Analise da distribuicao do trabalho o&m

4,995 views

Published on

Published in: Marketing
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
4,995
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
74
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Analise da distribuicao do trabalho o&m

  1. 1. Índice………………………………………………………………………………………….Págs 0.Introdução .................................................................................................................................................. 1 0.1.Objectivos ............................................................................................................................................... 2 1.Metodologia ............................................................................................................................................... 2 2.1.Análise da Distribuição do trabalho ........................................................................................................ 3 2.3.Indicadores de problemas na distribuição do trabalho ............................................................................ 3 2.4.Objectivos da Análise da Distribuição do Trabalho ............................................................................... 4 2.5.Estratégia para análise da distribuição do trabalho ................................................................................. 4 2.6.Técnicas de análise de trabalho............................................................................................................... 6 2.7.Quadro de distribuição de tarefas............................................................................................................ 7 2.8.Métodos de avaliação de tarefas ............................................................................................................. 8 2.9.Recomendações finais ............................................................................................................................. 9 3.Conclusão................................................................................................................................................. 10 4.Referências bibliográficas ........................................................................................................................ 11
  2. 2. 1 0.Introdução Este trabalho tem por objectivo apresentar as bases da análise de distribuição do trabalho numa unidade organizacional, buscando desta feita, destacar a sua importância como recursos auxiliares no sistema da descrição das realidades da organização que apoia a tomada de decisão do Professional de O&M para efeitos de estudo da entidade. Actualmente convive-se permanentemente com um grande volume de dados disponibilizados através das tecnologias de informação. Para este contexto mais se evidencia o (QDT), baseandose da informação para uma análise profunda das tensões entre os órgãos da organização. A informação obtida serve à tomada de decisão, logo á necessidade de decidir com maior precisão, por conseguinte, é obviamente justificada pela necessidade dos Recursos Humanos, dentro das organizações e no campo da pesquisa. O trabalho aborda os preliminares do Professional de organização e métodos, onde relata-se a fundamentação teórica das bases de análise da distribuição do trabalho, designadamente a análise da Distribuição do trabalho, indicadores de problemas na distribuição do trabalho, objectivos do uso destes instrumentos na organização, estratégia para análise da distribuição do trabalho, Técnicas de análise de trabalho, Quadro de distribuição de tarefas, Métodos de avaliação de tarefas, e as respectivas Recomendações finais
  3. 3. 2 0.1.Objectivos 0.2.Geral  Conhecer as técnicas de análise e distribuição do trabalho; 0.3.Específicos  Identificar as condições de aplicação destes métodos na unidade de trabalho.  Descrever a análise e distribuição do trabalho, nestes métodos de instrumentos; 1.Metodologia Para a efectivação do respectivo trabalho recorreu-se a pesquisa exploratória que envolve a pesquisa bibliográfica, valendo-se das informações adquiridas sobre o assunto, para reter alguns conhecimentos a respeito da área.
  4. 4. 3 2.Fundamentos teóricos 2.1.Análise da Distribuição do trabalho Preliminar A análise da distribuição do trabalho é uma técnica que apresenta realidade das descrições individuais, da análise do trabalho desenvolvido para uma determinada unidade da organização. Esta análise do trabalho deriva da descrição de cargo, sendo este um instrumento válido, mas não como um instrumento da análise global, a descrição do cargo mede o cargo e não a sua actuação e interacção dentro da unidade, para estes casos a análise do trabalho não dispensa por sua vez o quadro de distribuição de tarefas, este recurso visa oferecer ao profissional de Organização e Métodos um desenvolvimento de tarefas para a tomada de alguns cuidados na organização. Sendo assim análise de trabalho é uma tarefa que envolve várias técnicas que sempre encontramse em uma consonância. 2.2.Análise da distribuição o trabalho Conceito: Segundo ARAUJO (2005), “A Análise da Distribuição do Trabalho, é entendida como sendo o equilíbrio entre a carga de trabalho atribuída a um colaborador e os resultados de qualidade, rendimento, eficiência, eficácia e produtividade”. “O instrumento usado no processo da análise, é o Quadro de Distribuição do Trabalho – QDT, utilizado com o objectivo de se analisar as diversas actividades atribuídas a cada uma das unidades orgânicas existentes numa dada empresa”. CURY (1995). 2.3.Indicadores de problemas na distribuição do trabalho Estes instrumentos ajudam o profissional de O&M a reflectir sobre a má ou boa distribuição do trabalho numa dada unidade da organização, e manter alguma relação com a unidade em estudo. O instrumento acima referido ajuda-nos na detenção dos seguintes pressupostos:
  5. 5. 4 Atrasos na entrega de documentos ou informações; Aspectos exteriores de ineficiência interna; O excesso de liberdade dado ao colaborador da tarefa; Demora na transmissão de dados; Divulgação em rede de dados incorrectos; e Rendimento individual baixo. Deste modo cabe ao Professional de O&M o propósito de analisar correctamente a distribuição do trabalho, para que não haja insatisfação e desequilíbrio interno na organização; neste caso o principal factor para o Professional de O&M é a de aconselhar e desenvolver o melhor estudo da unidade organizacional. 2.4.Objectivos da Análise da Distribuição do Trabalho Possibilitar uma diagnose na qual se verifica a qualidade do trabalho; Minimizar tensões internas motivadas por atritos relacionados a aspectos exclusivamente funcionais, Também para esta componente observamos objectivos de: Natureza funcional, voltado para a unidade e organização; e de Natureza comportamental que submete-nos a técnicas de minimização ou eliminação dos conflitos. 2.5.Estratégia para análise da distribuição do trabalho A estratégia voltada à distribuição do trabalho reflecte quatro etapas, todas elas de extrema importância e que dependem de informações e da ajuda do pessoal que actua na unidade organizacional. 1ª Etapa Identificação das tarefas individuais
  6. 6. 5 Esta etapa consiste na busca das tarefas realizadas pelos funcionários da unidade, estas tarefas devem ser entendidas como um agrupamento de passos sequenciais, deste modo considerando a divisão do trabalho existente entre funcionários; o Professional nesta fase apenas identifica as tarefas desenvolvidas na unidade, não se preocupa em fornecer as tarefas. 2ª Etapa Agrupamento das tarefas semelhantes em actividades ou serviços Esta etapa é feita com base na identificação das tarefas que tenham carácter de similaridade e complementaridade, e consequentemente agrupamento em actividades ou serviços. Esta etapa é facilitada pelo conhecimento que o chefe e os funcionários têm da unidade em estudo. 3ª Etapa Montagem do quadro de distribuição do trabalho Esta dita-se sendo um etapa mais simples, pois exige apenas a colocação de actividades que consomem maior e menor tempo para os estudos, os dados colhidos nas etapas anteriores e um esforço adicional da soma das horas totais das tarefas e dos serviços. 4ª Etapa Análise do quadro de distribuição do trabalho Diferentemente da etapa anterior, esta etapa requisita o melhor de cada um dos envolvidos, pois o pressuposto é analisar o trabalho através do quadro; faz a verificação das relações conflituosas entre os chefes, desmotivação de colaboradores com carga de menor trabalho. Nesta etapa a análise é efectuada com base em quatro blocos: 1. Tempo; 2. Capacidade profissional; 3. Equilíbrio no volume de trabalho, e 4. Condições exteriores de mudança.
  7. 7. 6 No factor tempo, faz-se a análise de quais actividades ou serviços absorvem mais tempo; onde a resposta conduzirá o analista da situação a considerar se o tempo dispendido é compatível ou n o funcionamento global da unidade. Factor capacidade profissional Este factor remete casos de existência de consonância entre habilidades individuais, formação técnica e das tarefas desenvolvidas por cada um dos funcionários, inclusive a chefia, isso em função da capacidade Professional. Factor equilibro no volume de trabalho, exibe casos da observação de seguintes principios: Há funcionários com trabalho superior aos demais; este caso resultando de uma rápida observação pessoal e pronto, para estes funcionários com carga de trabalho superior, o Professional de O&M deve ter cuidado no processo de análise; A entrada de informações na unidade que estrangulam em algum ponto a unidade; Há funcionários com carga de trabalho inferior aos demais e, A existência de “picos” pode ser considerada normal. Factor Condições exterior de mudança Para este factor as causas que nos remete se ajustam na observação de pontos tais como: Foram identificadas as unidades que estabelecem algum tipo de confronto com a unidade em análise; As relações funcionais mantidas pela chefia da unidade em análise e as demais chefias da organização têm influência positiva ou negativa no quotidiano da unidade. Se existe algum facto que tenha modificado o comportamento e gerado reacções da estrutura social como um todo e que possa estar afectando o trabalho da unidade em análise. 2.6.Técnicas de análise de trabalho A técnica indicada para análise de distribuição do trabalho é a do quadro de distribuição do trabalho (QDT).
  8. 8. 7 As razões para o seu uso versam sobre a necessidade que os responsáveis do estudo têm de não liberar informações que terminem por indicar falhas individuais de uma maneira extremamente objectiva. Para esta fase a análise de distribuição de trabalho é feita seguindo os seguintes princípios: Tempo, virada para o estudo quando os responsáveis pelo estudo acharem conveniente; Uso de quadro de distribuição de tarefas, usado numa fase bastante reduzida a possibilidade de conflitos internos, e a discussão sobre o quadro não envolve questões ligadas ao tempo. Quadro do trabalho simplificado da distribuição, esta técnica oferece uma alternativa que inclui o custo em cruzeiros, semana ou mês, de cada tarefa e de cada actividade ou serviço. 2.7.Quadro de distribuição de tarefas Conceito: O Quadro de distribuição de tarefas (QDT) é o instrumento utilizado com o objectivo de se analisar as diversas actividades atribuídas a cada uma das unidades organizacionais existentes, através do diagnóstico das tarefas executadas, visando aferir a carga de trabalho e a racionalidade de sua distribuição. O Quadro de distribuição de tarefas apresenta por sua vez algumas vantagens e desvantagens; constitui vantagens, as seguintes: Visão imediata das actividades executadas e de quem as executa; Facilita análise comparativa da participação de cada integrante no todo; Aponta imediatamente desequilíbrios na distribuição das tarefas; Fácil aplicação, entendimento e uso. Desvantagens Esquecimento das relações interpessoais; inviável para trabalhos de desenvolvimento, criativos e mentais.
  9. 9. 8 QDT versus QCT O quadro de distribuição do trabalho (QDT) desperta a colocação dos cargos analisados, horas trabalhadas por mês/semana em cada cargo e a actividade ou serviço de cada cargo. O Quadro de Custo do Trabalho (QCT) é acrescido a anterior, este por sua vez reflecte o custo de cada tarefa e de cada actividade ou serviço. 2.8.Métodos de avaliação de tarefas A avaliação de tarefas passa por vários métodos, tornando no entanto, o benefício da organização. Os mais comuns métodos de avaliação são: Relatórios Neste procedimento, o supervisor simplesmente descreve o julgamento que ele faz em relação ao desempenho de seus funcionários, ou seja, ele dá seu parecer quanto à eficiência com que seus subornados executam suas tarefas. Para isso, é necessário elaborar itens que são considerados como relevantes em relação à actuação e comportamento dos funcionários. Escalas Gráficas Este método consiste em pontuar, utilizando uma escala que pode variar de 3, 5 ou 7 pontos geralmente. O avaliador decide, dentro desta escala, qual a pontuação que o funcionário merece diante de um factor específico. Neste caso o desempenho do funcionário é determinado pela pontuação geral que ele recebe diante de todos os factores analisados. Escolha Forçada Neste método, o avaliador dedica-se a fazer escolhas entre frases que melhor e pior descrevem o desempenho do funcionário levando em consideração diversos factores. O Supervisor recebe vários blocos de frases e lhe é querido que os analise separadamente. Normalmente, a escolha precisa ser entre 4 frases que compõe um bloco, sendo que duas frases são positivas e duas negativas. O supervisor deve analisar com cuidado, e escolher duas das
  10. 10. 9 quatro, sendo uma a que mais se aproxima da verdade e uma que menos se aproxima da verdade quanto ao comportamento, atitude e desempenho do funcionário. Distribuição Forçada O supervisor neste método, dedica-se na distribuição dos funcionários em grupos, por categorias e são avaliados segundo padrões preestabelecidos. Neste método, os funcionários são comparados entre si para que possam ser distribuídos nos grupos. Avaliação Por Resultados Este método é considerado como uma alternativa aos métodos mais tradicionais acima referidos. O método de Avaliação por Resultados é utilizado para comparar, de tempos em tempos, os objectivos prefixados e os resultados alcançados. É um excelente método para as empresas que costumam fixar de forma bem clara suas metas e objectivos. 2.9.Recomendações finais Nesta componente de análise da distribuição do trabalho é fundamental seguir as seguintes recomendações; Evitar dar ao levantamento das tarefas o carácter de precisão, isto é, não questionar sobre o exacto número de horas e minutos dedicados ao trabalho; O facto de cada funcionário conduzir o seu trabalho da forma que acha mais interessante não deve ser encarado como um impedimento ao sucesso do trabalho não deve ser considerado como um problema do QDT o factor criatividade de cada funcionário. Conduzir de forma clara o caso do QDT por ser especificamente em unidades da organização, onde exigirá do analista um conhecimento razoável sobre usos e costumes da unidade.
  11. 11. 10 3.Conclusão Feito abordagem, onde debruçou-se basicamente da importância da tarefa de análise e distribuição do trabalho, hei-de referir que esta componente é muito imprescindível para condução de estudos organizacionais. Estes são todos instrumentos importantes para a organização e vida de uma empresa. A análise e distribuição do trabalho é relevante pois, permite buscar um maior número de dados da distribuição de tarefas na unidade colocados nos quadros de distribuição de tarefas, por sua vez, possibilita o estudo das informações que habitualmente são colocados nos quadros, a análise do trabalho é importante pois fornece meios de abrangir a inter-relação sobre uma unidade organizacional na efectivação das tarefas, por fim salientar que esta tarefa não é possível se exercer sem que se saiba a realidade do uso constante destes todos percursos que estivemos a discutir, a análise do trabalho é desenvolvido para uma análise sistemática da distribuição de tarefas.
  12. 12. 11 4.Referências bibliográficas Cyro Bernardes. Teoria Geral da Administração, a análise integrada das organizações. 2ª. Edição. São Paulo.1993 Luis César G.de Araújo. Organização e Métodos. Integrado no Comportamento, Estrutura, Estratégia e tecnologia, 2ª Edição Atlas. São Paulo SA.1989 Rebouças de Oliveira, Organização e Métodos, Uma abordagem gerencial. 3ª Edição. São Paulo.1992 .

×