Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Posicionamento e oclusão dental

56,579 views

Published on

Posicionamento e oclusão dental

  1. 1. Universidade Estadual de Feira de Santana Departamento de Saúde Curso: Odontologia Componente curricular: Estudos Integrados VIII Docentes: Carlos Rodrigues, Heron Matos e Lucciano Brandão Discentes: Amanda Almeida, Eliane Góes, Jamille Oliveira, Karen Novaes, Karine Sanches, Leila Santiago, Maria Lúcia e Thiara Cerqueira
  2. 2. • Complexo de forças multidirecionais • Desde a erupção Musculatura circundante Forças opostas em equilibrio (OKESON,1992)
  3. 3. • Vestibuloversão: dentes em posição mais vestibular; • Linguoversão: dentes na posição mais lingual; • OBS: se não houver espaço adequado as forças geram o “apinhamento”. (OKESON,1992)
  4. 4. • Deglutição Normal: Porção anterior da língua vai para frente e pressiona a porção anterior do palato duro Atípica: A lingua é colocada para frente e pressiona a porção palatina dos dentes superiores anteriores As forças não se igualam e os dentes se deslocam vestibularmente e abrem-se (OKESON,1992)
  5. 5. • Contato proximal: ajuda a manter o alinhamento normal Como resposta: deslocamento mesial,que ajuda a manter o contato entre os dentes adjacentes,estabilizando a arcada Fatores que podem alterar o equilíbrio dentário Ausência do Ponto de contato proximal Falta de contato oclusal(o bom contato oclusal evita a extrusão dentária) Perda de elemento dentário(perda da estabilidade do arco dentário) (OKESON,1992)
  6. 6. • O alinhamento intra arcadas refere-se ao relacionamento dos dentes entre si na arcada dental Quando o plano de oclusão é examinado fica claro que ele não é plano. (OKESON,1992)
  7. 7. VISTA LATERAL Na arcada inferior tanto os dentes anteriores quanto os posteriores se direcionam mesialmente O segundo e o terceiro molares são mais inclinados do que os pré molares OKESON,1992
  8. 8. VISTA LATERAL Na arcada superior os dentes anteriores geralmente se direcionam mesialmente, com os molares mais posteriores estando direcionados para a distal. OKESON,1992
  9. 9. VISTA LATERAL • Linha imaginaria traçada lateralmente através das pontas de cúspides dos dentes posteriores • Forma-se uma linha curva convexa em relação à maxila e côncava em relação a mandibula • Estas linhas se encaixam perfeitamente em oclusão OKESON,1992
  10. 10. VISTA FRONTAL • Arcada superior: dentes posteriores mais vestibularizados • Arcada inferior: dentes posteriores com colocação levemente lingual OKESON,1992
  11. 11. Linha traçada através das pontas das cúspides vestibulares e linguais de ambos os lados dos dentes posteriores VISTA FRONTAL OKESON,1992
  12. 12. Área entre ponta de cúspides V e L Área onde a maioria das forças de mastigação são aplicadas Desde a ponta das cúspides até a fossa central ou superfície V e L VISTA OCLUSAL OKESON,1992
  13. 13. Relação dos dentes de uma arcada Antagonista Os dentes maxilares e mandibulares se ocluem numa maneira exata e precisa Quando duas arcadas se contatam a relação oclusal dos dentes é estabelecida (OKESON,1992)
  14. 14. Comprimento da arcada mandibular < Comprimento da arcada maxilar Largura da arcada Mandibular < Largura da arcada maxilar (OKESON,1992)
  15. 15. Relação normal de oclusão dos posteriores Cúspides vestibulares inferiores Cúspides palatinas dos superiores fossa central dos superiores fossa central dos inferiores (OKESON,1992)
  16. 16. Mordida cruzada Cúspides linguais inferiores cúspides vestibulares superiores Fossa central dos superiores fossa central dos inferiores (OKESON,1992)
  17. 17. Cúspides cêntricas ou de suporte • Responsáveis pela manutenção da distância entre maxila e mandíbula • Papel importante na mastigação • São amplas e arredondadas (OKESON,1992)
  18. 18. Cúspides de balanceio ou não funcionais • São pontiagudas e bem definidas • Minimizam o impacto no tecido • Proporcionam estabilidade à mandíbula • Direcionam a mandíbula nos movimentos de lateralidade , fechamento e abertura • Controlam a mastigação (OKESON,1992)
  19. 19. Aspectos característicos das arcadas dentais na posição oclusal: 1. Linha imaginária traçada sobre extremidades das cúspides vestibulares dos dentes inferiores posteriores Linha BUCO-OCLUSAL (B-O)  Revela forma geral da arcada  Demarca aspectos interiores e exteriores das cúspides vestibulares
  20. 20. 2. Linha imaginária estendida nas cúspides linguais dos dentes superiores posteriores Linha LÍNGUO-OCLUSAL (L-O)  Revela forma geral da arcada  Demarca aspectos interiores e exteriores das cúspides cêntricas
  21. 21. 3. Linha imaginária estendida através das fossas centrais de desenvolvimento dos dentes posteriores superiores e inferiores Linha da FOSSA CENTRAL (C-F)  Revela forma da arcada
  22. 22. Relação das áreas de contato proximal • Se localizam geralmente na parte vestibular da linha C-F • Permite ameia lingual maior e ameia vestibular menor Principal espaço para mastigação: Lingua é mais eficiente no retorno do alimento às mesas oclusais
  23. 23. Relação buco-lingual dos dentes posteriores  B-O (inferiores) ocluem com linha C-F (superiores)  L-O (superiores) ocluem com linha C-F (inferiores)
  24. 24. “O contato oclusal ocorre quando as cúspides cêntricas contatam a linha central da fossa oposta” Vista vestibular • Áreas da fossa central • Crista marginal e áreas de ameia (OKESON,1992)
  25. 25.  Áreas da fossa central Duas superfícies curvas opostas se encontram e somente algumas partes se contatam, em determinado tempo, deixando outras partes livres de contato para atuarem como áreas de escape do alimento durante a mastigação (OKESON,1992)
  26. 26.  Crista marginal e áreas de ameia (OKESON,1992) As cristas marginais são áreas ligeiramente elevadas e convexas nas bordas mesiais e distais das superfícies oclusais onde se ligam a superfície interproximal dos dentes A parte mais elevada da crista marginal é somente um pouco mais convexa Nesta relação a ponta da cúspide pode penetrar no alimento com facilidade e formam-se áreas de escape em todas as direções
  27. 27. Vista lateral (relacionamento normal entre os arcos) • Cada dente oclui com 2 dentes do lado oposto • Exceções: - incisivos centrais inferiores - terceiros molares superiores • Relação dente x dois dentes Distribui forças oclusais a todos os dentes, e de forma geral a toda a arcada Ajuda a manter a integridade da arcada, mesmo quando se perde um dente Ocluem somente com 1 dente antagônico (OKESON,1992)
  28. 28. Numa relação normal pode-se notar que os dentes inferiores se posicionam ligeiramente para lingual e mesial do seu antagônico (OKESON,1992) Relação entre arcadas dos dentes inferiores e superiores (os dentes inferiores estão somente demarcados)
  29. 29. Para examinar os dentes posteriores a atenção deve estar voltada para o 1º molar. Geralmente o 1º molar inferior está ligeiramente para mesial do 1º molar superior Classe I identifica a relação molar mais comum na dentição natural descrita originalmente por Angle (OKESON,1992)
  30. 30. A cúspide mésio-vestibular inferior do 1ºmolar oclui na área de ameia entre o 2º pré -molar superior e o 1ºmolar A cúspide mésio-vestibular do 1º molar superior alinha-se diretamente sobre o sulco vestibular do 1º molar inferior A cúspide mésio-lingual do 1º molar superior situa na área central da fossa do 1º molar inferior (pontas de cúspide e crista marginal) (OKESON,1992) acbo.org.b
  31. 31. Classe II a arcada superior é maior ou se projeta anteriormente, como resultado o 1º molar inferior está na distal ao relacionamento molar da classe I As cúspides mésio- vestibular do 1º molar inferior ocluem com a área central da fossa do 1º molar superior A cúspide mésio- vestibular do 1º molar inferior alinha-se com o sulco vestibular do 1º molar superior A cúspide disto-lingual do 1º molar superior oclui com a área central da fossa do 1º mola inferior (OKESON,1992) drdanielfreitas.com.br
  32. 32. (OKESON,1992) A cúspide disto-vestibular do 1º molar inferior se situa na ameia entre o 2º pré-molar e o 1º molar superior A cúspide mésio-vestibular do 1º molar superior se situa sobre a ameia entre o 1º e o 2º molar inferior A cúspide mésio –lingual do 1º molar superior se situa na fossa mesial do 2º molar inferior Classe III Posiciona os molares inferiores mesialmente em relação aos molares superiores como vistos na classe I
  33. 33. profissaodentista.com.br (OKESON,1992)
  34. 34. Os dentes anteriores, superiores e inferiores se inclinam para a parte labial, variando entre 12 e 28 graus da linha vertical de referência O posicionamento normal será das bordas incisais dos incisivos inferiores contatarem as superfícies palatinas dos incisivos superiores Quando visto por vestibular, 4 mm dos dentes ântero-inferiores são cobertos pelos dentes ântero-superiores (OKESON,1992)
  35. 35. A finalidade dos dentes anteriores é guiar a mandíbula durante os vários movimentos laterais O dente anterior que fornece guia para a mandíbula é chamado de guia anterior A guia anterior tem um papel importante no funcionamento do sistema mastigatório Sua característica é ditada pela exata posição e relação dos dentes anteriores, o que pode ser examinado tanto horizontalmente quanto verticalmente • Sobreposição horizontal ( overjet): É a distância entre borda vestibular dos incisivos superiores e a superfície vestibular dos incisivos inferiores em oclusão cêntrica (OKESON,1992)
  36. 36. • Sobreposição vertical (overbite): É a distância entre as bordas incisais dos dentes anteriores opostos Os dentes anteriores são importantes: • Para iniciar a mastigação • Desempenham papel importante na fala (OKESON,1992)
  37. 37. Classe I Normal: Bordas incisais dos incisivos inferiores contatam com a face palatina dos incisivos superiores Classe II, Divisão 2: Incisivos superiores são inclinados para a lingual (OKESON,1992) Classe II Divisão 1 (mordida profunda) : quando a mandíbula é subdesenvolvida; os dentes anteriores inferiores contatam o terço gengival da superfície palatina dos dentes superiores
  38. 38. Classe III (topo a topo): Crescimento mandibular acentuado, os dentes ântero- inferiores geralmente se colocam para frente e contatam com as bordas incisais dos dentes ântero- superiores Classe III: Os dentes ântero-inferiores podem se posicionar tão para frente que não há contato na posição de oclusão cêntrica Mordida aberta anterior: Não há contato dental anterior durante o movimento mandibular (OKESON,1992)
  39. 39. Movimentos mandibulares Protrusivo Laterotrusivo Retrusivo (OKESON,1992)
  40. 40. Movimento mandibular protrusivo • Ocorre quando a mandíbula move-se para frente a partir da posição cêntrica • Em uma relação normal de oclusão os contatos protrusivos predominantes ocorrem nos dentes anteriores entre as bordas incisais e vestibulares dos incisivos inferiores com as áreas palatinas da fossa e bordas incisais dos incisivos superiores (OKESON,1992)
  41. 41. Os contatos protrusivos posteriores podem ocorrer entre: - Vertentes distais das cúspides PS com as vertentes mesiais das fossas e cristas marginais opostas - Vertentes mesiais das cúspides VI e as fossas e cristas marginais opostas - Vertentes distais dos dentes superiores e as vertentes mesiais dos dentes inferiores Contatos protrusivos (OKESON,1992)
  42. 42. Movimento mandibular de lateralidade • Durante um movimento mandibular lateral os dentes direito e esquerdo cruzam seus dentes opostos em diferentes direções Contatos laterotrusivosContatos mediotrusivos Lado de trabalhoLado de balanceio Movimento da mandíbula para a esquerda(OKESON,1992)
  43. 43. Movimento mandibular retrusivo • Ocorre quando a mandíbula desloca-se posteriormente da oclusão cêntrica • Movimento contrário ao protrusivo Contatos retrusivos (OKESON,1992)

×