Trabalho manutencao sigma_final

3,680 views

Published on

Published in: Education, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,680
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
137
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Trabalho manutencao sigma_final

  1. 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ UNIOESTE – CAMPUS DE FOZ DO IGUAÇUCECE – CENTRO DE ENGENHARIAS E CIÊNCIAS EXATAS ENGENHARIA MECÂNICA Bruno Delai Da Silva Bruno Horácio Edimar Vernillo Júnior Giovani Grespan Igor Rafael Silva Bernardinelli Tiago Sartor SIGMA – Sistema Gerencial de Manutenção FOZ DO IGUAÇU 2011
  2. 2. BRUNO DELAI DA SILVA BRUNO HORÁCIO EDIMAR VERNILLO JÚNIOR GIOVANI GRESPAN IGOR RAFAEL SILVA BERNARDINELLI TIAGO SARTORSIGMA – SISTEMA GERENCIAL DE MANUTENÇÃO Trabalho apresentado como requisito parcial de avaliação na disciplina de Engenharia de Manutenção no curso de Engenharia Mecânica do Centro de Engenharias e Ciências Exatas da Universidade Estadual do Oeste do Paraná – Campus Foz do Iguaçu. Professor: Eng. Eduardo Moreira, Dr. FOZ DO IGUAÇU 2011
  3. 3. LISTA DE ILUSTRAÇÕESFigura 1 - Interface principal do sistema SIGMA de manutenção (versão 2007) ........ 5Figura 2 - Interface equipamento do sistema SIGMA versão 2007 ............................. 7Figura 3 - Curva ABC .................................................................................................. 9Figura 4 - Interface estoque do sistema SIGMA versão 2007 ................................... 10Figura 5 - Interface preditiva do sistema SIGMA versão 2007 .................................. 11Figura 6 - Interface preventiva do sistema SIGMA versão 2007 ............................... 12Figura 7 - Interface OS do sistema SIGMA versão 2007 .......................................... 13Figura 8 - Interface de emissão de OS do sistema SIGMA versão 2007 .................. 14Figura 9 - Interface mão-de-obra do sistema SIGMA versão 2007 ........................... 15Figura 10 - Interface Check List do sistema SIGMA versão 2007 ............................. 16Figura 11 - Gráfico de máquina parada por setor do sistema SIGMA versão 2008 .. 18Figura 12 - Comparativo de intervenções preventivas e corretivas do sistema SIGMA2008 .......................................................................................................................... 18Figura 13 - Gráfico relacionado a quantidade de OS’s geradas por período e porsetor do sistema SIGMA versão 208 ......................................................................... 19Figura 14 - Interface relatórios do sistema SIGMA versão 2007 ............................... 20Figura 15 - Interface custos do sistema SIGMA versão 2007 ................................... 21
  4. 4. SUMÁRIO1 INTRODUÇÃO ...................................................................................................... 1 1.1 Considerações Gerais ...................................................................................... 1 1.2 Objetivos ........................................................................................................... 1 1.2.1 Objetivo geral ............................................................................................... 1 1.2.2 Objetivos específicos .................................................................................... 1 1.3 Estrutura do trabalho ........................................................................................ 22 HISTÓRICO .......................................................................................................... 23 FUNCIONALIDADES DO SISTEMA .................................................................... 5 3.1 Codificação e cadastro de equipamentos ......................................................... 6 3.2 Estoque............................................................................................................. 8 3.3 Modalidades de manutenção oferecidas ........................................................ 10 3.3.1 Preditiva...................................................................................................... 10 3.3.2 Preventiva................................................................................................... 11 3.3.3 Autônoma ................................................................................................... 12 3.3.4 Corretiva ..................................................................................................... 12 3.4 Intervenções ................................................................................................... 13 3.4.1 Ordens de serviço ...................................................................................... 13 3.4.2 Materiais ..................................................................................................... 14 3.4.3 Mão-de-obra ............................................................................................... 15 3.5 Inspeção ......................................................................................................... 15 3.5.1 Check List ................................................................................................... 16 3.6 Formação de histórico .................................................................................... 16 3.7 Análise de desempenho ................................................................................. 17 3.7.1 Gráficos 17 3.7.2 Relatórios ................................................................................................... 19 3.8 Análise de custos ............................................................................................ 204 MÓDULOS DO SISTEMA SIGMA ...................................................................... 21 4.1 SIGMA PMOC ................................................................................................ 22 4.2 SIGMA Help Desk ........................................................................................... 22 4.3 SIGMA Control ................................................................................................ 23 4.4 SIGMA Mail..................................................................................................... 23
  5. 5. 4.5 SIGMA Data Base .......................................................................................... 24 4.6 SIGMA Mobile ................................................................................................. 24 4.7 SIGMA Flow.................................................................................................... 255 UTILIZAÇÃO ...................................................................................................... 25 5.1 Implantação e suporte .................................................................................... 25 5.2 Treinamentos .................................................................................................. 286 VANTAGENS E DESVANTAGENS DA UTILIZAÇÃO....................................... 28 6.1 Vantagens....................................................................................................... 28 6.2 Desvantagens ................................................................................................. 297 CONCLUSÃO ..................................................................................................... 318 BIBLIOGRAFIA .................................................................................................. 32
  6. 6. 11 INTRODUÇÃO1.1 Considerações Gerais O SIGMA (Sistema Gerencial de Manutenção, existente desde 1984) é umdos softwares de manutenção mais utilizado no Brasil devido a sua interfacesimples, sua diversidade de funcionalidades e principalmente por ser gratuito. Osistema proporciona um gerenciamento múltiplo, das mais diversas áreas queenvolvam manutenção, como industrial, veicular, hospitalar, predial, de informática,assistência técnica, entre outras, sendo este gerenciamento realizado através de umúnico programa executável, de forma a estruturar toda parte funcional e industrialrelacionada a manutenção de uma empresa, através de cadastros de históricos dasmanutenções e codificação dos equipamentos. Considerando a alta competitividade empresarial e a crescente necessidadede produzir-se mais em menos tempo, torna-se importante a utilização deferramentas que permitam controlar a manutenção dos equipamentos e maquináriosindustriais a fim de garantir a constante disponibilidade destes, tornado à empresaestável, bem vista frente ao mercado, e diminuindo prejuízos, senso estes últimosmuitas vezes gerados pela indisponibilidade de equipamentos de alto valor agregadoou de grande importância para uma planta industrial. Neste sentido, este trabalho apresenta uma descrição do funcionamento dosoftware SIGMA, suas funcionalidades, aplicações, menus e configurações. Visandoum adequado entendimento desta ferramenta e possível disseminação desta nomeio industrial, de forma a garantir maior qualidade e competitividade (nacional einternacional).1.2 Objetivos1.2.1 Objetivo geral Fazer um estudo introdutório ao Sistema Gerencial de Manutenção - SIGMA,conhecer suas vantagens e desvantagens, de forma a entender a importância de umsistema de controle e planejamento da manutenção para uma empresa ouempreendimento.1.2.2 Objetivos específicos  Apresentar sucintamente as funcionalidades do SIGMA;
  7. 7. 2  Apresentar as funcionalidades e módulos do software;  Identificar os métodos de implantação do sistema;  Apresentar vantagens e desvantagens do SIGMA quando comparado aos demais Sistemas de Gerenciamento de Manutenção existentes no mercado;  Análise os recursos disponíveis no software, suas utilizadas e vantagens.1.3 Estrutura do trabalho Visando um adequado entendimento do tema tratado, o trabalho forasegmentado da seguinte forma: a) Segundo capítulo: Apresenta um histórico do Sistema de Gerenciamento de Manutenção, dês de seu surgimento até a atualidade. b) Terceiro capítulo: Trata sucintamente das funcionalidades do sistema, apresentado alguns de seus menus suas principais funções. c) Quarto capítulo: Os módulos do sistema SIGMA são descritos, juntamente com suas funções, recomendações e vantagens. d) Quinto capítulo: Descreve o procedimento geralmente utilizado para implantação de sistemas de gerenciamento de manutenção em uma empresa e suportes oferecidos de forma a facilitar essa atividade. e) Sexto capítulo: Apresenta as vantagens e desvantagens da utilização deste tipo de sistema para o gerenciamento das atividades de manutenção. f) Oitavo capítulo: Relata as considerações finais relativas ao trabalho considerando objetivos totalmente e parcialmente atingidos.2 HISTÓRICO Em 1984 o Brasil passava por uma época difícil, o regime militar seaproximava do seu final e o país amargava décadas de atrasos tecnológicosjustificados numa intenção de se criar soluções internas próprias, sem vínculos comprodutos importados, que sofriam fortes restrições devido às políticasgovernamentais adotadas. Desta forma as empresas necessitavam urgentemente deferramentas que ajudasse a promover uma maior produção no menor tempopossível, de forma a manter as empresas no mercado.
  8. 8. 3 Em meio a este cenário, o departamento de engenharia da Cia Industrial dePolipropileno (PPH), localiza do Rio Grande do Sul e capitaneada pelo engenheiroFábio Ramos, prospectou no mercado um profissional que reunisse as condiçõesideais para o desenvolvimento de um software. Este software deveria ser capaz decontrolar as ordens de serviços, gerando a manutenção preventiva, suportado porgráficos e relatórios gerenciais que complementassem o conjunto de informaçõesutilizadas na organização para as tomadas de decisões na área. Esta busca resultouem um contrato de parceria e prestação de serviços entre o consultor AbrahãoLincoln S e a empresa em questão. Nesta época, em meio a microcomputadores de baixo desempenho, iniciava-se o que viria a ser uma revolução em termos de software para gerenciamento damanutenção, o SIGMA. Batizado inicialmente com o nome de Sistema Gerencial deManutenção - SGM, desenvolvido inicialmente numa plataforma COBOL, migrandologo após para o DBASE II. O sistema tornou-se um sucesso na indústriapetroquímica e sua linguagem logo se tornou mais moderna (CLIPPER SUMMER87). Esta evolução trouxe benefícios de extrema importância aos engenheiros daPPH, que já ostentava o título de ser a única indústria no Pólo Petroquímico deTriunfo/RS a possuir um sistema gestor da manutenção desenvolvido emmicrocomputador. A partir 1994, a SGM Manutenção Industrial já conquistava muitas indústriasno Estado do Rio Grande do Sul com a distribuição do SIGMA na modalidade paga.Indústrias calçadistas, alimentícias, petroquímicas e metalúrgicas implantaram oSIGMA em suas redes visando o controle da manutenção Industrial. Sempre atento às exigências do mercado, o consultor Abrahão Lima,idealizador do SIGMA, resolveu investir numa mudança radical do sistema. Para arealidade vivenciada naquela época proceder à migração de todos os conceitos emódulos do SIGMA, até então no formato MS-DOS, para o novo padrão Windows,totalmente gráfico, era uma mudança árdua e muito onerosa. As dificuldades seriamgrandes e muitas, iniciando pela definição da linguagem mais aceitável pelomercado, compatibilizando com o banco de dados nativo do SIGMA; a identificação,seleção e contratação de novos programadores especializados na linguagemescolhida, bem como a aquisição de novos microcomputadores dimensionados parao desenvolvimento da nova versão.
  9. 9. 4 Sem nenhum tipo de crédito externo, o consultor Abrahão decidiu por sedesfazer de bens pessoais que possibilitaram a compra dos novos equipamentos eda licença da nova linguagem escolhida, o Delphi 2. Este arrojo exigiu uminvestimento próximo a US$ 50,000 (cinquenta mil dólares), para iniciar odesenvolvimento da nova versão. A virada para o ano 2000 foi marcada por tormentos e precauções quetinham como objetivo evitar as nefastas consequências previstas para aquelefenômeno que ficou conhecido como Bug do Milênio. Neste apagar de um século, oSIGMA acumulava aproximadamente 200 usuários, empresas de grande porte queconfiaram e desembolsaram até US$ 15,000 (quinze mil dólares) pela licença de usodo SIGMA. Mas ainda existia um grande obstáculo que desafiava ser superado. Ofato da aquisição ainda ser extremamente onerosa inviabilizava a utilização destesistema por um grande número de indústrias. Neste cenário, se iniciou, em maio de2000, um processo de negociação com todas as indústrias que adquiriram o SIGMAatravés da modalidade paga, com objetivo de ajustar a distribuição do SIGMA para amodalidade gratuita, sem com isso, criar uma situação de desconforto com asempresas que pagaram pela aquisição da licença do software. Concluídas asnegociações em agosto de 2000, a SGM Manutenção Industrial, que passou autilizar o nome fantasia de "Rede Industrial", lançou para todo Brasil o primeiro, e atéhoje único, software gratuito orientado ao gerenciamento da manutenção, o SIGMA. Em continuidade ao projeto piloto, iniciado em 1994, a Rede Industrialcontinuou sua política de crença absoluta no seu produto e promoveu mais umaporte de capital com a finalidade de desenvolver o seu site para a Internet, hojeacessado pelo domínio www.redeindustrial.com.br. Esta decisão foi fundamentalpara o alcance do SIGMA em todo território nacional através do procedimento dedownload. Como consequência, este site abriu uma janela para o SIGMA perante omundo. A mão-de-obra especializada foi incrementada através da contratação deprofissionais de editoração eletrônica e novos consultores, assumiam a partirdaquele momento a responsabilidade de criação dos manuais do SIGMA, utilizandouma linguagem simplificada. O objetivo principal fora orientar os novos usuários,nem sempre adaptados às expressões mais técnicas do meio, para a operação dosoftware, bem como familiarizá-los aos conceitos da manutenção de classe mundial.Assim sendo, este trabalho resultou na elaboração de quatro novos manuais, que
  10. 10. 5totalizaram mais de 1.000 páginas com informações sobre PCM - Planejamento eControle da Manutenção. A distribuição gratuita de um software dotado da complexidade do SIGMApara uso industrial está contribuindo para que muitos engenheiros, técnicos eprofissionais das mais diversas áreas do conhecimento da gestão possam acessaros melhores conceitos de gestão de manutenção, bem como seus métodos, suasfórmulas e suas técnicas. Todo este processo está contribuindo de forma expressivapara que a melhoria dos padrões de controle da indústria nacional, atuando commais qualidade, promovendo crescimento e desenvolvimento para todo Pais.3 FUNCIONALIDADES DO SISTEMA O sistema SIGMA possui vários módulos que compreendem todas as rotinaspara o gerenciamento de manutenção. Proporciona uma interface onde o usuáriosinta-se a vontade com a utilização, sendo de uma rotina não cansativa (Figura 1). Figura 1 - Interface principal do sistema SIGMA de manutenção (versão 2007). Neste ambiente o usuário será capaz de emitir solicitações de serviço (SS),ordens de serviço (OS), lançar horas trabalhadas, concluir ordens de serviço, lançar
  11. 11. 6tempo de máquinas paradas, fazer o planejamento e a programação demanutenções preventiva, preditiva, lubrificação e calibração, emitir relatórios egráficos gerenciais e acessar os principais indicadores de classe mundial damanutenção como: “Backlog”, “eficiência”, “produtividade”, “confiabilidade”, “TXFO”,“curva da banheira”, “MTTR”, “MTBF”, entre outros. O software permite também um controle de custos gerados na manutençãoe de estoque, sendo possível realizar requisição de materiais, emissão de ordens decompra, controle da rotatividade do estoque e monitorar estes parâmetros atravésda curva ABC. Cada módulo do SIGMA (Equipamentos, Mão-de-Obra, OS, etc) tem umafunção específica onde o objetivo maior é desenvolver uma metodologia de controlee verificação de serviços executados pela manutenção. Sendo assim, com o passardo tempo de utilização do sistema, pode-se visualizar como está à linha evolutiva dosetor de manutenção, mostrando como está o desenvolvimento dos serviços. Osistema pode ser instalado em um computador central, permitindo aos mais diversosusuários da empresa acessar remotamente este sistema.3.1 Codificação e cadastro de equipamentos A atividade de codificar é basicamente representar por meio de um conjuntode símbolos alfanuméricos ou simplesmente números as características dosmateriais ou equipamentos de maneira racional, metódica e clara, para setransformar em linguagem universal na empresa. O primeiro passo para realização deste tipo de atividade é identificar osequipamentos e materiais ordenando-os segundo um plano metódico e sistemático,dando a cada um deles determinado conjunto de caracteres de identificação. Depoisde realizada a identificação do material, o passo subseqüente consiste na atribuiçãode um código representativo aos equipamentos identificados, simbolizando suaidentidade e objetivando o agrupamento em famílias. A atribuição do código visasimplificar as operações na empresa, uma vez que todo um conjunto de dadosdescritivos e individualizadores do material são substituídos por um único símbolorepresentativo. No SIGMA a codificação é feita de forma livre, cabendo à empresa definir amelhor forma para classificar o método de codificação. Uma função interessante
  12. 12. 7presente no software é a ferramenta de tagueamento (identificar e gerar placas eetiquetas de identificação), quando acoplado a uma impressora de placas, de ultimageração, o software tem o diferencial de gerar imprimir etiquetas adesivas comaltíssima aderência e fixação, podendo imprimir em PVC / Alumínio / Aço, conformesua necessidade. Semelhante à codificação, a empresa pode optar pela contrataçãodo serviço de tagueamento, e o mesmo pode ser feito de duas formas: o clienteenvia o arquivo com as informações do que deseja taguear, e as TAGs são geradase enviadas para o mesmo, ou um consultor técnico da Rede Industrial vai até aempresa, levanta os dados necessários, cria os TAGS, os instala e inclui no sistemado cliente. As TAG’s têm por principais funções indicar o ponto de localização de umou mais equipamentos e controlar o histórico de cada equipamento e as mesmaspodem ser cadastradas ou visualizadas no meu “Equipamento” do sistema SIGMA(figura 2). Figura 2 - Interface equipamento do sistema SIGMA versão 2007. Esta interface permite também cadastrar todas as divisões existentes naempresa, processos realizados, famílias de equipamentos existentes, cadastrarconjuntos de sintomas, defeitos, causas e respectivas soluções, bem como detalharas configurações de cada segmento, máquina, TAG ou equipamento. Portanto, estainterface permite tanto individualizar equipamentos e descrever seus componentes,
  13. 13. 8quando agrupá-los em famílias, cadastrando conjuntos que possam compor oconceito de máquina.3.2 Estoque A interface estoque do sistema SIGMA é uma ferramenta de gestão deestoque que facilita a atividade de gerir recursos ociosos possuidores de valoreconômico e destiná-los ao suprimento das necessidades futuras de material, naorganização. Os investimentos não são dirigidos por uma organização somente paraaplicações diretas que produzam lucros, tais como os investimentos em máquinas eem equipamentos destinados ao aumento da produção e, consequentemente, dasvendas. Outros tipos de investimentos, aparentemente, não produzem lucros. Entreestes estão às inversões de capital destinadas a cobrir fatores de risco emcircunstâncias imprevisíveis e de solução imediata. É o caso dos investimentos emestoque, que evitam que se perca dinheiro em situação potencial de risco presente.Por exemplo, na falta de materiais ou de produtos que levam a não realização devendas, a paralisação de fabricação, a descontinuidade das operações ou serviçosetc., além dos custos adicionais e excessivos que, a partir destes fatores, igualam,em importância estratégica e econômica, os investimentos em estoque aosinvestimentos ditos diretos. No SIGMA é possível se organizar por meio de um módulo que permiteavaliar todos os parâmetros relacionados ao estoque, bem como saída, entrada,fornecedores, etc. É uma ferramenta muito eficiente para as atividades degerenciamento e planejamento de estoques. Dentre as ferramentas de estoque acessíveis do sistema, destaca-se a curvaABC, onde o administrador a usa como um parâmetro que informa a necessidade deaquisição de itens - mercadorias ou matérias-primas - essenciais para o controle doestoque, que variam de acordo com a demanda do item.
  14. 14. 9 Figura 3 - Curva ABC. Para um adequando controle de entradas e saídas no sistema, de forma apropiciar posteriormente a realização de balanços contábeis, deve se informar aosistema entradas e saídas de matéria, bem como as devoluções de peças nãoutilizadas nas intervenções, sendo que estas devem estar previamente cadastradasno sistema (figura 4).
  15. 15. 10 Figura 4 - Interface estoque do sistema SIGMA versão 2007. Nesta mesma interface, podem ser realizas as requisições de materiais (RM)para intervenções, cadastrar fornecedores, realizar pedidos de compra, bem comogerar diversos tipos de relatórios para controle de estoque.3.3 Modalidades de manutenção oferecidas3.3.1 Preditiva Para uma empresa de médio a grande porte, onde não há históricoconsiderável acerca dos equipamentos, e para equipamentos de alto valoragregado, mas que não são de suma importância para o processo produtivo ou paragarantir a segurança patrimonial e pessoal, a manutenção preditiva é umaimportante alternativa, pois permite ao usuário determinar o momento de umaintervenção através do monitoramento de variáveis que representam a saúde desteequipamento, comparando-as a valores estabelecidos (alarmes). No módulo de manutenção preventiva é possível elaborar um plano demanutenção de uma máquina, a partir de padrões de medições que envolvemanálises técnicas para tomada de ações (Figura 5).
  16. 16. 11 Figura 5 - Interface preditiva do sistema SIGMA versão 2007. As opções contidas neste módulo permitem ao usuário cadastrar osresultados das inspeções, configurar alarmes, programar inspeções a fim deacompanhar as variáveis selecionadas e emitir ordens de serviço para execução deuma intervenção e analisar graficamente o comportamento das variáveismonitoradas ao longo do tempo.3.3.2 Preventiva Para empresas que possuam um histórico confiável de seus equipamentos epara equipamentos de relativa importância sob os mais diversos aspectos amanutenção preventiva é a mais indicada, sendo esta a mais utilizada em empresasque possuem planos de manutenção. Este módulo permite cadastrar planos de manutenção preventiva de umgrupo de máquinas e a partir destes, gerar ordens de serviço que a manutenção sejarealizada (Figura 6).
  17. 17. 12 Figura 6 - Interface preventiva do sistema SIGMA versão 2007. Considerando as funções básicas deste módulo, estas permitem ao usuáriocadastrar intervenções preventivas, etapas desta intervenção e selecionar a áreaexecutante, programar datas para execução do serviço e gerar ordens de serviçoautomaticamente.3.3.3 Autônoma A manutenção autônoma é um tipo diferenciado de manutenção, contido nosistema SIGMA, que não é controlado pelo sistema. Este tipo de manutenção éexecutado diretamente pelo operador do equipamento, caso este venha a constataralguma anomalia e esteja devidamente treinado para tal intervenção. Este tipo demanutenção é relativamente importante para empresas de pequeno porte eequipamentos mais simples de uma indústria. Durante a execução deste tipo de intervenção o operador do equipamentodeve atender ao Procedimento de Manutenção Autônoma (PMA) e registrar asanomalias encontradas e a forma como estas foram corrigidas em Planilhas deRegistro de Manutenção Autônoma (PRMA) e posteriormente no sistema SIGMA.Caso o operador não esteja devidamente capacitado para executar a manutençãoeste passa a emitir uma Solicitação de Serviço (SS) de manutenção corretiva para oequipamento em questão.3.3.4 Corretiva Apesar das diversas formas e tentativas de evitar manutenções corretivas, afim de aumentar a confiabilidade dos equipamentos, manutenções corretivas nunca
  18. 18. 13deixarão de existir, pois nem todos os fatores que podem levar um equipamento afalha são passíveis de ser considerados nos estudos e predições de falhas. No sistema SIGMA, quando uma anomalia (que comprometa ofuncionamento de um equipamento) é detectada, o observador aciona a manutençãopor meio verbal, e/ou por escrito através de uma SS. Esta última passa a serencaminhada para o gerente/supervisor de manutenção e encaminhada aoprogramador de manutenção, que negocia uma data para o serviço. Na dataprogramada, ou antes, desta, o programador imprime e encaminha a OS aosupervisor de manutenção que distribui as OS’s aos mantenedores competentes. Após execução da manutenção e registro de anomalias atividadesdiferenciadas durante a mesma, as OS devem ser encaminhadas para o supervisorde manutenção para que os apontamentos possam ser registrados no SIGMA.3.4 Intervenções3.4.1 Ordens de serviço Este módulo do sistema permite gerar ordens de serviço e realizar o controlede diversos parâmetros relacionados a esta aplicação, tais como: lançar horastrabalhadas, programar as OS’s lançadas, verificar históricos, etc (Figura 7). Figura 7 - Interface OS do sistema SIGMA versão 2007. Dentre as principais atividades oferecidas por este módulo pode-sevisualizar o histórico das OS geradas no sistema e imprimir relatórios porequipamento, fazer um acompanhamento das pendências de OS filtradas, lançar
  19. 19. 14horas de execução de um serviço solicitado, aprovar SS’s, realizar SS’s, detalhar asetapas para execução de uma OS e gerar OS com base nos dados que alimentaramo sistema SIGMA (Figura 8). Figura 8 - Interface de emissão de OS do sistema SIGMA versão 2007 Esta interface também permite ao usuário programar paradas, cadastrar otempo e duração de uma intervenção, o período no qual esta fora realizada, osrecursos que foram necessários, calcular a disponibilidade de um equipamento emedir o desempenho dos funcionários durante serviço.3.4.2 Materiais Os materiais necessários para a realização de intervenções dos diversostipos podem ser solicitados pelo responsável pela realização da intervenção nainterface estoque do sistema SIGMA. A partir desta solicitação, será verificado se omaterial em questão encontra-se em estoque, caso afirmativo a Requisição deMaterial (RM) é aprovada, do contrário, será gerada uma Ordem de Compra (OC). No momento da retirada de estoque do material requisitado, deve-se darbaixa da peça ou ferramenta em questão, afim de que o software realize um balançode entradas e saídas no cadastro de peças. As peças não utilizadas (sobra) duranteas intervenções podem ser devolvidas ao estoque, sendo que esta atividade deve
  20. 20. 15ser adequadamente informada ao sistema no menu “Devolução de peças” dainterface estoque.3.4.3 Mão-de-obra Este módulo permite o cadastramento de toda a mão-de-obra utilizada emmanutenções. Tal como o controle de disponibilidade, horas extras, escalas detrabalho, realizar o cadastro de ferramentas, etc (Figura 9). Figura 9 - Interface mão-de-obra do sistema SIGMA versão 2007 Esta interface é extremamente completa e permite o controle integral dosfuncionários, atividades, especialidades e horários. Dentre as principais opções,podem-se registrar ausências, funções de cada funcionário, posições hierárquicasdos mesmos, escalas de trabalho, consultar áreas existentes, verificardisponibilidade de mão de obra para a realização de uma intervenção, listas asequipes existentes, consultas as ferramentas existentes na empresa e cadastrarferiados no sistema.3.5 Inspeção As inspeções, atividades estas de grande importância para uma indústria,que visam acompanhar parâmetros, verificar o estado operativo de uma máquina ouequipamento são realizas por meio de uma OS, onde um funcionário capacitadoreceber a função de inspecionar o equipamento, avaliando parâmetros descritos noCheck List.
  21. 21. 163.5.1 Check List Esta interface permite cadastrar informações relativas ao Check List a serrealizado segundo programação pré estabelecida. O Check List permite avaliar ascondições operativas dos equipamentos, bem como fornece parâmetros queindiquem a necessidade de emitir OS (Figura 10). Figura 10 - Interface Check List do sistema SIGMA versão 2007 A partir deste menu o usuário pode cadastrar legendas do Check List,informar condições de geração de uma OS, cadastra itens a serem inspecionados,cadastras e programar Check Lists a serem executadas, pesquisar Check Listspendentes, cadastrar dados de retorno dos Check Lists e gerar relatórios.3.6 Formação de histórico Considerando o histórico é a base para implantação de uma adequadapolítica de manutenção, e que este é uma característica de cada equipamento, opasso inicial para que o mesmo seja formado é a codificação dos mesmos,realizando nesta mesma etapa um cadastramento dos possíveis sintomasapresentados pela máquina e suas causas. Este cadastro inicial pode ser realizadocom base em catálogos de fabricantes (muitos deles citam possíveis defeitos esintomas), ou, para equipamentos antigos, com base no conhecimento do operador.
  22. 22. 17Entretanto, este histórico inicial não é relativamente confiável, o que indica anecessidade da formação de um histórico mais completo acerca de seuequipamento, com base em defeitos detectados no ambiente de trabalho duranteutilização. No sistema SIGMA este cadastro inicial pode ser realizado em conjunto como cadastramento dos equipamentos no menu “Equipamentos” do sistema. Em casode falhas decorrentes de utilização, considerando que estas exigem a emissão deuma OS, durante a confecção deste documento o software automaticamentecomputa a falha do equipamento e armazena esta informação, juntamente com osintoma em histórico. Este mesmo menu (OS) permite acessar o histórico de cadaequipamento e manualmente fazer modificações ou coletar informações. Apósintervenção a OS utilizada durante a manutenção, na qual todas as anomalias foramanotadas retornam responsável pela programação das intervenções de manutençãopara que o mesmo possa informar adequadamente ao software (no menu“Equipamentos”) o sintoma apresentado a correlacioná-lo com a causa detectada.3.7 Análise de desempenho3.7.1 Gráficos Para permitir análises visando melhorar as atividades de manutenção a oaumento da disponibilidade e confiabilidade de equipamentos, torna-se importante ageração de gráficos e relatórios com base nos parâmetros e histórico quealimentaram o SIGMA. Desta forma, atividade e políticas de combate aos problemasde manutenção podem atuar de forma precisa e no lugar certo. Dentre as mais diversas forma de gráficos, oferecidas por este menu está ográfico de máquina parada, onde pode-se verificar a disponibilidade de cadaequipamento de forma individual, visando, como exemplo, identificar qualequipamento está afetando mais significativamente a disponibilidade total de umaplanta industrial (Figura 11).
  23. 23. 18 Figura 11 - Gráfico de máquina parada por setor do sistema SIGMA versão 2008 Outra forma eficaz de verificar a eficiência do plano de manutençãoempregado é através de um gráfico comparativo, gerado pelo sistema, entre onúmero de intervenções preventivas e corretivas realizadas em determinado período(Figura 12). Figura 12 - Comparativo de intervenções preventivas e corretivas do sistema SIGMA 2008
  24. 24. 19 A título de exemplo, de uma análise da Figura 12 pode ser facilmente notadaa existência de uma deficiência no plano de manutenção utilizado considerando,esta conclusão decore do fato de que o número de intervenções corretivas estámuito acima no número de manutenções preventivas, gerando baixa disponibilidadedos equipamentos em análise. Outra forma de avaliar de forma qualitativa a áreaonde estão sendo realizado o maior número de intervenções é através da opçãográfica que relaciona o número de OS’s emitidas em função do período e do setor(Figura 13). Figura 13 - Gráfico relacionado a quantidade de OS’s geradas por período e por setor do sistema SIGMA versão 208 De forma similar, o sistema permite gerar gráficos relacionando a taxa deocupação de cada funcionário por período, permitindo verificar ociosidades edesempenhos.3.7.2 Relatórios Gerar relatórios das atividades realizadas, bem como que análise deixou deser uma atividade adicional para tornar-se uma atividade imprescindível facilitandoreuniões, prestações de contas, bem como justificar posições, políticas, atividades eintervenções a serem realizadas em determinada atividade ou local. O módulo
  25. 25. 20relatórios do sistema SIGMA permite gerar os mais diversos tipos de relatórios,sendo estes relacionados a funcionários da empresa, atividades, desempenho emserviço, etc. (Figura 14). Figura 14 - Interface relatórios do sistema SIGMA versão 2007 A prioridade, dentre os principais tipos de relatórios passiveis de seremgerados estão os relatórios de horas trabalhadas, de serviços realizados em OS, dasOS geradas e realizadas por período, de todos os cadastros realizados no sistema ede ordens de serviço por funcionário executante/participante.3.8 Análise de custos Apesar das atividades visando um aumento da disponibilidade de umaplanta operativa serem de suma importância, estas não podem ser realizas aqualquer custo, portanto torna-se importante incorporar este tipo de controle aosistema de manutenção. O sistema SIGMA apresenta um módulo que permite estetipo de controle de forma adequada (Figura 15).
  26. 26. 21 Figura 15 - Interface custos do sistema SIGMA versão 2007. Este módulo permite avaliar todos os custos envolvidos nas atividades demanutenção da empresa (custos gerais e específicos), gerar relatório para análise,calcular o valor da mão de obra por funcionário, permitindo adicionar horas extras,insalubridade e periculosidade. A interface permite também cadastrar custoscontábeis, pesquisar atividades que geram estes custos, fazer um levantamento daspeças consumidas por intervenção e gerar arquivos de dados contábeis em .txt pararealizar a integração com softwares de contabilidade visando fechar balançosmensais.4 MÓDULOS DO SISTEMA SIGMA Considerando a gama de áreas nas quais o sistema SIGMA tem autonomiade atuar e que cada empreendimento apresente necessidades e forma de trabalhartotalmente diferenciadas, existem, disponíveis no mercado módulos diferenciadospra melhor atender essa diferença de necessidades entre empreendimentos.
  27. 27. 224.1 SIGMA PMOC Este módulo pago incorpora ao sistema SIGMA um vasto banco de dadoscontendo o PMOC – Plano de Manutenção, Operação e Controle, sendo estaimplementação uma exigência da portaria nº 3.523 do Ministério da Saúde de28/08/1998 e da resolução nº 9 da ANVISA de 16/01/2003. Neste banco, é reunido oplanejamento padrão para manutenção, inspeção e controle de todos os itens demanutenção ligados a hotéis, shoppings, condomínios, etc. A execução do PMCO é de alta importância, tendo em vista, por exemplo, aexistência de shoppings e estabelecimentos que não fazem a devida manutençãonos ares-condicionados, provocando a contaminação do ar para clientes e todos quefreqüentam os locais. O mesmo acontece também em hotéis e hospitais que nãorealizam a manutenção básica, seja ela sobre elevadores, caldeiras, torres deresfriamento, etc., colocando em risco a integridade física de todos os presentes ecriando um ambiente propicio a acidentes. O PMOC foi implantado ao sistema SIGMA a fim de munir os profissionaisligados com manutenção predial de informações que facilitem a realização e controlede suas manutenção.4.2 SIGMA Help Desk Entes sistema permite ao usuário controlar serviços e de atividades de formamais eficaz. Este módulo é de distribuição livre e é recomendado para setores deinformática (controlar atendimentos e patrimônios), administrativo (Controlarpendências e serviços), além destas funcionalidades este módulo apresenta tambémferramentas de controle gerencial estatístico, tais como:  Custo total por serviço realizado;  Horas trabalhadas em atendimento por setor, centro de custo ou departamento;  Histórico dos problemas ocorridos por máquina ou setor;  Gráficos estatísticos (horas, quantidade de serviços, custos, etc);  Relatórios de atendimento por setor, máquina, executante, solicitante, etc.  Além destes recursos o SIGMA Help Desk traz os seguintes módulos especiais:
  28. 28. 23  Ferramentas para controle de peças sobressalentes, controle de serviço de terceiros, programação de serviços preventivos (em micros, ar condicionados, extintores, etc.) e o controle automático das horas extras trabalhadas.  Dispositivos especiais que alertam por email ou SMS, as programações e pendências solicitadas, agilizando o atendimento.4.3 SIGMA Control Desenvolvido para auxiliar no gerenciamento da empresa, monitorando aparada de produção. Quando ocorre uma parada de uma ou mais máquinas, atravésdo processamento de dados, o Sigma Control irá emitir imediatamente umcomunicado por diversos meios de informação, entre eles pode-se citar:  Mensagem de SMS - Torpedo via telefone celular;  Alerta Auditivo I - Voz digital através de kit multimídia;  Alerta Auditivo II - Acionado por rádio freqüência;  Alarme Visual - Acionado por dispositivos visuais. Desta maneira, os profissionais devidamente cadastrados no sistema, serãoinformados a respeito da parada de produção, que será monitorada pelo SigmaControl até a sua regularização, sendo este um módulo pago.4.4 SIGMA Mail É um recurso que possibilita ao usuário, via e-mail, realizar operações noSoftware SIGMA e acompanhar o status da manutenção de qualquer lugar comacesso a emails. O funcionamento consiste no envio de um simples e-mail para umacaixa postal pré-definida no software, instalado em seu microcomputador ou noservidor de sua empresa. Ao receber este email, automaticamente o programaprocessa sua solicitação e lhe retorna os dados da informação solicitada, de umaforma muito rápida e simples. Assim você recebe todas as informações que desejarvia e-mail sem necessitar acessar o Sistema. Na prática, o Sigma Mail pode serusado para:  Abertura de SS - Cadastro e alteração cadastral de máquinas, equipamentos, funcionários, Manutenções preventivas, etc;
  29. 29. 24  Impressões diversas de relatórios, gráficos, indicadores de desempenho, informação de serviços pendentes, gráficos gerenciais, relatórios, emissão e cadastramento de manutenção preventiva, preditiva, check-list, extração dos indicadores KPIs da manutenção. - Emissão de alertas para mobilização rápida de um ou mais mantenedores. Enfim, todos os comandos que você executa quando está acessando astelas do SIGMA, você poderá executar também, via email, de qualquer local em ummódulo gratuito. Esta facilidade mudará seus hábitos no que diz respeito ao uso dequalquer software.4.5 SIGMA Data Base É um sistema pago, on-line, que permite a transação de dados no padrãoXLM que tem como objetivo a integração e sincronização do SIGMA entre diferentesestações de trabalho sem necessidade das mesmas estarem em uma mesma redelocal o que proporciona aos usuários a visualização das mesmas informações emlocais de trabalho distintos agilizando assim a troca de informações e dessa formafacilitando a comunicação. O banco on-line opera em três modos possibilitando que o usuário opte pelamaneira que melhor se adapta a sua necessidade, as opções são: modo real-time,tempo configurável e atualização manual.4.6 SIGMA Mobile Este módulo (pago, com valor estimado em R$ 1900,00 por equipamento)consiste na utilização de um netbook com aproximadamente 1 kg e autonomia debateria de 4 horas, que permite ao operador/mecânico acessar todas as informaçõesnecessárias para execução e gestão da manutenção de forma on-line durante umaintervenção/atividade. O equipamento permite visualizar arquivos PDF, imprimir relatórios, acessara rede interna de sua empresa, navegar pela internet, integrar-se via wireless dequalquer local (hotel, aeroporto, shopping, empresas, etc.) e até conectar-se viamodem celular 3G com seu servidor para coleta de novas informações ouatualizações dos serviços realizados. Outra grande vantagem é que para seus serviços de assistência técnicaexterna (manutenção corretiva) em clientes, ou trabalhos de inspeção, check-list,
  30. 30. 25lubrificação, no interior de sua empresa, o Sigma Mobile é uma ferramenta útil, poiselimina totalmente os formulários e relatórios auxiliares descrevendo, em sua tela,todas as rotas, pontos de medição/leitura, peças a serem utilizadas, com fotos eimagens do projeto em formato PDF.4.7 SIGMA Flow Criado para gerar fluxos e organogramas, este software possibilita umamelhor organização diária das atividades, tanto pessoal como profissional, emqualquer setor. Ideal para estudantes, professores e profissionais de diversas áreas,sendo este módulo de distribuição gratuita.5 UTILIZAÇÃO5.1 Implantação e suporte Para implantação do SIGMA basta apenas ter acessível um servidorplataforma Windows ou Linux, com espaço em disco de no mínimo 200 MBYTE paraarmazenamento dos arquivos. A implantação é flexível conforme sua disponibilidadede pessoal na empresa, porém, o fabricante dispõe de um programa de que realizapasso-a-passo a implantação do sistema. Vale lembrar de que todas as despesascom deslocamento dos treinadores serão por conta de sua empresa, o que nos levaa concluir que utilizando o SIGMA, a empresa não terá custo com pagamento dosoftware, terá apenas custos relacionados com a mão de obra contratada paratreinamento, implementações, etc. Estes custos variam a proporção na qual suaempresa irá contratar os serviços da Rede Industrial, que é única produtora dosoftware. É importante resaltar que existem centenas de empresas que utilizam oSIGMA, de forma anônima, sem solicitar nenhum tipo de serviço, mesmo nestescasos, o software deve funcionar perfeitamente e a garantia de assistência técnica égratuita para todos os usuários, porém para desfrutar com eficácia de todos osrecursos oferecidos pelo software a idéia da contratação de serviços é interessantee o contrato da assessoria fica a critério da empresa podendo optar por diferentesplanos: TABELA 1 - PLANOS DE IMPLANTAÇÃO DO SIGMA. Plano Preço/mês Inclui
  31. 31. 26Básico R$ 650,00 Treinamento, atualizações e suporte técnico. R$ Treinamento, atualizações, suporte técnico, e consultoria técnica.Master 1050,00 R$ Treinamento, atualizações, suporte técnico, consultoria técnica e VIP 1.800,00 implementações do SIGMA. VIP R$ Treinamento, atualizações, suporte técnico, consultoria técnica, Filiais 2.500,00 implementações do SIGMA em todas as unidades. Ao contratar os Planos de Manutenção, a empresa interessada deve entrarem contado diretamente com os desenvolvedores do sistema SIGMA de forma aeliminar dúvidas e aprimorar o grau de conhecimento acerca do software. Segundo uma sistemática estabelecida pelo próprio fabricante do sistema(Rede Industrial), sendo esta recomendada e utilizada pelo mesmo em atividades deimplantação, os passos a serem realizados de forma cronológica para obter sucessona implantação seriam:  Elaboração de um cronograma de implantação e metas para conclusão do processo;  Definição de uma estrutura macro industrial e cadastramento de todos os equipamentos na estrutura SIGMA;  Conversão de dados já existentes em outros bancos de dados para o SIGMA;  Instalação do SIGMA em rede e nos micros-clientes envolvidos no processo;  Digitação dos dados referentes à estrutura funcional da empresa;  Levantamento de dados de catálogos de fabricantes e cadastramento dos mesmos no SIGMA;  Reuniões e treinamentos de todos os mantenedores (executantes) visando o uso eficaz do sistema;  Ajustes e customização do sistema para adequar o mesmo as normas da empresa;  Reuniões com os departamentos envolvidos a fim de dirimir questões técnicas e operacionais.
  32. 32. 27 Considerando a necessidade de formação de um histórico relativo aosequipamentos da empresa, é previsto em média o tempo de 6 meses a 1 ano para autilização completa do SIGMA em uma empresa com até 300 equipamentos aserem controlados. Para tanto é necessário que a empresa possa disponibilizar deno mínimo um funcionário, com dedicação exclusiva para: 1. Cadastramento de todos os dados de equipamentos, manutenções programadas, etc.; 2. Administração e gerenciamento do software; 3. Disseminação dos conceitos e procedimentos operacionais para o uso do software por parte dos demais funcionários; 4. Emissão das ordens de serviços programadas/sistemáticas e geração de relatórios. Além da dedicação exclusiva é importante que o funcionário possuaformação técnica ou nível superior e que o mesmo tenha conhecimento das rotinasoperacionais de sua empresa. Dentre os equipamentos necessários para implantação do SIGMA, emfunção das atividades a serem realizadas estão: 1. Abertura de SS - Solicitação de Serviço: Microcomputador com no mínimo 128 MBytes RAM , Velocidade 800 Mhz, acesso à internet e espaço em disco de 500 k. 2. Operação do PCM - Geração de gráficos, relatórios, etc.: Microcomputador com no mínimo 512 MBytes RAM, Velocidade 1.8 Ghz, Acesso à internet, Espaço em disco de 500 k e impressora a laser para impressão de relatórios. 3. Geração e especificação para alocação de banco de dados e executáveis: Um microcomputador com no mínimo 512 MByte RAM, Velocidade 1.8 Ghz, acesso à internet (se optar por abertura via web), espaço em disco de 5 GBytes e placa de rede. Para empresas com intenção de implantação do sistema torna-seimprescindível a utilização de um contrato onde estejam especificadas todas asatividades a serem realizadas pela empresa prestadora de suporte, sendo esta aforma mais econômica de implantação, pois garante o total compromisso de sucesso
  33. 33. 28no projeto, por conta da contratada, caso contrário o dinheiro gasto pelacontratamente será estornado.5.2 Treinamentos A empresa detentora do sistema SIGMA (Rede Industrial) e fornecedora desuporte relacionado a este sistema oferece diversos tipos de treinamentos voltadosà área de gestão da manutenção. Os treinamentos são realizados semanalmente, anível nacional e geralmente acorrem em parceira com unidades do SENAI da cidadeem questão (tabela 2). TABELA 2: ALGUNS CURSOS OFERECIDOS PELA EMPRESA REDE INDUSTRIAL. Curso Custo (R$) Duração (h) Implantação do sistema SIGMA 1500,00 16 PCM Industrial Utilizando o SIGMA 990,00 16 Formação de Planejadores da Manutenção 2800,00 40 Além da agenda de cursos regulares, a Rede Industrial oferece cursospersonalizados (caso requisitada) para atender as necessidades de uma empresaem específico. Nestes, assuntos ligados à área de gestão da manutenção poderão,de acordo com a necessidade, ter maior ou menor aprofundamento, tornando ocurso mais objetivo e produtivo.6 VANTAGENS E DESVANTAGENS DA UTILIZAÇÃO6.1 Vantagens O software de gestão de manutenção pode ajudar os gestores a assegurar aalta qualidade de produtos, alta disponibilidade, confiabilidade e desempenho deequipamentos. Sendo assim o software de gestão de manutenção não é somenteum meio de controle da manutenção, mais indiretamente torna-se uma ferramentade melhoria da produtividade. Dentre as vantagens oferecidas a uma empresa quevenha a adotar esse sistema estão:
  34. 34. 29  Aumento da produtividade da planta;  Aumento da disponibilidade dos equipamentos;  Maior desempenho dos equipamento;  Maior durabilidade dos mesmos. O beneficio que realmente interessa para a empresa é o aumento daprodutividade, pois isto terá impacto direto sobre a área financeira desta. Dentre as vantagens oferecidas pelo sistema SIGMA, quando comparado aoutros softwares de gerenciamento de manutenção do mercado, estão:  É um software gratuito;  O sistema é atualizado anualmente de forma a atender as mudanças no meio empresarial;  Possui suporte disponível para atender as necessidades de sua empresa;  Apresentam módulos que permitem flexibilizar o sistema de forma a atender as necessidades especificas de determinado empreendimento. Dentre os benefícios secundários oriundo da utilização do sistema estão:  Redução das horas extras;  Redução de burocracias;  Redução de atrasos nas intervenções;  Redução custos de manutenção;  Transformação adequada de dados em informações. Uma das grandes dificuldades encontradas dentro das empresas atualmenteé manter atualizado o histórico de serviços realizados, pois muitas pessoasacreditam que não há necessidade de descrever serviços realizados com todos osdetalhes. Isso gera uma enorme perda de dados ao longo do processo. Essasperdas somente serão tomadas como importantes quando houver a necessidade derealização de pesquisas (com a utilização de filtros) e as mesmas não fornecerem osresultados desejados.6.2 Desvantagens Apesar de o sistema SIGMA ser uma grande ferramenta na gestão demanutenção, ele também apresenta algumas deficiências. Dentre as dificuldadesencontradas pelos usuários, a principal, é a dificuldade de instalação do software,
  35. 35. 30sendo ao assistente de instalação não amigável. Outro fator a ser considerado é queeste sistema fora desenvolvido para instalação em servidores com plataforma MS-DOS e o mesmo necessita receber uma indicação de localização de banco de dadospara funcionamento. O software, apesar de livre, não apresenta uma interface amigável, o queexige certo treinamento para os usuários. Este treinamento, oferecido pelo suporteda empresa Rede Industrial é pago individualmente (por curso) ou commensalidades, tornando a empresa associada. Portanto, listando as desvantagensencontradas na utilização deste sistema, têm-se:  Interface pouco amigável;  Dificuldade de instalação;  Incompatibilidades com sistema operacionais;
  36. 36. 317 CONCLUSÃO O Brasil está passando por um processo de inclusão no moderno processotecnológico, com isso, as indústrias devem se adequar e estão em ritmo aceleradode mudanças, para se adaptar ao mercado competitivo. Em processos e linhas deprodução, geralmente muito dinâmicos e de grande demanda, a flexibilidade edisponibilidade do processo devem ser cada vez maiores. Diante disso se percebe aimportância do desenvolvimento da área de controle de planejamento damanutenção. Perante o estudo realizado acerca do sistema SIGMA, pode-se entenderadequadamente como o sistema funciona, bem como cabe considerar que osoftware se destaca como uma excelente ferramenta que garante fácil domínio detodos os parâmetros envolvidos no controle de planejamento da manutenção,através de sua diversidade de funcionalidades e módulos. Do ponto de vista do programa TPM (Total Productive Maintenance), que éum programa de gerenciamento de manutenção eficaz perante o atual cenárioindustrial, o sistema SIGMA, através de técnicas básicas e simples, pode atingir osmesmo resultados.
  37. 37. 328 BIBLIOGRAFIA[1] SIGMA 2007, "Guia Rápido de Utilização", Software de gerenciamento demanutenção.[2] SIGMA 2007, "Help", Software de gerenciamento de manutenção.[3] Rede Industrial, <http://www.redeindustrial.com.br/site/inicial.aspx>, Acesso em29/05/2011.[4] ARAÚJO, J. S. de. Almoxarifados: administração e organização. São Paulo:Atlas, 1981.[5] BALLOU, R. H. Logística empresarial: transportes, administração de materiais edistribuição. São Paulo: Atlas, 1993.

×