 7.13 Modos Fonte Fonte Fonte Destino Destino Destino a. Multimodo, índice degrau b. Multimodo, índice gradual c. Monomodo
  33. 33. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Dúvida! Qual o melhor modo?
  34. 34. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Monomodo •O núcleo da fibra é tão fino que permite que a luz se propague em um único feixe e evitando também muitas reflexões nas paredes internas do cabo. Devido a isso o sinal em uma fibra monomodo pode propagar-se a até 80km de distância, mas fabricar um cabo de fibra tão fino (cerca de 0,008mm) é muito dispendioso, tornando o cabo muito caro.
  35. 35. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Multimodo •O núcleo da fibra é mais espesso (cerca de 0,125mm), tornando sua fabricação mais barata, porém a espessura do cabo permite mais reflexões de sinal, e consequentemente mais perdas. A fibra multimodo alcança, no máximo, 550m.
  36. 36. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004
  37. 37. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Vídeo
  38. 38. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 7.2 Transmissão sem fios: Wireless Ondas de rádio Microondas Infravermelho
  39. 39. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Figura 7.18 Espectro eletromagnético para comunicação wireless
  40. 40. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Figura 7.18 Métodos de propagação Ionosfera Ionosfera Ionosfera Propagação no solo (abaixo de 2MHz) Propagação ionosférica (entre 2 e 30MHz) Propagação direcional (acima de 30MHz)
  41. 41. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Transmissão via rádio terrestre ou micro-ondas •Estão num espectro eletromagnético sem utilização de fios e podem atingir grandes distâncias. •Estas distâncias variam conforme as condições do local, que pode possuir muitas barreiras físicas ou sinais eletromagnéticos gerando perda e atenuação do sinal. •Para a propagação são instaladas torres que funcionam como estações repetidoras de microondas.
  42. 42. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Transmissão via Satélite •Um satélite liga várias estações repetidoras de microondas as quais citamos anteriormente. •O satélite é capaz de ligar uma estação terrestre X a outra estação terrestre Y que esteja distante, sem que o sinal tenha que trafegar por todas as estações terrestres vizinhas a X até chegar à estação destino Y.
  43. 43. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Como isso acontece? •Carlos quer fazer uma ligação de Fortaleza, onde reside, para sua prima Joana em Porto Alegre. Ao efetuar a chamada, o sinal do telefone de Carlos procura a estação repetidora terrestre mais próxima em Fortaleza e ao chegar lá, o sinal é enviado ao satélite que por sua vez localiza e reenvia a chamada para a estação repetidora terrestre mais próxima de Joana em Porto Alegre.
  44. 44. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Figura 7.19 Transmissão de ondas sem fios
  45. 45. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Figura 7.20 Antennas Omnidirecionais
  46. 46. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Ondas de rádio são utilizadas na comunicação multidufusão (multicasting), tal como rádio e televisão. Nota:
  47. 47. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Figura 7.21 Antenas unidirecionais
  48. 48. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 As microondas são muito úteis na comunicação unicast como em telefones celulares, redes de satélites e nas wireless LANs Nota:
  49. 49. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Sinais infravermelhos só podem ser utilizados para comunicação a curtas distâncias, em áreas fechadas e utilizando propagação direcionada. Nota:
  50. 50. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 2000 Exercícios
  51. 51. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 PESQUISA 1 Existem alguns tipos de satélites: os GEOS, os LEOS e os MEOS. Pesquise a diferença entre eles e que empresas brasileiras usam satélites. PESQUISA 2 Pesquise os tipos de equipamentos (não obrigatoriamente meios de comunicação) que utilizam ondas de rádio em seu funcionamento.
  52. 52. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 A crimpagem de cabos •Para a montagem (ou crimpagem) de cabos par trançado deve-se ter: •Alicate de crimpagem •Conectores RJ45 e cabo UTP ou STP (tamanho variável de acordo com a necessidade)
  53. 53. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 •Obs: O alicate de crimpagem é usado para prender as pontas do cabo aos conectores RJ45. Estes, por sua vez, são conectados à placa de rede do computador ou ao hub/switch.
  54. 54. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Utilizar cabo crossover ou direto? •Quando o objetivo for interligar dois computadores, não existirá necessidade de utilizar dispositivos como hubs ou switches, já que se pode ligar uma máquina à outra diretamente. •Neste caso, o cabo do tipo "crossover" (cruzado ou invertido) deve ser utilizado.
  55. 55. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Quando três ou mais computadores devem ser interligados, um switch deve ser utilizado. Deve-se criar um cabo para cada computador e conectá-los ao switch. No entanto, o cabo tipo crossover não serve para esse propósito, devendo ser utilizado o cabo do tipo "direto", também conhecido como "patch cable".
  56. 56. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Em resumo •Para ligar computador a computador, usa-se cabo crossover. Para ligar computador a hub, usa-se cabo direto. A diferença entre eles é que o cabo crossover tem a disposição de seus fios diferentes nas ponta, uma em relação à outra, enquanto que o cabo direto tem a disposição dos fios iguais em cada extremidade.
  57. 57. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Padrão T568A
  58. 58. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Padrão T568B
  59. 59. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Observação •As duas montagens são totalmente equivalentes em termos de desempenho, cabendo ao montador escolher uma delas como padrão para sua instalação. É boa prática que todos os cabos dentro de uma instalação sigam o mesmo padrão de montagem. •Um cabo cujas duas pontas usam a mesma montagem é denominado Direto (cabo), já um cabo em que cada ponta é usada uma das montagens é denominado Crossover.
  60. 60. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Como Crimpar
  61. 61. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004
  62. 62. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004
  63. 63. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004
  64. 64. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004
  65. 65. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004
  66. 66. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004
  67. 67. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004
  68. 68. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004
  69. 69. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004
  70. 70. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004
  71. 71. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Capas Protetoras
  72. 72. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Testador de Cabos
  73. 73. McGraw-Hill ©The McGraw-Hill Companies, Inc., 2004 Erros!

×