Sala de heróis episódio 101

397 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
397
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
111
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Sala de heróis episódio 101

  1. 1. AA SSaallaa ddee HHeerróóiiss 11ªª TTeemmppoorraaddaa EEppiissóóddiioo uumm TThhaaiiss SSiillvvaa
  2. 2. sala-de-herois.blogspot.com.br 1 | P á g i n a AAccoonntteecciimmeennttooss IInneessppeerraaddooss PPaarrttee 11 uma noite. Numa casa grande, de luxo. Na sacada do segundo andar estava uma garota de quinze anos de idade. Tinha cabelos grisalhos, compridos, que iam até a cintura. Eles eram lisos por causa da chapinha. Eles seriam ondulados. Ela tem olhos azuis. Ela se chama Caroline. Caroline é de família rica. Ela despreza as pessoas mais pobres. Ela gosta de um garoto da sala dela. Devido à posição social dele, que era um pouco mais próxima da dela. Caroline tem mais duas irmãs: Christine e Celine. Ela é a mais velha. Christine tem quinze anos. Celine tem treze anos, mas faz aniversário em dezembro. Caroline e Christine fazem, ironicamente no mesmo dia, três de Janeiro. Na sacada aparece Christine. Viu que Caroline estava inquieta. Christine tem longos cabelos castanhos escuros. Que iam até os joelhos. Olhos verde-claros. Tinha uma franja de lado comprida. Estava usando uma camisola e usava pantufas: -Perdeu o sono novamente... –Christine comentava enquanto se aproximava de Caroline. Foi aquele Michael de novo? -Por que está perguntando isso? –Caroline pergunta um pouco irritada. -Estou preocupada. Você está obcecada em com ele e a acabar amiguinha dele. -Rafaela... Aquela garota pobretona... Devia que acabado com ela faz tempo. Ainda vou fazer isso. –Caroline falava enquanto olhava a lua cheia, era praticamente meia noite. – Guarde minhas palavras, Chris... No dia seguinte. Era segunda-feira. Estava todo mundo triste, devido ao fato mencionado anteriormente. Caroline estava na sala de aula dela. Sempre chegava cedo. Meia hora antes. Estava ela e suas irmãs. Resolve sair e ir ao banheiro para retocar a maquiagem. Ao voltar para a sala. Ela resolver ia até a sala de Michael para poder ver o que ele estava fazendo. Foi correndo para dar uma espiadinha. Ela fica escondida perto da porta. Tinha uma plaquinha com escrito “9ºD” era a sala dele. A de Caroline é 9ºC. NN
  3. 3. sala-de-herois.blogspot.com.br 2 | P á g i n a Na sala estava Michael. E mais alguns amigos dele, sendo: Rafaela, Camila e Fernanda. Estavam comentando o que eles iriam fazer no feriado de sexta-feira. Estavam todos animados. -Michael. O que você vai fazer nesse feriado? -Nada de mais, Camila. –Michael fala coçando a cabeça. Eu vou ficar na casa da minha avó. E a minha irmã Courtney vai estar lá também. E você -O meu vai ser um pesadelo... Vou para a casa da minha tia, aquela que vive reclamando das dores nas costas. O chato, encrenqueiro, do meu irmãozinho vai estar lá para piorar. -Quem? –Fernanda pergunta enquanto se ajeitava na cadeira. –Aquele menino de seis anos, Scott, que vive te acusando. O seu pai só dá ouvido a ele. -Esse mesmo... -Não queria estar na sua pele, Camilinha... Rafaela, você não falou o que você vai fazer nesse feriado... -Nada. Nada... –Rafaela fala desanimada. –Vou fazer o que? Ficar com meu irmão, o doido do meu primo e a barraqueira da minha irmã gêmea. -Kelvin, Steves1 e Jamille... -Kelvin vai ficar lavando o carro. Ele, aparentemente, gosta mais do carro que de mim. Steves vai ficar com os amigos dele. Jamille jogando videogame. E eu? Assistindo TV... Michael olha para Rafaela. Ele pensa em chamá-la para passar o feriado com ele na casa da avó dele. Mas hesita. Espera até criar coragem para perguntar. Ele vira para Rafaela e pergunta: -Rafaela, você quer passar o feriado comigo? Ao ouvir aquilo. Caroline começa a se remoer de raiva. Rafaela responde “Claro que sim. Por que não?”. Caroline sai correndo, de volta para sua sala. Não queria ouvir mais nada. 1 Steves: O nome se ler is-tí-ves. Não Es-té-ves.
  4. 4. sala-de-herois.blogspot.com.br 3 | P á g i n a No dia seguinte entra na escola. Uma aluna nova. Tem catorze anos de idade. Era loira, um loiro escuro. Olhos azuis, que eram um pouco escuros. Tinha franja. O cabelo comprido, preso por uma fita rosa que fazia um laço. Foi parar na sala de Rafaela e Michael. Estava entrando, acaba se deparando com Caroline: -Quem é você? -Meu nome é Alexandra. Sabe onde fica a sala do 9ºD? Caroline fala onde fica. Quando Alexandra estava mais distante. Ela imaginava outra garota que poderia ficar afim dele. Alexandra vai para a sala. Lá estava Rafaela, Fernanda e Camila. Michael estava um pouco atrasado. Quando percebem Alexandra entrando na sala, as três param de conversar. Rafaela se levanta e cumprimenta a nova estudante. Rafaela se vira e pede a Alexandra se apresentar: -Se apresenta para a turma. -Meu nome é Alexandra. Podem me chamar de Alex. -Você é alemã? –Camila pergunta curiosa. -Sou brasileira... –Alexandra responde sem jeito. Minutos depois... Michael entra na sala. Tinha acordado um pouco atrasado. Fica feliz em saber que tinha uma garota nova na sala. Eles logo eram amigos. Alexandra convida-os para irem conhecer o apartamento dela. Eles foram de ônibus para conhecer o apartamento dela. Ficava no décimo oitavo andar. Eram dois apartamentos por andar. O dela ficava do lado direito Quando entraram tiveram uma surpresa. Tinha dois andares. Tinha quatro quartos. Ela conta que tinha mais dois irmãos. Se eles se mudassem para lá. Teria quartos para eles dormirem. A Estrutura era diferente. A entrada era no décimo oitavo andar, mas os quartos e alguns banheiros ficavam no décimo sétimo andar.
  5. 5. sala-de-herois.blogspot.com.br 4 | P á g i n a O prédio tem apenas dezoito andares. No local tinha três prédios. O da Alexandra é o do meio. Alexandra leva-os para seu quarto. Eles descem as escadas. Acharam aquilo estranho. O quarto dela era todo rosa. Algo que não gostaram muito. Ela foi levá-los para comerem algum lanchinho. Acabam se deparando com uma garota de aparentemente dezessete anos de idade. Tinha cabelos loiros, eram curtos. Eles iam até o pescoço. Olhos verde-claros. Era prima de Alexandra. Seu nome é Dafne. -Quem é ela? -Essa é Dafne. É minha prima. -Oi. Vejo que já arrumou novos amigos. –Dafne comenta forçando um sorriso. Enquanto Dafne estava na cozinha conversando com eles. Dafne foi para um dos quartos. Tranca a porta. Senta no sofá. Ela pega o telefone. Começa a discar um número. Era para a sobrinha dela. Ela fala feliz: -Pâmela... Está tudo indo de acordo com o seu plano. -Não acredito nisso! –Pâmela grita toda entusiasmada. –Esses humanos vão ver o que é bom para tosse ou eu não me chamo Pâmela. Tem mais uma coisinha, Daf... Depois do passeio. Rafaela volta para casa com seu primo Steves. Ele estava calmo. Rafaela o considera um pouco maluco. Ele e Jamille foram criados por Samantha. Ela é doida e barraqueira. Pelo menos Steves não é muito barraqueiro. Dificilmente ele arma um barraco. Ele não gosta muito disso. -Steves. Eu vou passar o feriado com Michael. Na casa da avó dele. -Chegou o dia? -Steves! -Desculpa. Isso escapa. Vive escapando. –Ele fica em silêncio por alguns minutos. – Mas vocês ainda não se beijaram? -Steves! Para com isso! –Rafaela grita estressada com as perguntas do primo.
  6. 6. sala-de-herois.blogspot.com.br 5 | P á g i n a Rafaela deita no carro e finge que está dormindo. Deixa Steves falando sozinho. Ele nem percebeu que ela tinha feito. Só minutos depois, ele parou de falar e ficou quieto. Enquanto isso. No apartamento de Camila. A própria estava deitada na cama. Pensando em falar com Michael para ela poder ir com ele a casa da avó dele. No dia seguinte de aula ela teria que ter coragem para perguntar. Sem ela esperar. O pai dela entra irritado. Scott que tinha aprontado e falado que foi ela a culpada de tudo. E que ela ameaçou bater nele se ele contasse. Ele contou que ele teve coragem de enfrentá-la, por isso estava contando. -Você aprontou de novo! –Robson gritava muito nervoso. –Desta vez você vai apanhar menina! Ao ver aquilo. Camila cai da cama. Estava com muito medo. O pai dela nunca tinha reagido daquela forma tão violenta. Ela estava encolhida no canto do quarto dela, morrendo de medo. Quando ele se aproximou dela. Ela moça a gritar. O grito era tão alto. O espelho do quarto dela cai no chão em pedaços. As luzes do prédio inteiro começam a piscar. Robson e Scott estavam no chão tampando os ouvidos. Todos os vidros e outros materiais frágeis estavam tudo se fazendo em pedaços. Depois de alguns minutos Camila para de gritar. O prédio estava sem luz. Todas as lâmpadas tinham quebrado. Robson furioso, ele pega Camila e a expulsa de casa. Ela estava no ponto de ônibus. Sem saber o que fazer. Não sabia para onde ir. Lembrou de Hannah. Iria ficar aquela noite na casa dela e iria para a casa dos tios dela. Ela pega o celular. E liga para Hannah para avisar. Depois desliga o celular e pega o ônibus. Em um local. Estava tendo uma reunião. Lá estava Pâmela, Esther, Serena e Melina. Todas sentadas numa mesa retangular. Todas estavam sérias. Dafne não foi à reunião, para ninguém dos humanos suspeitarem dela: -Temos que exterminar esses humanos o mais rápido possível!-Esther fala muito impaciente. -Agora não! –Pâmela berra. –Ainda não é à hora certa, Esther!
  7. 7. sala-de-herois.blogspot.com.br 6 | P á g i n a -E a sua irmã Pâmela? –Serena pergunta inquieta. –Ela nos traiu para proteger Alexandra. Temos que eliminá-la de uma vez por todas. -Eu sei disso. Ela nos traiu e começou a agir a favor dos seres humanos. O que foi um grave erro. Iremos matá-la, quando pudermos. No dia seguinte. Camila chega à escola e pergunta para Michael se ela poderia ficar o feriado com ele. Ele aceita o convite falando que ela poderia ir. Na quinta-feira, Rafaela estava esperando Michael. Ela levava poucas roupas e algumas coisas por precaução. Chega um van. Estava Michael, Camila e mais os tios dele: -Rafaela, esses são os meus tios, Creusa e Geraldo. Eles vão nos levar até a casa da minha avó, que fica no interior. Rafaela entra no carro. Coloca a malinha no colo. Tinha tudo ali. Enquanto isso acontecia. Numa casa estava Bárbara, Viviane. Estavam conversando sobre certos acontecimentos. -Bárbara você tinha virado uma bola de plástico de estrelinhas? –Viviane pergunta segurando o riso. -Viviane. -Eu descobrir meus poderes com cinco anos. Quando morava na frança. Eu lutava contra robôs, e muitas coisas a mais. Era eu, Ravena e Deborah... Ravena tinha uns catorze ou dezessete anos de idade. Deborah tinha vinte e um anos de idade. Na mansão de Caroline estava muito nervosa. Teria que entrar na casa da avó de Michael de alguma maneira. Não conseguia pensar em nada. Ela estava andando pela casa enquanto isso. Não sabia o que iria fazer. Ela senta do lado da piscina. Vai encostar-se à água. A água começa a congelar, até que toda água da piscina tinha virado gelo. Caroline ficou surpreendida com aquilo, entra correndo em casa para contar a Christine. -Lembra das histórias que a nossa mãe vivia contando. -Sobre as antepassadas serem bruxas e terem poderes, Chris? Eu me lembro. Por quê? -E se for verdade? E se eu, você e Celine tiverem herdado os poderes.
  8. 8. sala-de-herois.blogspot.com.br 7 | P á g i n a -Vai uma boa oportunidade. –Caroline fala sorrindo. -De que? –Christine pergunta sem entender nada. -Acabar com Rafaela. De noite iremos decidir o que fazer. Enquanto tudo isso citando anteriormente acontecia. Camila, Michael e Rafaela chegavam à casa da avó de Michael, que estava lá com Courtney esperando. A avó se chama Isabella. Michael desce do carro. Ele abraça a avó dele. Ela estava feliz em rever o neto. E conhecer alguns dos amigos dele. Courtney estava feliz em rever o irmão. Eles entram. Era um sobradinho. Ela tinha arrumado cama para todo mundo e tinha mais quatro camas. Sempre tinha visita de parentes quando chegam os feriados. De noite, Bárbara tinha se perdido na hora de voltar para casa. Anda de um lado para outro. Não sabia para onde ir. Ela esbarra em uma pessoa era Alexandra: -Barbara, o que aconteceu? -Eu me perdi. –Bárbara responde sem jeito. –Posso ficar essa noite no seu apartamento? -Pode. As duas vão andando tranquilamente. Elas chegam ao apartamento. Para a surpresa de Alex. Lá estava Pâmela, que ao ver que ela trazia humanos para a própria casa fica furiosa: -Quer dizer que a senhorita traz esses seres para sua própria casa? -Pâmela sai daqui. Você não pode entrar aqui e você sabe muito bem disso! – Alexandra fala apontando para o corredor. -Está me expulsando. Nossa... –Pâmela fala fazendo pouco caso da prima. –Por isso você é ridícula fica defendendo os seres humanos. Deveriam morrer. Bárbara estava encolhida atrás de Alexandra com medo da Pâmela. Bárbara achava que a outra estava louca. Como era possível ela não ser humana? Talvez fosse alienígena. A primeira coisa que ela pensou. Afinal ela é fã dos filmes de ficção cientifica.
  9. 9. sala-de-herois.blogspot.com.br 8 | P á g i n a A mãe de Alexandra, Paola, chega. Fica nervosa ao ver Pâmela. Sabia das coisas que ela andava aprontando e manda-a ir embora, ela vai, mas deixa bem claro que iria voltar para acabar com Alexandra. Bárbara pede umas explicações para Alexandra. Caroline, Christine e Celine estavam armando um plano. Como elas iriam se disfarçar e não serem notadas logo de cara. Caroline lembrou-se de um filme. Teve uma ideia logo falou para Christine. -Eu vou me disfarçar de Nayara. Vou enganá-lo, fazendo-o pensar que sou ela. E pedir para “reatar” o namoro. –Caroline ri de alegria, achava que o plano era uma maravilha. -Como? –Celine pergunta estressada. –Como a senhorita vai fazer isso? -Christine. Usa seus poderes. Christine usa seus poderes e transforma Caroline em Nayara. Ela mede um metro e setenta. Tem olhos castanho-claros. Cabelos alaranjados presos num rabo de cavalo. -Prontinho... –Christine fala feliz por ter dado certo. -Ele nem vai desconfiar. -Acho que os espelhos podem refletir Caroline, não Nayara. -Então... Vocês duas terão que me ajudar a parecer natural... -Vamos nos disfarçar de parentes de Nayara ou amigos dela... -Como quem? –Celine pergunta a Christine. -Doralice e Licília. Eu vou ser a... Licília. –Christine responde. –Você vai ser a irmã de Nayara, Celine. -Tanto faz... No dia seguinte. No sitio estava todo mundo calmo numa boa. Olhavam os animais que avó de Michael criava como ovelhas, galinhas e porcos. Sem eles desconfiarem Caroline e suas irmãs estavam chegando disfarçadas. Courtney foi levar o lixo para fora e ficar surpreendia ao ver a “Nayara”. Vai correndo para avisar Michael: -Michael. A sua ex está aqui.
  10. 10. sala-de-herois.blogspot.com.br 9 | P á g i n a -Nayara? Mas ela não estava morta? -Não sei. Courtney respondeu. –Mas ela está aí. Michael sai envergonhado. Estava vermelho de vergonha. Rafaela pergunta o porquê daquilo. Eles entram e Michael explica que eles namoraram por dois meses. Mas a prima dela armou e acabaram se beijando. Ele tinha traído ela com a prima dela, Narissa. Ele volta do lado de fora. Caroline estava com os braços cruzado rindo. Ele estava sem jeito. Caroline sabia daquela traição, foi ela que incentivou Narissa a tomar aquela atitude. -Nayara. Está viva? Pensei que tinha morrido naquele naufrágio do passeio que tínhamos feito. -Mas eu estou aqui, Michael. –Caroline fala sorrindo. –Eu vim passar o feriado com você... -Pode entrar. Eles as levaram aos quartos. Caroline deita na cama. Teriam que planejar o sumiço de Rafaela. E falariam que ela tinha morrido. Elas começam a planejar iriam fazer aquilo mesmo. Rafaela estava perto do lago. Celine começa a chegar perto. Quando estava atrás dela. Rafaela olha para água e vê o reflexo de Celine, não de Doralice. Vira assustada. Celine dá um soco na cara dela, deixando-a desacordada. -Adeus. –Celine falava feliz. Elas a levam para o meio do mato e amarram Rafaela, os braços e pernas. Colocam um lenço na boca dela. E elas vão de helicóptero para o meio do oceano. Caroline achava que ela não teria nenhuma chance de sobreviver. Iria morrer afogada. Eles jogam-na. Caroline ria, assim como as suas irmãs. Rafaela cai na água. Começa a se mexer. Não sabia o que iria fazer. Ela desmaia. Minutos depois ela acorda na praia. De alguma forma ela estava viva. Viu que estava rodeada de pessoas curiosas. Ela se levanta. Estava toda encharcada. Não sabia para onde ir. Ela sabia que Michael corria grande perigo.
  11. 11. sala-de-herois.blogspot.com.br 10 | P á g i n a Gaby estava do lado dela. Tinha ido passar o feriado na praia. Ficou assustada quando viu Rafaela naquele estado. Gaby leva Rafaela para a casa de praia dela. Lá ela se enxuga e troca de roupa, colocando alguma das roupas de Gaby: -Rafaela o que aconteceu? -Caroline, tentou me matar, me jogando no oceano de helicóptero. -Essa menina é doida. Deveria estar presa. -Ela está de alguma maneira, fingindo ser Nayara. Ela até se transformou nela. -Ela deve ter superpoderes. Tipo os heróis que a gente vê nos gibis. -Ela não. Pode ser Christine. Foi ideia da Caroline, mas Christine transformou tanto Caroline quanto Celine. Você tem poderes, Gaby? -Controlo a luz. E você, Rafaela. -Controlo a água. Descobri antes do feriado. Foi na quarta-feira de tarde. Fui pegar o copo d’água ele começa a se mover sozinho. Chega de conversa, temos que salvar Michael. -Mãe! –Gaby grita. –Rafaela tem que ir até casa da avó de Michael. Ela fala o endereço! Enquanto isso. Michael sabia da “morte” de Rafaela. Estava muito magoado com isso. De repente o telefone toca. Ele vai atender. Era a mãe de Caroline, falando que as filhas dela tinham desaparecido. Se ele soubesse alguma coisa era para ligar. Ele desliga e volta a sentar do lado de Nayara. Caroline achava que eles iriam ficar juntos. Agora ela estava feliz. Para ela Rafaela estava realmente morta. Eles dão a mão. Um olha para o outro. Rafaela estava indo para lá de carona com o carro dos pais de Gaby. Estavam quase chegando. Rafaela temia que fosse tarde demais. Ela fala para Gabriela: -Gaby, você chega fala que estou viva e que Nayara é na verdade Caroline. -Entendido.
  12. 12. sala-de-herois.blogspot.com.br 11 | P á g i n a Michael estava abraçando Caroline e eles estavam quase se beijando. Gaby aparece gritando e fala o que tinha combinado. Michael olha para Gaby, depois para Caroline. Achava que Gaby tinha enlouquecido de vez. Ele achava impossível ser Caroline. -Gaby, você está doida. Rafaela foi morta e essa é a Nayara não é Caroline. -Eu? Morta? –Rafaela aparece, fingindo que não estava sabendo de nada. Aparece Christine e Celine e ficam do lado de Caroline. Michael fica feliz em saber que Rafaela estava viva. Levanta e vai correndo abraçá-la. Caroline fica extremamente nervosa quando viu que sua inimiga ainda estava viva. Gaby aponta o dedo para Caroline. O dedo começa a brilhar e sai um feixe de luz, deixando as três em suas verdadeiras formas. Michael fica horrorizado quando vê aquilo. As três brilham e somem. Deixando Michael sem saber o que fazer. Continua...

×