Programa de Teoria e Metodologia da História

2,014 views

Published on

CONTEÚDO: Análise do campo da teoria e metodologia da história. Discussão do estatuto do conhecimento histórico: sua especificidade e condições de objetividade. História das teorias e metodologias da história do século XX: as abordagens dialética, estrutural, genealógica, microhistórica e hermenêutica da história - Marxismos, Annales, Michel Foucault, Carlo Ginzburg, Paul Ricoeur. Discussão dos temas clássicos da teoria da história: Causalidade, Compreensão, Temporalidade, Memória, Verdade Histórica; as grandes obras e tendências da historiografia contemporânea.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,014
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Programa de Teoria e Metodologia da História

  1. 1. 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA DISCIPLINA: TEORIA E METODOLOGIA DA HISTORIA (60H) PROFESSOR: JOSÉ CARLOS REIS PROGRAMA, CRONOGRAMA E BIBLIOGRAFIA CONTEÚDO: Análise do campo da teoria e metodologia da história. Discussão do estatuto do conhecimento histórico: sua especificidade e condições de objetividade. História das teorias e metodologias da história do século XX: as abordagens dialética, estrutural, genealógica, microhistórica e hermenêutica da história - Marxismos, Annales, Michel Foucault, Carlo Ginzburg, Paul Ricoeur. Discussão dos temas clássicos da teoria da história: Causalidade, Compreensão, Temporalidade, Memória, Verdade Histórica; as grandes obras e tendências da historiografia contemporânea. CRONOGRAMA: Os temas serão apresentados e discutidos em sua sequência neste programa. UNIDADE 1 - O QUE É TEORIA E METODOLOGIA DA HISTÓRIA? Textos a serem discutidos: COLLINGWOOD, R. G. A Filosofia da História. In: A Ideia de História. Lisboa/ : Presença/Martins Fontes, 1981. MARROU, Henri-Irinée. A Filosofia Crítica da História. In: Do Conhecimento Histórico. Editorial Aster/Lisboa, Martins Fontes/São Paulo, 1975. HARTOG, François. A história seduzida pela epistemologia? In: A Evidência da História: o que os historiadores veem. Belo Horizonte : Autêntica, 2011. THOMPSON, E. P. Tem a História uma Teoria? In: A Miséria da Teoria Ou Um Planetário de Erros. Rio de Janeiro : Zahar, 1981, pp. 22-33. RÜSEN, Jörn. Tarefa e Função de uma Teoria da História. In: Razão Histórica. Brasília : UNB, 2001. BOURDIEU, Pierre. Introdução a uma Sociologia Reflexiva. In: O Poder Simbólico. Rio de Janeiro : Bertrand Brasil, 2001. Seminário Geral: REIS, José Carlos. O Lugar da Teoria-Metodologia na Cultura Histórica. In: Revista de Teoria da História. Ano 3, nº 6, dezembro/2011. Universidade Federal de Goiás. Página na internet: http://www.sumarios.org/sites/default/files/pdfs/artigo_1_reis.pdf Bibliografia complementar: ARÓSTEGUI, Julio. O conteúdo da teoria e os fundamentos do método historiográfico. In: A Pesquisa Histórica: Teoria e Método. Bauru/SP, Edusc, 2006, pp.85-96. BARROS, José D’Assunção. “Teoria: o que é isso?” e “O Papel da teoria da história na formação dos historiadores, ontem e hoje”. In: Teoria da História, vol 1. Petrópolis : Vozes, 2011. GADAMER, Hans-Georg. Elogio da Teoria. Lisboa : Ed 70, 2001.) JENKINS, Keith. A História Repensada. São Paulo : Contexto, 2005.
  2. 2. 2 2 UNIDADE 2 - O CONHECIMENTO HISTÓRICO COMO PROBLEMA Textos a serem discutidos: FEBVRE, Lucien. Viver a História. – Palavras de Iniciação. In: Combates pela História, vol. 1. Lisboa : Presença, 1977. (Ver: CARR, E. H. Que é História? RJ : Paz e Terra, 1978.) GINZBURG, C. “Sinais: Raízes de um Paradigma Indiciário.” In: Mitos, Emblemas e Sinais. SP : Cia das Letras, 1990. THOMPSON, E. P. Intervalo: A Lógica Histórica. In: A Miséria da Teoria ou Um Planetário de Erros. Zahar : Rio de Janeiro, 1981, pp. 47/62. CERTEAU, Michel de. A Operação Historiográfica. In: A Escrita da História. Rio de Janeiro : Forense Universitária, 1982 e In: LE GOFF, J. e NORA, P. História: Novos Problemas. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 1976 // WEBER, Max. A Ciência como Vocação. Ciência e Política: Duas Vocações. SP : Cultrix, 1993 KOSELLECK, R. História dos Conceitos e História Social. In: Futuro-Passado - Contribuição à Semântica dos Tempos Históricos. RJ : PUCRJ/Contraponto, 2006. Seminário Geral: REIS, José Carlos. “A Especificidade Lógica da História.” In: História & Teoria: Historicismo, Modernidade, Temporalidade e Verdade. Rio de Janeio : FGV, 2003. (Ver: O Desafio Historiográfico. Rio de Janeiro : FGV, 2010.) UNIDADE 3 - A HISTÓRIA, ENTRE A VERDADE E A FICÇÃO Textos a serem discutidos: WHITE, H. “O Texto Histórico como Artefato Literário.” In: Trópicos do Discurso. SP : Edusp, s/d. (ver: MALERBA, Jurandir (Org.). A História Escrita. São Paulo : Contexto, 2008) GINZBURG, C. Relações de Força: História, Retórica, Prova. São Paulo : Cia das Letras, 2002. THOMPSON, E. P. O termo ausente: experiência. In: A Miséria da Teoria. Rio de Janeiro : Zahar, 1981. BAUMAN, Zigmunt. Sobre a Verdade, a Ficção e a Incerteza. In: O Mal-Estar da Pós-Modernidade. Rio de Janeiro : Zahar, 1998. CHARTIER. Roger. A História, Entre Narrativa e Conhecimento // O Mundo Como Representação. In: À Beira da Falésia. Porto Alegre : Ed. da Universidade/UFRGS, 2003. (ver: GINZBURG, C. “Representação”. In: Olhos de Madeira. São Paulo : Cia. das Letras, 2001; BURKE, P. O que é História Cultural? Rio de Janeiro : Jorge Zahar, 2004) UNIDADE 4: A HISTÓRIA, ENTRE A MEMÓRIA E O ESQUECIMENTO Textos a serem discutidos: RICOEUR, Paul. Da Memória e da Reminiscência. A Memória, A História, O Esquecimento. Campinas : Unicamp, 2003. (Ver: CERTEAU, Michel de. História e Psicanálise. Belo Horizonte : Autêntica, 2011; ROSSI, Paolo. O Passado, a Memoria e o Esquecimento. São Paulo : Unesp, 2010.) NIETZSCHE, F. Segunda Consideração Intempestiva: Da Utilidade e Desvantagem da História para a Vida. Rio de Janeiro : Relume Dumará, 2003.
  3. 3. 3 3 UNIDADE 3: História e Temporalidade Textos a serem discutidos: KOSELLECK, Reinhart. Espaço da Experiência e Horizonte de Expectativa: Duas Categorias meta-históricas. In: Futuro Passado. São Paulo : Contraponto, 2006. (Ver: HARTOG, François. Régimes d’Historicité. Paris : Seuil, 2003.) GOUREVITCH, A. Y. “O Tempo como Problema da História Cultural.” In: RICOEUR, P.(org.). As Culturas e o Tempo. Petrópolis: Vozes, 1975. THOMPSON, Edward. P. Tempo, Disciplina do Trabalho e Capitalismo Industrial. In: Costumes em Comum. São Paulo : Cia das Letras, 1998. REIS, JC. O Tempo Histórico como “Representação”. In: Teoria & História: Tempo Histórico, História do Pensamento Histórico Ocidental e Pensamento Brasileiro. Rio de Janeiro : FGV, 2012. ELIAS, Norbert. Sugestões para uma Teoria dos Processos Civilizadores. In: O Processo Civilizador, v. 2. RJ : Jorge Zahar, 1993, 2v. Seminário Geral: LORAUX, N. Elogio do Anacronismo. In: NOVAES, A (Org.) Tempo e História. SP : Cia das Letras, 1992. UNIDADE 5: OS MÉTODOS DA HISTÓRIA NO SÉCULO XX SEMINÁRIOS EM GRUPOS: a) A Abordagem Dialética da História: os Marxismos 1º SEMINÁRIO MARXISMO MARX E ENGELS. O MANIFESTO COMUNISTA. HESSEL, STEPHANE. INDIGNAI-VOS! SÃO PAULO : LEYA BRASIL, 2º SEMINÁRIO MARXISMO EDWARD P. THOMPSON. A FORMAÇÃO DA CLASSE OPERÁRIA INGLESA, VOL. 1 (A ÁRVORE DA LIBERDADE). RIO DE JANEIRO : PAZ E TERRA, 1987. 3º SEMINÁRIO MARXISMO HOBSBAWM, ERIC. A CONTRIBUIÇÃO DE KARL MARX PARA A HISTORIOGRAFIA. IN: BLACKBURN, R. IDEOLOGIA NA CIÊNCIA SOCIAL. SÃO PAULO ; PAZ E TERRA, 1982. BENJAMIN, W. SOBRE O CONCEITO DE HISTÓRIA// O NARRADOR. IN: OBRAS ESCOLHIDAS. SP : BRASILIENSE, 1985. (VER PREFÁCIO DE GAGNEBIN; LOWY, MICHAEL. WALTER BENJAMIN - AVISO DE INCÊNDIO. SP : BOITEMPO, 2005) Bibliografia complementar: ANDERSON, Perry. Teoria, politica e historia: un debate com E. P. Thompson. Mexico, D.F.: Siglo Veintiuno, c1985. 241p. BOTTOMORE, T. Dicionário do Pensamento Marxista. RJ : Zahar, l988.
  4. 4. 4 4 MARX, K. Prefácio à Contribuição à Crítica da Economia Política. SP : Martins Fontes, l977. MARX, K. e ENGELS,F. A Ideologia Alemã (Feuerbach). Lisboa : Presença, s/d. QUINTANILLA, M.(Coord.) Diccionario de Filosofia Contemporanea. Salamanca : Sígueme, l976. MULLER, Ricardo e MUNHOZ, Sidney. Edward Palmer Thompson. In: LOPES, Marco Antônio; MUNHOZ, Sidney. Historiadores de nosso tempo. São Paulo : Alameda, 2010. REIS, José Carlos. Hegel: O Método Dialético. In: História da Consciência Histórica Ocidental Contemporânea. Hegel, Nietzsche, Ricoeur. Belo Horizonte, Autêntica, 2011. VAINFAS, R. História das Mentalidades e História Cultural. In: CARDOSO E VAINFAS. Domínios da História. RJ : Campus, 1997. b) A Abordagem Estrutural da História: os Annales 1º SEMINÁRIO ANNALES: BLOCH, M. A HISTÓRIA, OS HOMENS E O TEMPO/ A CRÍTICA. IN: INTRODUÇÃO À HISTÓRIA. LISBOA : EUROPA-AMÉRICA, S/D. 2º SEMINÁRIO ANNALES: FEBVRE, LUCIEN. O PROBLEMA DA DESCRENÇA NO SÉC. XVI: A RELIGIÃO DE RABELAIS. IN: MOTA, CARLOS GUILHERME. FEBVRE. SÃO PAULO : ÁTICA, COL. GDES. CIENTISTAS SOCIAIS) 3º SEMINÁRIO ANNALES: BRAUDEL, F. A LONGA DURAÇÃO. IN: ESCRITOS SOBRE A HISTÓRIA. SÃO PAULO : PERSPECTIVA, 1978. Bibliografia complementar: ARIES, P. H. A História das Mentalidades. In: LE GOFF et al. A Nova História. Coimbra ; Almedina, 1990. BURGUIÈRE, André e ATSMA, Hartmut. Marc Bloch Aujourd’hui: Histoire Comparée et Sciences Sociales. Paris : EHESS, 1990. BURGUIÈRE, Andre. Accords et Desaccords: Les Annales entre Deux Directeurs. In: L’Ecole des Annales, une Histoire Intelectuelle. Paris : Odile Jacob, 2006. BURGUIÈRE, Andre (Org.) Bloch, Marc. In: Dictionnaire des Sciences Historiques. Paris : PUF, 1986. DOSSE, François, DELACROIX, Christian, GARCIA, Patrick. Correntes Históricas na França – Séculos XIX e XX. Rio de Janeiro/ São Paulo : FGV/Unesp, 2012. DOSSE, F. A História em Migalhas – Dos Annales à Nouvelle Histoire. SP : Unesp. FEBVRE, L. Como Reconstituir a Vida Afetiva de Outrora. In: Combates Pela História II. Lisboa; Presença, 1977. HUGHES-WARRINGTON, Marnie. Marc Bloch. In: 50 Grandes Pensadores da História. SP : Contexto, 2002. LE GOFF, J. As Mentalidades: Uma História Ambígua. In: LE GOFF e NORA. História, Novos Objetos. RJ. Fco. Alves, 1976 PIAGET, Jean. O Estruturalismo. 3. ed. São Paulo; Rio de Janeiro: DIFEL, 1979. REIS, JC. Introdução. Nouvelle Histoire e O Tempo Histórico, a Contribuição de Febvre, Bloch e Braudel. São Paulo : Ática, 1994. [2ª ed. Annablume, 2008) BURKE. P. A Revolução Francesa da Historiografia: A Escola dos Annales (1929-1989). SP : Unesp, 1981. REIS, JC. “O Programa (Paradigma?) dos Annales Face aos Eventos da História.” In: A História, Entre a Filosofia e a Ciência. 3ª ed. Belo Horizonte : Autêntica, 2004; REIS, JC. “O Surgimento da Escola dos Annales e o seu “programa”. In: Escola dos Annales, a Inovação em História. 2ª Ed. SP : Paz e Terra, 2004. REIS, JC. Annales versus Marxismos: os paradigmas históricos do século XX. In: O Desafio Historiográfico. Rio de Janeiro : FGV, 2010. REIS, JC. História da História: Braudel versus Lévi-Strauss. In: Teoria & História: Tempo Histórico, História do Pensamento Histórico Ocidental e Pensamento Brasileiro. Rio de janeiro : FGV, 2012.)
  5. 5. 5 5 ROJAS, Carlos Aguirre. Marc Bloch: In Memorian. In: Os Annales e a Historiografia Francesa. Maringá : Eduem, 2000. c) A Abordagem Genealógica-Arqueológica da História: Michel Foucault SEMINÁRIO MICHEL FOUCAULT. VIGIAR E PUNIR: O NASCIMENTO DA PRISÃO. 35.ED. PETROPOLIS: VOZES, 2008. 277P. Bibliografia Complementar: BAUDRILLARD, J. Oublier Foucault. Paris : Galillé, 1977. CANDIOTTO, Cesar. Foucault e a Critica da Verdade. Belo Horizonte : Autêntica, CASTRO, Edgardo. Vocabulário de Foucault: um percurso pelos seus temas, conceitos e autores. Belo Horizonte, Autêntica, DOSSE, F. História do Estruturalismo, vol 1. São Paulo : Ensaio; Campinas : Unicamp, 1993. DOSSE, François. Michel Foucault, Estruturalismo e Pós-estruturalismo. In: A História à Prova do tempo. SP : Unesp, 2001. ERIBON, Didier. Michel Foucault (1926/1984). São Paulo : Cia das Letras, 1990. FERRY, J-L. O Pensamento 68. FOUCAULT, M. Verdade e Poder. In: Microfísica do Poder. RJ : Graal, 1984. (ver: MACHADO, R. Introdução - Por uma Genealogia do Poder. In: Microfísica do Poder. RJ : Graal, 1984 e RAGO, Margareth. Figuras de Foucault. Belo Horizonte : Autêntica,) FOUCAULT, M. Nietzsche, a Genealogia e a História. In: Microfísica do Poder. RJ, Graal, 1984. HUGHES-WARRINGTON, Marnie. Michel Foucault. In: 50 Grandes Pensadores da História. São Paulo : Contexto, 2002. NIETZSCHE, F. Verdade e Mentira no Sentido Extra-Moral. In: Nietszche. São Paulo : Abril Cultural, (Os Pensadores) O'BRIEN, P. “A História da Cultura de M. Foucault.” In. HUNT, Lynn. A Nova História Cultural. São Paulo : Martins Fontes, 1992. MACHADO, R. “Por uma Genealogia do Poder.” In: Microfísica do Poder. RJ : Graal, 1984. MACHADO, R.. Ciência e Saber. A Arqueologia de Michel Foucault. Rio de Janeiro : Graal, 1984. REIS, José Carlos. Nietzsche: O Método Genealógico. In: História da Consciência Histórica Ocidental Contemporânea. Hegel, Nietzsche, Ricoeur. Belo Horizonte, Autêntica, 2011. REIS, J. C. A historiografia pós-89: Pós-modernidade, Representações e Micro-Narrativas.. in: Teoria & História: Tempo Histórico, História do Pensamento Histórico Ocidental e Pensamento Brasileiro. Rio de Janeiro : FGV, 2012. WHITE, Hayden. “Foucault Decodificado: Notas do Subterrâneo.” In. Trópicos do Discurso. SP : Edusp, 1994. d) A Abordagem Micro-Histórica: Carlo Ginzburg 1º SEMINÁRIO MICRO-HISTÓRIA: CARLO GINZBURG. O QUEIJO E OS VERMES: O COTIDIANO E AS IDÉIAS DE UM MOLEIRO PERSEGUIDO PELA INQUISIÇÃO. SÃO PAULO: 1987. 2º SEMINÁRIO MICRO-HISTÓRIA (ESCOLA): 13/06/2013 GINZBURG, C. MICRO-HISTÓRIA DUAS OU TRÊS COISAS QUE SEI A RESPEITO. O FIO E OS RASTROS. SÃO PAULO : CIA DAS LETRAS, 2007 REVEL, J. JOGO DE ESCALAS. RJ : FGV, 2000.
  6. 6. 6 6 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR: LEVI, G. Sobre a Micro-História. In: BURKE, P. A Escrita da História. São Paulo : Unesp, 1992. LIMA, Henrique Espada. A micro-história italiana: escalas, indícios, singularidades. Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 2006. LIMA, Henrique Espada. Carlo Ginzburg. In: LOPES, Marco Antônio; MUNHOZ, Sidney. Historiadores de nosso tempo. São Paulo : Alameda, 2010. OLIVEIRA, Mônica e ALMEIDA, Carla. Exercícios de micro-história. Rio de Janeiro : FGV, 2009. REIS, J. C. A Historiografia pós-89: Pós-modernidade, Representações e Micro-Narrativas. in: Teoria & História: Tempo Histórico, História do Pensamento Histórico Ocidental e Pensamento Brasileiro. Rio de Janeiro : FGV, 2012. VAINFAS, R. História das Mentalidades e História Cultural. In: CARDOSO E VAINFAS. Domínios da História. RJ : Campus, 1997. d) A Abordagem Hermenêutica da História: Paul Ricoeur RICOEUR, PAUL. “A TRÍPLICE MIMESE.” IN: TEMPO E NARRATIVA, VOL.1. CAMPINAS : PAPIRUS, 1994. Bibliografia Complementar: REIS, José Carlos. Ricoeur: O Método Hermenêutico-Fenomenológico. In: História da Consciência Histórica Ocidental Contemporânea. Hegel, Nietzsche, Ricoeur. Belo Horizonte, Autêntica, 2011. RICOEUR, Paul. Hermenêutica e Estruturalismo. In: O Conflito das Interpretações. e) A Historiografia Contemporânea: avaliação crítica SEMINÁRIO HISTORIOGRAFIA CONTEMPORÂNEA REIS, J. C. A HISTORIOGRAFIA PÓS-89: PÓS-MODERNIDADE, REPRESENTAÇÕES E MICRO- NARRATIVAS. IN: TEORIA & HISTÓRIA: TEMPO HISTÓRICO, HISTÓRIA DO PENSAMENTO HISTÓRICO OCIDENTAL E PENSAMENTO BRASILEIRO. RIO DE JANEIRO : FGV, 2012.

×