Abordagem Queimaduras

18,280 views

Published on

Apresentação sobre abordagem em queimaduras.

Published in: Health & Medicine, Technology
2 Comments
13 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
18,280
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
22
Actions
Shares
0
Downloads
1,298
Comments
2
Likes
13
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Abordagem Queimaduras

    1. 1. Escola Nacional de Bombeiros Queimaduras
    2. 2. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    3. 3. QUEIMADURAS Definição Lesão causada pela acção de diferentes tipos de energias em quantidades superiores às que a pele e as mucosas conseguem tolerar Escola Nacional de Bombeiros
    4. 4. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    5. 5. QUEIMADURAS Riscos das Queimaduras Escola Nacional de Bombeiros
    6. 6. QUEIMADURAS Riscos das Queimaduras • Infecção Escola Nacional de Bombeiros
    7. 7. QUEIMADURAS Riscos das Queimaduras • Infecção • Perda rápida de fluídos orgânicos Escola Nacional de Bombeiros
    8. 8. QUEIMADURAS Riscos das Queimaduras • Infecção • Perda rápida de fluídos orgânicos • Dor Escola Nacional de Bombeiros
    9. 9. QUEIMADURAS Riscos das Queimaduras • Infecção • Perda rápida de fluídos orgânicos • Dor • Factor psicológico Escola Nacional de Bombeiros
    10. 10. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    11. 11. Escola Nacional de Bombeiros Causa QUEIMADURAS
    12. 12. Escola Nacional de Bombeiros Extensão Causa QUEIMADURAS
    13. 13. QUEIMADURAS Causa Extensão Profundidade Escola Nacional de Bombeiros
    14. 14. QUEIMADURAS Causa Extensão Profundidade Local Escola Nacional de Bombeiros
    15. 15. QUEIMADURAS Causa Extensão Profundidade Local Escola Nacional de Bombeiros Idade
    16. 16. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    17. 17. QUEIMADURAS Causas das Queimaduras Escola Nacional de Bombeiros
    18. 18. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    19. 19. QUEIMADURAS Termicas Químicos Electricidade Radiações Escola Nacional de Bombeiros
    20. 20. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    21. 21. Escola Nacional de Bombeiros Termicas QUEIMADURAS
    22. 22. QUEIMADURAS  Calor húmido Termicas  Calor seco  Transmissão de calor Escola Nacional de Bombeiros
    23. 23. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    24. 24. Escola Nacional de Bombeiros Químicos QUEIMADURAS
    25. 25. QUEIMADURAS  Pós Químicos  Líquidos Escola Nacional de Bombeiros
    26. 26. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    27. 27. Escola Nacional de Bombeiros Eléctricas QUEIMADURAS
    28. 28. QUEIMADURAS  Contacto directo Eléctricas • electrocussão  Arco voltaico • flash eléctrico Escola Nacional de Bombeiros
    29. 29. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    30. 30. Escola Nacional de Bombeiros Radiação QUEIMADURAS
    31. 31. QUEIMADURAS  Raios ultravioletas Radiação Escola Nacional de Bombeiros
    32. 32. QUEIMADURAS  Raios ultravioletas Radiação  Raios x Escola Nacional de Bombeiros
    33. 33. QUEIMADURAS  Raios ultravioletas Radiação  Raios x  Substâncias radioactivas Escola Nacional de Bombeiros
    34. 34. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    35. 35. QUEIMADURAS Extensão das Queimaduras Escola Nacional de Bombeiros
    36. 36. QUEIMADURAS 9% 9% 36% 9% 1% 18% 18% Escola Nacional de Bombeiros
    37. 37. QUEIMADURAS 9% Adultos 9% 36% 9% 1% 18% 18% Escola Nacional de Bombeiros
    38. 38. QUEIMADURAS 14% 9% 36% 9% 16% 16% Escola Nacional de Bombeiros
    39. 39. QUEIMADURAS 14% Crianças de 1 a 5 anos 9% 36% 9% 16% 16% Escola Nacional de Bombeiros
    40. 40. Escola Nacional de Bombeiros 14% 9% 36% 14% 18% 9% QUEIMADURAS
    41. 41. QUEIMADURAS Bebé 18% (até 1 ano) 9% 36% 14% 9% 14% Escola Nacional de Bombeiros
    42. 42. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    43. 43. QUEIMADURAS Profundidade das Queimaduras Escola Nacional de Bombeiros
    44. 44. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    45. 45. Escola Nacional de Bombeiros 1º Grau QUEIMADURAS
    46. 46. Escola Nacional de Bombeiros 1º Grau QUEIMADURAS
    47. 47. Escola Nacional de Bombeiros • Rubor 1º Grau QUEIMADURAS
    48. 48. QUEIMADURAS 1º Grau • Rubor • Dor Escola Nacional de Bombeiros
    49. 49. QUEIMADURAS 1º Grau • Rubor • Dor • Calor Escola Nacional de Bombeiros
    50. 50. QUEIMADURAS 1º Grau • Rubor • Dor • Calor • Hipersensibilidade Escola Nacional de Bombeiros
    51. 51. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    52. 52. Escola Nacional de Bombeiros 2º Grau QUEIMADURAS
    53. 53. Escola Nacional de Bombeiros 2º Grau QUEIMADURAS
    54. 54. QUEIMADURAS 2º Grau • Flictenas Escola Nacional de Bombeiros
    55. 55. QUEIMADURAS 2º Grau • Flictenas • Dor intensa Escola Nacional de Bombeiros
    56. 56. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    57. 57. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    58. 58. Escola Nacional de Bombeiros 3º Grau QUEIMADURAS
    59. 59. Escola Nacional de Bombeiros 3º Grau QUEIMADURAS
    60. 60. Escola Nacional de Bombeiros • Necrose 3º Grau QUEIMADURAS
    61. 61. QUEIMADURAS 3º Grau • Necrose •Coloração negra ou acastanhada ou branca Escola Nacional de Bombeiros
    62. 62. QUEIMADURAS 3º Grau • Necrose •Coloração negra ou acastanhada ou branca • Sem dor Escola Nacional de Bombeiros
    63. 63. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    64. 64. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    65. 65. QUEIMADURAS Avaliação da gravidade das queimaduras Escola Nacional de Bombeiros
    66. 66. QUEIMADURAS 2º Grau < 15% 3º Grau < 2% Escola Nacional de Bombeiros
    67. 67. QUEIMADURAS Leves 2º Grau < 15% 3º Grau < 2% Escola Nacional de Bombeiros
    68. 68. QUEIMADURAS 2º Grau de 15% a 25% 3º Grau de 2% a 10% Escola Nacional de Bombeiros
    69. 69. QUEIMADURAS Moderadas 2º Grau de 15% a 25% 3º Grau de 2% a 10% Escola Nacional de Bombeiros
    70. 70. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    71. 71. Escola Nacional de Bombeiros Graves QUEIMADURAS
    72. 72. QUEIMADURAS Graves 2º Grau > 25% Escola Nacional de Bombeiros
    73. 73. QUEIMADURAS Graves 2º Grau > 25% 3º Grau > 10% Escola Nacional de Bombeiros
    74. 74. Escola Nacional de Bombeiros Graves QUEIMADURAS
    75. 75. QUEIMADURAS Graves Queimaduras do 2º ou 3º grau: Escola Nacional de Bombeiros
    76. 76. QUEIMADURAS Graves Queimaduras do 2º ou 3º grau: • Vias aéreas Escola Nacional de Bombeiros
    77. 77. QUEIMADURAS Graves Queimaduras do 2º ou 3º grau: • Vias aéreas • Fracturas ou feridas Escola Nacional de Bombeiros
    78. 78. QUEIMADURAS Graves Queimaduras do 2º ou 3º grau: • Vias aéreas • Fracturas ou feridas • Face, mãos e pés Escola Nacional de Bombeiros
    79. 79. QUEIMADURAS Graves Queimaduras do 2º ou 3º grau: • Vias aéreas • Fracturas ou feridas • Face, mãos e pés • Articulações Escola Nacional de Bombeiros
    80. 80. QUEIMADURAS Graves Queimaduras do 2º ou 3º grau: • Vias aéreas • Fracturas ou feridas • Face, mãos e pés • Articulações • Órgãos genitais Escola Nacional de Bombeiros
    81. 81. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    82. 82. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    83. 83. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    84. 84. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS Edema
    85. 85. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS Edema
    86. 86. QUEIMADURAS Obstrução da Edema via aérea Escola Nacional de Bombeiros
    87. 87. QUEIMADURAS Obstrução da Edema via aérea Escola Nacional de Bombeiros
    88. 88. QUEIMADURAS 2º e 3º Grau na via aérea Obstrução da Edema via aérea Asfixia Escola Nacional de Bombeiros
    89. 89. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    90. 90. QUEIMADURAS 2º e 3º Grau na via aérea Escola Nacional de Bombeiros
    91. 91. QUEIMADURAS 2º e 3º Grau na via aérea •Queimaduras da face Escola Nacional de Bombeiros
    92. 92. QUEIMADURAS 2º e 3º Grau na via aérea •Queimaduras da face •Estado das mucosas Escola Nacional de Bombeiros
    93. 93. QUEIMADURAS 2º e 3º Grau na via aérea •Queimaduras da face •Estado das mucosas • Lábios Escola Nacional de Bombeiros
    94. 94. QUEIMADURAS 2º e 3º Grau na via aérea •Queimaduras da face •Estado das mucosas • Lábios • Língua Escola Nacional de Bombeiros
    95. 95. QUEIMADURAS 2º e 3º Grau na via aérea •Queimaduras da face •Estado das mucosas • Lábios • Língua • Orofaringe Escola Nacional de Bombeiros
    96. 96. QUEIMADURAS 2º e 3º Grau na via aérea •Queimaduras da face •Estado das mucosas • Lábios • Língua • Orofaringe •Fossas nasais Escola Nacional de Bombeiros
    97. 97. QUEIMADURAS 2º e 3º Grau na via aérea Sinais e Sintomas •Queimaduras da face •Estado das mucosas • Lábios • Língua • Orofaringe •Fossas nasais • Pêlos queimados Escola Nacional de Bombeiros
    98. 98. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    99. 99. QUEIMADURAS Cuidados de emergência Escola Nacional de Bombeiros
    100. 100. QUEIMADURAS Cuidados de emergência  Aliviar a dor Escola Nacional de Bombeiros
    101. 101. QUEIMADURAS Cuidados de emergência  Aliviar a dor  Prevenir e tratar o choque Escola Nacional de Bombeiros
    102. 102. QUEIMADURAS Cuidados de emergência  Aliviar a dor  Prevenir e tratar o choque  Prevenir a infecção Escola Nacional de Bombeiros
    103. 103. Escola Nacional de Bombeiros Cuidados a ter! QUEIMADURAS
    104. 104. QUEIMADURAS Cuidados a ter! Acalmar a vítima Escola Nacional de Bombeiros
    105. 105. QUEIMADURAS Cuidados a ter! Acalmar a vítima Permeabilizar as vias aéreas Escola Nacional de Bombeiros
    106. 106. QUEIMADURAS Cuidados a ter! Acalmar a vítima Permeabilizar as vias aéreas Aplicação de pensos (evita contacto com o ar e Escola Nacional de Bombeiros
    107. 107. QUEIMADURAS Cuidados a ter! Acalmar a vítima Permeabilizar as vias aéreas Aplicação de pensos (evita contacto com o ar e diminui a dor) Escola Nacional de Bombeiros
    108. 108. QUEIMADURAS Cuidados a ter! Acalmar a vítima Permeabilizar as vias aéreas Aplicação de pensos (evita contacto com o ar e diminui a dor) Em queimaduras extensas usar lençóis Escola Nacional de Bombeiros
    109. 109. QUEIMADURAS Cuidados a ter! Acalmar a vítima Permeabilizar as vias aéreas Aplicação de pensos (evita contacto com o ar e diminui a dor) Em queimaduras extensas usar lençóis Humedecer com soro fisiológico ou água. Em membros mergulhar em água Escola Nacional de Bombeiros
    110. 110. QUEIMADURAS Cuidados a ter! Acalmar a vítima Permeabilizar as vias aéreas Aplicação de pensos (evita contacto com o ar e diminui a dor) Em queimaduras extensas usar lençóis Humedecer com soro fisiológico ou água. Em membros mergulhar em água Escola Nacional de Bombeiros Administrar o2 3 l/m
    111. 111. QUEIMADURAS Cuidados específicos Escola Nacional de Bombeiros
    112. 112. QUEIMADURAS Cuidados específicos • Não retirar roupas “coladas” Escola Nacional de Bombeiros
    113. 113. QUEIMADURAS Cuidados específicos • Não retirar roupas “coladas” • Não colocar gorduras ou tinturas Escola Nacional de Bombeiros
    114. 114. QUEIMADURAS Cuidados específicos • Não retirar roupas “coladas” • Não colocar gorduras ou tinturas • Em zonas de contacto, colocar pensos a separá-las, para impedir que adiram Escola Nacional de Bombeiros
    115. 115. QUEIMADURAS Cuidados específicos • Não retirar roupas “coladas” • Não colocar gorduras ou tinturas • Em zonas de contacto, colocar pensos a separá-las, para impedir que adiram Escola Nacional de Bombeiros
    116. 116. QUEIMADURAS Cuidados específicos • Não retirar roupas “coladas” • Não colocar gorduras ou tinturas • Em zonas de contacto, colocar pensos a separá-las, para impedir que adiram Escola Nacional de Bombeiros
    117. 117. QUEIMADURAS Cuidados específicos • Não retirar roupas “coladas” • Não colocar gorduras ou tinturas • Em zonas de contacto, colocar pensos a separá-las, para impedir que adiram Zona de Escola Nacional de Bombeiros contacto
    118. 118. QUEIMADURAS Cuidados específicos • Não retirar roupas “coladas” • Não colocar gorduras ou tinturas • Em zonas de contacto, colocar pensos a separá-las, para impedir que adiram Escola Nacional de Bombeiros
    119. 119. QUEIMADURAS Cuidados específicos • Não retirar roupas “coladas” • Não colocar gorduras ou tinturas • Em zonas de contacto, colocar pensos a separá-las, para impedir que adiram Escola Nacional de Bombeiros
    120. 120. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    121. 121. Escola Nacional de Bombeiros AGENTES QUÍMICOS QUEIMADURAS
    122. 122. QUEIMADURAS AGENTES QUÍMICOS • Lesões da pele idênticas ás situações provocadas por calor Escola Nacional de Bombeiros
    123. 123. QUEIMADURAS AGENTES QUÍMICOS • Lesões da pele idênticas ás situações provocadas por calor • O tipo de actuação depende do agente químico em causa Escola Nacional de Bombeiros
    124. 124. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    125. 125. Escola Nacional de Bombeiros Líquidos Pós QUEIMADURAS
    126. 126. Escola Nacional de Bombeiros Líquidos Pós QUEIMADURAS
    127. 127. QUEIMADURAS Lesões da Pele Pós Líquidos Escola Nacional de Bombeiros
    128. 128. QUEIMADURAS AGENTES QUÍMICOS Lesões da Pele Pós Líquidos Intoxicação Escola Nacional de Bombeiros
    129. 129. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    130. 130. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    131. 131. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    132. 132. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS PÓ
    133. 133. QUEIMADURAS • Saber qual o agente e função PÓ Escola Nacional de Bombeiros
    134. 134. QUEIMADURAS • Saber qual o agente e função • Retirar o pó PÓ Escola Nacional de Bombeiros
    135. 135. QUEIMADURAS AGENTES QUÍMICOS • Saber qual o agente e função • Retirar o pó PÓ • Lavar abundantemente com água corrente Escola Nacional de Bombeiros
    136. 136. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    137. 137. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS LÍQUIDO
    138. 138. QUEIMADURAS • Saber qual o agente e função LÍQUIDO Escola Nacional de Bombeiros
    139. 139. QUEIMADURAS • Saber qual o agente e função • Retirar as roupas LÍQUIDO Escola Nacional de Bombeiros
    140. 140. QUEIMADURAS AGENTES QUÍMICOS • Saber qual o agente e função • Retirar as roupas LÍQUIDO • Lavar abundantemente com água corrente Escola Nacional de Bombeiros
    141. 141. Escola Nacional de Bombeiros NÃO TAPAR QUEIMADURAS
    142. 142. QUEIMADURAS AGENTES QUÍMICOS LAVAR ABUNDANTEMENTE NÃO TAPAR Escola Nacional de Bombeiros
    143. 143. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    144. 144. QUEIMADURAS Todo o material deve estar esterilizado Escola Nacional de Bombeiros
    145. 145. QUEIMADURAS Todo o material deve estar esterilizado Luvas Escola Nacional de Bombeiros
    146. 146. QUEIMADURAS Todo o material deve estar esterilizado Luvas Compressas Escola Nacional de Bombeiros
    147. 147. QUEIMADURAS Todo o material deve estar esterilizado Luvas Compressas Lençóis esterilizados Escola Nacional de Bombeiros
    148. 148. QUEIMADURAS Todo o material deve estar esterilizado Luvas Compressas Lençóis esterilizados Soro fisiológico Escola Nacional de Bombeiros
    149. 149. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    150. 150. QUEIMADURAS Queimaduras eléctricas Procurar: Escola Nacional de Bombeiros
    151. 151. QUEIMADURAS Queimaduras eléctricas Procurar: Lesões na zona de contacto (porta de entrada) Escola Nacional de Bombeiros
    152. 152. QUEIMADURAS Queimaduras eléctricas Procurar: Lesões na zona de contacto (porta de entrada) Lesões no percurso da passagem da corrente Escola Nacional de Bombeiros
    153. 153. QUEIMADURAS Queimaduras eléctricas Procurar: Lesões na zona de contacto (porta de entrada) Lesões no percurso da passagem da corrente Lesões no local de saída da corrente Escola Nacional de Bombeiros
    154. 154. QUEIMADURAS Queimaduras eléctricas Procurar: Lesões na zona de contacto (porta de entrada) Lesões no percurso da passagem da corrente Lesões no local de saída da corrente Escola Nacional de Bombeiros lesões periféricas
    155. 155. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    156. 156. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    157. 157. QUEIMADURAS Espasmos musculares violentos Escola Nacional de Bombeiros
    158. 158. QUEIMADURAS Espasmos musculares violentos  Paragem ventilatória Escola Nacional de Bombeiros
    159. 159. QUEIMADURAS Espasmos musculares violentos  Paragem ventilatória  Fracturas Escola Nacional de Bombeiros
    160. 160. QUEIMADURAS Espasmos musculares violentos  Paragem ventilatória  Fracturas Alterações do ritmo cardíaco Escola Nacional de Bombeiros
    161. 161. QUEIMADURAS Espasmos musculares violentos  Paragem ventilatória  Fracturas Alterações do ritmo cardíaco  Disritmias graves Escola Nacional de Bombeiros
    162. 162. QUEIMADURAS Queimaduras eléctricas Podem ocorrer: Espasmos musculares violentos  Paragem ventilatória  Fracturas Alterações do ritmo cardíaco  Disritmias graves  Paragem cárdio-pulmonar Escola Nacional de Bombeiros
    163. 163. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    164. 164. Escola Nacional de Bombeiros Consequências QUEIMADURAS
    165. 165. QUEIMADURAS Consequências Obstrução parcial ou total das vias aéreas Escola Nacional de Bombeiros
    166. 166. QUEIMADURAS Consequências Obstrução parcial ou total das vias aéreas Paralisia dos membros Escola Nacional de Bombeiros
    167. 167. QUEIMADURAS Consequências Obstrução parcial ou total das vias aéreas Paralisia dos membros Queimaduras locais (porta de entra e saída) Escola Nacional de Bombeiros
    168. 168. QUEIMADURAS Consequências Obstrução parcial ou total das vias aéreas Paralisia dos membros Queimaduras locais (porta de entra e saída) Convulsões Escola Nacional de Bombeiros
    169. 169. QUEIMADURAS Consequências Obstrução parcial ou total das vias aéreas Paralisia dos membros Queimaduras locais (porta de entra e saída) Convulsões Dificuldade respiratória Escola Nacional de Bombeiros
    170. 170. QUEIMADURAS Consequências Obstrução parcial ou total das vias aéreas Paralisia dos membros Queimaduras locais (porta de entra e saída) Convulsões Dificuldade respiratória Alterações do ritmo cardíaco Escola Nacional de Bombeiros
    171. 171. QUEIMADURAS Queimaduras eléctricas Consequências Obstrução parcial ou total das vias aéreas Paralisia dos membros Queimaduras locais (porta de entra e saída) Convulsões Dificuldade respiratória Alterações do ritmo cardíaco Escola Nacional de Bombeiros Paragem cardíaca
    172. 172. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    173. 173. Escola Nacional de Bombeiros • Hipertensão QUEIMADURAS
    174. 174. QUEIMADURAS • Hipertensão • Casos graves - Choque Escola Nacional de Bombeiros
    175. 175. QUEIMADURAS • Hipertensão • Casos graves - Choque • Irritabilidade Escola Nacional de Bombeiros
    176. 176. QUEIMADURAS • Hipertensão • Casos graves - Choque • Irritabilidade • Alterações da visão Escola Nacional de Bombeiros
    177. 177. QUEIMADURAS • Hipertensão • Casos graves - Choque • Irritabilidade • Alterações da visão • Fracturas ou feridas Escola Nacional de Bombeiros
    178. 178. QUEIMADURAS • Hipertensão • Casos graves - Choque • Irritabilidade • Alterações da visão • Fracturas ou feridas • Alterações da consciência Escola Nacional de Bombeiros
    179. 179. QUEIMADURAS Queimaduras eléctricas Consequências • Hipertensão • Casos graves - Choque • Irritabilidade • Alterações da visão • Fracturas ou feridas • Alterações da consciência Escola Nacional de Bombeiros
    180. 180. QUEIMADURAS Queimaduras eléctricas Procedimento Escola Nacional de Bombeiros
    181. 181. QUEIMADURAS Queimaduras eléctricas Procedimento Certificar que a corrente está desligada Escola Nacional de Bombeiros
    182. 182. QUEIMADURAS Queimaduras eléctricas Procedimento Certificar que a corrente está desligada Acalmar a vítima Escola Nacional de Bombeiros
    183. 183. QUEIMADURAS Queimaduras eléctricas Procedimento Certificar que a corrente está desligada Acalmar a vítima Permeabilizar as vias aéreas Escola Nacional de Bombeiros
    184. 184. QUEIMADURAS Queimaduras eléctricas Procedimento Certificar que a corrente está desligada Acalmar a vítima Permeabilizar as vias aéreas Tratar as queimaduras Escola Nacional de Bombeiros
    185. 185. QUEIMADURAS Queimaduras eléctricas Procedimento Certificar que a corrente está desligada Acalmar a vítima Permeabilizar as vias aéreas Tratar as queimaduras Prevenir o choque Escola Nacional de Bombeiros
    186. 186. QUEIMADURAS Queimaduras eléctricas Procedimento Certificar que a corrente está desligada Acalmar a vítima Permeabilizar as vias aéreas Tratar as queimaduras Prevenir o choque Reavaliar S.V. Escola Nacional de Bombeiros
    187. 187. QUEIMADURAS Queimaduras eléctricas Procedimento Certificar que a corrente está desligada Acalmar a vítima Permeabilizar as vias aéreas Tratar as queimaduras Prevenir o choque Reavaliar S.V. Administrar o2 3 l/m (se possível alta concentração) Escola Nacional de Bombeiros
    188. 188. QUEIMADURAS Queimaduras eléctricas Procedimento Certificar que a corrente está desligada Acalmar a vítima Permeabilizar as vias aéreas Tratar as queimaduras Prevenir o choque Reavaliar S.V. Administrar o2 3 l/m (se possível alta concentração) Escola Nacional de Bombeiros Tratar sintomaticamente
    189. 189. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    190. 190. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    191. 191. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    192. 192. Escola Nacional de Bombeiros
    193. 193. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    194. 194. Escola Nacional de Bombeiros QUEIMADURAS
    195. 195. Escola Nacional de Bombeiros Resumo QUEIMADURAS
    196. 196. QUEIMADURAS Resumo ✓ Administrar o2 3 l/m Escola Nacional de Bombeiros
    197. 197. QUEIMADURAS Resumo ✓ Administrar o2 3 l/m ✓Retirar a roupa Escola Nacional de Bombeiros
    198. 198. QUEIMADURAS Resumo ✓ Administrar o2 3 l/m ✓Retirar a roupa ✓ Arrefecer a queimadura Escola Nacional de Bombeiros
    199. 199. QUEIMADURAS Resumo ✓ Administrar o2 3 l/m ✓Retirar a roupa ✓ Arrefecer a queimadura • Lavar abundantemente com água ou SF Escola Nacional de Bombeiros
    200. 200. QUEIMADURAS Resumo ✓ Administrar o2 3 l/m ✓Retirar a roupa ✓ Arrefecer a queimadura • Lavar abundantemente com água ou SF ✓ Cobrir com pensos ou compressas humedecidas em Soro Fisiológico Escola Nacional de Bombeiros
    201. 201. Escola Nacional de Bombeiros Fim QUEIMADURAS

    ×