Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Mídia e mobilidade

1,296 views

Published on

Few insights on mobile and media.

Published in: Technology

Mídia e mobilidade

  1. 1. Mídia e Dispositivos Móveis
  2. 2. Quando a tecnologia habilita os consumidores a terem o que querem, como querem, e por menos, eles inevitavelmente o farão.
  3. 3. Um modelo de negócios •  Venda de conteúdo e papel para leitores •  Venda de leitores para anunciantes
  4. 4. Este modelo funcionou muito bem •  Baseado em escassez •  Barreiras à entrada altas: o conteúdo era caro de se produzir e distribuir •  Plataforma fechada: o papel •  Controle do publisher sobre a experiência do leitor •  Menor número de canais competindo por atenção
  5. 5. A nova realidade digital
  6. 6. •  A transformação do conteúdo em digital está sempre acompanhada do “unbundling” do conteúdo. •  Jornais e revistas foram “desempacotados”- por que pagar por tudo quando posso ler apenas os artigos que me interessam online e gratuitamente?
  7. 7. Mudanças no modelo de negócios •  Abertura: a web é necessariamente aberta •  Fim da escassez com a redução das barreiras à entrada – o conteúdo agora é barato p/se produzir e distribuir •  Divisão da atenção: o volume de conteúdo aumenta de modo exponencial •  Aumento da competição com um maior número de canais •  Fim do controle sobre a audiência
  8. 8. Como se basear em um modelo construído sobre a escassez quando não há mais escassez
  9. 9. Não há limites à entrega de conteúdo no meio digital, que eliminou a possibilidade de gerar receitas com a distribuição
  10. 10. A perda de controle sobre a distribuição é como perder a estrada: não há mais como cobrar pedágio.
  11. 11. O jornal impresso passou de fonte prioritária de informação a mais um coadjuvante do universo ‘’real time’’ da informação.
  12. 12. Constatações •  Os leitores não pagarão para acessar notícias online •  De fato, o modelo baseado em assinatura só existiu no meio impresso •  As pessoas pagavam em contrapartida ao custo de produção e entrega de um produto completo •  E é este exato motivo que justifica a expectativa com relação aos dispositivos móveis
  13. 13. RESET
  14. 14. Dispositivos móveis são uma nova plataforma – digital – onde a cobrança pelo uso – leitura – é possível
  15. 15. Novo velho mundo •  Velho •  Plataforma fechada – rede e device •  Controle sobre a experiência – iPad representa a essência do controle (iAd intensifica) •  Novo •  Custos marginais de distribuição = zero •  Maior conhecimento sobre a audiência •  Experiência interativa capaz de agregar valor
  16. 16. O futuro do conteúdo está nos aplicativos e canais verticais de distribuição
  17. 17. A maioria dos aplicativos são, de fato, sites sem URL. Ou livros empacotados como aplicativos. Isto é conteúdo que está abandonando a web para se tornar um aplicativo “monetizável”.
  18. 18. Estamos nos movendo para um modelo de “a melhor tela disponível”, onde os consumidores assistirão ao que quiserem, quando quiserem, em qualquer tela que esteja disponível naquele instante.
  19. 19. Pesquisa realizada pelo ABC informa que 80% dos consumidores entrevistados disseram que iriam utilizar cada vez mais dispositivos móveis como fonte primária de notícias, nos próximos três anos.
  20. 20. Pagar por conteúdo no celular X online •  Facilidade e •  Mecanismos de segurança de pagamento pagamentos fragmentados e •  Valores menores e inseguros pontuais •  Dificuldade de X •  Mais caros e complexos conseguir conteúdo •  Facilidade de acesso pirata a conteúdos •  “Lojas” de conteúdo alternativos facilitam a •  Inexistência de um descoberta marketplace •  Personalização simplificado
  21. 21. No Brasil é diferente? Quando comparamos com países desenvolvidos percebemos que o hábito de pagar por um jornal no Brasil ainda está em outro estágio evolutivo. JAPÃO: População: 130 milhões de habitantes Média de jornais vendidos por dia: 68,4 milhões INGLATERRA População: 50 milhões de habitantes Média de jornais vendidos por dia: 15,5 milhões BRASIL População: 180 milhões de habitantes Média de jornais vendidos por dia (IVC): 4,35 milhões
  22. 22. Transição ou salto? •  4,35 milhões de leitores •  8 milhões de celulares 3G •  20 milhões de smartphones (TGI)
  23. 23. Modelos de negócio •  Assinatura •  Publicidade •  Micropagamentos •  Freemium •  Upselling •  Serviços
  24. 24. Modelos de conteúdo •  Extensão do canal – mobilizar o conteúdo (presença) •  Réplica: reprodução da revista (auditoria de conteúdo) •  Criação de produtos: enriquecendo a experiência móvel (entretenimento, utilidade)
  25. 25. Alguns exemplos
  26. 26. GQ – iPHONE/iPAD Réplica: US$ 2,99 12.000 cópias/mês Revista: •  240.000 cópias •  700.000 assinantes
  27. 27. HACHETTE Produtos: FREE TOP APPS
  28. 28. Extensão: FREE – 3M downloads/75M impressões NEW YORK TIMES iPhone iPad : Editor’s Choice Blackberry Palm TOP APPS Mudança para modelo pago em 2011
  29. 29. Extensão: Freemium (3 histórias/30 dias) FINANCIAL TIMES iPhone Blackberry
  30. 30. Extensão: Pago (£2,39 - anual) The Guardian iPhone 70.000 downloads no primeiro mês Expectativa de receita/ano: US$2M
  31. 31. Serviços: FREE NME iPhone Compra de músicas a partir da rádio
  32. 32. WALL STREET JOURNAL Extensão: Free + Pago iPhone: FREE iPad: assinatura - $3,99/semana
  33. 33. PAGO X FREE •  Downloads •  25% X 75% •  Receita •  88% X 12%
  34. 34. Como agir?
  35. 35. Premissas •  Dispositivos móveis são, por definição, onipresentes •  Todas as formas de consumo de mídia migrarão para dispositivos móveis – especialmente iPad e tablets •  A transferência do investimento em mídia se dá do meio impresso p/o meio digital •  Ainda não há o formato ideal de publicidade móvel •  A publicidade virá acompanhada da ação, habilitada por meios de pagamento móvel •  Não há retorno ao formato de consumo de mídia “empacotado” – a audiência aprendeu com a internet a consumir de modo fragmentado, pessoal e dinâmico •  Ainda estamos no começo – ainda há espaço p/o erro
  36. 36. Pontos de ação •  Mobile web X apps não é uma escolha – são modelos diferentes •  Reinvente ou reestruture o conteúdo •  Crie novos produtos baseados em seu conteúdo •  Esteja alinhado com desenvolvedores e agências
  37. 37. Qual é o melhor modelo?
  38. 38. ?
  39. 39. Interatividade Customização Relevância
  40. 40. Olhando apenas um pouco mais longe
  41. 41. Tendências •  Redes sociais como porta de entrada e locus do conteúdo, dificultando a descoberta •  Hiperlocalismo •  Splinternet: maior controle sobre a internet pelos grandes players •  Paywalls •  Redução da escala de empresas de mídia
  42. 42. terence.reis@redemobi.com.br

×