Micologia

6,499 views

Published on

Slide sobre fungos e doenças causadas por eles. Inclui diagnóstico e tratamento.

Published in: Health & Medicine

Micologia

  1. 1. MICOLOGIA
  2. 2. • Organismos heterotróficos, eucariontes, uni oupluricelulares.• 70.000 espécies identificadas.• 1,5 milhão de espécies estimadas.• Juntamente com as bactérias, são os principaisdecompositores da biosfera.• Reciclagem da matéria orgânica, necessária àsobrevivência dos produtores.ASPECTOS GERAIS
  3. 3. • Ainda há uma grande controvérsia em relação aclassificação dos fungos, apesar de sercomprovado, que sua genética está mais próxima daanimal que da vegetal, existem estudiosos, quediscordam deste posicionamento. Hoje, os fungos sãoclassificados integrantes de seu próprio reino, o reinoFungi.• Tais organismos tem como principais característicasserem eucarióticos, heterotróficos por absorção, eaeróbios ou anaeróbios facultativos, e a maioriradeles, possuem parece celular constituída de quitina.• Apesar de haver muitas controvérsias em relação aclassificação dos fungos, existe uma classificaçãogeral.CLASSIFICAÇÃO
  4. 4. Filo Chytridiomycota• Com cerca de 790 espécies• Apresentam-se como organismos uni oumulticelulares, apresentam flagelos em algummomento de seu ciclo de vida, também chamados demastigomicetos.• São típicos de ambientes aquáticos e apresentamaspecto gelatinoso, podem se assemelhar a amebasdurante alguns estágios de seu ciclo de vida. Algunsestudiosos os enquadra no reino protoctista.
  5. 5. Filo Zygomycota• Com cerca de 1000 espécies• Apresentam-se em organismos multicelulares e nãopossuem corpos de frutificação.• Sua hifas são preenchidas por citoplasma repleto denúcleos: chamadas hifas cenocíticas.• Seus esporos são denominados zigósporos, e sereproduzem assexuadamente com mais freqüência.
  6. 6. Filo Ascomycota• Com cerca de 32,000 espécies• São uni ou multicelulares formam estruturasreprodutivas sexuadas, conhecidas comoascos, incluem diversos tipos de bolores, astrufas, leveduras.• Este é o filo que possui o maior numero de espécies.
  7. 7. Filo Basidiomycota• Com cerca de 22,000 espécies• Estes apresentam reprodução sexuada.• Este grupo inclui os cogumelos, orelhas de pau, asferrugens e carvões, os 2 ultimos causam doença emplantas.
  8. 8. Filo Deuteromycota• São chamados de fungos conidiais , que já foramconhecidos como fungos imperfeitos, eles não seenquadram em nenhum dos anteriores citados.• Em muitos destes fungos a fase sexuada não éconhecida ou pode ter sido perdida com o decorrer doseu processo evolutivo.• A esse grupo pertecem diversas espécies de Penicillium( entrem as quais que produzem penicilina) eAspergillus, esta segunda, há espécies que produzemtoxinas cancerígenas. O pé de atleta, é provocado porum fungo deste filo.
  9. 9. • Assexuada– Mitose– Fungos Anamorfos• Sexuada– Meiose– Fungos TelemorfosREPLICAÇÃO FÚNGICA
  10. 10. • Conídios– Produzidos pelas hifas aéreas– Facilmente carregados pelo ar– Disseminação do fungoREPLICAÇÃO FÚNGICA
  11. 11. Micoses superficiais• As micoses superficiais compreendem as infecçõesfúngicas que atingem pele,pelos,unhas e mucosas.PATOLOGIATipos de micoses superficiais:• Micoses superficiais estritas• Dermafitoses• Leveduroses• Hialo-hifomicoses e feo-hifomicoses
  12. 12. Micoses superficiais estritas:• Caracterizam-se por lesões nodulares de pelos oumancha na pele,na maioria das vezes não produzemresposta inflamatória ao hospedeiro.PATOLOGIA
  13. 13. Pitiriase• Assintomática,lesões hipo ou hiperpegmentadas,localizadasno tórax,abdomem,pescoço e face.• Agente: espécies do gênero Malassemia• Fatores: predisposição genética,estado nutricional,acumulo deglicogênio extracelular,o fungo interfere na produção demelanina.
  14. 14. Tinea Nigra• Assintomática, localizada na palma das mãos ou dospés, aparecimento de manchas escuras de aspecto fuliginoso• Agente: Phaeoannellomyces wernwckii e Stenella araguataPiedras• Presença de nódulos irregulares aderentes aos pelos. Doistipos:o Piedra branca: leveduras do gênero Trichosporon,nódulosclaros e pouco aderentes,pelos escrotais e pubianoso Pidras negras:causada pelo Piedraia hortae,nódulos decor escura,duros,e muito aderentes,localiza no cabelo.
  15. 15. Dermafitoses:• Micoses da pele,pelos e unhas causadas pó um grupode fungos,os dermatófitos,que tem predileção pelaqueratina humana e animal.• No pelo eles atacam a camada superficial, avançandoate o folículo piloso,o pelo perde o brilho,fica quebradiçoe cai.• Na pele causam lesão com propagaçãoradial,circulares,bem delimitadas,um centrodescamativo e bordos eritematosos.• Na unha a infecção se inicia pela borda podendo atingira superfície e a área subungueal(por baixo),elas ficamquebradiças,branco-amareladas e porosas.PATOLOGIA
  16. 16. Leveduroses• São produzidas principalmente por leveduras do gênerocândida e podem atingir mucosas,pele e unhas.• Na pele,leões úmidas,esbranquiçadas ouavermelhadas,de bordos descamativos.• Na unha apresenta-se sembrilho,espessada,endurecida,com coloração escura• Nas mucosas lesões esbranquiçadas,com baseavermelhada úmida,após sua remoção pode serverificada.PATOLOGIAHialo-hifomicoses e feo-hifomicoses• Fungos filamentosos, não dermatófitos, encontrados nosolo ou planta,que também causam infecções na peleou unha,respectivamente.
  17. 17. Micoses Subcutâneas• Os agentes de micoses subcutâneas vivem em estadosaprofítico no solo,nos vegetais e nos animais,e sãoparasitas acidentais do homem e dos animais,que seinfectam por ocasião de um traumatismo na pele,commaterial contaminado.• As micoses se localizam na pele e no tecidosubcutâneo.PATOLOGIA
  18. 18. Esporocitose• Agente: Sporothrix schenckii• Forma clinica: depende do local de penetração domicroorganismo e da resposta do hospedeiro,a forma maiscomum é a linfocutanea,que compromete pele,tecidosubcutâneo e gânglio linfáticos da região,forma-se uma lesãoulcerada,aparecem nódulos que amolecem e rompem-seeliminando pus• Fatores predisponentes: desnutrição,hipersensibilidadeindividual e alterações patológicas.
  19. 19. Cromoblastomicose• Agente etiológico: família Dermaticea• Forma clinica: formação de nódulos cutâneos verrugosos dedesenvolvimento lentoFeo-hifomicose• Agente etiolofico: fungos oportunistas,parasitas ou patogenosde plantas
  20. 20. Eumicetomas• Agente patológico de fungos: formam no tecido emaranhadode filamentos ou hifas conhecidos como grãos ou drusas.• Infecção: tumefação glomerulosa,com formação deabscessos,fistula e eliminação de grãos.• Local: pés,pernas e braços,ondeo fungo penetra por traumatismo,pode lesar ossos.Lobomicose• Agente: Lacazia loboi• Forma clinica: lesões isoladas oudisseminadas na pele e nos tecidossubcutâneos, o fungo penetra na pelepor traumatismos.
  21. 21. Micoses sistêmicas• Micoses sistêmicas são infecções causadas por fungospatogênicos primários e que têm como porta deentrada o trato respiratório, donde podem disseminarpara todo o organismo.PATOLOGIA
  22. 22. Paracoccidioidomicose• Causada pelo agente paracoccidioides brasiliensis• Conhecida como blastomicose sul-americana, micose de lutz-splendore-almeida.• Resultante de uma inalação de estruturas do fungo, como dareativação de alguma infecção preexistente.• O pulmão é um dos órgãos mais atingidos, seguido pelamucosa da boca.• A manifestação grave é representada pela paracoccidioides“tipo junvenil”.
  23. 23. Coccidioidomicose• Causada pelo agente coccidioides immitis, fungo sapróbio dosolo, preferencialmente de área desérticas e semidesérticas.• A infecção ocorre pela inalação deartroconídeos , transportados pelas viasaéreas, frequentemente assintomática.• Nos pulmões aparecem esférulas de parede grossas, contendoinúmeras endósporos globosos e irregulares. A ruptura dasesférulas libera os endósporos que desenvolvem novasesférulas continuando o ciclo.• Em aproximadamente 40% das pessoasinfectadas, desenvolve-se pneumonia aguda com pleurisia.
  24. 24. Blastomicose• Causada pelo agente blastomyces dermatidis, fungodimórfico.• Nos tecidos, desenvolve sob a forma leveduriformeunibrotante e na temperatura ambiente se encontra sob aforma de miceliana.• Sua forma sexuada : ajellomyces dermatidis, classificadocomo ascomycota.• A infecção inicia-se nos pulmões, após inalação dospropágulos, disseminando pelos ossos e pele. Oaparecimento lesões cutâneas primárias sugere a introduçãodo fungo por traumatismo.• Apresenta sintomatologia compatível comtuberculose, gripe, pneumonia ou carcinoma.
  25. 25. Histoplamose• Causada pelo agente histoplasma capsulatum var.Capsulatum, fungo dimórfico, apresentando vida livre a fasede bolor e a fase parasitária de levedura.• Sua forma sexuada ajellomyces capsulatum.• A infecção inicia-se nos pulmões. Inicialmente os sintomassão subclínicos, assintomáticos ou como sintomas de infecçãoviral. Podem gerar sequelas como calcificações residuaisnodulares no pulmão semelhantes ao que ocorre natuberculose.• Sua principal característica é ser um parasita quase exclusivodo citoplasma das células do sistema retículo endotelial. Nointerior dessas células fagocíticas observam-se na forma deleveduras redondas ou ovais.
  26. 26. Criptococose• Causada pelo agente cryptococcus neoformans. Em vidaparasitária desenvolve sob a forma de levedura, capsulada ealgumas vezes com brotamento.• Sua forma sexuada: filobasidiella neoformans.• É uma infecção oportunista , porém existem indivíduos nãoimunocomprometidos.• O fungo inalado atinge primeiramente os pulmões, comtropismo para o snc, ocasionando meningite criptocócica.
  27. 27. Micoses oportunistas• São infecções causadas por fungos de baixavirulência, mas ao encontrar condições favoráveiscomo disturbios do sistema imunológico, desenvolvempoder patogênico.PATOLOGIA
  28. 28. Candidíase• Causada principalmente pelo agente candidaalbicans, também denominada candidose.• A maior parte das infecções causadas por c. Albicans é deorigem endógena.• O fungo tem poder invasivo em pacientes debilitados pelotratamento com antibióticos e drogas imunossupressoras eem doenças crônicas.• A candidíase da mucosa oral é caracterizada peloaparecimento de placas brancas, isoladas ouconfluentes, aderentes a mucosa, com aspectomembranoso, as vezes rodeada com halo eritematoso.• Na mucosa vaginal as lesões se assemelham as da boca. Nohomem ela é comumente adquirida sexualmente.• A candidíase sistêmica é grave. São encontradas em diversosórgãos como: rins, pulmões, coração, cérebro trato digestivoe sangue.
  29. 29. Zigomicoses• Causada pelo gênero zygomycetes.• Possuem habitat natural no solo, vegetais em decomposição eágua.• São filamentosos, possui hifas largas, não septadas ou comseptos muitos distantes um dos outros.• Existem duas entidades clínicas causadas pela zigomicose:mucormicoses e entomoftoromicoses.Mucormicoses• São infecções de curso rápido, em grande parte fatal.• Causada por fungos da ordem mucorales.• As infecções podem se localizar nos seios paranasais e nocérebro, nos pulmões e em outros órgãos.• A principal característica é a invasão dos vasos sanguíneospor hifas do fungo responsável pela infecção.
  30. 30. Entomoftoromicose• São micoses crônicas causadaspor fungos da ordementomophthorales.• Causada pelos agentesconidiobolus coronatus ebasidiobolus ranarum.• Possuem habitat o solo, vegetaise insetos.• Conidiobolus coronatus causainfecção nasal, denominadarinoentomoftoromicose, quepode se estender até a face e afaringe.• Basidiobolus ranarum éencontrado no intestino derépteis, anfíbios e vegetais emdecomposição. A infecção écaracterizada pela formação denódulos subcutâneos.
  31. 31. Aspergiloses• Causada por diferentes espécies do gênero aspergillus.• Seu habitat é o solo, o ar, plantas, material orgânico dentreoutros.• A infecção pode localizar-se nos pulmões, ouvidos, snc, nosolhos e em outros órgãos.• Geralmente é diagnosticada em indivíduosimunodeprimidos, debilitados ou em tratamento com drogasimunossupressoras.• O fungo instala-se na superfície dos brônquios, cujo pacienteapresenta uma bronquite.Tricosporonoses• As espécies de trichosporon se caracterizam por apresentarhifas, pseudo-hifas, blastoconídeos e artroconídeos comcaracterísticas variáveis.• Em sua parede celular o microorganismo expressaglucanoxilomanana (gxm), que é antigênica.• Cateteres vasculares e o trato gastrointestinal são as portasde entradas mais comuns do microorganismo.
  32. 32. Micoses oculares• As micoses oculares localizam-se nos canais lacrimais, naconjuntiva ocular, na camada córnea e intraocularmente.• As mais relevantes são restritas a camada córnea e regiãointra-ocular.• Os agentes etiológicos são aspergillus spp., fusariumspp., cephalosprium spp., curvularia spp., penicillium spp. Ec. Albicans.• Possuem habitat o solo e fragmentos de vegetais.Otomicoses• Geralmente é uma infecção subaguda ou crônicacaracterizada por uma inflamação exsudativa e prurido doconduto auditivo externo.• A umidade e o calor são considerados fatorespredisponentes.• Causada pelo agente aspergillus níger.
  33. 33. • Raspado de pele clareado com KOH• Exame diretoDIAGNÓSTICO LABORATORIAL
  34. 34. • A maioria dos fármacosantifúngicos convencionaisatua sobre a membranaplasmática dofungo, interferindo, emgrande parte das vezes, nometabolismo do ergosterol.TRATAMENTO
  35. 35. ANFOTERICINA• A anfotericina é um antibiótico macrolídeo de estruturacomplexa, caracterizado por um anel de átomos de carbono commúltiplos membros. A anfotericina B persiste como o agente maiseficaz para infecções fúngicas sistêmicas.NISTATINA• A nistatina é um antibiótico macrolídeo poliênico de estruturasemelhante à da anfotericina e com o mesmo mecanismo de ação.Praticamente não ocorre nenhuma absorção pelas mucosas docorpo ou a partir da pele, e seu uso limita-se a infecções fúngicasda pele e do trato gastrintestinal.TRATAMENTO
  36. 36. FLUCITOSINA• A flucitosina é um agente antifúngico sintético que, quandoadministrada por via oral, mostra-se ativa contra uma gamalimitada de infecções fúngicas sistêmicas, sendo principalmenteeficaz naquelas causadas por leveduras.• Quando administrada isoladamente, é comum o desenvolvimentode resistência à droga durante o tratamento, razão pela qualcostuma ser associada com anfotericina para infecçõesgraves, como a meningite criptocócica.GRISEOFULVINA• A griseofulvina é derivada do Penicilinum griseofulvum e inibe amitose dos fungos através de sua ligação à tubulina e a umaproteína associada aos microtúbulos, rompendo, assim, aorganização do fuso mitótico.• A associação prolongada da griseofulvina com a queratina permiteo novo crescimento da pele, dos cabelos ou das unhas livres deinfecção por dermatófitos.• O fármaco não é efetivo contra leveduras e contra fungosdimóricos.TRATAMENTO
  37. 37. AZÓISOs azóis constituem um grupo de agentes fungistáticossintéticos, com amplo espectro de atividade.a) Cetoconazol:• O cetoconazol foi o primeiro azol a ser administrado por via oral notratamento das infecções fúngicas sistêmicas. Mostra-se eficazcontra vários tipos diferentes de fungos todavia, é tóxico.b) Fluconazol:• Atinge altas concentrações no líquido cefalorraquidiano e líquidosoculares, podendo tornar-se o fármaco de primeira escolha namaioria dos tipos de meningite fúngica. São também alcançadasconcentrações fungicidas no tecido vaginal, saliva, pele e unhasc) Itraconazol:• O itraconazol é administrado por via oral e, após absorção, sofreextenso metabolismo hepático. Não penetra no líquidocefalorraquidiano.TRATAMENTO
  38. 38. d) Miconazol:• O miconazol é administrado por via oral para o tratamento dasinfecções do trato gastrintestinal. Atinge concentraçõesterapêuticas no osso, nas articulações e no tecido pulmonar, masnão no SNC. Mais comunmente, este fármaco é utilizado para usotópico contra fungos patogênicos e oportunistas.e) Clotrimazol, econazol, tioconazol e sulconazol:• Esses fármacos são angentes antifúngicos azóis utilizados apenaspara aplicação tópica. O clotrimazol interfere no transporte deaminoácidos para o interior do microrgnismo através de uma açãosobre a membrana celular. Mostra-se ativo contra uma amplavariedade de fungos, incluindo microrganismo do gênero Cândida.TRATAMENTO
  39. 39. TERBINAFINA• A terbinafina é um composto fungicida ceratinofílico altamentelipofílico, que exibe atividade contra uma ampla variedade depatógenos cutâneos.ECHINOCANDINAS:• As enchinocandinas constituem a classe mais nova de agentesantifúngicos. Trata-se de grandes peptídeos cíclicos ligados a umácido graxo de cadeia longa. A caspofungina, a micafungina e aanidulafungina são os fármacos aprovados nessa categoria deantifúngicos. A caspofungina é apenas disponível numa formaintravenosa.TRATAMENTO
  40. 40. OBRIGADO

×